Professores universitários iniciantes: entre caminhos individuais e responsabilidades coletivas

Autores

  • Marcos Henrique Almeida dos Santos Pesquisador do Laboratório de Observação e Estudos Descritivos (Loed – FE/ Unicamp). Pedagogo da Universidade Federal do Pará (UFPA). http://orcid.org/0000-0002-0344-3128
  • Mara Regina Lemes De Sordi Professora Associada da Faculdade de Educação (FE) da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp). Coordenadora do Laboratório de Observação e Estudos Descritivos (Loed – FE/ Unicamp). http://orcid.org/0000-0003-1216-7185

DOI:

https://doi.org/10.14244/198271994260

Palavras-chave:

Professor universitário, Necessidade de formação profissional, Iniciação de professores, Responsabilidade compartilhada.

Resumo

O artigo objetiva compreender os desafios inerentes à fase inicial do exercício da docência, com foco nas necessidades formativas e, consequentemente, nas responsabilidades coletivas por um projeto de formação universitária. O texto, proveniente de uma pesquisa predominantemente qualitativa, toma como base os dados produzidos a partir do acompanhamento do trabalho de 10 professores iniciantes de uma universidade pública estadual, atuantes em diferentes áreas do conhecimento. Acompanhamento que recorreu, essencialmente, à observação livre e intensiva de suas aulas, durante um semestre letivo e à adoção de narrativas como possibilidade de reflexão e formação. A análise dos dados possibilitou compreender que os caminhos individuais de formação e atuação profissional, construídos pelos professores universitários iniciantes, precisam ser fortalecidos a partir de responsabilidades coletivas que deem sustentação às suas microdecisões pedagógicas. Para tanto, são necessárias condições que favoreçam a promoção e a potencialização de diversificadas experiências concretizadas em iniciativas institucionais ou apoiadas por estratégias de pesquisa-formação. Aciona-se não só a compreensão das necessidades formativas sentidas pelos professores (dimensão subjetiva), referenciadas no campo pedagógico, como também as necessidades socialmente desejadas (dimensão objetiva). Vislumbra-se, assim, a interface entre os conhecimentos pedagógicos para o exercício da docência e a responsabilidade social inerente a um projeto socialmente pertinente e cientificamente relevante de formação de cidadãos-profissionais.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Marcos Henrique Almeida dos Santos, Pesquisador do Laboratório de Observação e Estudos Descritivos (Loed – FE/ Unicamp). Pedagogo da Universidade Federal do Pará (UFPA).

Graduado em Pedagogia pela Universidade Federal do Pará (UFPA). Especialista em Educação do Campo, Desenvolvimento e Sustentabilidade pela UFPA. Mestre em Educação pela Universidade de Brasília (UnB). Doutor em Educação pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp). Pesquisador do Laboratório de Observação e Estudos Descritivos (LOED) - Faculdade de Educação da Unicamp. Pedagogo da UFPA, atuando na Coordenadoria Acadêmica do Instituto de Educação Matemática e Científica (IEMCI).

Mara Regina Lemes De Sordi, Professora Associada da Faculdade de Educação (FE) da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp). Coordenadora do Laboratório de Observação e Estudos Descritivos (Loed – FE/ Unicamp).

Departamento de Ensino e Práticas Culturais, Faculdade de Educação, Universidade Estadual de Campinas.

Referências

AIRES, Susye Naya Santos. Professor bacharel iniciante no ensino superior: dificuldades e possibilidades pedagógicas. 2015. 210 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Católica de Santos, Santos, 2015.

ALMEIDA, Vania Hirle. Las necesidades formativas pedagógicas del profesorado universitario de las FADBA. 2010. 298 f. Tese (Doutorado em Educação e Sociedade) – Universidad de Barcelona, Barcelona, 2010.

BARDIN, Laurence. Análise de conteúdo. São Paulo: Edições 70, 2016, 280p.

BENEDITO, Vicente; IMBERNÓN, Francisco; FÉLEZ, Beatriz. Necesidades y propuestas de formación del profesorado novel de la Universidad de Barcelona. Profesorado. Revista de Currículum y Formación de Profesorado, v. 5, n. 2. Universidad de Granada, España, 2001.

BONADIMAN, Heron Laiber. Socialização profissional de professores universitários iniciantes. 2016. 185 f. Tese (Doutorado em Psicologia) – Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2016.

BOZU, Zoia. El profesorado universitario novel y su proceso de inducción profesional. Magis: Revista Internacional de Investigación en Educación. n. 2. p. 317-328. Bogotá, Colombia, Enero/Junio de 2009.

COELHO, Emilia Aparecida Durães. Docência no ensino superior: dilemas e desafios do professor iniciante. 2009. 215 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Estadual de Londrina, Londrina, 2009.

CUNHA, Maria Isabel da. (Org.). Pedagogia universitária: energias emancipatórias em tempos neoliberais. Araraquara: Junqueira & Marin, 2006, 144 p.

CUNHA, Maria Isabel da. (Org.). Trajetórias e lugares de formação da docência universitária: da perspectiva individual ao espaço institucional. Araraquara, SP: Junqueira & Marin; Brasília, DF: Capes: CNPq, 2010a, 340 p.

CUNHA, Maria Isabel da. Narrativas e formação de professores: uma abordagem emancipatória. In: SOUZA, Elizeu Clementino; GALLEGO, Rita de Cássia (Org.). Espaços, tempos e gerações: perspectivas (auto) biográficas. São Paulo: Cultura Acadêmica, 2010b, p. 199-214.

CUNHA, Maria Isabel da. A iniciação à docência universitária como campo de investigação: tendências e emergências contemporâneas. In: ISAIA, Silvia Maria de Aguiar; BOLZAN, Doris Pires Vargas; MACIEL, Adriana Moreira da Rocha (Org.). Qualidade da educação superior: a universidade como lugar de formação. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2011, p. 203-214.

CUNHA, Renata Cristina da. Narrativas autobiográficas de professores iniciantes no ensino superior: trajetórias formativas de docentes do curso de Letras-Inglês. 2014. 302 f. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade Federal de São Carlos, São Carlos, 2014.

DAY, Christopher. Desenvolvimento profissional de professores: os desafios da aprendizagem permanente. Porto: Porto Editora, 2001, 351 p.

DIAS SOBRINHO, José. Universidade fraturada: reflexões sobre conhecimento e responsabilidade social. Avaliação, Campinas; Sorocaba, SP, v. 20, n. 3, p. 581-601, nov. 2015.

ENGEL, Elenice Padoin Juliani. O profissional liberal no início da carreira docente: seus desafios na constituição e na formação da docência universitária. 2014. 179 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade do Extremo Sul Catarinense, Criciúma, 2014.

FARIAS, Tamara Aretta Mauerberg Teche de. O início da docência no ensino superior militar: dilemas e desafios do instrutor de educação física iniciante na caserna Tamara. 2017. 203 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Metodista de Piracicaba, Piracicaba, 2017.

FERENC, Alvanize Valente Fernandes. Como o professor aprende a ensinar? Um estudo na perspectiva da socialização profissional. 2005. 314 f. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade Federal de São Carlos, São Carlos, 2005.

FERENC, Alvanize Valente Fernandes; SARAIVA, Ana Cláudia Lopes Chequer. Os professores universitários, sua formação pedagógica e suas necessidades formativas. In: DALBEN, Ângela Imaculada Loureiro de Freitas et al. (Org.). Convergências e tensões no campo da formação e do trabalho docente. Belo Horizonte: Autêntica, 2010, p. 573-589.

GARCIA, Luciana Virgili Pedroso. De farmacêutica-bioquímica à professora: desafios, incertezas e aprendizagens de uma iniciante na docência universitária. 2013. 93 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Católica Dom Bosco, Campo Grande, 2013.

GATTI, Bernardete Angelina. Grupo focal na pesquisa em Ciências sociais e humanas. Brasília: Líber Livro 2005, 80 p.

GONÇALLO, Regina Lima Andrade. O professor universitário iniciante: desafios e necessidades no cotidiano da docência. 2017. 116 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Federal do Triângulo Mineiro, Uberaba, 2017.

HEES, Luciana Weber Baia. O início da docência de professores da educação superior. 2016. 176 f. Tese (Doutorado em Educação: Psicologia da Educação) – Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2016.

HUBERMAN, Michael. O ciclo de vida profissional dos professores. In: NÓVOA, Antonio (Org.). Vidas de Professores. 2 ed. Porto: Porto Editora, 1992, p. 31-59.

LIMA, Emilia Freitas de. Análise de necessidades formativas de docentes ingressantes numa universidade pública. Rev. bras. Estud. pedagog. (on-line), Brasília, v. 96, n. 243, p. 343-358, maio/ago. 2015.

MARCONI, Marina de Andrade; LAKATOS, Eva Maria. Técnicas de pesquisa: planejamento e execução de pesquisas, amostragens e técnicas de pesquisa, elaboração, análise e interpretação de dados. 7. ed. São Paulo: Atlas, 2011, 277 p.

MINAYO, Maria Cecília de Souza (Org.). Pesquisa social: teoria, método e criatividade. 18 ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2001, 108 p.

MOREIRA, Daniele de Jesus Gomes. Necessidades formativas no campo pedagógico: a perspectiva do desenvolvimento profissional de docentes iniciantes da UEFS. 2014. 123 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Estadual de Feira de Santana, Feira de Santana, 2014.

MURILLO, Paulino Estepa. et al. Las necesidades formativas docentes de los profesores universitarios. Revista Fuentes, n. 6, Universidade de Sevilha, 2005.

NUNES, Ana Lúcia de Paula Ferreira. A aprendizagem da docência no ensino superior: de bacharel a professor. 2013. 121 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade de Uberaba, Uberaba, 2013.

PIMENTA, Selma Garrido; ANASTASIOU, Léa das Graças Camargos. Docência no ensino superior. 5 ed. São Paulo: Cortez, 2014, 280 p.

RAMOS, Renata Adrian Ribeiro Santos. Necessidades formativas de professores do ensino superior, com vistas ao desenvolvimento profissional: o caso de uma universidade pública na Bahia. 2013. 201 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Estadual de Feira de Santana, Feira de Santana, 2013.

RODRIGUES, Ângela; ESTEVES, Manuela. A análise de necessidades na formação de professores. Porto: Porto editora, 1993, 158 p.

ROSA, Cibele Aparecida Santos. Professores iniciantes no ensino superior: um estudo com professores que ensinam Matemática nos Cursos de Licenciatura e Pedagogia. 2015. 109 f. Dissertação (Mestrado em Educação: Psicologia da Educação) – Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2015.

SANTOS, Patricia Peixoto dos. Socialização profissional dos professores engenheiros ingressantes na educação superior. 2013. 111 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Federal de Uberlândia, 2013.

SILVA, Sandra Regina Lima dos Santos. Professores do curso de licenciatura em Matemática em início de carreira no ensino superior. 2014. 193 f. Tese (Doutorado em Educação Matemática) – Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2014.

SILVA, Vera Lucia Reis da. Docentes universitários em construção: narrativas de professores iniciantes de uma universidade pública no contexto de sua interiorização no sul do Amazonas. 2015. 175 f. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade do Vale do Rio dos Sinos, São Leopoldo, 2015.

SORDI, Mara Regina Lemes De. Docência no ensino superior: interpelando os sentidos e desafios dos espaços institucionais de formação. Educar em Revista, Curitiba, Brasil, v. 35, n. 75, p. 135-154, maio/jun. 2019.

TRIVIÑOS, Augusto Nivaldo Silva. Introdução à pesquisa em ciências sociais: a pesquisa qualitativa em educação: o positivismo, a fenomenologia, o marxismo. São Paulo: Atlas, 1987, 175 p.

VIANA, Maria Aparecida Pereira. Formação em serviço de professores iniciantes na educação superior e suas implicações na prática pedagógica. 2013. 210 f. Tese (Doutorado em Educação: Currículo) – Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2013.

VONK, J. Hans C. A Knowledge Base for Mentors of Beginning Teachers: Results of a Dutch Experience. In: McBRIDGE, Rob (Ed.). Teacher Education Policy: some issues arising from research and practice. London: Falmer Press, 1996, p. 113-134.

WIEBUSCH. Andressa. Aprendizagem docente no ensino superior: desafios e enfrentamentos no trabalho pedagógico do professor iniciante. 2016. 182 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, 2016.

ZANCHET, Beatriz Maria Boéssio Atrib et al. Tempos e espaços de inserção e desenvolvimento profissional de docentes universitários iniciantes. In: CUNHA, Maria Isabel da (Org.). Estratégias institucionais para o desenvolvimento profissional docente e as assessorias pedagógicas universitárias: memórias, experiências, desafios e possibilidades. Araraquara, SP: Junqueira & Marin, 2014, p. 187-214.

Publicado

09-10-2020

Como Citar

SANTOS, M. H. A. dos; DE SORDI, M. R. L. Professores universitários iniciantes: entre caminhos individuais e responsabilidades coletivas. Revista Eletrônica de Educação, [S. l.], v. 14, p. e4260125, 2020. DOI: 10.14244/198271994260. Disponível em: https://www.reveduc.ufscar.br/index.php/reveduc/article/view/4260. Acesso em: 24 jun. 2024.

Edição

Seção

Dossiê Formação e inserção profissional de professores iniciantes: conceitos e práticas
##plugins.generic.dates.received## 2020-04-20
##plugins.generic.dates.accepted## 2020-06-09
##plugins.generic.dates.published## 2020-10-09