A pesquisa-formação como prática de indução docente: experiência formativa com professoras em início de carreira

Autores

DOI:

https://doi.org/10.14244/198271996435

Palavras-chave:

Pesquisa-formação, Indução docente, Experiência formativa, Formação de professores.

Resumo

Este artigo tem como objetivo analisar o processo de desenvolvimento de uma pesquisa-formação, considerada como prática de indução docente. Dessa forma, apresenta reflexões sobre uma experiência formativa com professoras iniciantes, assumindo a narrativa (auto)biográfica como aporte teórico-metodológico para a compreensão dos principais desafios vivenciados no início da docência, bem como as estratégias encontradas pelas professoras para superá-los. As reuniões ocorreram mensalmente e foram protagonizadas por professoras de duas Redes Públicas Municipais de Ensino de Santa Catarina. Considerou-se como docentes iniciantes quem estivesse entre o primeiro e o quinto ano de exercício profissional na educação básica, considerando efetivos ou substitutos. Os autores que subsidiaram a pesquisa-formação e os estudos sobre indução profissional foram, Delory-Momberger (2016), Bragança (2011), Josso (2006) e Cruz, Farias e Hobold (2020). Os conceitos de narrativa, experiência, biografia e identidade mostraram-se essenciais para a compreensão das contradições e potências existentes na investigação da narrativa autobiográfica para formação de professores (Pereira; Silva; Hobold, 2021). A experiência evidenciou a potencialidade da pesquisa-formação como prática de indução docente, sendo que, ao compartilharem histórias de vida e profissão, as professoras refletiram sobre diferentes aspectos que envolvem o exercício do magistério, pensaram coletivamente em estratégias para superar os desafios da carreira e produziram um forte elo de identidade nas discussões concernentes ao ingresso na docência.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Carolina Ribeiro Cardoso, Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC)/Docente do Magistério Superior

Doutora em Educação (2018) e Mestra em Educação (2014) pelo Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade do Estado de Santa Catarina (PPGE/Udesc) - Linha de pesquisa História e Historiografia da Educação. Licenciada em Pedagogia (2010) pelo Centro de Ciências Humanas e da Educação da Universidade do Estado de Santa Catarina (Faed/Udesc). Professora efetiva - Adjunto A - da área de Didática, no Departamento de Metodologia do Ensino da Universidade Federal de Santa Catarina (MEN/UFSC). Possui experiência com docência na Educação Básica e no Ensino Superior. Coordena o projeto de pesquisa "A Didática em manuais pedagógicos: definições e prescrições (1920-1960)" (UFSC). Membro dos grupos de pesquisa "Formação de professores e práticas de ensino" (FOPPE/UFSC) e "Objetos para Consumo da Escola: O que dizem as Exposições Universais, os Museus Pedagógicos e as Leis da Obrigatoriedade Escolar" (Udesc). Pesquisa principalmente os seguintes temas: Didática, História da Educação, Cultura Escolar, Cultura Material Escolar, Avaliação Escolar, Manuais de Pedagogia e Formação de Professores.

Márcia de Souza Hobold, Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC)/Docente do Magistério Superior

Professora Adjunta do Centro de Ciências da Educação da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Professora Permanente do Programa de Pós-Graduação em Educação (PPGE) da UFSC. Doutora em Educação pela PUC SP. Líder do Grupo de Estudos e Pesquisa: Formação de Professores e Práticas de Ensino - FOPPE, da UFSC. Membro da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Educação (ANPEd), da Associação Nacional pela Formação dos Profissionais da Educação (ANFOPE), da Associação Nacional de Didática e Prática de Ensino (ANDIPE) e pesquisadora da Rede Latino Americana de Estudos Sobre Trabalho Docente (Rede Estrado). Bolsista produtividade de pesquisa do CNPq.  

 

Lara Rodrigues Pereira, Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC)/Docente do Magistério Superior

Doutora em Educação (UFSC), Mestra em História (UDESC), Especialista em Gestão Educacional e Metodologia do Ensino Interdisciplinar (Dom Bosco), Graduada em História (UFSC). Possui experiência na educação básica, ensino fundamental e médio, na disciplina de História. Atua no Ensino Superior como professora adjunta do Departamento de Metodologia de Ensino MEN, UFSC, na disciplina de Didática, desde junho de 2019. Experiência na área de Didática, Formação de professores, História da Educação, Didáticas do Audiovisual, História do Cinema, Cinema Educativo brasileiro. É membro do Grupo de Estudos e Pesquisa Formação de Professores e Práticas de Ensino FOPPE.

Referências

BRAGANÇA, Inês Ferreira de Souza. Sobre o conceito de formação na abordagem (auto) biográfica. Revista Educação, Porto Alegre, v. 34, n. 2, p. 157-164, maio/ago. 2011. Disponível em: https://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/faced/article/view/8700. Acesso em: 05 maio 2023.

CRUZ, Gisele Barreto da; FARIAS, Isabel Maria Sabino de; HOBOLD, Márcia de Souza. Indução profissional e o início do trabalho docente: debates e necessidades. Dossiê: "Formação e inserção profissional de professores iniciantes: conceitos e práticas". Revista Eletrônica de Educação, v. 14, 1-15, p. e4149114, jan./dez. 2020. Disponível em: https://www.reveduc.ufscar.br/index.php/reveduc/article/view/4149. Acesso em: 05 maio 2023.

DELORY-MOMBERGER, Christine. A pesquisa biográfica ou a construção compartilhada de um saber do singular. Revista Brasileira de Pesquisa (Auto)Biográfica, Salvador, v. 01, n. 01, p. 133-147, jan./abr., 2016. Disponível em: https://www.revistas.uneb.br/index.php/rbpab/article/view/2526. Acesso em: Acesso em: 05 maio 2023.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da Autonomia: saberes necessários à prática educativa. São Paulo: Paz e Terra, 1996, 143 p.

HUBERMANN, Michäel. O ciclo de vida profissional dos professores. In: NÓVOA, Antonio. (Org) Vidas de professores. Porto Editora, 1995. p.31-61.

JOSSO, Marie-Christine. As figuras de ligação nos relatos de formação: ligações formadoras, deformadoras e transformadoras. Revista Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 32, n. 2, p. 373-383, mai383, maio/ago., 2006. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S1517-97022006000200012. Acesso em: 05 maio 2023.

NÓVOA, Antonio. Os professores e suas histórias de vida. In: NÓVOA, António (Org.). Vidas de professores. 2.a ed. Porto/PT: Porto Editora, 2013.

PEREIRA, Lara Rodrigues; SILVA, Carolina Cardoso da; HOBOLD, Márcia de Souza. A narrativa (auto)biográfica na pesquisa de formação de professores: conceitos essenciais e possibilidades metodológicas. Revista Cocar, Belém, v.15, n.32, p. 1-14, jan./jun., 2021. Disponível em: https://periodicos.uepa.br/index.php/cocar/article/view/3900. Acesso em: 05 maio 2023.

PIMENTA, Selma Garrido. Epistemologia da prática ressignificando a Didática. In: FRANCO, Maria Amélia Santoro; PIMENTA, Selma Garrido (Oorg.). Didática: Embates Contemporâneos. 3.° ed. São Paulo: Edições Loyola, 2014, 154 p.

VIEIRA, Adriano. Verbete Cartas Pedagógicas. In: STRECK, Danilo; REDIM, Euclides; ZITKOSKI, Jaime. Dicionário Paulo Freire. Belo Horizonte: Autêntica, 2018, p. 11-112.

Publicado

30-05-2024

Como Citar

CARDOSO, C. R.; HOBOLD, M. de S.; PEREIRA, L. R. . A pesquisa-formação como prática de indução docente: experiência formativa com professoras em início de carreira. Revista Eletrônica de Educação, [S. l.], v. 18, p. e6435008, 2024. DOI: 10.14244/198271996435. Disponível em: https://www.reveduc.ufscar.br/index.php/reveduc/article/view/6435. Acesso em: 14 jun. 2024.

Edição

Seção

Dossiê Concepções, Políticas e Práticas de Indução Docente
##plugins.generic.dates.received## 2023-05-05
##plugins.generic.dates.accepted## 2023-08-22
##plugins.generic.dates.published## 2024-05-30