Do real ao desejável: formação e práticas de docentes de língua portuguesa

Autores

DOI:

https://doi.org/10.14244/198271993683

Palavras-chave:

Formação de professores, Ensino de língua portuguesa, Políticas educacionais.

Resumo

Diante das transformações sociais mais amplas, a educação e os profissionais docentes de Língua Portuguesa são afetados, com isso surgem necessidades de reformas do ensino que traduzam mudanças no currículo, nas práticas docentes e também na formação de novos perfis de leitores e escritores, sobretudo diante dos insatisfatórios resultados que os estudantes têm apresentado nas avaliações externas. O objetivo desta pesquisa consiste em descrever e discutir como docentes de Língua Portuguesa compreendem seus percursos de formação inicial e contínuo e como tais percursos se efetivam em suas práticas mobilizadas cotidianamente em sala de aula, em uma perspectiva inter-transdisciplinar, crítica e multicultural. O estudo filia-se, pois, aos pressupostos teórico-metodológicos da pesquisa qualitativo-interpretativista. O corpus de análise constituiu-se de excertos de informações geradas por respostas a um questionário online composto por perguntas objetivas e subjetivas. Os resultados apontam que se faz imprescindível a reinvenção dos currículos de Letras, a fim de fomentar, no processo de formação de professores, eventos e novas práticas de letramentos como possibilidade de potencializar uma formação para o reconhecimento da diversidade linguístico-discursiva e o desenvolvimento de práticas inovadoras que problematizem a complexidade do mundo, da escola e da sala de aula, sobretudo por meio de políticas públicas significativas.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Leandra Ines Seganfredo Santos, Universidade do Estado de Mato Grosso

Possui graduação em Pedagogia pela Universidade do Estado de Mato Grosso (1994), mestrado em Estudos de Linguagem pela Universidade Federal de Mato Grosso (2005), doutorado em Estudos Linguísticos (Linguística Aplicada) pela UNESP (Rio Preto) e Pós doutorado em Linguística Aplicada e Estudos da Linguagem (PUCSP). É professora concursada na Universidade do Estado de Mato Grosso (Professor Adjunto nível 6); Possui experiência nas áreas de metodologias de ensino de Pedagogia e Letras, atuando principalmente nos seguintes temas: formação de professores de línguas, interdisciplinaridade, ensino-aprendizagem de línguas em diferentes idades e multiletramentos. É líder do GEPLIAS/CNPq (Grupo de Estudos e Pesquisas em Linguística Aplicada e Sociolinguística). É membro do CEPEL – Centro de Estudos e Pesquisas em Linguagem e do CELIN – Centro de Língua(gens). Professora permanente dos Programas de pós-graduação stricto sensu, Mestrado Acadêmico em Letras e Mestrado Profissional em Rede (PROFLETRAS), na UNEMAT; Coordena o Programa de Metrado Acadêmico em Letras. É editora da Revista Norte@mentos e membro do Conselho Editorial da Revista Brasileira de Linguística Aplicada, da Eventos Pedagógicos, Revista Educação, Cultura e Sociedade e da Acta Semiótica.

Referências

ARROYO, Miguel. Ofício de mestre: imagens e auto-imagens. Petrópolis, RJ: Vozes, 2000.

BARTON, David; LEE, Carmen. Linguagem online: textos e práticas digitais. São Paulo: Parábola, 2015.

BAUMAN, Zigmund. Capitalismo parasitário. Trad. Eliana Aguiar. Rio de Janeiro: Zahar, 2010.

BORTONI-RICARDO, Stela Maris. O professor pesquisador: introdução à pesquisa qualitativa. São Paulo: Parábola, 2008.

BRASIL. Parâmetros Curriculares Nacionais: Língua Portuguesa. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Fundamental. Brasília: MEC/SEF, 1997.

BRASIL. Diretrizes Curriculares Nacionais para os Cursos de Letras. Resolução CNE/CES n. 18, de 13 de março de 2002.

BRASIL. Diretrizes Curriculares Nacionais Gerais da Educação Básica. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Diretoria de Currículos e Educação Integral. Brasília: MEC, SEB, DICEI, 2013.

BRASIL. Diretrizes Curriculares Nacionais da Formação Inicial e Continuada. Resolução n. 02, 1 de julho de 2015.

CELANI, Maria Antonieta Alba. Um desafio na Linguística Aplicada contemporânea: a construção de saberes locais. D.E.L.T.A. n. 32, v. 2, 2016, p. 543-555.

CRUZ, Giseli Barreto. A prática docente no contexto da sala de aula frente às reformas curriculares. Revista Educar, Curitiba, n. 29, p. 191-205, 2007.

GOODSON, Ivor F. Dar voz ao professor: As histórias de vida dos professores e seu desenvolvimento profissional. In: NÓVOA, António. (org.). Vidas de professores. 2. ed. Porto: Porto Editora, 2007.

KUMARAVADIVELU, B. A Linguística Aplicada na era da globalização. In: MOITA LOPES, Luiz Paulo da (org.). Por uma Linguística Aplicada Indisciplinar. São Paulo: Parábola Editorial. 2006.

MATO GROSSO. Objetivos de aprendizagem para escolas de ensino fundamental urbanas. Secretaria Adjunta de Políticas Educacionais. Superintendência de Educação Básica, 2018.

NÓVOA, António. O regresso dos professores. Pinhais: Editora Melo, 2012.

NÓVOA, António. (org.). Vidas de professores. 2. ed. Porto: Porto Editora, 2007.

PIMENTA, Selma Garrido. De professores, pesquisa e didática. Campinas, SP: Papirus, 2002.

ROJO, Roxane. Gêneros de discurso/texto como objeto de ensino de línguas: um retorno ao trivium? In: SIGNORINI, Ines. (org.). [Re]Discutir texto, gênero e discurso. São Paulo: Parábola, 2008, p. 73-108.

ROJO, Roxane. Letramentos múltiplos, escola e inclusão social. São Paulo: Parábola, 2009.

SANTOS, Leandra Ines Seganfredo; RAMOS, Rosinda Castro Guerra; PEREIRA, Sara Cristina Gomes. Educação Básica no estado de Mato Grosso, Brasil: a construção e divulgação das orientações curriculares da área de linguagens. Fórum Linguístico, v. 10, p. 59-71, 2013.

SANTOS, Leandra Ines Seganfredo; SILVA, Lucineide; RAMOS, Rosinda Castro Guerra. Formação continuada em Mato Grosso: análise de documentos orientativos do Programa/Projeto Sala de Professor/Educador. Acta Semiótica. v. 17, n. 1, p. 80-105, 2012.

SANTOS, Leandra Ines Seganfredo; SILVA, Albina Pereira de Pinho. Mapeamento do percurso formativo de professores de língua portuguesa de um contexto amazônico brasileiro situado. PHILIPPSEN, Neusa Inês; STEFFEN, Joachim. (org.). Novas perspectivas da diversidade e variação linguística no Mato Grosso. Casa Editora da Universidade de Augsburg, Alemanha, 2020 no prelo.

SILVA, Albina Pereira de Pinho. Formação continuada de professores para o projeto UCA: análise dos processos formativos prescritos, vivenciados e narrados. 2014, 330 f. Tese (Doutorado em Educação) - Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2014.

Downloads

Publicado

09-09-2020

Como Citar

SANTOS, L. I. S. Do real ao desejável: formação e práticas de docentes de língua portuguesa. Revista Eletrônica de Educação, [S. l.], v. 14, p. e3683128, 2020. DOI: 10.14244/198271993683. Disponível em: https://www.reveduc.ufscar.br/index.php/reveduc/article/view/3683. Acesso em: 25 jun. 2024.

Edição

Seção

Demanda Contínua - Artigos
##plugins.generic.dates.received## 2019-09-07
##plugins.generic.dates.accepted## 2020-08-24
##plugins.generic.dates.published## 2020-09-09