https://www.reveduc.ufscar.br/index.php/reveduc/issue/feed Revista Eletrônica de Educação 2024-05-31T00:11:26+00:00 Editoria da Revista reveduc@ufscar.br Open Journal Systems <p>A <strong>Revista Eletrônica de Educação (REVEDUC)</strong>, <em>Qualis A2</em> (2017 – 2020), é um espaço editorial para Artigos, Ensaios e Dossiês relacionados à grande Área de Educação em seus vários temas.<br />A revista publica em fluxo contínuo e está disponível em português.<br /><br /><strong>Qualis</strong><br />A2 em Educação </p> <p><em>Equipe Editorial REVEDUC</em></p> https://www.reveduc.ufscar.br/index.php/reveduc/article/view/6899 Apresentação do Dossiê Concepções, Políticas e Práticas de Indução Docente 2024-03-18T20:38:54+00:00 Giseli Barreto da Cruz giselicruz@ufrj.br Isabel Maria Sabino de Farias isabel.sabino@uece.br Márcia de Souza Hobold mhobold@gmail.com <p>Apresentação: Dossiê Concepções, Políticas e Práticas de Indução Docente.</p> 2024-05-30T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2024 Revista Eletrônica de Educação https://www.reveduc.ufscar.br/index.php/reveduc/article/view/6475 Indução docente: formação de professores iniciantes em perspectiva 2023-06-06T20:56:33+00:00 Giseli Barreto da Cruz cruz.giseli@gmail.com Beatrice Ávalos bavalos254@gmail.com <p>O estudo teve por objetivo analisar sentidos de indução docente e perspectivas para a sua implementação, seja pela via de políticas públicas educacionais, programas institucionais ou ações específicas em sua direção. Decorre de pesquisa teórico-empírica, de natureza qualitativa, centrada em uma revisão sistemática de literatura, para fins de síntese de evidências. Foram revisados 83 artigos, publicados em 5 bases distintas, selecionadas pelo fato de abrangerem uma coleção significativa de periódicos científicos internacionais com interface na área de Educação: <em>Sage Journals, Science Direct, SciELO, Scopus </em>e<em> Taylor y Francis</em>. O recorte temporal estabelecido foi de 2002 a 2022, de modo a abarcar as duas últimas décadas, quando o tema da indução docente alcançou maior circularidade e consolidação na área. As análises são descritas em quatro eixos: enfoques temáticos; enfoques teórico-metodológicos; ações e intenções; perspectivas de formação. Os resultados indicam que as práticas de indução se coadunam com o apoio e a assistência formativa ao professor que se encontra nos primeiros anos de exercício profissional, por meio de políticas e programas de indução, que apresentam níveis e configurações distintas, conforme o contexto, as condições e as contingências institucionais. As análises permitiram a composição de um quadro de perspectivas à indução assentado em três marcos estratégicos: considerar as dificuldades dos professores e suas formas de resistência; estimular o desenvolvimento profissional; e garantir condições objetivas de trabalho e formação.</p> 2024-05-30T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2023 Revista Eletrônica de Educação https://www.reveduc.ufscar.br/index.php/reveduc/article/view/6601 Indução e desenvolvimento profissional de professores: desafios e possibilidades 2024-01-25T17:22:09+00:00 Maria Assunção Flores aflores@ie.uminho.pt <p>Neste texto analisamos a indução profissional a partir da literatura existente neste domínio discutindo o seu contributo para o desenvolvimento profissional dos professores. Reconhecendo-se a especificidade desta etapa de formação, analisam-se quatro temas principais: os desafios e dificuldades dos professores principiantes; o processo de socialização profissional, a (trans)formação da identidade profissional e o desenvolvimento de programas de apoio e orientação. São ainda discutidas as questões da relevância e da eficácia dos programas de indução, defendendo-se a necessidade de apostar no desenvolvimento de políticas neste âmbito e a pertinência de aprofundar o tema do ponto de vista da prática e da investigação. Mais concretamente, refletimos sobre a indução como prioridade política; a indução na perspetiva do desenvolvimento profissional; o papel do mentor e a agência do professor principiante. Argumentamos que o desenvolvimento de programas de indução eficazes e pertinentes tem de ir para além da perspetiva da deficiência, segundo a qual é necessário proporcionar aos novos professores estratégias de sobrevivência. Em vez disso, sugerimos que a indução constitui um espaço e um tempo de construção de conhecimento profissional, valorizando-se o contributo dos professores neófitos para o desenvolvimento da escola e para a promoção de uma cultura profissional colaborativa na medida em que pode promover o desenvolvimento profissional não só dos professores principiantes, mas também dos mentores.</p> 2024-05-30T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2023 Revista Eletrônica de Educação https://www.reveduc.ufscar.br/index.php/reveduc/article/view/6413 Novos professores na América Latina: os desafios em tempos incertos 2023-04-17T20:32:06+00:00 Denise Vaillant vaillant@ort.edu.uy Yael Ferreira fereira_y@ort.edu.uy <p>O artigo apresenta a situação dos novos professores na América Latina, e se concentra nas dificuldades que enfrentam, as iniciativas para seu desenvolvimento profissional e os desafios do pós-pandemia. Com base na revisão da literatura e nas pesquisas anteriores de um dos autores, examina-se o cenário atual em que professores iniciantes começam e iniciam sua prática profissional. Identificam-se as principais dificuldades que os professores enfrentam nos seus primeiros dias de aula, como por exemplo o planejamento pedagógico, a personalização do ensino, a motivação dos alunos, a atenção aos diferentes ritmos de aprendizagem e a gestão da disciplina na sala de aula. Também são analisadas as diferentes iniciativas promovidas pelos países, dando especial atenção à figura dos mentores. A rede de fatores envolvidos no sucesso e fracasso de várias intervenções identificadas também é examinada neste artigo. O trabalho aborda um dos desafios mais importantes que os professores iniciantes que atuam em contextos vulneráveis têm hoje em dia: o nivelamento dos alunos que sofreram perda de aprendizagem durante a pandemia de COVID-19. Embora as evidências ainda sejam muito recentes, não há dúvida de que as consequências da pandemia afetaram com maior ênfase o trabalho dos novos professores.</p> <p><strong> </strong></p> 2024-05-30T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2023 Revista Eletrônica de Educação https://www.reveduc.ufscar.br/index.php/reveduc/article/view/6456 Políticas de indução profissional docente: análises de programas realizados pela UFSCar, os mentores e sua formação 2023-05-25T18:05:04+00:00 Aline Maria de Medeiros Rodrigues Reali alinereali@ufscar.com Ana Paula Gestoso de Souza anapaula@ufscar.br Rosa Maria Moraes Anunciato rosa@ufscar.br <p>Considerando parte das contribuições e desafios identificados em três pesquisas-intervenções centradas em programas de mentoria para professores iniciantes, apresentam-se alguns resultados sobre os mentores e características das propostas formativas para que esses professores pudessem oferecer o suporte pretendido. Os programas foram desenvolvidos, ao longo dos últimos 20 anos, por um grupo de pesquisadores de uma universidade pública e apresentam especificidades em suas ofertas, tais como: assistência a professores iniciantes que atuam em diferentes níveis de ensino (Educação Infantil, Ensino Fundamental - anos iniciais, Educação de Jovens e Adultos); características dos mentores (perfis profissionais e tempo de atuação em sala de aula); usos da Internet (entre mentores e iniciantes e entre mentores e grupo de pesquisa); e uso ou não de ferramentas virtuais. Algumas dimensões dos programas investigados são apresentadas: concepção sobre a mentoria; eixos teóricos e metodológicos, principais características e práticas. Os resultados referem-se aos professores experientes participantes das iniciativas e características das ações de formação inicial e continuada ofertadas para atuar como mentores de professores em início de carreira. Por fim, sugere-se que as políticas de apoio aos professores iniciantes da carreira profissional, indução e mentoria considerem o desenvolvimento de processos formativos sistemáticos e de longo prazo. O esforço central das propostas formativas com esse propósito deve ser o ensino, a aprendizagem da docência e a atuação profissional docente.</p> 2024-05-30T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2024 Revista Eletrônica de Educação https://www.reveduc.ufscar.br/index.php/reveduc/article/view/6459 Práticas de indução docente e desenvolvimento profissional: contribuições do Programa de Mentoria para professoras iniciantes 2023-06-20T14:58:57+00:00 Lúcia Gracia Ferreira lucia.trindade@uesb.edu.br Rita de Cássia Souza Nascimento Ferraz ritasouza@uesb.edu.br Roselane Duarte Ferraz rduarte@uesb.edu.br <p>A indução docente visa atender professores em início de carreira, num processo de acompanhamento, assessoria e formação, considerando as vivências da prática profissional. Assim, este texto tem por objetivo analisar as práticas de indução e o desenvolvimento profissional docente de professoras iniciantes, participantes do Programa de Mentoria Online, da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia, tendo como foco as relações, acompanhamento e os desafios. Para tanto, foi realizada uma investigação de abordagem qualitativa e exploratória, cujos dados foram produzidos no ano de 2022, no município de Itapetinga-BA. Contou com a participação de duas professoras iniciantes da Educação Infantil, que participaram de um programa de indução. Os dados foram produzidos a partir da entrevista semiestruturada e analisados a partir da técnica de análise de conteúdo, com emersão de duas categorias: a) relação e acompanhamento; b) desafios. Evidenciamos a contribuição do Programa de indução na construção da docência das professoras iniciantes e que as práticas empreendidas beneficiaram o seu Desenvolvimento Profissional. Constatamos que as aprendizagens da docência foram constantes, e que a indução vivenciada colaborou para busca de superação de desafios e construção de relações. Entendemos, com isso, que as práticas de indução precisam avançar para o caráter permanente, subsidiadas como políticas públicas.</p> <p> </p> 2024-05-30T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2024 Revista Eletrônica de Educação https://www.reveduc.ufscar.br/index.php/reveduc/article/view/6435 A pesquisa-formação como prática de indução docente: experiência formativa com professoras em início de carreira 2023-07-12T19:32:25+00:00 Carolina Ribeiro Cardoso carol.c4rdoso@gmail.com Márcia de Souza Hobold mhobold@gmail.com Lara Rodrigues Pereira lararp81@gmail.com <p>Este artigo tem como objetivo analisar o processo de desenvolvimento de uma pesquisa-formação, considerada como prática de indução docente. Dessa forma, apresenta reflexões sobre uma experiência formativa com professoras iniciantes, assumindo a narrativa (auto)biográfica como aporte teórico-metodológico para a compreensão dos principais desafios vivenciados no início da docência, bem como as estratégias encontradas pelas professoras para superá-los. As reuniões ocorreram mensalmente e foram protagonizadas por professoras de duas Redes Públicas Municipais de Ensino de Santa Catarina. Considerou-se como docentes iniciantes quem estivesse entre o primeiro e o quinto ano de exercício profissional na educação básica, considerando efetivos ou substitutos. Os autores que subsidiaram a pesquisa-formação e os estudos sobre indução profissional foram, Delory-Momberger (2016), Bragança (2011), Josso (2006) e Cruz, Farias e Hobold (2020). Os conceitos de narrativa, experiência, biografia e identidade mostraram-se essenciais para a compreensão das contradições e potências existentes na investigação da narrativa autobiográfica para formação de professores (Pereira; Silva; Hobold, 2021). A experiência evidenciou a potencialidade da pesquisa-formação como prática de indução docente, sendo que, ao compartilharem histórias de vida e profissão, as professoras refletiram sobre diferentes aspectos que envolvem o exercício do magistério, pensaram coletivamente em estratégias para superar os desafios da carreira e produziram um forte elo de identidade nas discussões concernentes ao ingresso na docência.</p> 2024-05-30T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2024 Revista Eletrônica de Educação https://www.reveduc.ufscar.br/index.php/reveduc/article/view/6478 Professores iniciantes e as estratégias de ação frente aos desafios da docência partilhadas em uma pesquisa-formação 2023-06-21T13:53:41+00:00 Iure Coutre Gurgel yurecoutre@yahoo.com.br Luciana de Oliveira Souza Mendonça lucianamendonca@ifce.edu.br Maria Gerlaine Belchior Amaral maria.gerlaine@professor.ufcg.edu.br <p>O presente artigo objetiva discutir a importância das práticas de acompanhamento e processos de indução de professores iniciantes na educação básica, focalizando as estratégias para superação dos desafios vivenciados por esses profissionais no início da docência. Como problema de pesquisa, destaca-se: de que forma as práticas de indução podem contribuir para a aprendizagem do professor iniciante da rede básica cearense? O estudo caracteriza-se pela abordagem qualitativa de pesquisa, resultante de uma pesquisa em rede concluída em caráter interinstitucional e apoiada pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico e pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro, tendo o dispositivo da pesquisa-formação como caminho metodológico reflexivo para a indução docente. Os sujeitos participantes deste estudo foram professores dos Anos Iniciais da rede básica cearense. O aporte teórico que deu sustentação ao estudo caracterizou-se a partir dos contributos de Cruz, Farias e Hobold (2020), Garcia (1999), Mizukami (2004), Veenman (1984), dentre outros. Os resultados evidenciam que as principais estratégias de superação partilhadas pelos professores iniciantes foram: buscar apoio com os pares e a gestão; ser afetivo na relação com os alunos; fortalecer a relação família-escola; refletir sobre a prática; e buscar melhorias permanentes através da pesquisa, estudo e formações para superar os desafios da docência. Os dados apontam a importância do apoio da gestão da escola a partir da prática de indução como perspectiva formativa para o desenvolvimento dos professores no início da carreira.</p> 2024-05-30T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2023 Revista Eletrônica de Educação https://www.reveduc.ufscar.br/index.php/reveduc/article/view/6447 O início da docência no contexto cearense: estudo sobre a prática de indução profissional docente 2023-06-10T14:58:44+00:00 Diana Aguiar Salomão diana_salomao@hotmail.com Sandy Lima Costa sandy.lima@aluno.uece.br Maria Mikaele da Silva Cavalcante mikaele262009@hotmail.com <p>O início da docência é uma etapa essencial da formação docente para o desenvolvimento profissional de professores, pois é marcado pelo enfrentamento de desafios e dificuldades que impactam diretamente a aprendizagem da profissão. Nessa perspectiva, o processo de indução docente é uma possibilidade de amenizar as dificuldades que impactam esse período, sendo caracterizado pelo investimento em ações intencionais e sistematizadas de apoio e acompanhamento do trabalho docente. Isso posto, o presente artigo versa sobre o início da docência e objetiva discutir uma ação específica de indução profissional docente a partir das narrativas de professores iniciantes sobre os seus modos de agir e reagir diante dos desafios da profissão, considerando seus processos de acolhimento, suas trajetórias profissionais, as estratégias exitosas de superação e a experiência vivenciada entre pares em um Grupo de Formação. O debate e os dados apresentados são resultados de uma pesquisa-formação desenvolvida no contexto cearense. Para o desenvolvimento do estudo, realizou-se uma investigação de cunho qualitativo, do tipo pesquisa-formação. Os resultados do estudo demonstram que os professores iniciantes, ao participarem da pesquisa-formação, vivenciando processos de escuta, partilha de questões e trocas de experiências, consolidaram conhecimentos e práticas próprias à profissão docente e encontraram apoio e acompanhamento para o exercício da docência, sendo o desenvolvimento de um processo reflexivo de indução profissional o principal impacto dessa iniciativa.</p> 2024-05-30T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2024 Revista Eletrônica de Educação https://www.reveduc.ufscar.br/index.php/reveduc/article/view/6416 Acolhimento profissional como estratégia de indução docente 2023-07-03T20:27:24+00:00 Fernanda Lahtermaher felahter@gmail.com <p>O artigo focaliza constatações de uma pesquisa com professoras iniciantes e experientes, que integram uma comunidade de aprendizagem docente, com o objetivo de compreender as relações estabelecidas entre elas a partir das narrativas sobre os movimentos de acolhimento e seu potencial contributivo para uma indução docente formadora de práticas profissionais. Teoricamente, apoiou-se nos estudos de Zeichner (2010; 2014), Cochran-Smith (2002) e Nóvoa (2017). Metodologicamente, conduziu-se um estudo de caso, com entrevistas e observação participante <em>online</em>, de modo que as expectativas, as experiências e as trajetórias de inserção das professoras fossem compreendidas tendo em vista a tecitura de relações estabelecidas entre iniciantes e experientes durante o período da inserção profissional. Assim, organiza-se em torno de dois eixos analíticos: acolhimento profissional docente e comunidade de aprendizagem docente. Conclui-se que as ações de acolhimento são traduzidas em duas perspectivas: receptiva e profissional, que, por não serem excludentes, podem contribuir para a indução docente. A pesquisa indica que as comunidades de aprendizagem docente podem facilitar o acolhimento profissional enquanto estratégia de indução docente, posto que, quando são organizadas considerando quem são os sujeitos, reconhecendo a horizontalidade de saberes e as diferentes formas de exercer a docência, contribuem para se pensar as práticas profissionais que rompem o isolamento e abandono da profissão nos primeiros anos.</p> 2024-05-31T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2024 Revista Eletrônica de Educação https://www.reveduc.ufscar.br/index.php/reveduc/article/view/6460 Narrativas de professores iniciantes, no contexto do Agreste de Pernambuco: indução profissional em foco 2023-08-03T02:05:57+00:00 Maria Joselma do Nascimento Franco mariajoselma.franco@ufpe.br Ray-lla Walleska Santos Ferreira Gouveia rayllawsf@gmail.com Mônica Batista da Silva monicabatista.ufpe@gmail.com Márcia Batista da Silva marcia19.b@gmail.com <p>O presente artigo é recorte de três pesquisas desenvolvidas no PPGEduC/UFPE, articuladas à REDEP – Rede de Estudos sobre Desenvolvimento Profissional Docente, que tomam como objeto a formação de professores iniciantes nas redes públicas municipais do Agreste pernambucano. Neste, discutimos a indução profissional compreendida enquanto o processo de orientação, acompanhamento e acolhimento de professores iniciantes, assim como a imersão enquanto exercício de autoria e aderência à docência, que contribui para a busca na consolidação da carreira. Traçamos um percurso metodológico que se constitui pela via das narrativas, evidenciadas e analisadas com base nos grupos de discussão (Weller, 2006; 2010) e intervenção (Gouveia, 2020). Dentre as narrativas utilizadas, tivemos a constituição de Casos de Ensino (Mizukami, 2000; 2001; 2002; 2004), compreendidos como caminho de desenvolvimento profissional e aprendizagem da docência; os Diários Reflexivos (Zabalza, 2007) enquanto instrumento autoral, impulsionador da tomada de consciência das práticas de professores, e os Memoriais Formativos (Passeggi, Passeggi e Câmara, 2008), enquanto possibilidade da escrita de si e do aperfeiçoamento docente. Os “achados das pesquisas” indicam a necessidade de constituição de uma política de indução profissional e de formação continuada dos profissionais da educação, que parta de suas demandas reais e que considere o contexto, a reflexão e a dimensão da autoria de professores em atuação, numa perspectiva colaborativa, envolvendo a comunidade escolar, universidade e redes públicas municipais do Agreste pernambucano.</p> 2024-05-31T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2024 Revista Eletrônica de Educação https://www.reveduc.ufscar.br/index.php/reveduc/article/view/6472 O coordenador pedagógico em face à indução docente na escola: dispositivos, conteúdos e desafios 2023-06-06T16:56:02+00:00 Iris Martins de Souza Castro iris.martins@aluno.uece.br Isabel Maria Sabino de Farias isabel.sabino@uece.br <p>Este escrito objetiva compreender as práticas e/ou dispositivos de indução docente desenvolvidos por coordenadores pedagógicos no contexto da rede estadual de ensino do Ceará, seus conteúdos e desafios no desenvolvimento e permanência do professor iniciante na docência. Argumenta-se que as práticas e/ou dispositivos de indução docente são estratégias de apoio e acompanhamento adotados, nos processos de formação no início de carreira, para favorecer a autonomia e o desenvolvimento do professor iniciante, atuação estritamente pedagógica. A análise decorre de investigação qualitativa, do tipo estudo de caso, com participação de dez coordenadores cearenses. Como procedimentos de produção de dados, utilizamos: questionário <em>on-line</em>, roda de conversa mediada por caso de ensino e entrevista semiestruturada. A análise das narrativas sustenta-se nos estudos de Isabel Alarcão, Maria do Céu Roldão, Vera Placco, Laurinda Almeida, Vera Souza, Neusa Ambrossetti e Antonio Nóvoa. Os dados evidenciaram os coordenadores como gestores da formação docente, em especial do iniciante. Foram identificadas quatro práticas e/ou dispositivos formativos que configuram a indução docente desenvolvida pelos coordenadores pedagógicos na escola: o diálogo, o apoio pedagógico direcionado, a aprendizagem entre pares e a observação em sala de aula. Nelas predominam conteúdos voltados para o desenvolvimento e consolidação de conhecimentos pedagógicos e experienciais dos professores iniciantes. As práticas e/ou dispositivos formativos destinados ao iniciante, porém, são advindas de ações individualizadas, sustentadas exclusivamente pelo entendimento do coordenador a respeito da relevância do processo de socialização do iniciante, não se caracterizando como iniciativa sistêmica de política pública formulada ou estimulada pela Secretaria de Educação do Estado.</p> 2024-05-31T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2024 Revista Eletrônica de Educação https://www.reveduc.ufscar.br/index.php/reveduc/article/view/6453 Coordenadores Pedagógicos: reflexões e práticas de apoio e de acolhimento ao docente iniciante 2023-06-13T15:23:55+00:00 Laurizete Ferragut Passos laurizetefer@gmail.com Patrícia Albieri de Almeida palmeida@fcc.org.br Adriana Teixeira Reis adrianateixeirareis@gmail.com Ana Lucia Madsen Gomboeff analumadsen@gmail.com <p>O presente estudo faz parte de um programa interinstitucional de pesquisas com foco nos processos de indução para professores iniciantes da educação básica e teve por objetivo analisar se e como a formação realizada com um grupo de coordenadores pedagógicos de uma diretoria regional de educação (DRE) da rede municipal de ensino de São Paulo mobilizou reflexões e práticas de apoio e acolhimento ao professor iniciante no contexto da escola. Foram realizados quatro encontros formativos presenciais, gravados e transcritos, com a duração de quatro horas e com a participação de aproximadamente quarenta coordenadores. Os dados produzidos foram sistematizados e organizados em quatro dimensões de análise que abordam desde os sentimentos vividos pelos coordenadores na condição de professores iniciantes, passando por suas dificuldades para apoiar e acompanhar o professor iniciante no contexto da escola e pelas ações de acolhimento e acompanhamento realizadas, bem como as reflexões e práticas mobilizadas na formação realizada. Os dados indicam que a temática da inserção profissional e da indução docente podem estar invisibilizadas em muitas escolas, mas, em outras, é um tema sensível que tem resultado em ações e práticas favoráveis ao docente iniciante. As atividades propostas nos encontros não só mobilizaram reflexões sobre os diferentes elementos, tanto objetivos como subjetivos, que englobam a inserção profissional docente, mas, sobretudo, permitiram evidenciar iniciativas tidas na literatura como elementos facilitadores da inserção profissional, com potencial para constituir um programa de indução.</p> 2024-05-31T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2024 Revista Eletrônica de Educação https://www.reveduc.ufscar.br/index.php/reveduc/article/view/6484 Indução na percepção de coordenadores iniciantes em Mato Grosso: leituras sobre formações partilhadas 2023-05-31T23:28:49+00:00 Simone Albuquerque da Rocha simone103232@gmail.com Rosana Maria Martins rosana.martins@ufr.edu.br Teresa Sarmento tsarmento@ie.uminho.pt Jéssica Lorrayne Ananias da Silva jessicasilva_jeh@hotmail.com <p>O artigo resulta de pesquisa que investiga processos de inserção e indícios de indução junto à professores iniciantes com o agravante de estarem na função de coordenadores pedagógicos. Tais profissionais participam de formação continuada da sua rede municipal de ensino e do projeto tripartite Universidade-escola e rede de ensino, advindo do finalizado projeto OBEDUC/UFMT/2017, que continua as atividades formativas como FormEduc/PPGEdu/UFR/2023. Questiona-se como os iniciantes percebem sua inserção na escola e a que atribuem sua adesão ao convite para assumirem a coordenação, estando na fase iniciática da profissão docente. Indaga-se, ainda, se as formações continuadas de que participam têm lhes propiciado condições para o exercício da coordenação pedagógica na escola em que atuam, sinalizando indícios de indução. Apropriando-se de narrativas (auto)biográficas e dos princípios da pesquisa-formação, apresenta como objetivos investigar, junto a duas iniciantes que atuam na Educação Infantil no interior de Mato Grosso, o que apontam como basilar para sua aceitação à função de coordenação pedagógica; e se percebem, ou não, processos de indução propiciados à sua formação. Resultados ainda preliminares sinalizam que a rede de ensino à qual pertencem os iniciantes oferece formação continuada aos coordenadores pedagógicos, sem tangenciar a fase inicial da docência, sendo, portanto, de pouca contribuição; no entanto, ressaltam que a formação partilhada no projeto colaborativo e itinerante, universidade-escola FormEduc/OBEDUC, embora não sendo para coordenadores pedagógicos iniciantes, foi responsável por encorajá-las às ações desafiadoras da coordenação pedagógica.</p> 2024-05-30T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2024 Revista Eletrônica de Educação https://www.reveduc.ufscar.br/index.php/reveduc/article/view/6479 Inserção e indução profissional dos professores iniciantes/principiantes: estratégias formativas e papel dos coordenadores pedagógicos 2023-06-04T14:52:22+00:00 Maria das Graças Chagas de Arruda Nascimento mgcanascimento@gmail.com Yrlla Ribeiro de Oliveira Carneiro da Silva yrllaribeiro22@yahoo.com.br Samara Andrade da Costa samara-andrade@hotmail.com <p>O presente texto aborda a discussão sobre o processo de indução profissional de professores que iniciam a vida profissional. O artigo tem por objetivo discutir, a partir das perspectivas de coordenadoras pedagógicas, o processo de apoio e acompanhamento de professores que ingressaram na Rede Municipal de Ensino do Rio de Janeiro em 2021, para atuarem nos Anos Iniciais do Ensino Fundamental. Apresenta parte dos resultados encontrados em pesquisa que teve por objetivo analisar ações de formação desencadeadas pela escola, com indícios de indução profissional, no contexto da Rede Pública Municipal de Ensino do Rio de Janeiro. Busca-se investigar a existência de ações e estratégias intencionais voltadas para o acompanhamento e a formação de professores no âmbito das escolas e como os coordenadores pedagógicos estão envolvidos nessas ações. As análises estão sustentadas em estudos desenvolvidos por Cruz, Farias e Hobold (2020), Vaillant e Marcelo García (2012), Imbernón (2006, 2016) e Nascimento <em>et al.</em> (2014, 2021). Sobre os procedimentos metodológicos, foram utilizados a consulta documental, questionários e entrevistas com coordenadores pedagógicos da rede. Os resultados permitiram identificar a existência de uma política parcialmente efetivada e de ações pontuais de algumas escolas e seus respectivos coordenadores com vistas ao acolhimento dos professores iniciantes. Contudo verificou-se que existe ainda um longo caminho a percorrer na direção da efetivação de uma política de indução profissional docente.</p> 2024-05-30T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2024 Revista Eletrônica de Educação https://www.reveduc.ufscar.br/index.php/reveduc/article/view/6452 Contribuições e fragilidades da formação de professores iniciantes em uma rede pública municipal de ensino 2023-06-13T15:23:03+00:00 Aline Aparecida de Castro aline_castro_pg@hotmail.com Silmara de Oliveira Gomes Papi silmarapapi@gmail.com <p>Estudos sobre o período de iniciação profissional docente, que se refere aos primeiros anos de exercício profissional, têm avançado, especialmente na última década, no Brasil. Esta pesquisa, de abordagem qualitativa, tem como objetivo geral analisar contribuições e fragilidades da formação continuada de professores iniciantes ofertada pela Secretaria Municipal de Educação de um município paranaense. Com os objetivos específicos, buscou-se identificar iniciativas formativas desencadeadas pela Secretaria Municipal de Educação para professores iniciantes e verificar quais ações dessa formação continuada de professores iniciantes favoreceram, ou não, a aprendizagem profissional destes. A pesquisa foi realizada com 15 professores iniciantes, atuantes em escolas municipais de anos iniciais do Ensino Fundamental, contando também com duas Supervisoras de Gestão Pedagógica e de Ensino da Secretaria Municipal de Educação. Os dados foram produzidos através de questionário, entrevista semiestruturada e análise documental. O tratamento dos dados se deu pela análise de conteúdo. A pesquisa indicou que as iniciativas formativas vivenciadas pelos professores iniciantes ocorreram majoritariamente junto com os demais professores da rede municipal ou da escola. Os poucos momentos específicos proporcionados aos iniciantes se caracterizaram notadamente por esclarecimentos sobre a organização e funcionamento da rede de ensino. Quando da participação em cursos, no geral, eles indicaram que poucas vezes suas necessidades formativas foram atendidas, embora tenham reconhecido que, ainda assim, algo foi aprendido por eles. A predominância da abordagem teórica na formação também foi relatada, sendo que as iniciativas que tiveram enfoque mais prático, bem como troca de experiências, foram mais valorizadas por suas contribuições.</p> 2024-05-31T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2024 Revista Eletrônica de Educação https://www.reveduc.ufscar.br/index.php/reveduc/article/view/6429 Curso “inducente”: efetivando e analisando um projeto de indução profissional docente no Rio de Janeiro/Brasil 2023-06-21T13:56:32+00:00 Amanda Oliveira Rabelo amandaorabelo@hotmail.com <p>O objetivo do projeto de pesquisa-ação, ensino e extensão, relatado no artigo, foi apoiar o docente iniciante, egresso dos cursos de Pedagogia da UFF-INFES e da UFRRJ/IE, levantando as dificuldades e as soluções da prática pedagógica desse professor, bem como implementar e analisar estratégias de indução profissional do docente recém-formado pelo curso piloto “Inducente”, proposto para promover o diálogo entre universidade e escola. A metodologia adotada baseia-se em pressupostos qualitativos e narrativos, com ênfase na importância da pesquisa ligada à praxis, ou seja, na pesquisa-ação- os dados são devolvidos à comunidade estudada para possíveis intervenções. Participaram do programa 6 egressos do curso de Pedagogia da UFF/INFES e da UFRRJ/IE, docentes iniciantes dos anos iniciais do ensino fundamental e da educação infantil (menos de 5 anos de docência) no ensino público da região, bem como 6 mentores das escolas básicas nas quais os egressos trabalham (escolhidos pelo seu reconhecimento no trabalho desempenhado). Efetuamos o levantamento dos dados dos egressos por meio de questionário; os selecionados foram entrevistados, assim como seus mentores. O curso foi iniciado, as temáticas foram escolhidas e debatidas em cada encontro; por fim, foram efetuadas a avaliação e a autoavaliação. Concluímos que esse curso funcionou como apoio aos professores iniciantes, pois permitiu maior reflexão e melhor atuação profissional, bem como a diminuição do ‘choque de realidade’, da desmotivação e do abandono docente.</p> 2024-05-31T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2024 Revista Eletrônica de Educação https://www.reveduc.ufscar.br/index.php/reveduc/article/view/6458 Impactos do PIBID e do Programa de Residência Pedagógica no processo de indução profissional 2023-07-04T15:40:13+00:00 Alexandre Vanzuita alexandre.vanzuita@ifc.edu.br Juliana Guérios juguerios@gmail.com <p>Este trabalho é resultante de uma pesquisa que versa sobre os Programas de Iniciação à Docência, o Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência (PIBID) e o Programa de Residência Pedagógica (PRP), articulados aos processos de Formação Inicial Docente no contexto do Instituto Federal Catarinense (IFC). O estudo buscou compreender como os Programas de Iniciação à Docência, PIBID e PRP, impactam a formação inicial docente e os processos de indução profissional. Situada em uma abordagem contextualizada, de natureza qualitativa, a investigação foi realizada com 100 estudantes dos cursos de Licenciatura do IFC atuantes no PIBID e no PRP. O foco da análise interpretativa voltou-se ao perfil, aos significados e às experiências vivenciadas pelos/as bolsistas e residentes em seus processos formativos. Os resultados mostraram que a predominância dos/as participantes dos Programas é do sexo feminino, jovens e solteiros/as. No campo das experiências formativas dentro dos Programas, os dados revelaram que as escolhas pelo campo das Licenciaturas estão vinculadas, além de ter um curso superior, às contribuições para a sociedade, as quais estão interligadas e diretamente relacionadas ao mundo do trabalho. Concluiu-se que as práticas realizadas dentro dos Programas impactam positivamente o processo de formação docente dos/as participantes, além da qualificação socialmente referenciada do processo de indução profissional, o que reverbera na sua inserção profissional.</p> 2024-05-31T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2024 Revista Eletrônica de Educação https://www.reveduc.ufscar.br/index.php/reveduc/article/view/4332 Ler-escrever gêneros discursivos acadêmicos na formação inicial docente: um desafio para o ensino superior 2020-04-30T10:18:31+00:00 Jéssica do Nascimento Rodrigues jessica_rodrigues@id.uff.br Danuse Pereira Vieira danusepereira@id.uff.br <p>Este ensaio apresenta reflexões de um grupo de professoras/es pesquisadoras/es que, mediante uso de formas variadas de registro em ações de ensino e extensão promovidas pelo Laboratório de Letramentos Acadêmicos (LabLA/UFF), tem coletado relatos de participantes acerca das práticas de ler-escrever gêneros discursivos da esfera acadêmica, reconhecidos como sustentáculos da formação para a práxis educativa. Dessa forma, defende-se a tese segundo a qual essas práticas docentes de ler-escrever na universidade têm se distanciado do uso da linguagem como prática social na/da construção discente e eixo formativo indispensável para a docência, o que conduz à problematização: qual é o papel de professores universitárias/os pesquisadoras/es no trabalho com a insuficiente proficiência de graduandas/os e de professoras/es da educação básica durante suas performances de leitura/escrita na esfera acadêmica? Partindo da perspectiva dialógica, discursiva e histórica da linguagem, intenciona-se discutir os eixos ler-escrever gêneros discursivos acadêmicos na formação docente cujo ensino é parte fundamental do trabalho de professoras/es universitárias/os. Como considerações finais, reitera-se que a comunidade discursiva acadêmica e, mormente, o docente do ensino superior são responsáveis por propiciar às/aos estudantes práticas de letramento em que o ensinar-aprender pela pesquisa para o trabalho docente seja central, com ênfase no processo de orientação como trabalho de formação de professoras/es para a educação básica, sem prescindir do entendimento do processo de fazer pesquisa, da parcialidade nas ciências, da história da divisão social do trabalho docente para (re)conhecer e (re)criar sua função na sociedade e da necessidade de (re)encontro entre fazeres científicos e pedagógicos na práxis docente.</p> 2024-05-31T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2024 Revista Eletrônica de Educação https://www.reveduc.ufscar.br/index.php/reveduc/article/view/6902 Carta ao leitor 2024-05-20T13:18:57+00:00 Maria Cecília Luiz cecilialuiz@ufscar.br 2024-05-30T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2024 Maria Cecília Luiz https://www.reveduc.ufscar.br/index.php/reveduc/article/view/4336 Televisão e princípios dos direitos humanos: uma análise de conteúdo dos telejornais da TV aberta 2020-06-05T14:57:51+00:00 Flaviana de Freitas Oliveira flavianadefreitas@gmail.com Ana Maria Klein ana.klein@unesp.br <p>O Brasil assume o compromisso com a Educação em Direitos Humanos, expresso por meio de planos e diretrizes, que reconhecem a importância da mídia para este tipo de educação. Destacando a importância dos telejornais, que são responsáveis por criar uma hiper-realidade e levar fatos considerados verdadeiros para os telespectadores, o presente estudo problematiza “Como os Direitos Humanos são abordados em telejornais das televisões abertas do Brasil?” A metodologia utilizada tomou como objeto, durante seis meses, 60 edições de telejornais de cinco emissoras de televisão abertas do Brasil: Jornal Nacional (Rede Globo), SBT Brasil (SBT), Jornal da Record (Record), Jornal da Cultura (TV Cultura) e Brasil Urgente (Band). Trata-se de uma pesquisa documental que utiliza a análise de conteúdo para sistematizar os dados. No total, foram analisadas 402 matérias, sendo que apenas 1,5% das notícias mencionaram o termo “Direitos Humanos” (DH). Buscou-se também a frequência de menção aos princípios que sustentam os DH (igualdade, liberdade, fraternidade, solidariedade, dignidade, diversidade, democracia e laicidade), que chegou a 5,7% do total de matérias. Mesmo em matérias que envolvem direitos, estes não são associados ao conjunto dos Direitos Humanos. Entende-se que a não menção a estes direitos contribui para a ignorância e a manutenção dos preconceitos existentes no Brasil.</p> 2024-05-31T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2024 Revista Eletrônica de Educação https://www.reveduc.ufscar.br/index.php/reveduc/article/view/4642 A educação/escolarização das mulheres egressas do sistema penitenciário 2022-04-29T20:03:29+00:00 Ires Aparecida Falcade iresfalcade@gmail.com <p>O presente artigo refere-se à percepção e experiência de mulheres egressas do sistema penitenciário sobre educação/escolarização ao longo de suas vidas, incluindo o período enquanto estiveram em privação de liberdade. Aborda dados da tese de doutorado <em>A (re)inserção social de mulheres com histórias de privação de liberdade</em>, Falcade (2019). A referida pesquisa de caráter exploratório, qualitativa, teve a participação de 20 mulheres egressas do sistema penitenciário de Curitiba e Região metropolitana. Para a coleta de dados, foi utilizado como instrumento de pesquisa e coleta de dados o questionário com 46 questões e observação durante sua aplicação. Com objetivo de discutir e analisar os impactos da frequência ou não às aulas durante suas vidas, este artigo aborda recorte específico referente a questão escolar vivenciada em suas vidas, antes, durante e após a privação de liberdade. Para isso, utilizou-se a metodologia e os dados da tese referente aos diversos fatores sobre suas vidas no retorno à liberdade e o impacto da experiência escolar na privação de liberdade no seu regresso. Um dos resultados obtidos na pesquisa e que aqui é discutido, demarcou a importância das atividades escolares em suas vidas e a importante vivência e mediação do/a professor/a no resgate da autoestima e dignidade humana entre muros e grades e em liberdade.</p> 2024-05-31T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2024 Revista Eletrônica de Educação https://www.reveduc.ufscar.br/index.php/reveduc/article/view/4867 Conjunturas históricas, projeções futuras: o ensino remoto emergencial de história e o uso do WhatsApp 2022-05-01T01:29:18+00:00 Alessandra Soares Santos alessandrast@ufmg.br Raphael Freitas Santos raphael@cefetmg.br <p>O artigo busca relatar as condições de organização do ensino no Brasil durante os primeiros meses de isolamento social imposto pela pandemia de Covid-19 bem como refletir sobre as possibilidades e os limites do ensino de história neste contexto. A partir da experiência e da reflexão crítica sobre o desenvolvimento de um projeto de ensino de história por professores do Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais (CEFET-MG) junto aos seus estudantes do ensino médio, pretendemos discutir o uso de uma das Tecnologias Digitais da Informação e Comunicação (TDICs) – o <em>WhatsApp</em> – no ensino de história. A proposta realizada consistiu em fazer leituras e discussões de textos e de vídeos com conteúdo científico de maneira totalmente assíncrona e virtual por meio deste aplicativo de mensagens instantâneas instalado em dispositivos de telefonia móvel. O projeto pretendeu suscitar reflexões e debates sobre a história do século XX e sobre como as ciências humanas podem contribuir para a compreensão de conjunturas-chave, como a atual pandemia, no século XXI. Acreditamos que essa experiência e as discussões por ela suscitadas podem contribuir não apenas para a proposição de ações pedagógicas qualificadas, mas também para uma reflexão crítica acerca do uso de TDICs em tempos de “normalidade” educativa e sanitária. <br /><br /></p> 2024-05-31T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2020 Revista Eletrônica de Educação https://www.reveduc.ufscar.br/index.php/reveduc/article/view/4966 Alunos com deficiência física no ensino médio: análise da acessibilidade em uma escola pública 2022-05-01T19:12:19+00:00 Eli Carlos de Sousa Alencar eli.alencar@escola.seduc.pa.gov.br Débora Deliberato debora.deliberato@ufrn.br <p>A seguinte investigação apresentou como objetivo analisar as condições de acessibilidade físico-arquitetônicas de uma escola estadual de ensino médio, em um município do interior do estado do Pará, para alunos com deficiência física ou com mobilidade reduzida. Sua execução se deu com base na análise dos fatores que dificultam a eficiência e eficácia da acessibilidade física, para o atendimento e inclusão desse crescente público de alunos. Nesse sentido, foram descritos e analisados os principais obstáculos que podem comprometer e, por consequência, pôr em risco a adequada inclusão dentro do contexto escolar. Para atingir os objetivos propostos optou-se pela realização de um estudo descritivo, realizado a partir do método de pesquisa qualitativo. Para coleta de dados foram utilizados, além de um Protocolo de Avaliação de Acessibilidade em Escolas, entrevistas semiestruturadas e um diário de campo do pesquisador. A análise dos dados advindos das entrevistas permitiu estabelecer as categorias e subcategorias de análise, necessárias para definir as características e o nível de acessibilidade das escolas investigadas. Foram analisadas também as dificuldades para o uso de equipamentos e mobiliários do ambiente escolar, por alunos com deficiência física ou com mobilidade reduzida. Já a aplicação do protocolo permitiu estabelecer tecnicamente, com base nas atuais normas, o nível de acessibilidade físico-arquitetônica de escola. Como conclusão, o estudo demonstrou que a escola estudada não apresenta estrutura físico-arquitetônica, de equipamento e mobiliários adequada dentro das recomendações e exigências prescritas em normas técnicas vigentes e na legislação mais recente sobre acessibilidade.</p> 2024-05-31T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2024 Revista Eletrônica de Educação https://www.reveduc.ufscar.br/index.php/reveduc/article/view/5444 Acessibilidade e ensino para surdos em contexto da COVID-19 na Universidade Federal de São Carlos 2022-05-05T16:45:34+00:00 Ligiane de Castro Lopes lilopes2001@yahoo.com.br Soraia Romano profa.soraiaromano@gmail.com Lara Ferreira dos Santos lfsantos@ufscar.br <p>O ano 2020 foi caracterizado pelo isolamento social decorrente da COVID-19, que motivou o uso de ferramentas digitais para desenvolver o ensino não presencial. Movimentos de luta para reconhecimento da Libras e a avanços quanto à acessibilidade nos processos vestibulares garantiram o ingresso de surdos na Universidade, entretanto ainda existem dificuldades para eliminar as barreiras de participação. Todas estas adversidades, não superadas no ensino presencial, foram acirradas durante a Pandemia, devido a qual o surdo deixou de interagir com seus pares e muitas vezes não dispôs de acessibilidade com a tradução e interpretação em Libras. Diante desse cenário, mostra-se necessário analisar sobre as possibilidades e escolhas adotadas para contemplar as especificidades para surdos, com o objetivo de analisar documentalmente as formas de acessibilidade oferecidas pela UFSCar no contexto de Pandemia. Trata-se de um estudo de natureza descritiva e caracteriza-se por uma pesquisa documental, tendo como estratégia o estudo de caso. Foram compilados registros em <em>sites</em>, relatórios, <em>lives </em>e dados de domínio público que evidenciaram a organização das decisões para ações de acessibilidade. Para a análise dos dados, foram criadas três categorias que indicaram vantagens e prejuízos para a inclusão do surdo. Diante deste estudo, concluiu-se que muitas ações foram planejadas e produzidas, entretanto ainda existem lacunas que precisam ser revistas para ofertar igualdade de oportunidades aos surdos na Universidade. <br /><br /></p> 2024-05-31T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2021 Revista Eletrônica de Educação https://www.reveduc.ufscar.br/index.php/reveduc/article/view/4009 A relação trabalho- educação: um olhar para o estudante-trabalhador do IF Sudeste MG- Campus Barbacena 2020-03-02T11:48:23+00:00 Manuela Belo Lucena manuela.lucena@ifsudestemg.edu.br Paulo Sérgio David de Castro paulo.castro@ifsudestemg.edu.br Paula Reis de Miranda paula.reis@ifsudestemg.edu.br Em uma sociedade em permanente reestruturação produtiva, na qual os avanços científicos e tecnológicos impõem mudanças significativas no mundo do trabalho, a formação do trabalhador nos espaços formais de ensino, em especial na educação profissional e tecnológica, deve possibilitar sua inclusão no contexto social, político, cultural e de trabalho de forma digna e emancipatória. Nesse sentido, o estudo aqui proposto teve o objetivo de traçar o perfil socioeconômico dos estudantes-trabalhadores dos cursos técnicos subsequentes do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Sudeste de Minas Gerais- <em>Campus</em> Barbacena e identificar as avenças e paradoxos que envolvem a relação trabalho e educação desses estudantes. Tratou-se de um estudo de natureza exploratória e descritiva, de cunho quantiqualitativo, caracterizando-se como estudo de caso. Em sua realização foram aplicados questionários semiestruturados a 72 estudantes-trabalhadores dos cursos subsequentes do <em>Campus</em> Barbacena. Os resultados da investigação revelaram que a maioria desses estudantes-trabalhadores são jovens mulheres inseridas em atividades informais do setor terciário e que exercem profissões de baixo <em>status</em> social equivalente a de seus pais, embora possuam um nível de escolaridade maior. Acredita-se que esses estudantes-trabalhadores ainda vivenciam em instituições de ensino de qualidade a histórica dualidade educacional que é reproduzida cotidianamente pela sociedade e o fato de terem que relacionar trabalho e educação se impõe como mais um desafio. 2024-06-17T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2024 Revista Eletrônica de Educação https://www.reveduc.ufscar.br/index.php/reveduc/article/view/4064 O recreio escolar como acordo mimético do “Processo Civilizador” 2020-03-26T12:06:51+00:00 Vinicius Machado de Oliveira oliveira_vm@hotmail.com Pedro Henrique Iglesiaz Menegaldo pedromenegaldo@hotmail.com Marcos Roberto Brasil brasilmr@hotmail.com.br Verônica Volski Mattes vero_edf@hotmail.com Juliano de Souza julianoedf@yahoo.com.br <p>Com o avanço do processo civilizador, o processo de escolarização se tornou bastante rígido, sendo necessário pensar em mecanismos de arrefecimento das rotinas escolares. É nesse contexto que o recreio escolar emerge como alternativa a converter as estátuas pensantes em corpos dinâmicos, autorizando o controle descontrolado das emoções, das relações e, principalmente, das manifestações sociais. À vista disso, sabendo das potencialidades desse valoroso espaço de investigação social, este estudo, por meio do referencial teórico <em>eliasiano</em>, teve por objetivo compreender de que forma, um momento, em tese, considerado menos produtivo pedagogicamente poderia agregar experiências tão importantes para o desenvolvimento dos escolares. Nessa esteira, o estudo evidencia que o recreio escolar pode ser interpretado como um ambiente polissêmico de manifestações e relações sociais, que permite expandir redes configuracionais e alargar as relações de interdependência, assim como testar o autocontrole das pulsões individuais.</p> 2024-06-20T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2024 Revista Eletrônica de Educação https://www.reveduc.ufscar.br/index.php/reveduc/article/view/4422 Letramento Digital e Educação: Revisão sistemática de artigos em língua portuguesa no período 2015-2019 2020-06-15T17:45:42+00:00 Maria Paulina de Assis paulina@ufg.br Elis Regina da Costa elisufg@gmail.com Isabella Farias Batista isabellafariasb@gmail.com Isabela Victória Teixeira isabelateix19@gmail.com Yohanna Lawanda Bringel yohaa.bringel@hotmail.com <p>Este trabalho teve como objetivo aprofundar estudos sobre o letramento digital e sua relação com as dimensões de ensino e aprendizagem, por meio de uma investigação sobre o que tem sido pesquisado sobre esse assunto na educação, em publicações em língua portuguesa. Utilizou-se a revisão sistemática como método de pesquisa, com busca de artigos no Portal de Periódicos Capes e no Google Acadêmico. Os critérios de inclusão para a coleta foram: artigos sobre temas educacionais, escritos em Português, disponibilizados no período entre 2015 e 2019, com o termo <em>letramento digital, literacia digital </em>ou<em> alfabetização digital</em> no título, publicados em revistas revisadas por pares, disponíveis para <em>download</em> gratuito. Os artigos foram classificados por ano de publicação, periódico, universidade de afiliação do autor principal, Unidade da Federação, região da universidade e palavras-chave. Feita a organização e a documentação dos dados, elaboraram-se uma análise quantitativa e uma qualitativa. Foram selecionados 98 trabalhos, sendo a maioria deles de periódicos das áreas de Educação e Letras, Linguagem e Linguística. A partir da leitura dos resumos, os artigos foram classificados em cinco categorias, como segue: propostas de inovação, atividades em ambientes digitais, reflexões e análises documentais, pesquisas com professores e alunos. Os artigos analisados apresentam contribuições relevantes para a investigação científica na área do letramento digital e para os professores em formação inicial e em serviço.</p><p>Palavras-chave: Letramento digital, Revisão sistemática, Educação.</p><p><strong> </strong></p> 2024-06-20T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2024 Revista Eletrônica de Educação https://www.reveduc.ufscar.br/index.php/reveduc/article/view/4466 Inteligência artificial: uma alternativa à educação personalizada e inclusiva 2020-06-17T22:43:00+00:00 Lucas Martins Bernardino lucasmhbernardino@gmail.com Renan Souza Camiran renancamiran@gmail.com Fernando Selleri Silva selleri@unemat.br Joaquim Manuel da Silva joaquimmanuel@unemat.br Olivan da Silva Rabêlo olivanrabelo@gmail.com No mundo, cerca de 15% da população possui algum tipo de necessidade especial, o que impacta diretamente no aprendizado em sala de aula, sendo necessário produtos, ferramentas e/ou metodologias assertivas que possibilitem o aprendizado do aluno. Diante deste cenário, o trabalho demonstra tendências tecnológicas relacionadas ao uso de inteligência artificial na educação aplicadas em sala de aula, como uma alternativa a educação personalizada e inclusiva, por meio de levantamento bibliográfico e patentométrico. Nos últimos 20 anos, houve um acentuado crescimento em relação ao número de patentes depositadas e artigos produzidos no que se refere a tecnologias, metodologias e ferramentas assistivas utilizando inteligência artificial aplicada à educação, destacando-se neste cenário Estados Unidos e China. O Brasil ainda se encontra em desvantagem competitiva em relação ao número de depósitos de patente e produção literária, evidenciando a necessidade de investimentos em pesquisa, tecnologia e inovação. 2024-06-20T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2024 Revista Eletrônica de Educação https://www.reveduc.ufscar.br/index.php/reveduc/article/view/4484 Arquitetura cognitiva humana e diretrizes que podem influenciar na aprendizagem do estudante na educação online 2022-04-08T16:34:52+00:00 Andressa Falcade andressafalcade@gmail.com Ilse Abegg ilse.abegg@ufsm.br Laís Falcade laisfalcade@gmail.com <p>Este escrito é um recorte de uma investigação de doutorado que tem por objetivo mapear diretrizes para minimização da sobrecarga cognitiva em materiais didáticos e ambientes virtuais de ensino e aprendizagem para cursos presenciais e a distância. O primeiro objetivo específico desta investigação foi apontar diretrizes que minimizem a carga cognitiva em materiais didáticos e ambientes virtuais de ensino e aprendizagem a partir de uma análise documental dentro de estudos como a Teoria da Carga Cognitiva, da Teoria cognitiva da aprendizagem multimídia, da usabilidade de interfaces e do aprendizado eletrônico. Neste momento abordaremos a análise documental das diretrizes da Teoria da Carga Cognitiva, apontadas por Sweller, de forma a torná-las mais acessíveis a todos os leitores que dela desejarem se apropriar. Neste artigo foram feitas associações entre essas diretrizes de modo que foi possível definir nove categorias de carga cognitiva.</p> 2024-06-20T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2020 Andressa Falcade, Ilse Abegg, Laís Falcade https://www.reveduc.ufscar.br/index.php/reveduc/article/view/4502 Efeito de cotas para ingresso e de fatores socioeconômicos sobre o desempenho acadêmico de estudantes em um curso técnico integrado: um estudo de caso 2022-04-12T22:21:38+00:00 Washington Santos da Silva washington.silva@ifmg.edu.br Bruno César de Melo Moreira bruno.melo@ifmg.edu.br Raquel Aparecida Soares Franco raquel.franco@ifmg.edu.br <p>O objetivo deste trabalho, de natureza quantitativa, foi identificar se fatores socioeconômicos e o fato dos estudantes serem ou não cotistas impactaram o rendimento acadêmico de estudantes do curso Técnico Integrado em Informática ofertado pelo do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Minas Gerais, Campus Formiga (IFMG - Campus Formiga) em 2017. Utilizou-se o Coeficiente de Rendimento Acadêmico (CRA) como indicador de desempenho dos estudantes. Além de avaliar o impacto sobre o desempenho do ingresso via cotas de ações afirmativas, foi avaliada a influência de fatores como a origem escolar dos estudantes, se egressos da rede pública ou privada, cor, sexo, renda familiar e turma de ingresso, sendo que a análise de regressão foi utilizada para quantificar a relação. Entre os resultados, destaca-se que, no ano estudado, a maioria dos estudantes era oriunda de escolas públicas, do sexo masculino, autodeclarados brancos, seguidos de pardos e provenientes de famílias de baixa renda. Houve evidências de que ser cotista, ou não, e a renda familiar não foram preditores relevantes do coeficiente de rendimento acadêmico. Destaca-se, ainda, entre os resultados, a evidência de que estudantes de cor preta e do sexo feminino tem desempenho, em média, inferior ao de estudantes brancos e pardos do sexo masculino.</p> 2024-06-22T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2020 https://www.reveduc.ufscar.br/index.php/reveduc/article/view/4512 Constituição identitária de surdos na educação infantil: diálogos entre estudos surdos e sociologia da infância 2022-07-22T22:07:51+00:00 Gabriela Guarnieri de Campos Tebet gabigt@unicamp.br Lilian Cristine Ribeiro Nascimento lilianrn@unicamp.br Mirian Lourdes Ferreira dos Santos Silva m981828@g.unicamp.br Raquel Domingos Alves raqueldalves@msn.com <p>Este artigo tem como objetivo articular discussões do campo da Sociologia da Infância sobre Culturas de Pares e discussões do campo dos Estudos Surdos sobre a criança surda e a constituição da Identidade Surda. A partir de pesquisas bibliográficas, e de uma perspectiva de pensar a educação como prática de diferença, este artigo reúne elementos dos dois campos para dialogar sobre a constituição da identidade da criança surda e a constituição de grupos de pares. Quem seriam os pares das crianças surdas em escolas comuns? A discussão realizada oferece subsídios para pensarmos o currículo e a formação de professores para a educação de crianças surdas na educação infantil.</p> 2024-06-22T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2024 Gabriela Guarnieri de Campos Tebet, Lilian Cristine Ribeiro Nascimento, Mirian Lourdes Ferreira dos Santos Silva, Raquel Domingos Alves https://www.reveduc.ufscar.br/index.php/reveduc/article/view/4535 A pesquisa em história da educação na perspectiva da história cultural 2022-04-26T20:20:08+00:00 Rudá Morais Gandin rudamgandin@gmail.com Alboni Marisa Dudeque Pianovski Vieira alboni@alboni.com <p> <br />Este artigo se dirige aos recém-chegados ao campo da pesquisa em história da educação na perspectiva da história cultural, e objetiva proporcionar aos seus futuros pesquisadores uma aproximação com os objetos, debates, teorias e autores que frequentemente se encontram nas teses, dissertações e artigos científicos que se destinam, sobretudo, ao estudo acerca do processo de desenvolvimento histórico da educação. Para tanto, este artigo se apoia em autores como Le Goff, Bloch, Constantino, Anjos e Nunes. Adotou-se como procedimento metodológico a pesquisa bibliográfica nas bases de dados da Scielo e do portal de periódicos da CAPES, além de livros dos autores mencionados, a respeito da pesquisa em história e em história da educação na perspectiva da história cultural. Aponta-se, nas considerações finais, que o trabalho do pesquisador em história da educação, além de se preocupar com as datas e o desenvolvimento dos episódios políticos, econômicos e sociais no transcorrer da história, para não incorrer em anacronismo, deve tomar como objeto de suas análises os eventos educacionais, sem incorrer na generalização dos seus objetos de estudo, uma vez que o papel do historiador parece decorrer da construção lenta e parcial dos episódios sucedidos no passado, considerando as diferenças dos sujeitos e épocas nas quais cada momento aconteceu.</p> 2024-06-22T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2024 Rudá Morais Gandin, Alboni Marisa Dudeque Pianovski Vieira https://www.reveduc.ufscar.br/index.php/reveduc/article/view/4564 Formação empreendedora: a nova demanda do capital para o ensino superior 2022-04-29T00:33:33+00:00 Evanilde Silva da Costa evanilde_silva@hotmail.com Maria Edilene dos Santos Ribeiro mariaedileneribeiro@yahoo.com.br <p><br />Este artigo surge a partir da pesquisa que investiga a função social da universidade pública e a disseminação da cultura empreendedora na Universidade Federal do Pará. Tem como objetivo analisar o discurso da formação para o empreendedorismo nas universidades, pelo Serviço Social de Apoio às Micro e Pequenas Empresas que vêm se expandindo, sobretudo no atual governo de Jair Messias Bolsonaro. Para tanto, evidencia a relação entre o crescimento do empreendedorismo no Brasil e as reformas neoliberais que implicam no aumento do desemprego e desmonte das leis trabalhistas. Metodologicamente, as análises centram-se nas intencionalidades presentes no conteúdo da palestra Empreendedorismo em Dois Tempos, do Programa Nacional de Educação Empreendedora (PNEE), do Serviço Social de Apoio às Micro e Pequenas Empresas, buscando responder às questões norteadoras: Como é estruturada a palestra? Apresenta que concepção de empreendedorismo? Como resultados detectou-se que a palestra é divida em uma parte conceitual, seguida de orientações sobre como ser um empreendedor, além de um tópico explicativo sobre o empreendedorismo corporativo, de negócio e o social. Identificamos, de maneira implícita, a presença de ideias com sentidos de responsabilização individual, liberdade e adaptação, comumente presente no discurso do empreendedorismo.</p> 2024-06-23T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2024 Evanilde Silva da Costa, Maria Edilene dos Santos Ribeiro https://www.reveduc.ufscar.br/index.php/reveduc/article/view/4587 Tornar-se um “menino de bem”: formação ética, individuação e socialização na Educação Básica 2022-04-29T00:57:52+00:00 Cristine Gabriela de Campos Flores cristinegabriela@gmail.com Luana Barth Gomes luanabarth@yahoo.com.br Cledes Antonio Casagrande cledes.casagrande@unilasalle.edu.br <p><br />Esse artigo, escrito na forma de ensaio, parte da narrativa infantil “As aventuras de Pinóquio”, a fim de discutir os processos de individuação, socialização e a formação ética na Educação Básica brasileira. Para tanto, inicialmente, apresenta-se uma discussão a respeito do conceito de ser humano, o sentido da existência e o caminho até tornar-se pessoa. Em seguida, é abordado o tema da individuação, um processo simbolicamente mediado que acontece por intermédio da socialização por meio da linguagem. A metodologia de análise e a interpretação deste ensaio baseiam-se na hermenêutica filosófica. Os principais autores que fundamentaram o presente texto são: Hermann (2001, 2002, 2008), Lima Vaz (2001, 2006), Frankl (2010), George H. Mead (1973, 1981) e Blumer (1969). No conto sobre Pinóquio, a escola é referida diversas vezes como um local de formação moral, onde ele deveria ir para estudar e para se tornar “um menino de bem”. Neste artigo, a Educação Básica é considerada um espaço-tempo propício para o desenvolvimento da identidade pessoal e para a formação ética dos sujeitos. Compreende-se o ambiente escolar como um espaço privilegiado de interação que pode promover e mediar situações para que ocorra essa formação. Dessa forma, defende-se que a educação contemporânea deve pensar um projeto pedagógico para formar um indivíduo capaz de viver e conviver, reconhecer-se enquanto pessoa na relação com o outro, a partir da construção de valores éticos.</p> 2024-06-22T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2024 Cristine Gabriela de Campos Flores, Luana Barth Gomes, Cledes Antonio Casagrande https://www.reveduc.ufscar.br/index.php/reveduc/article/view/4720 Justiça para além do mundo do espetáculo, da ordem e da segurança 2022-04-30T17:44:32+00:00 Lúcia Schneider Hardt luciashardt@gmail.com <p>O artigo tem por objetivo analisar as relações entre castigo e justiça considerando o pensamento de Fassin e Nietzsche. As exigências e dinâmicas do convívio social, pautadas prioritariamente pela moralização dos costumes reduzem a possibilidade de pensar sobre a justiça e insistem em afirmar que é preciso punir para proteger a sociedade. Trata-se de um populismo penal, mais fácil de editar do que a justiça social. Pensar e investigar sobre os fundamentos do castigo implica pensar sobre nós mesmos e nossos valores para apresentar aos leitores como o castigo foi definido ao longo da história passando por vários teóricos e como passamos de uma lógica de reparação a uma lógica do castigo, ou ainda de uma economia afetiva da dívida a uma economia moral do castigo. Para pensar sobre a justiça é preciso considerar os contextos histórico, cultural e político que designam distintas formas de castigo que se administram e a necessidade de compreender que elas todas não derivam de lógicas racionais apenas. O castigo não se distribui uniformemente nos espaços sociais e por isso indagamos: a quem então se castiga? Concluímos ser necessário gestar nas instituições de ensino um tipo de formação capaz de acolher a variedade de pensamento, pluralidade de normas, e até mesmo uma espécie de politeísmo pedagógico para fazer aparecer a diferença e a dissonância, para então pensar sobre a justiça.</p> 2024-06-23T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2024 Lúcia Schneider Hardt https://www.reveduc.ufscar.br/index.php/reveduc/article/view/4749 Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos (RBEP): dimensões da gestão escolar entre os anos de 2010 a 2018 2022-04-30T20:03:15+00:00 Marilândes Mól Ribeiro de Melo marilandes.melo@ifc.edu.br José Galotta Lucena josegalottalucena@gmail.com <p><br />Este artigo analisa as dimensões sobre Gestão Escolar presentes na Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos (RBEP) do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (INEP/MEC), entre os anos de 2010 a 2018. É fruto de um curso de pós-graduação lato sensu em Educação realizado no Instituto Federal Catarinense – Campus Camboriú. Metodologicamente utilizamos a pesquisa exploratória como aporte para selecionar o acervo bibliográfico representativo sobre o objeto a ser compreendido. O suporte para a análise das dimensões sobre Gestão Escolar foi as noções desenvolvidas por Brito (1994), quando aciona três áreas fundamentais: a) pedagógico didática; b) funcional e dos espaços; c) administrativo-financeira. Acionamos tais áreas para analisar um período de 8 anos, selecionando publicações divulgadas pela Revista. Para tanto, fizemos o levantamento de todos os artigos referentes à temática, no período demarcado. Foram selecionados os artigos cujos título/subtítulo, resumo e palavras-chave faziam referência à Gestão Escolar. Por meio das análises, a pergunta respondida neste artigo é: como as dimensões da Gestão Escolar aparecem nos artigos publicados pela RBEP no período de 2010 a 2018? As análises mostraram que os artigos são fragmentados e não apresentam todas as dimensões e requerem uma ampla gama de leituras para que se construa uma ideia ou um conceito. O estudo mostrou a tendência da Revista a refletir uma agenda pautada principalmente na legislação sobre educação, corroborando com aspectos legais; ou seja, com a construção de um perfil de Gestão Escolar com tendências verticalizadas, mesmo com os esforços para a construção de um perfil democrático.</p> 2024-06-22T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2024 Marilândes Mól Ribeiro de Melo, José Galotta Lucena https://www.reveduc.ufscar.br/index.php/reveduc/article/view/4814 Desafios da educação climática no Brasil: promessas de uma metodologia estrangeira para salvar o país 2022-04-30T21:23:26+00:00 Evelyn de Oliveira Araripe evelyn.araripe@estudante.ufscar.br Vânia Gomes Zuin vaniaz@ufscar.br <p> Apesar das mudanças climáticas serem um tema constante na mídia e nas pesquisas acadêmicas, a presença do tema na educação formal e não-formal ainda é limitada e não atende a interdisciplinaridade que o tópico exige. Analisando em uma perspectiva crítica a implementação de uma organização de origem alemã ao Brasil para o ensino de mudanças climáticas ao público infanto-juvenil, com base em uma pesquisa-ação, objetiva-se neste artigo discutir os desafios, potenciais e lacunas ao adotar-se uma metodologia estrangeira para tratar o tema que ao mesmo tempo em que é global, possui particularidades em escala local. Para isso foram entrevistadas, via questionário e entrevistas em grupo, 29 crianças, adolescentes e jovens de três cidades de diferentes estados brasileiros. Observou-se a importância de trazer exemplos conectados à realidade destes participantes para se abordar as mudanças climáticas em uma perspectiva que gere aprendizado, emancipação e autonomia.</p> 2024-06-22T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2024 Evelyn de Oliveira Araripe, Vânia Gomes Zuin https://www.reveduc.ufscar.br/index.php/reveduc/article/view/4834 O Jornal Escolar O Estudante Orleanense e as representações de maternidade e mãe: um diálogo possível com a filosofa Simone de Beauvoir 2022-04-30T22:40:41+00:00 Cintia Gonçalves Martins cintiamartins@unesc.net Giani Rabelo gra@unesc.net <p> <br />A investigação aqui apresentada teve como intenção pesquisar, por intermédio da análise documental, as representações de maternidade e mãe no Jornal Escolar “O Estudante Orleanense” produzidos entre os anos de 1949 e 1973 pelos/as alunos/as do Grupo Escolar Costa Carneiro. A referida instituição de ensino se encontra localizada no munícipio de Orleans, no extremo sul do estado de Santa Catarina. Atualmente, a escola tem a denominação de Escola de Educação Básica Costa Carneiro e pertence à rede pública estadual de ensino desde sua fundação, na década de 1930. O Jornal Escolar constitui-se em um artefato pedagógico que esteve fortemente presente nos educandários catarinenses durante o século XX e que, atualmente, está salvaguardado nos acervos documentais de algumas escolas. Ao todo, foram encontrados 57 Jornais Escolares que estão disponibilizados no Centro de Memória da Educação do Sul de Santa Catarina (CEMESSC), no formato virtual. A análise foi realizada à luz de algumas das reflexões apresentadas na obra “O Segundo Sexo”, da escritora francesa Simone de Beauvoir (1949), sendo o tema elencado na produção da filósofa as questões relacionadas à maternidade.</p> 2024-06-22T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2024 Cintia Gonçalves Martins, Giani Rabelo https://www.reveduc.ufscar.br/index.php/reveduc/article/view/4838 Infâncias no recreio do ensino fundamental: das (im)possibilidades de exploração dos espaços e do tempo 2022-04-30T22:43:58+00:00 Aline Sommerhalder sommeraline1@gmail.com Heliny de Carvalho Massimo hlymax08@gmail.com <p>Deriva de pesquisa ampla, com financiamento do CNPq, aborda a temática das infâncias no recreio escolar do ensino fundamental. Problematiza o espaço e o tempo oportunizado e explorado por crianças dos três primeiros anos de ensino. Considera o recreio como contexto educativo e reconhece o ‘silenciamento’ do tema na produção científica atual. Mapeia e analisa que espaços as crianças exploram e de que maneira utilizam o tempo no recreio escolar. De natureza qualitativa realizou-se a observação participante de quatorze crianças em recreio escolar de escola pública de anos iniciais, com registros em diários de campo e utilizou-se da perspectiva da Análise de Conteúdo para organização dos dados. Os achados evidenciaram que a exploração do tempo e dos espaços para o momento do recreio mostraram-se desafios ao cotidiano, considerando o autorizado pelos adultos presentes, as regras, os materiais possibilitados e o restrito tempo. O pátio (central e inferior), com a quadra se constituiu no espaço de privilegiada exploração, especialmente para brincar. No entanto, o parquinho e o jardim se colocaram como espaços de grande interesse, mas com acentuada restrição ou impossibilidade de uso. O refeitório se apresentou como espaço para alimentação, mas também para espera, silêncio, conversas e brincadeiras. Destaca-se a necessidade de valorização do recreio para participação e exercício da cidadania nas infâncias, para aprendizagens e para autoria, para viver às infâncias e ter o direito de brincar efetivado em plenitude, realizando-se o intercâmbio destes com o que se ensina e se aprende em sala de aula.</p> 2024-06-05T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2024 Aline Sommerhalder , Heliny de Carvalho Massimo https://www.reveduc.ufscar.br/index.php/reveduc/article/view/5012 A biologia e metodologia das ciências naturais no curso normal no Maranhão (1946-1949) 2022-05-01T20:53:19+00:00 Tiago Rodrigues da Silva thiago2581@hotmail.com Odaléia Alves da Costa odaleia@ifma.edu.br <p><br />Este artigo analisa a prescrição dos saberes escolares da biologia e metodologia das ciências naturais no ensino normal do Instituto de Educação do Maranhão, no período de 1946 a 1949. Para a realização deste estudo foram utilizados os programas curriculares da instituição escolar maranhense e legislação educacional vigente da época. A análise incide sobre três aspectos do currículo: a legitimidade das disciplinas escolares na legislação, seleção e distribuição dos saberes escolares e as finalidades socioculturais. O ensino de biologia no curso normal, em caráter propedêutico, obteve um processo contínuo de criação, redução e, às vezes, extinção, definindo fronteiras com a disciplina escolar biologia educacional. A ordenação dos conteúdos programáticos foi pautada pela socialização de saberes escolares da classificação, diversidade e fisiologia dos animais e plantas, muito embora, também, às vezes, direcionados para cunhos higiênicos e sanitários. No âmbito da metodologia das ciências naturais houve prevalência do discurso naturalista, com princípios e fundamentos do movimento da Escola Nova. A disposição dos saberes escolares da biologia e metodologia das ciências naturais fez ressoar suas finalidades socioculturais complementares e, ao mesmo tempo, contraditórias na formação de normalistas no final dos anos 40 do século XX.</p> 2024-06-25T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2024 Tiago Rodrigues da Silva, Odaléia Alves da Costa https://www.reveduc.ufscar.br/index.php/reveduc/article/view/4807 O lápis, o caderno, um pouco de dignidade e uma fresta no tempo: a educação nas prisões brasileiras 2022-04-30T21:17:08+00:00 Maria Luzineide Pereira da Costa Ribeiro marialuzineide@gmail.com <p>Abandonados os suplícios e os seus espetáculos de horror, o confinamento humano passou a representar a proposta civilizada de correção. Partindo desse pressuposto, o presente artigo traz uma temática recorrente nas prisões, a educação. Pretendemos discutir aqui seu avanço sobre o cárcere, consubstanciado na ideia de tempo – a medida de pagamento da pena – a partir da legislação vigente e das ações do Estado, das condições de encarceramento, para compreender em que medida essa população, que teve apenas restrito o seu direito à liberdade, tem os seus direitos fundamentais respeitados e assegurados por meio de políticas públicas, sobretudo, de Educação. Nessa perspectiva, analisaremos as ações voltadas a pessoas encarceradas, sobretudo, jovens, como medida redutora de dias, num contexto extremamente excludente e diante de uma população marcada pela pouca escolaridade. Como base de dados para descrição do cenário educacional e recorte do perfil desse público foi utilizado o sistema de informações estatísticas do sistema penitenciário brasileiro. Para melhor entendimento das políticas de educação e seus desdobramentos, à luz da legislação vigente e de pesquisas acadêmicas sobre o tema. Como aporte teórico, na abordagem do conceito de tempo e prisão, estudiosos renomados como Bogo Chies (2008), Loic Wacquant (2001), Michel Foucault (1997), entre outros importantes pesquisadores da questão criminal. Se em meio a promessas de ressocialização, temos jovens agonizando na prisão com projetos de vida e de futuro comprometidos, ao final, percebemos que enquanto desdobramento das políticas de educação, a leitura apresenta-se como medida eficiente na redução de dias e como estímulo às práticas educativas.</p> 2024-06-25T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2024 Maria Luzineide Pereira da Costa Ribeiro https://www.reveduc.ufscar.br/index.php/reveduc/article/view/4418 Educação e literatura infantil: personagens idosos com Alzheimer 2020-06-13T10:41:31+00:00 Monica de Avila Todaro mavilatodaro@ufsj.edu.br Meire Cachioni meirec@usp.br <p>O cenário brasileiro de envelhecimento populacional leva a mudanças nos padrões de morbimortalidade, com o crescimento de doenças neurodegenerativas. Dos vários tipos de demência apresentados pela população idosa, a Doença de Alzheimer (DA) é a principal deles. O objetivo do presente estudo é levantar, apresentar e analisar obras de literatura destinadas às crianças, publicadas no Brasil, que tratam do tema “Alzheimer”. Trata-se de uma pesquisa na qual os livros infantis foram utilizados como fontes primárias, ou seja, compuseram o corpus empírico da investigação. O quadro teórico é composto por Vygotsky (1989), Soares (2004) e Neri (1991;1997). A amostra foi constituída por dezesseis livros publicados entre 2006 e 2020. A análise foi feita à luz da Escala Neri. Os resultados indicaram que as obras analisadas destacam as relações intergeracionais e que os domínios (cognitivo, agência, relacionamento social e persona) estão presentes nos textos<em>. </em>A partir das reflexões sobre a complexa relação entre o sujeito e o objeto mediada por artefatos usados como ferramentas e como forma de expressão, concluiu-se que ensinar as crianças a lerem, com criticidade, um mundo que envelhece, com vistas ao exercício da alteridade, é algo potente quando se pensa em <em>geroalfabetizar</em>, na perspectiva de uma educação para o envelhecimento.</p> 2024-06-25T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2024 Revista Eletrônica de Educação https://www.reveduc.ufscar.br/index.php/reveduc/article/view/4771 Os currículos prescrito e apresentado no manual do professor do livro didático relativo à Estatística 2022-04-30T20:26:04+00:00 Alissá Mariane Garcia Grymuza alissagrymuza@gmail.com Gilda Lisbôa Guimarães gilda.lguimaraes@gmail.com <p>Este artigo apresenta uma análise do currículo prescrito e o currículo apresentado ao professor referente aos conteúdos de Estatística. Foram analisados os documentos normativos BNCC e Guia do PNLD 2019 e sua relação com os manuais de orientação ao professor do 1º e 5º anos de todas as coleções aprovadas em 2019. Os resultados apontam que há consonância entre tais documentos. Nos manuais de orientação a maioria das coleções apresenta preocupação em especificar a função e habilidades necessárias a compreensão de conceitos estatísticos. Com a nova proposta de formato em U, a maioria das coleções, de ambos os anos, apresenta o objetivo da atividade e algum tipo de orientação de como o professor pode conduzir a atividade. Entretanto, há pouca sugestão de material de apoio, uso de tecnologias digitais, sugestão de avaliação e leitura complementar ao professor. Também observamos poucas atividades interdisciplinares em contextos com dados reais e envolvendo temas contemporâneos, apesar da estatística ser uma ferramenta para a compreensão do mundo físico e social. Acreditamos que cabe ao professor escolher as atividades que irá trabalhar a cada dia e complementar com outras atividades atendendo as especificidades de sua turma. O livro didático é um grande auxiliar para o ensino uma vez que criar boas atividades para todo o ano escolar, pois esse é um desafio muito árduo para os professores. Além disso, quando o manual do professor é bem elaborado pode ser um auxiliar na formação do professor.</p> 2024-06-25T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2024 Alissá Mariane Garcia Grymuza, Gilda Lisbôa Guimarães https://www.reveduc.ufscar.br/index.php/reveduc/article/view/4839 Letramento crítico no livro didático de inglês – anos finais do ensino fundamental 2022-04-30T22:44:48+00:00 Roniel Paniago Lima ronipaniago@gmail.com Silvio Ribeiro da Silva shivonda@gmail.com <p>O propósito deste artigo é apresentar a análise de duas atividades integrantes de uma coleção de livro didático de Inglês (LDI) dos anos finais do Ensino Fundamental, observando de que modo o trabalho com textos e atividades favorece o letramento crítico do aluno. O letramento é um tema importante na atualidade pela perspectiva que oferece de encarar a atividade de leitura e escrita como algo muito além da mera codificação e decodificação de sinais gráficos. Favorecer para o aluno acesso ao letramento crítico traz a ele inúmeros benefícios, já que além de desvia-lo da prática tão comum de atividades focadas exclusivamente na decodificação ainda fortalece a possibilidade de evitar a manipulação velada ou não que se apresenta nos textos circulantes socialmente. O método de investigação utilizado para geração e análise dos dados integrante do artigo é o qualitativo-interpretativista, desenvolvido por meio da análise de conteúdo. Os dados mostraram que a forma como as atividades são apresentadas ao aluno podem favorecer o letramento crítico. Mesmo assim, são muito presentes ao longo da coleção atividades de múltipla escolha, cópia e para preencher espaços em branco. Também é sucinta a abordagem sobre os letramentos multimodais, bem como o tratamento dado aos aspectos linguísticos dos textos, já que a articulação entre os elementos linguísticos e a criticidade, ultrapassando a mera decodificação de sinais explícitos, foi fruto de trabalho em apenas uma das atividades. O que se nota é um maior favorecimento dos letramentos escolares do que dos letramentos sociais, os quais poderiam lidar de modo mais eficiente com a criticidade.</p> 2024-06-25T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2024 Roniel Paniago Lima, Silvio Ribeiro da Silva https://www.reveduc.ufscar.br/index.php/reveduc/article/view/4497 O professor iniciante na escola do campo: reflexões sobre os desafios enfrentados 2022-04-12T19:34:03+00:00 Patricia Mascarenhas dos Santos ptrcmascarenhas@gmail.com Solange Helena Ximenes-Rocha solange.ximenes@gmail.com <p>O artigo discute o ingresso do professor iniciante na escola do campo e reflete sobre como esse cenário de atuação profissional impõe condicionantes ao exercício da docência. É uma pesquisa de natureza qualitativa, que utilizou entrevista semiestruturada e observação não participante como técnicas de coleta de dados. O grupo amostral foi constituído por dois professores recém-formados, um diretor escolar e um coordenador da Secretaria de Educação do município de Santarém, no Pará. O estudo indica que professores iniciantes ingressam na profissão docente em escola do campo não por escolha, mas por falta de oportunidade em escolas urbanas, e revela que eles não conhecem a realidade das escolas em áreas rurais na região amazônica. Aduz que não receberam – nem pela SEMED, nem na escola – cursos de capacitação que os ajudassem a compreender o contexto de sua atuação profissional e destaca o programa PIBID como relevante na etapa formativa, por ajudar a reconhecer o contexto escolar muito antes do estágio supervisionado.</p> 2024-06-25T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2024 Patricia Mascarenhas dos Santos, Solange Helena Ximenes-Rocha https://www.reveduc.ufscar.br/index.php/reveduc/article/view/4919 Sala de aula equitativa: a gestão e o trabalho pédagógico do professor nessa dinâmica 2022-05-01T02:19:09+00:00 Erika Ferreira Floriano erika.floriano@gmail.com Erika Ferreira Floriano erika.floriano@gmail.com <p>Estratégias de ensino-aprendizagem são as técnicas das quais os professores e professoras se apropriam no intuito de corroborar com o desenvolvimento do aluno, oportunizando a construção do conhecimento do mesmo. O objetivo deste trabalho é afirmar a compreensão de que para se formar uma sala de aula equitativa é fundamental que o educador disponibilize variadas estratégias para que todos os educandos tenham acesso à uma organização e tarefas apropriadas às suas necessidades e que propiciem a interação e participação de todos. Para tratar de tais temas, desenvolveu-se uma pesquisa descritiva com abordagem qualitativa acerca de elementos teórico/práticos da gestão e organização de sala de aula, destacando o trabalho em grupo em salas de aula heterogêneas. Conclui-se aqui que as estratégias variadas de ensino na prática em sala de aula são primordiais, por propiciar um maior engajamento por parte dos alunos e melhores resultados no que se diz respeito à aprendizagem.</p> 2024-06-25T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2024 Erika Ferreira Floriano, Erika Ferreira Floriano https://www.reveduc.ufscar.br/index.php/reveduc/article/view/4316 Formação inicial de professores e inserção à docência: uma aproximação efetiva? 2020-04-27T10:48:07+00:00 Nathália Cristina Amorim Tamaio de Souza nathytamaio@hotmail.com <p>Neste texto tematizo as relações possíveis entre a formação inicial de professores e a inserção à docência, buscando compreender aspectos que favorecem, ou poderiam favorecer, o início da carreira docente. Para tanto, considero como <em>corpus</em> do presente estudo, o cotejamento de duas fontes: excertos de textos extraídos de produções escritas de licenciandas do quarto ano de um curso de Pedagogia, e apontamentos de pesquisas que apresentam contribuições ao tema. No que tange à apreciação teórico-metodológica, me aproprio da análise de discurso, segundo a premissa de estudos bakhtinianos. Abarcando o período de vivência no estágio supervisionado, por representar o espaço-tempo-lugar de realização de atividades que envolvem a docência propriamente dita, problematizo questões como: a inserção inicial viabilizada pelo estágio reúne os elementos necessários para que os futuros professores se coloquem no lugar da docência e sintam as diferentes dimensões da profissão? O que seria preciso priorizar para que a formação inicial oferecesse melhores condições de preparo para a prática profissional? Tanto a literatura quanto os enunciados das alunas indiciam as persistentes falhas formativas na condução de licenciandos para a aprendizagem da docência, destacando o caráter de mera aplicabilidade de teorias em contextos práticos. Tendo isso em vista, em seção específica, destaco caminhos para uma mudança qualitativa desse cenário.</p> 2024-06-25T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2024 Revista Eletrônica de Educação https://www.reveduc.ufscar.br/index.php/reveduc/article/view/4842 A Metanálise na pesquisa de abordagem Qualitativa: história, conceitos e etapas 2022-04-30T22:47:18+00:00 Ronualdo Marques ronualdo.marques@gmail.com Jacques de Lima Ferreira drjacqueslima@gmail.com Marilia Andrade Torales Campos mariliat.ufpr@gmail.com <p>Esta investigação apresenta a temática da metanálise como uma técnica de análise de dados em pesquisa de abordagem qualitativa, na qual o pesquisador adota um novo enfoque ao reunir resultados e conclusões de análises primárias. Teve por objetivo descrever e sugerir indicações para a realização da Metanálise como uma possibilidade para analisar dados qualitativos. Metodologicamente, trata-se de uma pesquisa qualitativa do tipo bibliográfica realizada em artigos, livros, teses e dissertações. A partir do estudo realizado, são recomendados cuidados na aplicação com relação à tendenciosidade dos dados e à sua adequação aos objetivos estimando maior precisão os efeitos dos tratamentos, ajustando-os à heterogeneidade do corpus de análise. Conclui-se que, como toda técnica, a Metanálise não é uma panaceia ou que justifique-se por si só, sem considerar as relações internas da estrutura de uma pesquisa, mas apresenta óbvias vantagens na relação custo/benefício, trazendo maior rigor e credibilidade aos resultados.</p> 2024-06-25T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2024 Ronualdo Marques, Jacques de Lima Ferreira, Marilia Andrade Torales Campos https://www.reveduc.ufscar.br/index.php/reveduc/article/view/4511 Contribuições de um Programa de Especialização em Saúde da Família para a prática profissional na Atenção Primária à Saúde 2022-04-16T17:17:09+00:00 Jailton Rocha Misael Misael jailton.enf@gmail.com Claudio José dos Santos Júnior claudiosantos_al@outlook.com Geraldo Magella Teixeira magellafisio@yahoo.com.br Euclides Mauricio Trindade Filho emtfilho@gmail.com Flávia Accioly Canuto Wanderley flaviacanuto@gmail.com Almira Alves dos Santos almira.alves.brasil@gmail.com <p>O presente estudo tem o objetivo de analisar as contribuições de um programa de especialização em Saúde da Família à prática profissional na Atenção Primária à Saúde (APS). Trata-se de um estudo descritivo, de natureza quantitativa e de corte transversal, com amostra composta por 59 discentes. Foram coletados dados sociodemográficos e profissionais, e utilizadas escalas tipo Likert, validadas e adaptadas: Escala de Expectativa em Relação ao Treinamento – EERT; e, Escala de Motivação para Transferir – EMT. A análise dos dados se deu por meio da estatística descritiva de frequências absoluta e relativa. No perfil discente, constatou-se a prevalência do público feminino (83,1%), de 30 e 49 anos (79,7%), com ao menos uma especialização concluída (84,7%) e 5 anos de formação (83,1%). Ademais, 93,2% dos respondentes (55 alunos) atuam na APS, com 44 discentes (74,6%) concursados. A categoria de enfermagem apresentou a maior representação (49,2%). Em função da capacidade laboral, 78,0% dos discentes sempre desenvolvem atividades educativas, mesmo com limitado incentivo dos gestores para a realização das práticas educativas (54,4%) e para a qualificação profissional (55,9%). O curso de especialização mostrou-se relevante para a APS, estimulando os discentes a utilizarem competências adquiridas (96,3%), com aumento da qualidade das ações desenvolvidas (90,9%), tornando-as mais fáceis (92,7%), com minimização de erros (92,7%), através da eficiente mudança no perfil gerencial (98,2%) e do fortalecimento do trabalho em equipe para a superação de eventuais barreiras (94,6%).</p> 2024-06-25T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2024 Jailton Rocha Misael Misael, Claudio José dos Santos Júnior, Geraldo Magella Teixeira, Euclides Mauricio Trindade Filho, Flávia Accioly Canuto Wanderley, Almira Alves dos Santos https://www.reveduc.ufscar.br/index.php/reveduc/article/view/4434 Leitura de obras literárias para a construção do pensamento crítico do educando 2020-06-09T14:27:38+00:00 Izabel Cristina Wagner contato.izabelwagner@gmail.com <p>O presente texto busca, por meio do estabelecimento de relações entre os campos da educação, teoria e crítica literária, demonstrar a importância da leitura, reflexão e debate de obras literárias para o processo de formação da consciência crítica do estudante. Como fundamento teórico são delineados os pensamentos e oportunidades de diálogo entre autores pertencentes ao campo da educação, crítica e teoria literária, dentre eles Edgar Morin, Bárbara Freitag, Zygmunt Bauman, James Wood, Antoine Compagon, Antônio Cândido e Alberto Manguel. Mediante pesquisa bibliográfica e estudos exploratórios, delineiam-se as formas com que a educação possibilita a instrumentalização do educando para que ingresse de maneira assertiva e crítica em meio aos contextos tecnológicos, consumistas e hiperconectados da atualidade. Por meio das discussões e reflexões propostas ao longo do texto busca-se delinear um dentre os diversos caminhos possíveis para que educadores e pesquisadores alinhem-se aos objetos de uma educação do futuro, sendo este a inserção de obras literárias de ficção juntamente aos processos de ensino. Ao contribuir com o debate acerca da temática objetiva-se ampliar as reflexões sobre as oportunidades de inserção de obras literárias em disciplinas propícias para tanto, além de propagar o fomento à leitura juntamente aos processos educacionais.</p> 2024-06-25T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2024 Revista Eletrônica de Educação https://www.reveduc.ufscar.br/index.php/reveduc/article/view/4327 O papel da coordenação de curso de graduação na conjuntura da educação como negócio 2020-06-12T13:52:03+00:00 Jackeline Cristiane Santos kelly_7497@hotmail.com Mara Regina Lemes De Sordi maradesordi14@gmail.com <p>O objetivo deste artigo é compreender o papel de coordenação de curso de graduação, em uma conjuntura favorável aos interesses mercadológicos, na perspectiva dos coordenadores. Trata-se de pesquisa qualitativa, exploratória e de campo, para a qual foram entrevistados 28 coordenadores de curso de graduação em Enfermagem, atuantes no estado de São Paulo. Os dados foram coletados entre agosto de 2018 e maio de 2019, e tratados segundo análise de conteúdo de Bardin. Dentre os entrevistados, 79% atuavam em escolas privadas de ensino superior e 21% em instituições públicas. Os dados coletados revelam que a compreensão dos coordenadores acerca do papel que desempenham abrange os eixos pedagógico, político e financeiro/burocrático. Conquanto esses três eixos estejam imbricados na atuação profissional do coordenador, a análise de cada um deles revela potencialidades no enfrentamento de interesses mercadológicos. Essas potencialidades situam-se no campo da resistência oculta (burla), dada a correlação de forças predominantes, favoráveis ao estreitamento das finalidades educativas para o mercado de trabalho. Nesse cenário, o coordenador necessita de saberes que o instrumentalizem à leitura crítica da realidade, para que possa construir, coletivamente, estratégias de transformação do status quo. Ademais, o desenvolvimento de habilidades como negociação, mediação de conflitos e construção coletiva de projetos viabiliza o enfrentamento da gestão superior da instituição de ensino, essa diretamente afetada pela conjuntura política nacional cada vez mais ausente no campo das políticas públicas orientadas ao social.</p> 2024-06-25T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2024 Revista Eletrônica de Educação https://www.reveduc.ufscar.br/index.php/reveduc/article/view/4983 Perspectiva histórica, conceitos e possibilidades para realizar a pesquisa do tipo Estado da Arte 2022-05-01T20:07:28+00:00 João Victor de Mello Avelino jv.avelino1510@gmail.com Jacques de Lima Ferreira drjacqueslima@gmail.com Cristina Carta Cardoso de Medeiros cricaccm@gmail.com <p>Este artigo teve como objetivo descrever e indicar possibilidades de realização de uma pesquisa do tipo Estado da Arte. Para a concretização do objetivo proposto, foi realizada uma pesquisa qualitativa do tipo bibliográfica de natureza descritiva em artigos, livros, teses e dissertações. A pesquisa do tipo Estado da Arte é um estudo de revisão que vem se consolidando no campo da Educação nos últimos anos, trata-se de um levantamento bibliográfico em fontes de pesquisa que visa identificar, mapear e analisar as produções existentes sobre um determinado tema, sendo um tipo de pesquisa essencial para que o investigador conheça o que a pesquisa revela sobre um determinado objeto de estudo. A partir da investigação realizada, foi possível identificar que este tipo de pesquisa é relevante para que os pesquisadores entendam o que uma determinada área do conhecimento vem produzindo, além de permitir a identificação de novas pesquisas, suas lacunas e seus resultados. A pesquisa do tipo Estado da Arte contribui significativamente para o desenvolvimento científico e a produção de novas pesquisas na área da Educação.</p> 2024-06-25T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2024 João Victor de Mello Avelino, Jacques de Lima Ferreira, Cristina Carta Cardoso de Medeiros https://www.reveduc.ufscar.br/index.php/reveduc/article/view/5047 Desenho universal para aprendizagem e a inclusão escolar no ensino superior: uma revisão de literatura 2022-05-03T14:00:48+00:00 Camila Siqueira Cronemberger Freitas camilasiqueira@ccs.uespi.br Ana Valéria Marques Fortes Lustosa avfortes@gmail.com <p><br />O Desenho Universal para Aprendizagem (DUA) é uma abordagem que objetiva a acessibilidade na aprendizagem de todos os estudantes, podendo ser utilizada em qualquer modalidade e nível de ensino. No ensino superior, o DUA surge como uma possibilidade de inclusão escolar, uma vez que nos últimos anos, devido às políticas de acesso a este nível de ensino, houve um crescimento no ingresso de alunos provenientes dos mais variados contextos. Assim, surge a forte necessidade de se pensar em abordagens, estratégias e metodologias inclusivas também para o ensino superior. Diante deste cenário, este artigo possui como objetivo analisar a produção científica brasileira acerca das aplicações metodológicas do desenho universal para a aprendizagem na inclusão escolar de alunos público-alvo da educação especial (PAEE) no ensino superior. Para isto, realizou-se uma revisão de literatura com a finalidade de elaborar um levantamento de artigos científicos que relatem estudos desenvolvidos no ensino superior e que abordem o desenho universal para aprendizagem. Encontrou-se 03 publicações que afirmam que o desenho universal para a aprendizagem proporciona diversos benefícios para a inclusão escolar de alunos público-alvo da educação especial, dentre eles a universalização do ensino. Conclui-se o artigo evidenciando a necessidade de mais pesquisas aplicadas que utilizem o desenho universal para a aprendizagem no ensino superior, uma vez que este nível de ensino também recebe alunos público-alvo da educação especial.</p> 2024-06-25T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2024 Camila Siqueira Cronemberger Freitas, Ana Valéria Marques Fortes Lustosa https://www.reveduc.ufscar.br/index.php/reveduc/article/view/6535 Projeto de vida e juventude: uma reflexão a partir da noção de vocação e destino 2023-08-21T19:34:03+00:00 Antonio Marcos Francisco antonio.marcos@uemg.br Roseli Esquerdo Lopes relopes@ufscar.br <p>Este ensaio teórico-bibliográfico propõe uma reflexão entre as noções de vocação e destino e suas relações com o projeto de vida dos jovens na contemporaneidade. Para tanto, busca-se compreender como as inclinações pessoais e as vivências cotidianas dos jovens podem se apresentar como um dos principais elementos da construção desses projetos. Por fim, critica-se uma das finalidades do Ensino Médio apresentada na Base Nacional Comum Curricular homologada em 2007, uma vez que essa supõe o desenvolvimento de competências que possibilitem ao jovem <em>se adaptar com flexibilidade a novas condições de ocupação ou aperfeiçoamento</em> <em>posteriores, </em>tornando isso uma influência em seus “projetos de vida”.</p> 2024-06-25T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2024 Antonio Marcos Francisco, Roseli Esquerdo Lopes https://www.reveduc.ufscar.br/index.php/reveduc/article/view/4714 Intermitências no direito à educação de adolescentes autores de atos infracionais no Brasil 2023-07-11T21:24:18+00:00 Ivana Aparecida Weissbach Moreira ivanawmoreira@hotmail.com Giovana Henrich giovanahenrich@upf.br <p> O artigo analisa o direito à educação nas políticas educacionais e socioeducativa à luz dos princípios, diretrizes e normativas do ECA (Estatuto da Criança e do Adolescente), do SINASE (Sistema de Nacional de Atendimento Socioeducativo) e da LDB (Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional) como processo de inclusão social de adolescentes autores de atos infracionais. Adota como ponto de partida os dados dos Levantamentos do Atendimento Socioeducativo – do SINASE - de 2012 a 2015, especificamente em relação a educação formal e não formal. Analisa criticamente os dados associados ao contexto complexo de desigualdade e exclusão destes sujeitos nas políticas públicas. De natureza qualitativa e perspectiva teórico-crítica, apoia-se na produção bibliográfica, nas legislações, normativas e em dados estatísticos sobre os adolescentes autores de atos infracionais. Assim, descreve elementos significativos da conjuntura histórica, sociocultural, política e econômica brasileira, evidenciando a importância das novas pedagogias, o olhar diferenciado aos sujeitos da educação e os desafios no reconhecimento do SINASE em relação ao direito à educação. Conclui que permanecem presentes os desafios à inclusão social de adolescentes autores de atos infracionais nas políticas educacionais decorrentes das contradições ainda presentes na sociedade brasileira e da resistência em superar às práticas pedagógicas socioeducativas punitivistas na garantia de direitos e cidadania de adolescentes. Persistem, assim, estruturas que reproduzem a desigualdade socioeconômica e políticas que impactam profundamente na vida de adolescentes e jovens brasileiros. Reitera a importância na articulação entre a política socioeducativa e as políticas educacionais no desenvolvimento de práticas pedagógicas com vista a humanização, a emancipação e a inclusão social.</p> 2024-06-25T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2024 Ivana Aparecida Weissbach Moreira, Giovana Henrich https://www.reveduc.ufscar.br/index.php/reveduc/article/view/4457 Tempos e espaços do currículo nos cursos técnicos integrais ao Ensino Médio 2020-06-15T14:34:22+00:00 Ana Claudia Burmester ana.burmester@ifsc.edu.br Roberta Pasqualli roberta.pasqualli@ifsc.edu.br <p class="western" align="justify"><span style="color: #000000;"><span style="font-family: Arial, serif;"><span style="font-size: small;"><span>Este texto tem como objetivo discutir a problemática da relação dos jovens com o currículo dos cursos de Técnicos Integrados ao Ensino Médio (EMI), em uma perspectiva de criação de sentidos e significados e de participação e protagonismo juvenil frente aos saberes que perpassam a Educação Profissional e Tecnológica (EPT). Assim, emerge de reflexões a respeito das especificidades do currículo desses cursos, bem como da condição de seus estudantes, compreendida a partir do conceito de juventude. De natureza aplicada, a pesquisa foi realizada a partir dos conceitos da pesquisa participante, de abordagem qualitativa, com estudantes dos cursos técnicos em Alimentos e Edificações integrados ao Ensino Médio no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Santa Catarina (IFSC). O texto apresenta a etapa empírica da pesquisa, na qual foram coletados dados por meio de um questionário online e, também, as análises e discussões oriundas desta etapa da pesquisa. Como resultados, levantou-se o perfil dos estudantes, indicando os diferentes sentidos que desenvolvem acerca da formação integrada e que também se relacionam às identidades plurais das juventudes. Verificou-se, ainda, a participação dos jovens em espaços institucionais de decisão a respeito do currículo dos cursos, sugerindo ser necessário um olhar atento a esse processo para que as discussões e decisões sejam tomadas tendo em mente os objetivos do currículo integrado e levando em consideração as identidades dos jovens.</span></span></span></span></p><p class="western" align="justify"> </p><p class="western" align="justify"><span style="font-family: Arial, serif;"><strong>Palavras-chave</strong></span><span style="font-family: Arial, serif;">: </span><span style="color: #000000;"><span style="font-family: Arial, serif;"><span style="font-size: small;"><span>Integração curricular; Ensino médio; Juventude.</span></span></span></span></p> 2024-06-25T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2024 Revista Eletrônica de Educação https://www.reveduc.ufscar.br/index.php/reveduc/article/view/4513 BNC-Formação: mais um passo em direção a mercantilização da educação através da formação docente 2022-04-16T19:14:14+00:00 Dalvana Silva da Gama dalvanagama@gmail.com Rita Severo Bastos rita-severo@uergs.edu.br <p> </p> <p>Este artigo apresenta uma pesquisa documental que tem por objetivo fazer uma análise comparativa entre as Resoluções CNE/CP 1/2002, CNE/CP 2/2015 e CNE/CP Nº 2, de 20 de dezembro de 2019 – BNC Formação, que tratam sobre as diretrizes curriculares nacionais para os cursos de formação de professores, em especial no que se refere a curricularização e ampliação de atividades práticas nos cursos de licenciatura. Tema considerado relevante por pesquisadores da área da educação que apontam lacunas na formação docente devido à falta de experiências práticas no decorrer do curso e a necessidade de uma maior integração entre universidade e a educação básica. Buscando minimizar essas lacunas o Conselho Nacional de Educação vem propondo mudanças através das Diretrizes Curriculares Nacionais para a Formação de Professores. Porém tivemos nos últimos anos 03 diferentes resoluções sobre as diretrizes para a formação docente, sendo que a última sempre revoga a anterior. Assim este artigo busca analisar as convergências e dissonâncias entre as resoluções anteriores e atual BNC-Formação em relação às atividades de prática docente e a aproximação entre a universidade e a escola básica. Os resultados desta pesquisa apontam que há consonância quanto ao entendimento da importância das atividades práticas na formação docente e são mantidos os quantitativos de horas reservados para este fim, porém são propostas novas abordagens. Quanto a dissonâncias, na nova resolução há grande foco na formação de competências o que demonstra consonância com interesses neoliberais, não apresentado nas resoluções anteriores.</p> <p> </p> <p> </p> 2024-06-25T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2024 Dalvana Silva da Gama, Rita Severo Bastos https://www.reveduc.ufscar.br/index.php/reveduc/article/view/4460 Cursinhos Pré-Vestibulares Populares e a potencialidade do seu projeto social: muito além da pandemia 2020-06-17T18:14:29+00:00 Merilin Baldan merilinbaldan@gmail.com <p>O artigo é de natureza teórica e bibliográfica, com embasamento na História Cultural, e tem como objeto de pesquisa os Cursinhos Pré-Vestibulares Populares. Os Cursinhos nascem de uma necessidade social frente às desigualdades de cunho educacional, social e econômico, apresentando a estrutura, a organização e o funcionamento de uma educação não formal. Dentro do contexto da pandemia da Covid-19, cuja crise epidemiológica tem impacto direto sobre as crises políticas e econômicas, observamos seus reflexos sobre a manutenção da oferta dos Cursinhos. A questão norteadora desse trabalho pode ser sintetizada da seguinte maneira: De que modo a pandemia da Covid-19 impacta a oferta e o projeto social dos Cursinhos Pré-Vestibulares Populares? O objetivo geral é refletir acerca da relevância do projeto social dos Cursinhos Pré-Vestibulares populares e comunitários a fim de superar as adversidades conjunturais e estruturais. O artigo está organizado na discussão da historicidade da educação brasileira com a finalidade de apresentar as questões estruturais de enfrentamento da exclusão e da segregação, e passa, em seguida, para o debate em torno do ingresso no ensino superior por meio do ENEM e pelas tensões da sua aplicação no contexto da pandemia. Por fim, argui-se a respeito do papel e dos projetos dos Cursinhos. Os resultados demonstram que os Cursinhos Pré-Vestibulares Populares e Comunitários têm um papel relevante no processo de inclusão de estudantes no ensino superior, democratizando e pluralizando as nossas instituições de ensino superior e, principalmente, corroborando para o enfrentamento de políticas excludentes e na construção de outro projeto societário.</p> 2024-06-25T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2024 Revista Eletrônica de Educação https://www.reveduc.ufscar.br/index.php/reveduc/article/view/4611 Educação para pessoa privada de liberdade: narrativas e reflexões para uma escola acolhedora 2022-04-29T19:32:35+00:00 Valdo Hermes Barcelos vbarcelos@terra.com.br Maria Aparecida Azzolin cidaazzolin@gmail.com <p>Nosso objetivo com esse texto é convidar a uma reflexão que contribua para a formação de professores(as) que atuam na Educação de Jovens e Adultos (EJA) em instituições prisionais que busquem diminuir a situação de descaso público e de incompreensão pedagógica no que diz respeito à EJA em Regime Semiaberto. Tomamos como ponto de partida, para as reflexões, a fala de pessoas em privação de liberdade e de educadores(as) da EJA que atuam junto a esses educandos(as). Os três exemplos de narrativas que apresentamos nesse texto dão uma ideia de como esse grupo de pessoas em privação de liberdade não são escutados, não são lembrados, não são vistos. Têm negada a oportunidade de “aparecerem” e serem acolhidos e respeitados em seus direitos fundamentais como pessoas. Entendemos que o espaço educativo, particularmente nestes casos de privação de liberdade, pode se constituir em um lugar de retomada da cidadania e da dignidade. Pensar a EJA em geral e de adultos em privação de liberdade, é uma forma de promover a visibilidade, é “deixar aparecer” e, assim, começar a romper com décadas de silenciamento àqueles(as) que ainda hoje - e na vida adulta - sofrem em função desse equívoco político das elites nacionais, bem como de uma incompreensão sobre a função da educação em qualquer nação que busque ser democrática.</p> 2024-06-25T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2024 Valdo Hermes Barcelos, Maria Aparecida Azzolin https://www.reveduc.ufscar.br/index.php/reveduc/article/view/4661 Memória Organizacional de Boas Práticas Pedagógicas em uma Escola de Sistema Prisional no Brasil 2022-04-29T20:25:49+00:00 Márcia Hiroko Kawamoto marciatomires@gmail.com Letícia Fleig Dal Forno lefleig@gmail.com Lucas França Garcia lucasfgarcia@gmail.com Ely Mitie Massuda elymitie.m@gmail.com <p>Em virtude das características que permeiam o processo de inserção da educação no sistema prisional, a rotina das escolas nesse ambiente é pouco conhecida fora do contexto dos profissionais envolvidos. No que se refere às práticas pedagógicas, não raro, ficam registradas somente na oralidade, perdendo-se ao longo do tempo. Deixa de se tornar elemento efetivo de decisões de grupo pautadas nas experiências passadas, embora se reconheça a importância desses repositórios, em especial, nesses locais em que as particularidades são, ao mesmo tempo, invisíveis e evidentes. Este artigo teve como objetivo analisar a percepção de memória organizacional de professores e pedagogos quanto às práticas pedagógicas desenvolvidas em um Centro Estadual de Educação Básica para Jovens e Adultos (CEEBJA) que atende educandos temporariamente privados de liberdade. A análise de tais práticas foi desenvolvida pela concepção da memória organizacional como prática da Gestão do Conhecimento que permite a reutilização ou resgate de informações para a tomada de decisão. Pesquisa aplicada, de abordagem qualitativa e de caráter exploratório-descritivo, teve como instrumento de coleta de dados uma entrevista semiestruturada, aplicada aos professores e pedagogos. Foi possível identificar o reconhecimento da importância da memória organizacional pelos docentes e a existência, embora não intencional ou organizada, de um repositório de conjunto de boas práticas desenvolvidas no interior da instituição, constatando-se parcela importante de registros possuem característica visual como fotografias, filmes e vídeos.</p> 2024-06-25T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2024 Márcia Hiroko Kawamoto, Letícia Fleig Dal Forno, Lucas França Garcia, Ely Mitie Massuda https://www.reveduc.ufscar.br/index.php/reveduc/article/view/5043 Outros espaços de aprendizagem: a escola e o acesso à cultura e as atividades culturais 2022-05-03T13:57:47+00:00 Tatiane Peres Zawaski tatianeperes.zawaski@gmail.com <p>Entende-se que os espaços escolares são locais de favorecimento de condições e ampliação da cidadania, quando se observa a Base Nacional Comum Curricular, vislumbra-se de que este acesso à cultura está previsto na lei, sendo necessária novas formas de pensamento/ação/atuação, assim como a sua efetivação dentro dos espaços escolares, garantindo seu cumprimento. Com o objetivo de investigar se as escolas municipais, localizadas em um município da região metropolitana, propiciam aos alunos o acesso à cultura, através da inserção de atividades culturais diversificadas em seu currículo, realizou-se uma pesquisa, de cunho qualitativo, tendo como participantes as coordenações e supervisões das instituições. Conforme os dados, percebe-se que muitas são as ações realizadas pelas instituições da rede municipal para que os alunos tenham acesso à cultura e as atividades culturais. Ainda assim, são necessárias parcerias, e, também, um maior incentivo financeiro, tendo em vista a baixa renda de muitas famílias para propiciar visitas aos espaços culturais, como teatro, cinema, museus, casas de cultura, entre tantos outros, em virtude do custo com deslocamento e ingressos para acesso aos locais. Com isso, conclui-se que a promoção de atividades pedagógicas, por meio de acesso aos espaços culturais, possibilita o reconhecimento como parte de nossa história cultural, assim como vivências e experiências, a partir de práticas de cuidado e valorização.</p> 2024-06-25T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2024 Tatiane Peres Zawaski https://www.reveduc.ufscar.br/index.php/reveduc/article/view/4684 O projeto clube do livro nas instituições penais: os contributos da leitura às pessoas aprisionadas 2022-04-29T20:59:02+00:00 Darlene Marques darlenemarquespsi@gmail.com Camila Micheletti Santini camila.micheletti.santini@hotmail.com Viviane Queiroz vivianequeirozrh@gmail.com Andreza Marques de Castro Leão andreza.leao@unesp.br <p>Visando a ressocialização das pessoas aprisionadas é preciso articular medidas alternativas para a remição de pena, de modo a minimizar a reincidência criminal. Considerando que a leitura é algo que contribui para o processo de reintegração social, o objetivo deste estudo é analisar o projeto clube do livro, como ele é implementado nas instituições penais, de maneira a conhecer as dificuldades, assim como seus contributos às pessoas privadas de liberdade, na ótica dos profissionais envolvidos no seu implemento. Com este intento foi realizada uma pesquisa de natureza qualitativa, tendo como instrumento de coleta de dados entrevistas aplicadas a dois profissionais envolvidos com o citado projeto. Após a análise dos dados obtidos neste instrumento, foi possível elencar as categorias de análise, as quais evidenciam os contributos do projeto às pessoas aprisionadas, tais como: melhoria da autoestima, ampliação da visão de mundo, desenvolvimento da cidadania, redução da ociosidade, melhoria nas relações interpessoais, atenuação dos preconceitos, entre outros. As principais dificuldades identificadas no implemento do projeto foram o rodízio das pessoas encarceradas e a falta de maior credibilidade do projeto por parte dos funcionários e agentes socioeducacionais. Este fato, em específico, alerta para a necessidade de terem ciência dos benefícios da leitura, sendo devidamente preparados e sensibilizados, de maneira a promover a leitura no contexto prisional. Em suma, tem-se a necessidade de se direcionar políticas públicas coerentes às necessidades da população carcerária, e de se promover a leitura enquanto instrumento pujante de reintegração social.</p> 2024-06-26T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2024 Darlene Marques , Camila Micheletti Santini, Viviane Queiroz , Andreza Marques de Castro Leão https://www.reveduc.ufscar.br/index.php/reveduc/article/view/4665 A Educação Profissional e a reintegração social dos presos: um estudo de caso no Centro de Internamento e Reeducação do Distrito Federal 2022-04-29T20:33:30+00:00 Willian Rayner Lima willian.rayner@hotmail.com Léia Adriana da Silva Santiago leia.adriana@ifgoiano.edu.br <p>O presente artigo é fruto de pesquisa desenvolvida com o fim de analisar o ensino profissionalizante ofertado pela Fundação de Amparo ao Trabalhador Preso aos internos do Centro de Internamento e Reeducação do Distrito Federal. A pesquisa de campo foi realizada com educandos participantes do curso de pintura residencial. Para a realização desse estudo, foram trabalhadas as categorias prisão, educação no âmbito prisional, trabalho e reintegração social à luz de teóricos que discutem tais temáticas, como Goffman (1990), Wacquant (2011) e Onofre (2014). Do ponto de vista metodológico, houve observação não-participante das aulas, aplicação de questionário semiestruturado aos educandos e realização de entrevista com o professor responsável pelo curso. A pesquisa se conclui constatando que os educandos vislumbram na capacitação recebida uma oportunidade de encontrar novas trajetórias de vida quando do retorno ao convívio social. Contudo, a respeito do ensino profissionalizante, se por um lado, ele assegurou a efetiva capacitação dos educandos para o trabalho objeto do curso, por outro lado, a implementação da Educação Profissional se deu de forma isolada, sem integração com outras práticas formativas, deixando de observar, assim, a normatização vigente.</p> 2024-06-26T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2024 Willian Rayner Lima, Léia Adriana da Silva Santiago https://www.reveduc.ufscar.br/index.php/reveduc/article/view/6068 Educação estética na formação de professores na perspectiva Freiriana 2023-01-26T21:02:24+00:00 Rita Buzzi Rausch ritabuzzirausch@gmail.com Mônica Maria Baruffi monicambar@terra.com.br Juliana Pedroso Bruns julianap.bruns@gmail.com <p>O ato estético foi preterido nos espaços escolares pelo fato de estarmos comumente vivenciando um processo formativo meramente técnico, com formações que mantêm um caráter engessado, desconsiderando a educação estética, que para Freire, envolve a boniteza e constitui-se da esperança, amizade, ética, decência, alegria, solidariedade, respeito e aceitação do novo. Diante de tais inferências, nesta pesquisa, objetivamos compreender as contribuições teóricas de Paulo Freire à educação estética na formação de professores. A metodologia empregada foi de caráter qualitativo e teórico. As obras de Freire (1987, 1997, 2001, 2002, 2014, 2021) foram analisadas com base na análise de conteúdo de Bardin (1987). Neste estudo, após uma leitura minuciosa das obras, foram elencadas como categorias de análise: (i) desenvolvimento consciente, crítico e emancipatório do professor; (ii) desenvolvimento estético-político do professor; (iii) desenvolvimento estético-ético do professor. Os resultados evidenciaram que a dimensão estética se faz presente em todos os livros analisados, sempre atrelada ao desenvolvimento consciente, crítico, emancipatório, ético e político, conceitos indissociáveis ao ser e estar docente. Concluímos, portanto, que atrelar à formação de professores à educação estética, implica em propiciar um desenvolvimento consciente, crítico, emancipatório, político e ético, culminando em mudanças significativas nos processos formativos e nas práticas educativas. Para que isso seja possível, faz-se necessário o desenvolvimento de formações voltadas à educação estética, em que o educador esteja envolvido em um processo reflexivo, crítico de seu agir e estar no mundo, e que acima de tudo, esteja consciente de seu papel imprescindível de transformar a sociedade.</p> 2024-06-26T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2024 RITA BUZZI RAUSCH, MÔNICA MARIA BARUFFI, JULIANA PEDROSO BRUNS https://www.reveduc.ufscar.br/index.php/reveduc/article/view/5182 Estruturação de Recurso Educacional Aberto na área de Imunizações: Estratégia de apoio à Educação em Saúde Vacinal 2022-05-03T20:26:07+00:00 Claudio José dos Santos Júnior claudiosantos_al@hotmail.com Jailton Rocha Misael jailton.enf@gmail.com John Victor dos Santos Silva john.setedejulho@gmail.com Almira Alves dos Santos almira_alves@yahoo.com.br Paulo José Medeiros de Souza Costa paulojmsc@yahoo.com.br <p>O objetivo deste trabalho é apresentar a estruturação de uma animação virtual e de uma ferramenta sobre o tema “calendário nacional de imunizações” como ferramenta de apoio à educação em saúde vacinal. Trata-se de estudo metodológico que apresenta as etapas, os fundamentos e os métodos empregados no desenvolvimento de duas tecnologias educacionais na área de imunizações. O trabalho foi desenvolvido em sete etapas: 1ª) Definição do tema e seleção do problema do estudo; 2ª) Localização e seleção das estratégias de busca; 3ª), Extração e organização dos dados sobre o tema em estudo e sobre a tecnologia educacional; 4ª) Elaboração da Tecnologia Educacional conforme método CTM3; 5ª) Avaliação; 6ª) Validação; 7ª) Inserção no Repositório EduCAPES. Os materiais produzidos, intitulados Calendário e Guia Vacinal Interativos trouxeram informações acerca do calendário básico de vacinação brasileiro definido pelo Programa Nacional de Imunizações (PNI), além de indicações, doses e outros dados correspondes ao conjunto de vacinas consideradas de interesse prioritário à saúde pública no país. As tecnologias educativas envolveram recursos de imagem, texto, áudio e hiperlink, além de design interativo e dinâmico. As tecnologias educacionais desenvolvidas poderão ser utilizadas por professores e profissionais de saúde como ferramenta de apoio à educação em saúde vacinal.</p> 2024-06-26T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2024 Claudio José dos Santos Júnior, Jailton Rocha Misael , John Victor dos Santos Silva, Almira Alves dos Santos, Paulo José Medeiros de Souza Costa https://www.reveduc.ufscar.br/index.php/reveduc/article/view/5125 Pesquisas em educação matemática voltadas às concepções de aprendizagem na educação de jovens e adultos 2022-05-03T19:09:56+00:00 Reinaldo Feio Lima reinaldo.lima@unifesspa.edu.br Neomar Lacerda da Silva nlsmat@hotmail.com Ilvanete Dos Santos de Souza ilvanetess@gmail.com <p><br />Este estudo objetivou compreender como pesquisas no campo da formação de professores(as), que ensinam Matemática na modalidade da Educação de Jovens e Adultos, são conduzidas quanto à forma com que abordam e compreendem os aspectos individuais e/ou sociais da aprendizagem, o que perfaz as ênfases no aquisicionismo ou no participacionismo, nas abordagens teóricas e metodológicas que utilizam. Para tanto, analisamos anais do Simpósio Internacional de Pesquisa em Educação Matemática (SIPEM). A análise que empreendemos no corpus evidenciou diferentes referenciais teóricos e sugerimos agrupar tais estudos sob pontos de enfoque, nomeadamente: proposta de integração, representações sociais, práticas discursivas e análise de materiais. As pesquisas concordam quanto às especificidades do Ensino de Matemática nesta modalidade, que a metodologia e consequente organização das aulas está sob influência do seu lócus de produção, da natureza do conhecimento requerido pela situação e da forma como professores(as) e estudantes se comprometem com o ensino.</p> 2024-06-26T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2024 REINALDO FEIO LIMA, NEOMAR LACERDA DA SILVA, ILVANETE DOS SANTOS DE SOUZA https://www.reveduc.ufscar.br/index.php/reveduc/article/view/4794 Sob o olhar que acolhe: sensibilidade e (in)compreensão na escola 2022-04-30T21:06:17+00:00 Maria Matilde Matilde Antonelli mariamatilde.antonelli@gmail.com Cleide Rita Silvério Almeida cleidea@uol.com.br Saulo de Oliveira Pena saulopena@gmail.com <p> <br />Este artigo, de natureza teórica e documental, é um exercício de compreensão e sensibilidade para professores por meio de um enredo muito particular. Optou-se pelo filme “Como estrelas na Terra – Toda criança é especial” (2007), dirigido por Aamir Khan, que projeta caminhos para refletir sobre as ações de acolhimento no ambiente escolar. Com ele, espera-se pensar maneiras de despertar o olhar compreensivo de docentes para alunos com as mais diversas condições físicas e/ou neuropsicológicas, tendo em vista que a experiência de trabalho compartilhada entre professores oferece espaço privilegiado para reflexões como essa. Para a presente pesquisa, considera-se que os enredos fílmicos podem contribuir para repensar e compreender a educação; os subsídios teóricos para o debate estão atrelados ao conceito de pensamento complexo de Edgar Morin, ao tratar da sensibilidade e compreensão. A percepção adotada é a de que os enredos podem oferecer a oportunidade de pensar as diferentes condições que os alunos apresentam na escola e ilustrar caminhos para acolher essas crianças com dignidade e respeito. O filme pode auxiliar os envolvidos a partir de uma educação que promove a transição do olhar excludente para o olhar acolhedor, nesse sentido oferece a possibilidade de ampliar e enriquecer uma discussão urgente.</p> 2024-06-26T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2024 Maria Matilde Matilde Antonelli, Cleide Rita Silvério Almeida, Saulo de Oliveira Pena https://www.reveduc.ufscar.br/index.php/reveduc/article/view/4837 Socialização e aprendizagens de professores iniciantes da educação básica em situação de ausência de bem-estar 2022-04-30T22:43:14+00:00 Jurema Rosendo dos Santos ju.remarosendo@hotmail.com Lúcia Gracia Ferreira luciagferreira@hotmail.com <p>Essa pesquisa objetivou explorar os percursos da docência de professores iniciantes da Educação Básica em situação de ausência do bem-estar, seus processos de socialização, como superaram as dificuldades, sua formação continuada e as (des)continuidades no seu desenvolvimento profissional docente. Trata-se de um recorte da pesquisa realizada no âmbito do Programa de Mestrado em Educação da Universidade Federal da Bahia entre os anos de 2017-2019. A partir da pesquisa qualitativa, da abordagem (auto)biográfica e do método das histórias de vida, a investigação foi desenvolvida com quatro professores iniciantes da Educação Infantil e dos anos iniciais do Fundamental do município de Itapetinga, na Bahia. Foi utilizado como fonte para produção dos dados instrumentos como questionário e entrevista narrativa e os dados foram analisados a partir da técnica da análise de conteúdo. Na perspectiva da socialização e aprendizagens, desvelamos, através desta investigação, que nos caminhos da docência destes professores iniciantes, a socialização profissional se configurou como demasiadamente importante, pois é promotora de aprendizagens. Contudo, ficou evidente que os professores iniciantes passaram por momentos de ausência de bem-estar docente e em meio a isso veem se desenvolvendo profissionalmente. Mesmo sem experiências na docência, buscam construir suas identidades baseados em suas histórias de vida, nas experiências pessoais passadas e no cotidiano presente, e percebem que a iniciação profissional se apresenta como lugar de formação e de diálogo. Por fim, consideramos que falta atenção a esses professores e também políticas públicas que os assistam, assegurem e direcionem na garantia do bem-estar profissional.</p> 2024-06-26T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2024 Jurema Rosendo dos Santos, Lúcia Gracia Ferreira https://www.reveduc.ufscar.br/index.php/reveduc/article/view/5123 O apoio pedagógico e a assistência estudantil: transição, afiliação e permanência estudantil 2022-05-03T19:07:49+00:00 Carlos Eduardo Sampaio Burgos Dias carlos.dias@unifesp.br <p>Este artigo discute o apoio pedagógico a partir das ideias de assistência estudantil, transição do ensino secundário para o terciário, autorregulação da aprendizagem e afiliação. O apoio pedagógico como um conceito é novo no ensino superior brasileiro, sobretudo atrelado a assistência estudantil, carecendo ainda de referenciais teóricos específicos. Nesse sentido, este trabalho busca oferecer uma compreensão, não no sentido de reduzi-lo, mas sim de anuncia-lo como uma possibilidade institucional voltada a permanência estudantil. O artigo está organizado em cinco partes, na introdução é discutida a ideia de assistência estudantil, na sequência são apresentados os principais referenciais bibliográficos sobre o processo de transição dos estudantes entre a educação secundária e terciária, seguido do conceito de autorregulação da aprendizagem e depois sobre a afiliação dos estudantes ao ensino superior. Essas quatro ideias (assistência estudantil, transição, autorregulação da aprendizagem e afiliação) nos ajudam a pensar e formular uma primeira definição sobre apoio pedagógico no ensino superior. Assim, o apoio pedagógico é um conjunto de ações e estratégias institucionais que, baseados no conhecimento prévio do púbico a ser atendido, visam apoiar os estudantes no desenvolvimento de variadas habilidades e competências acadêmicas, profissionais e sociais, favorecendo a aprendizagem e a afiliação deles e, contribuindo na diminuição de eventuais defasagens de aprendizagem do estudante.</p> 2024-06-26T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2024 Carlos Eduardo Sampaio Burgos Dias https://www.reveduc.ufscar.br/index.php/reveduc/article/view/6111 Ambiente virtual de aprendizagem para estágios supervisionados: em um curso de Pedagogia EaD 2024-04-04T16:12:16+00:00 Marcos Evandro Galini marcoseg@fgvmail.br Roberta Flaborea Favaro robertaffbr@hotmail.com Fernanda Guinoza Matuda fernandamatuda@gmail.com <p><span style="font-weight: 400;">Na formação inicial de professores, os estágios obrigatórios são eixos curriculares importantes na articulação entre teoria e prática. Entretanto, nos cursos de licenciatura ofertados na Educação a Distância (EaD), os estágios costumam se apresentar como objeto de grande discussão, pois envolvem questões administrativas e pedagógicas, nem sempre compreendidas pelos estudantes. Este artigo visa apresentar os resultados de um estudo de caso sobre as soluções encontradas por uma universidade para viabilizar a orientação e a supervisão dos estágios por meio do ambiente virtual de aprendizagem. A pesquisa se refere a uma instituição pública, que oferta o curso de Pedagogia na modalidade EaD no estado de São Paulo e foi realizada por meio de um estudo de caso não participativo com análise documental e análise do ambiente virtual. Como conclusão, observa-se grande esforço por parte da universidade em promover aprendizagens importantes na relação teoria e prática da realização do estágio supervisionado e formas variadas de envolver os estudantes no seu próprio processo de aprendizagem, desenvolvendo autonomia, proatividade, auto-regulação e pensamento crítico. Entretanto, apesar da nova proposta de organização do ambiente virtual e de esforços na elaboração de diversos recursos pedagógicos orientadores do estágio, ainda se observa o foco dos estudantes na questão administrativa, em detrimento da pedagógica. Como recomendação, entende-se a necessidade, ao longo das disciplinas do curso, de envolver os alunos nos seus processos de formação prática. Também recomenda-se a realização de novos estudos sobre o tema, desta maneira, continuar a dar respostas a esta problemática.</span></p> 2024-06-26T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2024 Marcos Evandro Galini, Roberta Flaborea Favaro, Fernanda Guinoza Matuda https://www.reveduc.ufscar.br/index.php/reveduc/article/view/6032 A profissionalização docente analisada à luz do projeto pedagógico do curso de matemática do IFMA 2024-05-10T11:49:40+00:00 Elisângela Moraes Gonçalves mgelisa@hotmail.com Hercilia Maria Vituriano hercilia.maria@ufma.br Raimundo Luna Neres luna.neres@ceuma.br <p>Apresenta-se um estudo sobre a profissionalização docente, considerada uma das problemáticas centrais para as mudanças educativas no cenário atual, sustentada na reflexão, na pesquisa e na crítica na perspectiva de construção de um Modelo Emergente de Formação Inicial (MEFI) de Professores, visando inovação educativa. Para tanto, são promovidas análises sobre a presença dessas referências no Projeto Pedagógico (PP) do curso de Licenciatura em Matemática do Instituto Federal do Maranhão (IFMA). O objetivo é demonstrar como as referências definidoras de um MEFI, pautado na profissionalização docente e na inovação educativa, são contempladas no PP do curso de Licenciatura em Matemática do IFMA. A metodologia adotada apoia-se em revisão de literatura, com pesquisa de caráter exploratório, natureza qualitativa e apreciação dos dados pela análise de conteúdo. As análises no PP demonstraram que as referências estudadas se apresentam nos seus componentes curriculares, precisamente na Metodologia da Investigação Educacional, na História e Filosofia da Educação I, na Didática Geral, na Sociologia da Educação e na Política Educacional e Organização da Educação Básica; nos objetivos do curso, salientando a formação de professores com uma postura reflexivo-investigativa para estabelecimento do elo entre teoria e prática; nas atividades do curso, orientadas pelo princípio metodológico da ação-reflexão-acão; nas metodologias de ensino e aprendizagem, preconizando a participação do futuro professor em grupos de estudo, pesquisas extraclasse e de iniciação científica, concebendo a pesquisa como princípio científico e educativo e a crítica como atitude necessária e sustentada na reflexão para que compreenda e intervenha na realidade educativa, visando sua inovação.</p> 2024-06-26T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2024 Elisângela Moraes Gonçalves, Hercilia Maria Vituriano, Raimundo Luna Neres https://www.reveduc.ufscar.br/index.php/reveduc/article/view/4605 Desafios e mediações à qualidade da formação de enfermeiros: percepção de coordenadores de graduação 2022-04-29T19:26:55+00:00 Jackeline Cristiane Santos kelly_7497@hotmail.com Mara Regina Lemes de Sordi maradesordi14@gmail.com <p><br />O objetivo do artigo é identificar desafios e discutir mediações acessadas por coordenadores de curso de graduação em Enfermagem, visando à qualidade na formação profissional. Assume-se como referencial teórico autores que defendem qualidade socialmente referenciada na formação de enfermeiros, subsidiando-os para intervenções de transformação da realidade instituída. Os dados provêm de pesquisa de doutorado, para a qual foram entrevistados 28 coordenadores atuantes no estado de São Paulo. O projeto de pesquisa foi aprovado pelo CEP/xxx sob o parecer xxx, emitido em xxx. Dentre os entrevistados, 79% atuavam em Instituições de Ensino Superior privadas (59% com fins lucrativos), e 21% trabalhavam em instituições públicas. Coordenadores alegam como desafios o perfil do aluno ingressante (déficit de conhecimentos); a implementação de metodologias ativas; a integração ensino-serviço (com ênfase na questão do acesso a serviços de saúde e na atuação interprofissional em cenários de estágio). Destacam como mediações: o estímulo aos estudantes ingressantes para a participação em programas de nivelamento de conhecimentos; capacitações pedagógicas para docentes; o acesso aos Contratos Organizativos de Ação Pública Ensino Saúde e a cooperação docente na construção de parcerias com trabalhadores dos serviços de saúde. Concluímos ser necessária, para o enfrentamento dos citados desafios, a coalizão de coordenadores em torno da construção estratégica de uma leitura crítica da realidade, que possibilite a construção de alternativas de enfrentamento a problemas comuns.</p> 2024-06-25T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2024 Jackeline Cristiane Santos, Mara Regina Lemes de Sordi https://www.reveduc.ufscar.br/index.php/reveduc/article/view/4671 Como discentes compreendem a imprevisibilidade de trajetórias de partículas em contextos de jogo digital? 2022-04-29T20:39:55+00:00 Marcia Camilo Figueiredo marciafigueired@utfpr.edu.br Aguinaldo Robinson de Souza aguinaldo.robinson@unesp.br <p>O ensino de conteúdos abstratos abordados na Química exige certo esforço do professor, porque a maioria dos alunos têm dificuldades em compreender o que não conseguem visualizar de maneira detalhada e concreta. A partir desta situação, constitui-se a seguinte questão problema: Os conceitos e contextos propostos em um jogo digital proporcionam aos licenciandos a compreensão sobre a imprevisibilidade das trajetórias de partículas, representadas por um modelo de uma amostra gasosa? Com este intuito, o objetivo do trabalho foi aplicar um jogo digital com a finalidade de investigar como e de qual maneira os contextos construídos nesse recurso didático oportunizam a licenciandos em química compreenderem a imprevisibilidade de trajetórias das partículas, representadas na Teoria Cinética dos Gases. Na pesquisa de cunho qualitativo foram utilizados como instrumentos de coleta de dados, a aplicação de um jogo digital, um questionário e entrevistas semiestruturadas. Os integrantes foram sete acadêmicos de licenciatura em química de uma Universidade Tecnológica Federal do Paraná. A estruturação dos dados seguiu os princípios da análise de conteúdo. Conclui-se que os participantes vivenciarem a imprevisibilidade na trajetória das partículas durante o contexto do jogo, e atentaram-se principalmente às regras e a vencer o jogo, apresentando assim, um discurso elucidativo ao jogo e de senso comum. Desse modo, sugere-se como alternativa a construção e o desenvolvimento de propostas didático-pedagógicas que integrem conteúdo educacional e jogos digitais no processo de ensino e de aprendizagem de conceitos não inatos que representam fenômenos físicos de difícil compreensão e visualização.</p> 2024-06-26T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2024 Marcia Camilo Figueiredo, Aguinaldo Robinson de Souza