Diretrizes Curriculares para o Ensino Médio: a prevalência da formação para o mercado de trabalho

Autores

DOI:

https://doi.org/10.14244/198271995747

Palavras-chave:

Ensino médio, Diretrizes curriculares, Política da educação.

Resumo

O presente artigo discute as Diretrizes Curriculares Nacionais para o Ensino Médio (DCNEM) a partir da Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional — LDBEN — nº 9394/96. Tem como objetivo analisar as intenções presentes nas DCNEM atualizadas pela Resolução 03/2018, em relação às DCNEM propostas pelas Resoluções 03/1998 e 02/2012. Questiona-se: quais são os contextos no período de suas formulações? Quais são as propostas para a formação presente nas DCNEM de 1998, 2012 e 2018? Quais são as similaridades e diferenças entre elas? De que modo as atuais diretrizes avançam ou não como orientação para o trabalho pedagógico? Trata-se de uma reflexão que tem, por base, pesquisa bibliográfica, análise de legislação e de documentos. Considera-se um estudo importante para professores e educadores que se preocupam com a formação no ensino médio e que buscam compreender a evolução das orientações curriculares no decorrer da história da educação brasileira. Como resultados da análise, destaca-se que as DCNEM têm evoluído em conformidade com os projetos de sociedade e educação de cada período. Tem-se como conclusão que as atuais DCNEM expressam a ausência de discussão e os interesses revelados na reforma promovida pela Lei 13415/2017, aspecto que pode comprometer a melhoria do ensino médio e a sua vinculação direta com o que é demandado pelo setor produtivo.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Aline Arantes do Nascimento, Rede Estadual de Educação de São Paulo

Professora da Rede Municipal de Educação de São Bernardo do Campo. Mestre em Educação pela Universidade Estadual de Londrina.

Sandra Regina de Oliveira Garcia, Universidade Estadual de Londrina (UEL)

Professora do Departamento de Educação, área de Políticas Educacionais, Estado e Sociedade da Universidade Estadual de Londrina. Doutora em Educação pela UFPR.

Eliane Cleide da Silva Czernisz, Universidade Estadual de Londrina (UEL)

Professora do Departamento de Educação, área de Políticas Públicas, Estado e Sociedade da Universidade Estadual de Londrina. Doutora em Educação pela UNESP.

Referências

ANPED.GT 09- Nota de repúdio às Novas Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Profissional e Tecnológica (DCNEPT0Resolução CNE/CP nº01/2021. Disponível em: www.anped.org.br/news/nota-de-repudio-novas-diretrizes-curriculares-nacionais-para-educacao-profissional-e. Acesso em 12 jul. 2021.

BRASIL. Ministério da Educação. Base Nacional Comum Curricular. Educação é a Base. Disponível em: http://basenacionalcomum.mec.gov.br/images/BNCC_EI_EF_110518_versaofinal_site.pdf. Acesso em: 20 jun. 2019.

BRASIL. Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação. Câmara de Educação Básica, Parecer N. 03/2018. Atualização das Diretrizes Curriculares Nacionais para o Ensino Médio, observadas as alterações introduzidas na LDB pela Lei n. 13.415/2017. Disponível em: http://www.abmes.org.br/arquivos/legislacoes/Parecer-cne-ceb-003-2018-11-08.pdf. Acesso em: 01 ago. 2019.

BRASIL. Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação. Câmara de Educação Básica. Parecer N. 05/2011. Diretrizes Curriculares Nacionais para o Ensino Médio. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_docman&view=download&alias=9915-pceb005-11-1-1&Itemid=30192. Acesso em: 01 ago. 2019.

BRASIL. Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação. Câmara de Educação Básica. Parecer N. 15/98. Diretrizes Curriculares Nacionais para o Ensino Médio. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_docman&view=download&alias=853-parecer-ceb-15-98-pdf&category_slug=documentos-pdf&Itemid=30192. Acesso em: 01 ago. 2019.

BRASIL. Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação. Câmara de Educação Básica. Resolução Nº 2, de 30 de janeiro de 2012. Define Diretrizes Curriculares Nacionais para o Ensino Médio. Brasília, DF, 2012. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_docman&view=download&alias=9864-rceb002-12&Itemid=30192. Acesso em: 02 jul. 2019.

BRASIL. Ministério da Educação. Conselho Nacional da Educação. Diretrizes Curriculares Nacionais Gerais da Educação Básica. Brasília, DF, 2013. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/docman/julho-2013-pdf/13677-diretrizes-educacao-basica-2013-pdf/file. Acesso em: 30 ago. 2019.

BRASIL. Ministério da Educação. Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/LEIS/L9394.htm. Acesso em: 30 ago. 2019.

BRASIL. Ministério da Educação. Resolução CEB N. 03, de 26 de junho de 1998. Institui Diretrizes Curriculares Nacionais para o Ensino Médio. Brasília, DF, 1998. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/cne/arquivos/pdf/rceb03_98.pdf. Acesso em: 02 jul. 2019.

BRASIL. Presidência da República. Constituição da República Federativa do Brasil de 1988. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicao.htm. Acesso em: 30 ago. 2019.

BRASIL. Presidência da República. Lei n. 9131, de 24 de novembro de 1995. Altera dispositivos da Lei n. 4024 de 20 de dezembro de 1961 e dá outras providências. Brasília, 1995. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Leis/L9131.htm. Acesso em: 25 jul. 2019.

BRASIL. Presidência da República. Lei N. 13.415, de 16 de fevereiro de 2017. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2015-2018/2017/lei/l13415.htm. Acesso em: 21 abr. 2018.

BRASIL. Presidência da República. Medida Provisória Nº 746, de 22 de dezembro de 2016. Institui a Política de Fomento à Implementação de Escolas de Ensino Médio em Tempo Integral, altera a Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Portal da Presidência da República. Brasília, D.F., 23 set. 2016. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2015-2018/2016/Mpv/mpv746.htm. Acesso em: 25 maio 2018.

CASTANHA, A. P. A legislação como memória educacional, p. 1-18, 2019. Disponível em: Anais do IX Seminário Nacional do Centro de Memória UNICAMP. https://www.ixseminarionacionalcmu.com.br/resources/anais/8/1563560944_ARQUIVO_ALEGISLACAOCOMOMEMORIAEDUCACIONAL2.pdf. Acesso em: 15 jun. 2021.

CEPAL/UNESCO. Educação e Conhecimento: eixo da transformação produtiva com equidade. Brasília: IPEA/CEPAL/INEP, 1995.

CIAVATTA, M.; RAMOS, M. A “era das diretrizes”: a disputa pelo projeto de educação dos mais pobres. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, v. 17, n. 49, p. 11-37, jan-abr., 2012. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rbedu/v17n49/a01v17n49.pdf. Acesso em: 28 jul. 2019.

DELORS, J. Educação: Um Tesouro a descobrir. Relatório para a UNESCO da Comissão Internacional sobre Educação para o século XXI. Disponível em: http://dhnet.org.br/dados/relatorios/a_pdf/r_unesco_educ_tesouro_descobrir.pdf. Acesso em: 28 ago. 2019.

EVANGELISTA, O. Apontamentos para o trabalho com documentos de política educacional. I Colóquio A Pesquisa em Trabalho, Educação e Políticas Educacionais. Belém: UFPA, 2009.

FRIGOTTO, G.; CIAVATTA, M. (Orgs). Ensino Médio, Cultura e Trabalho. Brasília, MEC, SEMPEC, 2004.

FRIGOTTO, G. Contexto e sentido ontológico, epistemológico e político da inversão da relação educação e trabalho para trabalho e educação. Revista Contemporânea de Educação. v. 10, nº 20, jul./dez., 2015. Disponível em: file:///C:/Users/aline/Downloads/Frigotto%20%20e%20a%20Teoria%20do%20Capital%20Humano.pdf. Acesso em: 28 dez. 2017.

GENTILI, P. La McDonaldización de la escuela: a propósito de “Educación, identidade y papas fritas baratas”. APPLE, Michael W.; SILVA, Tomaz Tadeu; GENTILI, Pablo. Cultura, política y currículo: Ensayos sobre la crisis de la escuela pública. Buenos Aires: Editorial Losada S.A., 1997. p. 41-61.

GENTILI, P. Três teses sobre a relação trabalho e educação em tempos neoliberais. In: LOMBARDI, J. C. SAVIANI, D. SANFELICI, J. L. (Orgs). Capitalismo, Trabalho e Educação. Campinas, SP: Autores associados, HistedBr, 2005. p. 45-59.

GONÇALVES, S. da R. V. Interesses Mercadológicos e o “novo” ensino médio. Revista Retratos da Escola. Brasília, v. 11, n. 20, p. 131-145, jan-jun, 2017. Disponível em: http//www.esforce.org.br. Acesso em: 30 ago. 2019.

HARVEY, D. A transformação político-econômica do capitalismo do final do século XX. Condição pós-moderna: uma pesquisa sobre as origens da mudança cultural. 4 ed. [S.l.]: Edições Loyola, 1994.

KUENZER, A. Z. Exclusão Includente e Inclusão Excludente: a Nova forma de dualidade estrutural que objetiva as novas relações entre educação e trabalho. LOMBARDI, J. C. SAVIANI, D. SANFELICI, J. L. (Orgs). Capitalismo, Trabalho e Educação. Campinas, SP: Autores associados, HistedBr, p. 77-95, 2005.

KUENZER, A. Z. Da dualidade assumida a dualidade negada: o discurso da flexibilização justifica a inclusão excludente. Educação e Sociedade. Campinas, v. 28, n.100 - Especial, p.1153-1178, 2007.

LIMA, T. C. S.; MIOTO, R. C. T. Procedimentos metodológicos na construção do conhecimento científico: a pesquisa bibliográfica. Revista Katálysis, Florianópolis, v. 10, n. esp., p. 37-45, 2007.

MELLO, G. N. As novas diretrizes para o ensino médio. Guia Interativo de Informação Profissional e Educacional- São Paulo. Editora CIEE, vol 17. 1998.

SAVIANI, D. Educação Escolar, currículo e sociedade. O problema da Base Nacional Comum Curricular. Movimento Revista de Educação. Rio de Janeiro, ano 3, n. 4, 2016. Disponível em: https://www.researchgate.net/publication/329113714_EDUCACAO_ESCOLAR_CURRICULO_E_SOCIEDADE_o_problema_da_Base_Nacional_Comum_Curricular. Acesso em: 30 ago. 2019.

SILVA, M. R. O golpe no ensino médio em três atos que se completam. In: AZEVEDO, J. C.; REIS, J. T. (Orgs.) Políticas Educacionais Pós-Golpe. Porto Alegre, Editora Universitária Metodista IPA, 2018, p. 41-54.

Publicado

19-05-2023

Como Citar

NASCIMENTO, A. A. do; GARCIA, S. R. de O. .; CZERNISZ, E. C. da S. Diretrizes Curriculares para o Ensino Médio: a prevalência da formação para o mercado de trabalho . Revista Eletrônica de Educação, [S. l.], v. 17, p. e5747037, 2023. DOI: 10.14244/198271995747. Disponível em: https://www.reveduc.ufscar.br/index.php/reveduc/article/view/5747. Acesso em: 27 maio. 2024.

Edição

Seção

Demanda Contínua - Artigos
##plugins.generic.dates.received## 2022-05-07
##plugins.generic.dates.accepted## 2022-09-12
##plugins.generic.dates.published## 2023-05-19