Práticas Socioetnoculturais e o ensino de Matemática em uma escola quilombola na perspectiva da Etnomatemática

Autores

DOI:

https://doi.org/10.14244/198271996248

Palavras-chave:

Práticas socioetnoculturais, Etnomatemática, Ensino de matemática, Educação quilombola.

Resumo

A Etnomatemática tem por finalidade afastar-se das concepções conteudistas e embasar-se nas práticas socioetnoculturais territoriais e antropológicos que cada grupo social utiliza para produzir tecnologia. Com efeito, essa pesquisa se refere às práticas socioetnoculturais e o ensino de Matemática fundamentado na Etnomatemática. Para isso, temos como objetivo propor práticas pedagógicas de ensino e aprendizagem de Matemática no cenário etnomatemático. Propomos realizar atividades pedagógicas no âmbito da Etnomatemática e identificar as contribuições do uso dessas atividades pedagógicas assentadas na Etnomatemática. De cunho qualitativo e exploratório, a metodologia adotada foi o estudo de caso e, para coleta de dados, utilizamos a observação participante e a análise das produções desenvolvidas pelos estudantes. Os resultados revelaram que a Etnomatemática faz-se presente no dia a dia dos estudantes; que eles e os professores reconhecem as práticas socioetnoculturais, porém pouco têm sido trabalhadas em sala de aula; o desenvolvimento de novas metodologias/atividades contribuíram para a formação de professores; o conjunto de atividades realizadas contribuiu para os estudantes e professores aproximarem o cotidiano do ensino de Matemática ensinado em sala de aula, além de revelar a necessidade de experiências como essas para potencializar o ensino de Matemática nas comunidades quilombolas, fortalecendo o traço e a identidade cultural da comunidade.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Hélio Rodrigues dos Santos, Universidade de Brasília (UnB)

Doutorando em Educação pelo Programa de Pós-Graduação em Educação (PPGE) da Universidade de Brasília (UnB).  Mestre em Educação pelo Programa de Pós-Graduação em Educação (PPGE) da Universidade de Brasília (UnB). Professor efetivo da Secretaria de Educação de Goiás - SEDUC.  Membro do grupo de pesquisa “Dzeta Investigações em Educação Matemática - DIEM”.

Geraldo Eustáquio Moreira, Universidade de Brasília (UnB)

Doutor em Educação Matemática e Pós-Doutor em Educação. Professor da Faculdade de Educação da Universidade de Brasília (UnB). Atua na Graduação e nos Programas de Pós-Graduação em Educação (Acadêmico e Profissional, PPGE/UnB).

Referências

ALMEIDA, M. C. Complexidade, saberes científicos, saberes da tradição. São Paulo: Livraria da Física, 2010.

BRASIL. Ministério da Educação: Secretaria de Educação Básica. Orientações Curriculares para o Ensino Médio: Linguagens, códigos e suas tecnologias. Volume 1. Brasília, 2006.

BRASIL. Parecer CNE/CEB Nº: 16/2012. Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Escolar Quilombola. Diário Oficial da União, Brasília, 5/6/2012.

BRANDÃO; C. R. A pesquisa participante e a participação da pesquisa: um olhar entre tempos e espaços a partir da América Latina. In: BRANDÃO, C. R; STRECK, D. R (Orgs.). Pesquisa participante: a partilha do saber. Aparecida, SP: Ideias & Letras, 2006, p. 21-54.

D’AMBROSIO; U. Etnomatemática e Educação. In: Reflexão e Ação: Revista do Departamento de Educação/UNISC. Vol. 10, n. 1 (jan./jun.2002) - Santa Cruz do Sul: EDUNISC, P.07-21, 2002.

D’AMBROSIO; U. Etnometodologia, Etnomatemática, Transdiciplinaridade: Embasamentos crítico-filosóficos comuns e tendências atuais. Revista Pesquisa Qualitativa, São Paulo, v. 1, n. 1, p. 155-167, 2005.

FANIZZI, S. A importância da interação nas aulas de Matemática: da elaboração oral à construção de conhecimentos. Educ. Matem. Pesq. São Paulo, v.14, n. 2, p.317-336, 2012. Disponível em: https://webcache.googleusercontent.com/search?q=cache:d-luMQKnf-QJ:https://revistas.pucsp.br/emp/article/download/9443/8156/27185+ &cd=1&hl=pt-BR&ct=clnk&gl=br. Acesso em: 10 mar. 2022.

FERREIRA, W. C. Federalismo, Saeb e currículo de matemática. In: MOREIRA, G, E.; ORTIGÃO, M. I. R.; PEREIRA, C. M. M. C. P. (Org.) Políticas de avaliação e suas relações com o currículo de matemática na Educação Básica. 1ª ed. Brasília: SBEM Nacional, 2021.

FREIRE, P. Educação: o sonho possível. In: BRANDÃO, C. R. (org.). O Educador: vida e morte. Rio de Janeiro: Graal, 1989.

FREIRE, P. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. – São Paulo: Paz e Terra, 1996.

FREITAS, R. A. M. M. As práticas socioculturais e o ensino que desenvolve na escola desenvolvente. Revista Educativa - Revista de Educação, Goiânia, v. 23, p. 8731, jan. 2021. ISSN 1983-7771. Disponível em: http://seer.pucgoias.edu.br/index.php/educativa /article/view/8731. Acesso em: 20 dez. 2021.

GADOTTI, M. Educação Integral no Brasil: inovação no processo. São Paulo: Editora e Livraria Instituto Paulo Freire, 2009.

GAIA, C.; GUERRA, R. B. Descortinando práticas com matemáticas no contexto da educação do campo: conexões entre TAD e Etnomatemática. In: MENDES, I. A.; FARIAS, C. A. (Org.) Práticas Socioculturais e Educação Matemática. - 1ed. São Paulo: Editora Livraria da Física, 2014.

GIL, A. C. Métodos e técnicas de pesquisa social. - 6. ed. São Paulo: Atlas, 2008.

KHIDIR, K. S.; COELHO, R. R. Práticas socioculturais na formação continuada de professores que ensinam matemática em escolas campesinas do Triângulo Mineiro. In: COSTA, A. C. M (Org.). Diálogos com a Educação do Campo: as experiências do Programa Escola da Terra. Universidade de Uberlândia. Uberlândia: PROEX/UFU, 242 p., 2019.

KRAVTSOV, L. G. A realização da abordagem histórico-cultural no ensino médio de matemática. Teoria e Prática da Educação, v. 22, n.1, p. 44-49, Janeiro/Abril 2019. Disponível em: https://periodicos.uem.br/ojs/index.php/TeorPratEduc/article/view /47428/pdf_1. Acesso em: 24 fev. 2022.

LAKATOS, E. M.; MARCONI, M. A. Fundamentos de metodologia científica. - 5. ed. São Paulo: Atlas 2003.

LIBÓRIO, A. R. S. C. Reflexões sobre o currículo sob a perspectiva da Etnomatemática: possibilidades em uma Escola Quilombola. In: Encontro Brasileiro de Estudantes da Pós-Graduação em Educação Matemática. Anais [...]. 02 e 03 de Novembro 2017. Pelotas-RS. 2018.

MINAYO, M. C. S.; SANCHES, O. Quantitative and Qualitative Methods: Opposition or Complementarity? Cad. Saúde Públ. Rio de Janeiro, V. 9 n.3, p. 239-262, jul./sep., 1993.

MOL, R. S. Introdução à história da matemática. Belo Horizonte: CAED-UFMG, 2013.

MONTEIRO, H. S. R. Magistério indígena: contribuições da etnomatemática para a formação dos professores indígenas do Estado do Tocantins. 2011. Dissertação (Mestrado) – Universidade Federal do Pará, Instituto de Educação Matemática e Científica, Programa de Pós-Graduação em Educação em Ciências e Matemáticas, Belém, 2011.

MOREIRA, G. E. O ensino de matemática para alunos surdos: dentro e fora do texto em contexto. Educ. Matem. Pesq. São Paulo, v.18, n. 2, p.741-757, 2016. Disponível em: https://revistas.pucsp.br/index.php/emp/article/view/23486/pdf. Acesso em: 10 abr. 2022.

MOREIRA, G. E.; VIEIRA, L. B; FRAZ, J. N; FERREIRA, W. C; TEIXEIRA, C. J. Formação inicial e continuada de professores que ensinam matemática: socializando experiências exitosas do DIEM. Revista Prática Docente, v. 6, n. 1, e001, 10 jan. 2021.

MOREIRA, G. E. Por trás do monograma do movimento LGBTQIAPN+: vidas, representatividade e esclarecimentos. Revista Temporis [Ação], Anápolis, v. 22, n. 02, p. 16, jul./dez., 2022. Disponível em: http://www.revista.ueg.br/index.php/temporisacao/issue/archive. Acesso em: 15 nov. 2022.

ORTIGÃO, M. I. R.; JÚNIOR, C. A. A.; MOREIRA, G. E. Pisa 2012 e Avaliação em Educação Matemática: análise dos itens públicos da subárea Mudanças e relações. Revista de Educação Matemática (REMat), São Paulo (SP), v.19, Edição Especial: Práticas Avaliativas e a Sala de Aula de Matemática, p. 01-22, 2022.

PAIVA, T. F. Recursos didáticos e as mediações necessárias para uma aprendizagem significativa para estudantes com NEE em aulas de matemática. (Dissertação de Mestrado). PAIVA, T. F; MOREIRA, G. E. Universidade de Brasília,135p., 2019.

SANDES J. P.; MOREIRA G. E. Educação matemática e a formação de professores para uma prática docente significativa. Revista @mbienteeducação. São Paulo: Universidade Cidade de São Paulo, v. 11, n. 1, p. 99-109, jan./abr., 2018.

SANTOS, H. R. Práticas Socioetnoculturais e o Ensino de matemática na perspectiva da Etnomatemática em uma escola quilombola: Desafios e possibilidades. 2022. (Dissertação de Mestrado). Programa de Pós-Graduação em Educação. Universidade de Brasília. 195p.

SANTOS, F. L.; THIENGO, E. R. Aprendizagem matemática de um estudante com baixa visão: uma experiência inclusiva fundamentada em vigotski, Leontiev e Galperin. RPEM, Campo Mourão, PR, v. 5, n.9, p.104-120, jul.-dez. 2016.

SANTOS, H. R.; MOREIRA, G. E. Contribuições da Etnomatemática na formação continuada de professores e professoras Quilombolas que ensinam Matemática. In: Seminário internacional de pesquisa em Educação Matemática. 22-26/11/2021. Uberlândia. Anais [...]. Minas Gerais, 2021.

SANTOS, H. R.; MOREIRA, G. E. Educação escolar quilombola: ratificação, confirmação e validação. [Submetido-Editoração]. Cadernos de Pós-graduação, 2023.

SANTOS, J. G.; SILVA, J. N. D. A Influência da Cultura Local no Processo de Ensino e Aprendizagem de Matemática numa Comunidade Quilombola. Bolema, Rio Claro (SP), v. 30, n. 56, p. 972 - 991, dez. 2016.

SILVA, História dos Pesos e das Medidas. São Carlos: Eduficar, 2004.

SILVA, J. A.; JELINEK, K. R.; BECK, V. C. Estratégias de crianças do ciclo de alfabetização na resolução de situações problema envolvendo grandezas e medidas. VIDYA, v. 35, n. 2, p. 37-53, jul./dez., 2015. Santa Maria, 2015. ISSN 2176-4603.

SKOVSMOSE, O.; VALERO, P. Quebrando a neutralidade política: o compromisso crítico entre a educação matemática e a democracia. Quadrante, V. 11, n. 1, p. 8-29, 2002.

SOARES, E. G. Educação escolar quilombola: quando a política pública diferenciada é indiferente. Tese (Doutorado em Educação) - Curso de Pós-Graduação em Educação, Universidade Federal do Paraná, Curitiba, p. 126. 2012.

TOSTA, S. P.; COSTA, L. M. Alunos quilombolas: escola e identidades etnicorraciais. Reflexão e Ação, v. 21, n. 1es, p. 149-171, 2013.

VIEIRA, L. B.; MOREIRA, G. E. Políticas públicas no âmbito da educação em Direitos Humanos: conexões com a educação. REAMEC - Rede Amazônica de Educação em Ciências e Matemática, [S. l.], v. 8, n. 2, p. 622-647, 2020. DOI: 10.26571/reamec. v8i2.10500. Disponível em: https://periodicoscientificos.ufmt.br /ojs/index.php /reamec /article/view/10500. Acesso em: 17 dez. 2021.

VIEIRA, L. B.; MOREIRA, G. E. Sociedade Contemporânea e o Ensino de Matemática: Conexões com a Educação em Direitos. Brazilian Applied Science Review, [S. l.], v. 4, n. 2, p. 478–490, 2020.

VIGOTSKI, L. S. Psicologia Pedagógica. Trad. Claudia Schilling. Porto Alegre: Artmed, 2003.

VIGOTSKI, L. S. Sete aulas de L. S. Vigotski sobre os Fundamentos da Pedologia. Tradução de Zoia Prestes, Elizabeth Tunes; Claudia da Costa Guimaraes Santana. - 1. ed. - Rio de Janeiro: EPapers, 2018.

VIZOLLI, I.; MENDES, A, N. Braça, Quadro e Tarefa: Um modo de efetuar medidas de terra. VIDYA, v. 36, n. 1, p. 69-78, jan./jun., 2016. Santa Maria, 2016. ISSN 2176-4603.

ZANELLA, A. Psicologia histórico-cultural em foco: aproximações e alguns de seus fundamentos e conceitos. Florianópolis: Edições do Bosque, UFSC, 2020.

Downloads

Publicado

13-12-2023

Como Citar

SANTOS, H. R. dos; MOREIRA, G. E. Práticas Socioetnoculturais e o ensino de Matemática em uma escola quilombola na perspectiva da Etnomatemática. Revista Eletrônica de Educação, [S. l.], v. 17, p. e6248085, 2023. DOI: 10.14244/198271996248. Disponível em: https://www.reveduc.ufscar.br/index.php/reveduc/article/view/6248. Acesso em: 20 jun. 2024.

Edição

Seção

Dossiê Formação de Professores que Ensinam Matemática
##plugins.generic.dates.received## 2022-11-17
##plugins.generic.dates.accepted## 2023-07-20
##plugins.generic.dates.published## 2023-12-13