Formação do professor que ensina matemática, ludicidade e narrativas: o que se pesquisou no Brasil

Autores

  • Américo Junior Nunes da Silva UNEB
  • Cármen Lúcia Brancaglion Passos UFSCAR

DOI:

https://doi.org/10.14244/198271993631

Palavras-chave:

Formação do professor, Ensino de matemática, Ludicidade, Narrativas.

Resumo

Este artigo apresenta um estudo que dialogou com pesquisas de mestrado e de doutorado que tomaram a formação matemática de professores dos anos iniciais, em cursos de Pedagogia. Tais pesquisas foram desenvolvidas entre 1978 a 2012 e constaram dos mapeamentos realizados em dois trabalhos (FIORENTINI et al. 2002; FIORENTINI; PASSOS; LIMA, 2016). O estudo compôs a tese de doutoramento do primeiro autor, que investigou o que revelam narrativas de licenciandos do curso de Pedagogia da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), construídas ao longo da formação, sobre a ludicidade, o ensino de matemática na formação inicial e o constituir-se professor que ensina(rá) matemática nos anos iniciais. Os dados aqui discutidos foram delimitados a partir do objeto da pesquisa de doutorado e de certo modo indicou o que de inédito poderia ser produzido. Tomou-se como fonte de dados as pesquisas levantadas pelos mapeamentos, com o olhar voltado para os trabalhos que tiveram a “ludicidade” como aspecto importante da formação inicial do professor que ensinará matemática nos anos iniciais e/ou utilizou “narrativas” ou se apresentaram como “pesquisas narrativas” – elementos que se articulam ao puzzle (CLANDININ; CONNELLY, 2015) de pesquisa, relacionamos 41 pesquisas. Ao dialogar com os autores das pesquisas buscamos neste artigo conhecer conceitos apresentados nas mesmas, confrontá-los com referenciais teóricos que defendem a ludicidade e a escrita de narrativas na formação inicial de professores que ensinam(rão) matemática nos anos iniciais.

Métricas

Carregando Métricas ...

Referências

ALARCÃO, I. Professores reflexivos em uma escola reflexiva. São Paulo: Cortez, 2003.

AMARAL, M. J.; MOREIRA, M. A.; RIBEIRO, D. O papel do supervisor no desenvolvimento do professor reflexivo: estratégias de supervisão. In: ALARCÃO, I. Formação reflexiva de professores: estratégias de supervisão. Porto: Porto, 1996. p. 89-122.

BOLZAN, D. P. V. Formação de professores: compartilhando e reconstruindo conhecimentos. Porto Alegre: Editora Mediação, 2002.

BRASIL. Parecer CNE/CP nº 09, de 08 de maio de 2001. Institui as diretrizes curriculares nacionais para a formação de professores da educação básica, em nível superior, curso de licenciatura, de graduação plena. Brasília, DF, 2001.

CLANDININ, D. J. Engaging in narrative inquiry. Walnut Creek: Left Coast Press. 2013.

CLANDININ, D. J.; CONNELLY, F. M. Pesquisa Narrativa: Experiência e História em Pesquisa Qualitativa. Uberlândia: EDUFU, 2015.

COSTA, S. C. S. O professor que ensina Matemática nos anos iniciais do Ensino Fundamental: limites e possibilidades do curso de Licenciatura em Pedagogia. 2011. 171 f. Dissertação (Mestrado) – Universidade Cruzeiro do Sul (Unicsul), São Paulo, 2011. Orientador: Edda Curi. Disponível em: https://drive.google.com/open?id=0BzWBKwxWqsbtdTMteURzWkR5UXM

CUNHA, R. B. Lembranças de escola na formação inicial de professores. In: PRADO, G. D. V. T.; CUNHA, R. B. Percursos de autoria: exercícios de pesquisa. Campinas: Alínea, 2007. p. 97-112.

CURI, E. Formação de professores polivalentes: uma análise de conhecimentos para ensinar matemática e de crenças e atitudes que interferem na constituição desses conhecimentos. 2004. 278 f. Tese (Doutorado) – Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP), São Paulo, 2004. Orientador: Célia Maria Carolino Pires

DARSIE, M. M. P. A reflexão distanciada na construção dos conhecimentos do professor em curso de formação inicial. Tese de Doutorado. Universidade de São Paulo. São Paulo. 1998.

FERNÁNDEZ, A. O Saber em jogo: a psicopedagogia propiciando autorias de pensamento. Tradução de Neusa Kern Hickel. Porto Alegre: Artmed, 2001.

FIORENTINI, D. et al. Formação de professores que ensinam matemática : um balanço de 25 anos de pesquisa brasileira. Educação em Revista, Belo Horizonte, 2002. 137-159.

FIORENTINI, D.; PASSOS, C. L. B.; LIMA, R. C. R. Mapeamento da pesquisa acadêmica brasileira sobre o professor que ensina matemática: período 2001 - 2012. Campinas: FE/Unicamp, 2016.

FLORES, M. A. Person and context in becoming a new teacher. Journal of Education for Teaching, v. 27, p. 135-148, 2001.

FLORES, M. A.; DAY, C. Contexts which shape and reshape new teachers’ identities: a multi-perspective study. Teaching and Teacher Education, v. 22, p. 219- 232, 2006.

HUIZINGA, J. Homo Ludens: o jogo como elemento da cultura. 7ª. ed. São Paulo: Perspectiva, 2012.

LARROSA BONDÍA, J. Tecnologias do eu e educação. In: SILVA, T. T. D. O sujeito da educação: estudos foucaultianos. Petrópolis: Vozes, 1994. p. 35-86.

MEGID, M. A. B. A. Formação inicial de professoras mediada pela escrita e pela análise de narrativas sobre operações numéricas. 2009. 219f. Tese (Doutorado) – Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), Campinas, 2009. Orientador: Dario Fiorentini. Disponível em: https://drive.google.com/open?id=0BzWBKwxWqsbtMlBjTDFOeThRc1E

OLIVEIRA, R. M. M. A. Narrativas de formação: Aspectos da trajetória como estudante e experiências de estágio. Interacções, Portugal, vol.7. nº18. 2011. 229-245.

PIMENTA, S. G. Formação de professores - saberes da docência e identidade do professor. Revista Faculdade de Educação, São Paulo, julho 1996. 72-89.

RITZMANN, C. D. S. O jogo na atividade de ensino: um estudo das ações didáticas de professores em formação inicial. 2009. 191f. Dissertação (Mestrado) – Universidade de São Paulo (USP), São Paulo, 2009. Orientador: Manoel Oriosvaldo de Moura. Disponível em: https://drive.google.com/open?id=0BzWBKwxWqsbtOFAzSGtONy1NYUE

SANTOS, S. A. Experiências narradas no ciberespaço: um olhar para as formas de se pensar e ser professora que ensina Matemática. 2009. Dissertação (Mestrado em Educação) ? Universidade Federal do Rio Grande do Sul, UFRGS, Porto Alegre (RS). Orientador: Samuel Edmundo López Bello. Disponível em: http://www.lume.ufrgs.br/handle/10183/21385

SANTOS, S. M. P; CRUZ. D. R. M. O. O lúdico na formação do educador. 9ª. ed. Petrópolis: Vozes, 2011.

SERRAZINA, M. D. L. M. A formação para o ensino de matemática: perspectivas futuras. In: SERRAZINA, M. D. L. M. A formação para o ensino da matemática na educação pré-escolar e no 1° ciclo do ensino básico. Porto: Porto Editora, 2002. p. 9- 19.

SILVA, A. J. N. S. Querido diário... o que revelam as narrativas sobre ludicidade, formação e futura prática do professor que ensina(rá) matemática nos anos iniciais. 2018. Tese (Doutorado em Educação) - Universidade Federal de São Carlos, campus São Carlos, São Carlos. 2018.

SILVA, A. J. N. S. A ludicidade no laboratório: considerações sobre a formação do futuro professor de matemática. Curitiba: Editora CRV, 2014.

SOUZA, E. C. A arte de contar e trocar experiências: Reflexões teórico-metodológicas sobre história de vida em formação. Revista Educação em Questão, Natal, Janeiro 2006. 22-39

TORICELLI, L. A colaboração em um grupo de alunas da Pedagogia que ensinam (ou ensinarão) Matemática. 2009. 184 f. Dissertação (Mestrado) – Universidade São Francisco (USF), Itatiba, 2009. Orientador: Regina Célia Grando. Disponível em: https://drive.google.com/open?id=0BzWBKwxWqsbtc1hWWEJlODlqU28

ZABALZA, M. Diários de aula: contributo para o estudo dos dilemas práticos dos professores. Porto: Porto Editora, 1994.

Downloads

Publicado

03-03-2020

Como Citar

SILVA, A. J. N. da; PASSOS, C. L. B. Formação do professor que ensina matemática, ludicidade e narrativas: o que se pesquisou no Brasil . Revista Eletrônica de Educação, [S. l.], v. 14, p. e3631066, 2020. DOI: 10.14244/198271993631. Disponível em: https://www.reveduc.ufscar.br/index.php/reveduc/article/view/3631. Acesso em: 27 maio. 2024.

Edição

Seção

Demanda Contínua - Artigos
##plugins.generic.dates.received## 2019-08-12
##plugins.generic.dates.accepted## 2019-11-20
##plugins.generic.dates.published## 2020-03-03

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)