Jornadas formativas híbridas, invertidas e (signific)ativas no ensino superior: aportes para pensar atividades síncronas

Autores

DOI:

https://doi.org/10.14244/198271995735

Palavras-chave:

Ensino Superior, Educação a distância, Webconferência, Covid-19.

Resumo

A partir do início de 2020, a pandemia de Covid-19 instituiu importantes demandas e acelerou drásticas e abruptas transformações no contexto educacional. No ensino superior, e particularmente na esfera pública, foram adotadas estratégias formativas emergenciais singulares, em geral, estruturadas em experiências baseadas em princípios de educação a distância (EaD) e ensino híbrido. Na Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), um modelo dessa natureza (denominado Ensino Não Presencial Emergencial – ENPE) foi provoca­do e desenvolvido em resposta ao contexto pandêmico. Neste artigo, relata-se, avalia-se e reflete-se acerca da experiência de 2020/2 na disciplina de Política, Organização e Gestão da/na Educação Básica (POGEB), tomada como uma configuração possível para atividades pedagógicas em ambientes virtuais de aprendizagem (AVA). Por escopo e para aprofundamento, esta analítica restringe-se à dimensão síncrona da oferta, baseada em webconferências, complementarmente à análise já empreendida acerca da dimensão assíncrona em ambiente virtual de aprendizagem. Como resultado, são apresentados aportes para pensar e realizar atividades pedagógicas síncronas coerentes com jornadas formativas na perspectiva de uma aprendizagem ou sala de aula invertida, flexível, híbrida, ativa e significativa. Importante observar que os elementos registrados na experiência corroboram as reflexões teóricas apresentadas, entretanto, apesar dos aspectos positivos identificados, remanescem desafios importantes em relação à adoção de estratégias didáticas de mediação síncrona no ensino superior.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Achilles Alves de Oliveira, Universidade de Brasília (UnB)

Doutorando pelo Programa de Pós-graduação em Educação da Universidade de Brasília (UnB). Mestre em Educação, Linguagem e Tecnologias pela UEG. Especialista em Educação e Tecnologias pela UFSCar e em Psicomotricidade pelo IEPSE-DF. Professor de educação básica na Secretaria de Estado de Educação do Distrito Federal (SEEDF). Membro do Grupo Horizonte/UFSCar (Grupo de Estudos e Pesquisas sobre Inovação em Educação, Tecnologias e Linguagens). Tem experiência na área de Educação Física Escolar e Educação e Tecnologias, com interesse em temas como: ensino e aprendizagem na cultura digital, educação a distância, ensino híbrido, mediação pedagógica e TDICs.

Daniel Mill , Universidade Federal de São Carlos (UFSCar)

Professor Titular da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), onde trabalha como Docente e Gestor de Educação a Distância (EaD). Doutor em Educação pela UFMG, com pós-doutorado pelas Universidade de Coimbra e Universidade Aberta de Portugal. É membro do Programa de Pós-Graduação em Educação e também já atuou por vários anos no Programa de Pós-Graduação em Ciência, Tecnologia e Sociedade. É Líder do Grupo Horizonte (Grupo de Estudos e Pesquisas sobre Inovação em Educação, Tecnologias e Linguagens) e membro do Grupo de Pesquisa em Ensino de Ciências e seus dispositivos: sujeitos, saberes, práticas, discursos e políticas. Como pesquisador, tem interesse particular pela interseção das temáticas: Trabalho Docente, Tecnologias, Linguagens, Cognição e Educação a Distância.

Marcello Ferreira, Universidade de Brasília (UnB)

Professor e Vice-diretor no Instituto de Física da Universidade de Brasília (UnB). Doutor em Educação em Ciências pela UFRGS, mestre em Ensino de Física e licenciado em Física pela UnB. Realizou Estágio Pós-Doutoral na UFSCar, na área de Ensino de Ciências e Tecnologias. Líder do Grupo de Pesquisa em Ensino de Ciências e seus dispositivos: sujeitos, saberes, práticas, discursos e políticas e membro do Grupo Horizonte (Grupo de Estudos e Pesquisas sobre Inovação em Educação, Tecnologias e Linguagens). Pesquisa e orienta nos temas: fundamentos teórico-metodológicos para o ensino de ciências e física; formação de professores de física; estudos foucaultianos; educação a distância; e políticas públicas da educação. Docente permanente no Programa de Pós-graduação em Ensino de Física (PPGEF) da UnB, em Educação em Ciências (PPGECi) da UFRGS e em Gestão e Avaliação da Educação Pública (PPGP) da UFJF. Bolsista de Produtividade em Pesquisa do CNPq.. Possui experiência como gestor de políticas educacionais, tendo exercido os cargos de Coordenador de Articulação Acadêmica e Coordenador-Geral de Programas e Cursos em EaD na Capes. Foi também professor, Coordenador de Planejamento, Desenvolvimento e Avaliação, Pró-Reitor de Assuntos Estudantis e Comunitários da Universidade Federal do Pampa e Pró-Reitor de Pós-graduação junto à Sociedade Brasileira de Física (SBF).

Referências

ANDERSON, Terry; DRON, Jon. Três gerações de pedagogia de Educação a Distância. EaD em Foco, v. 2, n. 1, p. 119-134, 2012.

AUSUBEL, David. Aquisição e retenção de conhecimentos: uma perspectiva cognitiva. Lisboa: Plátano Edições Técnicas, 2000.

AUSUBEL, David; NOVAK, Joseph Donald; HANESIAN, Helen. Psicologia Educacional. 2. ed. Rio de Janeiro: Interamericana, 1980.

BACICH, Lilian; TANZI NETO, Adolfo; TREVISANI, Fernando de Mello. Ensino híbrido: personalização e tecnologia na educação. In: BACICH, Lilian; TANZI NETO, Adolfo; TREVISANI, Fernando de Mello (Orgs.). Ensino Híbrido: Personalização e Tecnologia na Educação. Porto Alegre: Penso, 2015. p. 47-65.

BARBOSA, Rommel Melgaço. Ambientes virtuais de aprendizagem. Porto Alegre: Artmed, 2005.

BERGMANN, Jonathan; SAMS, Aaron. Flipped Learning: gateway to student engagement. Eugene, Oregon: International Society for Technology in Education, 2014.

BOGDAN, Robert C..; BIKLEN, Sari. K. Investigação Qualitativa em Educação: uma introdução à teoria e aos métodos. Porto, Portugal: Porto Editora, 1994.

DIAS-TRINDADE, Sara. Ecologias de aprendizagem no desenvolvimento de cenários educativos sustentáveis. In: MILL, Daniel; VELOSO, Braian; SANTIAGO, Glauber; SANTOS, Marilde (org.). Escritos sobre Educação e Tecnologias: entre provocações, percepções e vivências. São Paulo: Artesanato Educacional, 2020. p. 79-94.

FERREIRA, Marcello et al. A WebQuest como proposta de avaliação digital no contexto da aprendizagem significativa crítica em ciências para o ensino médio. Pesquisa e Debate em Educação, v. 12, n. 1, p. 1-32, 2022a.

FERREIRA, Marcello et al. Ensino de astronomia: uma abordagem didática a partir da Teoria da Relatividade Geral. Revista Brasileira de Ensino de Física, v. 43, p. 1-13, 2021.

FERREIRA, Marcello et al. Jornadas formativas mediadas por tecnologias digitais na formação inicial do professor de Física: reflexões a partir da experiência em uma disciplina de Metodologia do ensino. Revista de Enseñanza de la Física, v. 34, n. 1, p. 129-150, 2022b.

FERREIRA, Marcello et al. Unidade de Ensino Potencialmente Significativa sobre óptica geométrica apoiada por vídeos, aplicativos e jogos para smartphones. Revista Brasileira de Ensino de Física, São Paulo, v. 42, p. 1-13, 2020.

FONSECA, Matheus. Arcos de Aprendizagem: a ferramenta que faltava para seu planejamento de aula. Medium, 2020a. Disponível em: https://medium.com/@mozo_/arcos-de-aprendizagem-a-ferramenta-que-faltava-para-seu-planejamento-de-aula-parte-1-2-6755078c80af. Acesso em 30 jul. 2021.

FONSECA, Matheus. Planejamento de aula online com Arcos de Aprendizagem. Medium, 2020b. Disponível em: https://medium.com/@mozo_/planejamento-de-aula-online-com-arcos-de-aprendizagem-fe850a723b2f. Acesso em 30 jul. 2021.

GUSSO, Hélder Lima et al. Ensino superior em tempos de pandemia: diretrizes à gestão universitária. Educação & Sociedade. v. 41, e238957, 2020.

HARDY, Chyntia.; FACHIN, Roberto. Gestão estratégica na universidade brasileira. 2 ed. Porto Alegre: EdUFRGS, 2000.

HODGES, Charles et al. The difference between emergency remote teaching and online learning. EDUCAUSE Review, 2020. Disponível em: https://er.educause.edu/articles/2020/3/the-difference-between-emergency-remote-teaching-and-online-learning. Acesso em 27 jan. 2021.

KAVANAGH, Simon. Learning arch design. Kaospilot. [s/d]. Disponível em: https://users.homebase.dk/~simk/KPLDA/LA_MANUAL-A4Low%20Res.pdf. Acesso em: 22 fev. 2021.

KENSKI, Vani M. Cultura digital. In: MILL, Daniel (org.). Dicionário crítico de educação e tecnologias e de educação a distância. Campinas: Papirus, 2018. p. 139-144.

KENSKI, Vani Moreira. Tecnologias e ensino presencial e a distância. Campinas: Papirus, 2003.

LÉVY, Pierre. As tecnologias da inteligência. Rio de Janeiro: Ed. 34, 1993.

MARINONI, Giorgio; VAN’T LAND, Hilligje; JENSEN, Trine. The impact of COVID 19 on higher education around the world. Paris: International Association of Universities (IAU), 2020. Disponível em: https://www.iau-aiu.net/IMG/pdf/iau_covid19_and_he_survey_re port_final_may_2020.pdf. Acesso em: 23 jan. 2021.

MATTAR, João. Metodologias ativas: para a educação presencial, blended e a distância. São Paulo: Artesanato Educacional, 2017.

MAZUR, Eric. Peer Instruction: a user's manual. New Jersey: Prentice Hall, 1997.

MILL, Daniel. Aprendizagem ativa e significativa na cultura digital. In: MILL, Daniel; SANTIAGO, Glauber (orgs.). Luzes sobre a Aprendizagem Ativa e Significativa: proposições para práticas pedagógicas na Cultura Digital. São Carlos: SEaD, 2021.

MILL, Daniel. Das inovações tecnológicas às inovações pedagógicas: considerações sobre o uso de tecnologias na educação a distância. In: MILL, Daniel; PIMENTEL, Nara (orgs.). Educação a Distância: desafios contemporâneos. São Carlos: EdUFSCar, 2010, p. 43-58.

MILL, Daniel. Flexibilidade pedagógica na cultura digital. In: MILL, Daniel (org.). Dicionário crítico de educação e tecnologias e de educação a distância. Campinas, SP: Papirus, 2018. p. 259-263.

MILL, Daniel; CHAQUIME, Luciane Penteado. Educação Híbrida como estratégia e ducacional. São Carlos: Pixel, 2017.

MILL, Daniel et al. Prática polidocente em ambientes virtuais de aprendizagem: reflexões sobre questões pedagógicas, didáticas e de organização sociotécnica. In: MACIEL, Cristiano (org.). Educação a Distância: ambientes virtuais de aprendizagem. Cuiabá: EdUFMT, 2013. p. 219-259.

MILL, Daniel; FERREIRA, Marcello; FERREIRA, Deise Mazzarella Goulart. Gestão da Educação a Distância na universidade pública como campo de disputa: da instituição social à academia líquida. Revista Brasileira de Política e Administração da Educação, v. 34, n. 1, p. 143-166, jan./abr. 2018.

MILL, Daniel; OLIVEIRA, Achilles Alves de; FERREIRA, Marcelo. Jornadas formativas mediadas por tecnologias digitais no ensino superior: aportes para pensar atividades assíncronas. Revista da FAEEBA - Educação e Contemporaneidade, v. 31, n. 65, p. 201-224, 2022.

MINTZBERG, Henry. Criando organizações eficazes. 2 ed. São Paulo: Atlas, 2012.

MITCHELL, Pru. From concept to classroom: what is translational research. Australia: ACER – Australian Council for Educational Research, 2016. Disponível em: https://research.acer.edu.au/cgi/viewcontent.cgi?article=1009&context=professional_dev. Acesso em: 17 set. 2021.

MOREIRA, José António Marques; HENRIQUES, Susana; BARROS, Daniela. Transitando de um ensino remoto emergencial para uma educação digital em rede, em tempos de pandemia. Dialogia, São Paulo, n. 34, p. 351-364, jan./abr. 2020.

MOREIRA, Marco Antônio. Teorias de Aprendizagem. São Paulo: E.P.U., 2011.

OLIVEIRA, Achilles Alves de. Aprendizagem invertida na educação superior: o processo de mediação pedagógica nas humanidades. Dissertação (Mestrado Interdisciplinar em Educação, Linguagem e Tecnologias) – Universidade Estadual de Goiás, Anápolis, 2020.

OLIVEIRA, Achilles Alves de; SILVA, Yara Fonseca da. Flipped Learning (Aprendizagem Invertida): conceitos, características e possibilidades. REVELLI - Revista de Educação, Língua e Literatura da UEG - Inhumas, v. 10, p. 185-201, 2018.

PARTHASARATHY, Sudhaman; MURUGESAN, San. Overnight Transformation to Online Education Due to the COVID-19 Pandemic: Lessons learned. eLearn, v. 9, art. 1, 2020.

SANCHO, Juana Maria. Para promover el debate sobre los entornos virtuales de enseñanza y aprendizaje. Seminário Virtual da Rede Municipal de Educação de Belo Horizonte “Internet na Escola”, Belo Horizonte, 2004.

SIEMENS, George. Connectivism: a learning theory for the digital age. International Journal of Instructional Technology and Distance Learning, v. 2, n. 1, 2005.

SIEMENS, George. Connectivism: Creating a learning ecology in distributed environments. In: HUG, Theo. (ed.). Didactics of microlearning: concepts, discourses and examples. Munster: Waxmann Verlag, 2007. p. 53-68.

TALBERT, Robert. Flipped learning: a guide for higher education faculty. Sterling: Stylus Publishing, 2017.

UFSCAR. Diretrizes e Recomendações para Oferta ENPE (Educação Não Presencial Emergencial). Departamento de Educação da Universidade Federal de São Carlos, 2020a. Disponível em: http://ded.ufscar.br/?p=1296. Acesso em: 22 fev. 2021.

UFSCAR. Regulamentação ENPE. 2020b. Disponível em: http://prograd.ufscar.br/conselho-de-graduacao-1/arquivos-conselho-de-graduacao/reunioes/2020/resolucoes_2020/ResoluoCoG331.pdf . Acesso em: 22 fev. 2021.

UNESCO – United Nations Educational, Scientific and Cultural Organization. Education: From disruption to recovery. 2021. Disponível em: https://en.unesco.org/covid19/educationresponse. Acesso em: 16 mai. 2021.

VALADARES, Jorge. Teoria e prática de educação a distância. Lisboa: UAb, 2011.

Downloads

Publicado

22-12-2023

Como Citar

OLIVEIRA, A. A. de .; MILL , D. .; FERREIRA, M. . Jornadas formativas híbridas, invertidas e (signific)ativas no ensino superior: aportes para pensar atividades síncronas. Revista Eletrônica de Educação, [S. l.], v. 17, p. e5735107, 2023. DOI: 10.14244/198271995735. Disponível em: https://www.reveduc.ufscar.br/index.php/reveduc/article/view/5735. Acesso em: 1 mar. 2024.

Edição

Seção

Demanda Contínua - Artigos
##plugins.generic.dates.received## 2022-05-07
##plugins.generic.dates.published## 2023-12-22