Infâncias no recreio do ensino fundamental: das (im)possibilidades de exploração dos espaços e do tempo

Autores

DOI:

https://doi.org/10.14244/198271994838

Palavras-chave:

Pátio para recreio, Ensino fundamental, Criança em idade escolar

Resumo

Deriva de pesquisa ampla, com financiamento do CNPq, aborda a temática das infâncias no recreio escolar do ensino fundamental. Problematiza o espaço e o tempo oportunizado e explorado por crianças dos três primeiros anos de ensino. Considera o recreio como contexto educativo e reconhece o ‘silenciamento’ do tema na produção científica atual. Mapeia e analisa que espaços as crianças exploram e de que maneira utilizam o tempo no recreio escolar. De natureza qualitativa realizou-se a observação participante de quatorze crianças em recreio escolar de escola pública de anos iniciais, com registros em diários de campo e utilizou-se da perspectiva da Análise de Conteúdo para organização dos dados. Os achados evidenciaram que a exploração do tempo e dos espaços para o momento do recreio mostraram-se desafios ao cotidiano, considerando o autorizado pelos adultos presentes, as regras, os materiais possibilitados e o restrito tempo. O pátio (central e inferior), com a quadra se constituiu no espaço de privilegiada exploração, especialmente para brincar. No entanto, o parquinho e o jardim se colocaram como espaços de grande interesse, mas com acentuada restrição ou impossibilidade de uso. O refeitório se apresentou como espaço para alimentação, mas também para espera, silêncio, conversas e brincadeiras. Destaca-se a necessidade de valorização do recreio para participação e exercício da cidadania nas infâncias, para aprendizagens e para autoria, para viver às infâncias e ter o direito de brincar efetivado em plenitude, realizando-se o intercâmbio destes com o que se ensina e se aprende em sala de aula.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Aline Sommerhalder , Universidade Federal de São Carlos

Docente do Dep. de Teorias e Práticas Pedagógicas - CECH e do Programa de Pós-Graduação em Educação - PPGE, campus de São Carlos. Coordenadora do Centro de Pesquisa da Criança e de Formação de Educadores da Infância - Cfei/CNPq. Doutora em Educação Escolar e  Pós-Doutora pela Università Degli Studi Roma Tre (UniRoma Tre) - (Itália).

Heliny de Carvalho Massimo , Universidade Federal de São Carlos

Pedagoga e Mestre em Educação (PPGE) pela Universidade Federal de São Carlos/ São Carlos/SP ; Membro Pesquisadora do Centro de Pesquisa da Criança e de Formação de Educadores da Infância (Cfei)- CNPq/UFSCar.

Downloads

Publicado

05-06-2024

Como Citar

SOMMERHALDER , A. .; DE CARVALHO MASSIMO , H. . Infâncias no recreio do ensino fundamental: das (im)possibilidades de exploração dos espaços e do tempo. Revista Eletrônica de Educação, [S. l.], v. 18, p. e483840, 2024. DOI: 10.14244/198271994838. Disponível em: https://www.reveduc.ufscar.br/index.php/reveduc/article/view/4838. Acesso em: 14 jun. 2024.

Edição

Seção

Demanda Contínua - Artigos
##plugins.generic.dates.received## 2022-04-30
##plugins.generic.dates.published## 2024-06-05