Professores iniciantes e as estratégias de ação frente aos desafios da docência partilhadas em uma pesquisa-formação

Autores

DOI:

https://doi.org/10.14244/198271996478

Palavras-chave:

Indução docente, Professores iniciantes, Superação dos desafios, Pesquisa-formação.

Resumo

O presente artigo objetiva discutir a importância das práticas de acompanhamento e processos de indução de professores iniciantes na educação básica, focalizando as estratégias para superação dos desafios vivenciados por esses profissionais no início da docência. Como problema de pesquisa, destaca-se: de que forma as práticas de indução podem contribuir para a aprendizagem do professor iniciante da rede básica cearense? O estudo caracteriza-se pela abordagem qualitativa de pesquisa, resultante de uma pesquisa em rede concluída em caráter interinstitucional e apoiada pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico e pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro, tendo o dispositivo da pesquisa-formação como caminho metodológico reflexivo para a indução docente. Os sujeitos participantes deste estudo foram professores dos Anos Iniciais da rede básica cearense. O aporte teórico que deu sustentação ao estudo caracterizou-se a partir dos contributos de Cruz, Farias e Hobold (2020), Garcia (1999), Mizukami (2004), Veenman (1984), dentre outros. Os resultados evidenciam que as principais estratégias de superação partilhadas pelos professores iniciantes foram: buscar apoio com os pares e a gestão; ser afetivo na relação com os alunos; fortalecer a relação família-escola; refletir sobre a prática; e buscar melhorias permanentes através da pesquisa, estudo e formações para superar os desafios da docência. Os dados apontam a importância do apoio da gestão da escola a partir da prática de indução como perspectiva formativa para o desenvolvimento dos professores no início da carreira.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Iure Coutre Gurgel, Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN)

Docente do curso de Pedagogia da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN),lotado no Campus Avançado de Patu (CAP).Doutorando em Educação pelo Programa de Pós-Graduação (PPGE) da Universidade Estadual do Ceará (UECE).

Luciana de Oliveira Souza Mendonça, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará (IFCE)

Professora do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará - IFCE. Doutora em Educação pelo Programa de Pós-Graduação em Educação (PPGE) da Universidade Estadual do Ceará (UECE).

Maria Gerlaine Belchior Amaral, Universidade Federal de Campina Grande (UFCG)

Professora da Universidade Federal de Campina Grande. Pós-doutora em Educação pelo Programa de Pós-Graduação em Educação (PPGE) da Universidade Estadual do Ceará (UECE).

Referências

ALARCÃO, Isabel; ROLDÃO, Maria do Céu. Um passo importante no desenvolvimento profissional dos professores: o ano de indução. Formação Docente, Belo Horizonte, v. 6, n. 11, p. 109-126, 2014.

ANDRÉ, Marli Elisa Dalmazo Afonso de. Políticas e programas de apoio aos professores iniciantes no Brasil. Cadernos de Pesquisa, São Paulo, v. 42, n. 145, p. 112-129, 2014.

ANDRÉ, Marli Elisa Dalmazo Afonso de. Professores iniciantes: egressos de programas de iniciação à docência. Revista Brasileira de Educação, [S.l.] Rio de Janeiro, v. 23, e230095, 2018.

ANTUNES, Celso. Relações interpessoais e autoestima: a sala de aula como um espaço de crescimento integral. 10. ed. Petrópolis: Vozes, 2014.

BRAGANÇA, Inês Ferreira de Souza. Histórias de vida e formação de professores: diálogos entre Brasil e Portugal. Rio de Janeiro: EdUERJ, 2012. DOI: 10.7476/9788575114698. Disponível em: https://doi.org/10.7476/9788575114698. Acesso em: 10 dez. 2023.

BRAGANÇA, Inês Ferreira de Souza; ABRAHÃO, Maria Helena Menna Barreto; FERREIRA, Márcia Santos (Org.). Perspectivas epistêmico-metodológicas da pesquisa (auto)biográfica. Curitiba: CRV, 2016.

COCHRAN-SMITH, Marylin. A tale of two teachers: learning to teach over time. Kappa Delta Pi Record, Boston, v. 48, n. 3, p. 108-122, 2012.

COCHRAN-SMITH, Marilyn; LYTLE, Susan. Relações entre conhecimento e prática: aprendizado de professores em comunidades. Tradução do Grupo de Estudo e Pesquisa sobre Formação de Professores de Matemática. Review of Research in Education, USA, v. 24, p. 249-305, 1999.

CONTRERAS, José. A autonomia de professores. São Paulo: Cortez, 2002.

COSENZA, Ramon; GUERRA, Leonor. Neurociência e educação: como o cérebro aprende. Porto Alegre: Artmed, 2011.

CRUZ, Giseli Barreto da; FARIAS, Isabel Maria Sabino de; HOBOLD, Márcia de Souza. Indução profissional e o início do trabalho docente: debates e necessidades. Revista Eletrônica de Educação, São Carlos, v. 14, p. 1-15, 2020. DOI: 10.14244/198271994149. Disponível em: https://www.reveduc.ufscar.br/index.php/reveduc/article/view/4149. Acesso em: 12 out. 2022.

DELORY-MOMBERGER, Christine. Abordagens metodológicas na pesquisa biográfica. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, v. 17, n. 51, p. 523-536, 2012.

DUBAR, Claude. Formação, trabalho e identidades profissionais. In: CANÁRIO, Rui (Org.). Formação e situações de trabalho. Porto: Porto, 2003, p. 43-60.

FACIN, Helenara; FAGUNDES, Maurício Cesar Vitória; ZANCHET, Maria Boéssio Atrib. Motivações, experiências iniciais e desafios: o que expressam os docentes universitários iniciantes. In: ANPED SUL, 9., 2012, Caxias do Sul. Anais [...]. Caxias do Sul: Universidade de Caxias do Sul, 2012. p. 1-13.

FERREIRA, Lílian Aparecida; REALI, Aline Maria de Medeiros Rodrigues. Aprendendo a ensinar e a ser professor: contribuições e desafios de um programa de iniciação à docência para professores de Educação Física. In: ANPED, 28., 2005, Caxambu. Anais [...]. Caxambu: Anped, 2005. p. 1-17.

FLORES, Maria Assunção; DAY, Christopher. Context which shape and reshape new teacher’s identities: a multi-perspective study. Teaching and Teacher Education, New York, v. 22, n. 2, p. 219-232, 2006.

FREIRE, Paulo. A educação na cidade. São Paulo: Cortez, 1991.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. São Paulo: Paz e Terra, 1996.

GARCIA, Carlos Marcelo. A identidade docente: constantes e desafios. Revista Brasileira de Pesquisa sobre Formação Docente, Belo Horizonte, v. 1, n. 1, p. 109-131, 2009.

GARCIA, Carlos Marcelo. Formação de professores: para uma mudança educativa. Lisboa: Porto, 1999.

GARCÍA, Carlos Marcelo. Políticas de inserción a la docencia: de eslabón perdido a puente para el desarrollo profesional docente. In: GARCIA, Carlos Marcelo (Coord.). El profesorado principiante: inserción a la docencia. Barcelona: Octaedro, 2008. p. 7-57.

GARCÍA, Carlos Marcelo; VAILLANT, Denise. Políticas y programas de inducción en la docencia en Latinoamerica. Caderno de Pesquisa, São Paulo, n. 166, p. 1224-1249, 2017. Disponível: https://www.scielo.br/j/cp/a/yHHMMHyY7TnCtkZFGCQrsKP/abstract/?lang=es. Acesso em: 10 set. 2022.

GOLEMAM, Daniel. Inteligência emocional: a teoria revolucionária que redefine o que é ser inteligente. Rio de Janeiro: Objetiva, 1995.

HUBERMAN, Michael. O ciclo de vida profissional dos professores. In: NÓVOA, António (Org.). Vidas de professores. 2. ed. Porto: Porto, 1992, p. 31-61.

IMBERNÓN, Francesc. Formação docente e profissional: formar-se para a mudança e a incerteza. 6. ed. São Paulo: Cortez, 2010.

JOSSO, Marie-Christine. Caminhar para si. Tradução de Albino Pozzer; coordenação de Maria Helena Menna Barreto Abrahão. Porto Alegre: Edipucrs, 2010.

MENDONÇA, Luciana de Oliveira Souza. Referentes de ação e o desenvolvimento da profissionalidade de professores de Matemática iniciantes, egressos do Pibid, nos sertões de Canindé-CE. 2022 374 f. Tese (Doutorado em Educação) – Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade Estadual do Ceará, Fortaleza, 2022.

MIZUKAMI, Maria Graça Nicoletti. Aprendizagem da docência: algumas contribuições de Lee Shulman. Revista do Centro de Educação da UFSM, Santa Maria, v. 29, n. 2, p. 33-49, 2004.

NONO, Maévi Anabel. Professores iniciantes: o papel da escola em sua formação. Porto Alegre: Mediação, 2011.

NÓVOA, António. Entre a formação e a profissão: ensaio sobre o modo como nos tornamos professores. Currículo sem Fronteiras, [S.l.], v. 19, n. 1, p. 198-208, 2019.

PAPI, Silmara de Oliveira Gomes; MARTINS, Pura Lúcia Oliver. As pesquisas sobre professores iniciantes: algumas aproximações. Educação em Revista, Belo Horizonte, v. 26, n. 3, p. 39-56, 2010.

REALI, Aline Maria de Medeiros Rodrigues; REYES, Cláudia Raimundo. Reflexões sobre o fazer docente. São Carlos: EdUFSCar, 2009.

SACRISTÁN, José Gimeno; GÓMEZ, Angel. Compreender e transformar o ensino. Porto Alegre: Artmed, 2000.

SOUZA, Elizeu Clementino (Org.). Autobiografias, histórias de vida e formação: pesquisa e ensino. Porto Alegre: PUCRS; Salvador: UNEB, 2007.

VEENMAN, Simon. Perceived problems of beginning teachers. Review of Educational Research, [S.l.], v. 54, n. 2, p. 143-178, 1984.

WONG, Harry. Induction programs that keep new teachers teaching and improving. NASSP Buletin, [S.l.], v. 88, n. 638, p. 42-58, 2004.

ZEICHNER, Ken; PAYNE, Katherina; BRAYKO, Kate. Democratizing teacher education. Journal of Teacher Education, [S.l.], v. 66, n. 2, p. 122-135, 2015.

Publicado

30-05-2024

Como Citar

GURGEL, I. C.; MENDONÇA, L. de O. S.; AMARAL, M. G. B. Professores iniciantes e as estratégias de ação frente aos desafios da docência partilhadas em uma pesquisa-formação. Revista Eletrônica de Educação, [S. l.], v. 18, p. e6478009, 2024. DOI: 10.14244/198271996478. Disponível em: https://www.reveduc.ufscar.br/index.php/reveduc/article/view/6478. Acesso em: 14 jun. 2024.

Edição

Seção

Dossiê Concepções, Políticas e Práticas de Indução Docente
##plugins.generic.dates.received## 2023-05-30
##plugins.generic.dates.accepted## 2023-09-21
##plugins.generic.dates.published## 2024-05-30