Educação Escolar Quilombola em Licenciaturas de Educação do Campo que formam professores de Matemática

Autores

DOI:

https://doi.org/10.14244/198271996239

Palavras-chave:

Formação de professores de matemática, Educação do Campo, Educação Escolar Quilombola, Análise Documental.

Resumo

O artigo tem por objetivo compreender como são estruturados os núcleos formativos de cursos de Licenciatura em Educação do Campo que formam professores de Matemática. O estudo é fruto de parte dos resultados de um projeto de pesquisa interinstitucional e buscou caracterizar os cursos de licenciatura que ofertam a formação de professores de Matemática para atuar nos anos finais do Ensino Fundamental e no Ensino Médio, em contextos socioculturais específicos. Nesse cenário, discute-se a formação de professores de Matemática em cursos de Licenciatura em Educação do Campo e princípios, conceitos e documentos legais que fundamentam e regulamentam a Educação Escolar Quilombola. Realizou-se uma análise documental, cujo corpus foi constituído pelos Projetos Político-Pedagógicos de quatro cursos de universidades públicas federais localizadas nas regiões Nordeste, Sudeste, Norte e Centro-Oeste do país. Por meio da análise de conteúdo temática, delinearam-se três categorias analíticas: formação geral e sociopolítica; formação matemática; e formação pedagógica integradora. Os resultados evidenciam que os núcleos formativos dos quatro cursos apresentam indícios de uma formação sociopolítica integrada à formação matemática. A análise aponta possibilidades para propor componentes curriculares que estabeleçam relação com a diversidade sociocultural dos povos quilombolas, não somente no componente Educação para as Relações Étnico-Raciais. Diante disso, reflete-se sobre as implicações da formação docente para atuação de egressos na Educação Escolar Quilombola e sugere-se a prescrição da formação sociopolítica em documentos de cursos que formam professores de Matemática para além dos contextos socioculturais investigados.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Aldinete Silvino de Lima, Universidade Federal de Campina Grande (UFCG)

Doutora em Educação Matemática e Tecnológica pela Universidade Federal de Pernambuco (UFPE). É professora da Universidade Federal de Campina Grande (UFCG) e atua na Unidade Acadêmica de Educação do Campo, vinculada ao Centro de Desenvolvimento Sustentável do Semiárido (CDSA) da Universidade Federal de Campina Grande (UFCG). Participa do Grupo de Pesquisa Ensino, Aprendizagem e Processos Educativos (GPENAPE), do Grupo de Pesquisa em Educação Matemática nos Contextos da Educação do Campo (GPEMCE) da UFPE e do Núcleo de Estudos e Pesquisa em Educação do Campo, Formação de Professores e Prática Pedagógica (NUPEFORP) da UFCG. É professora do Programa de Pós-Graduação em Educação Científica, Inclusão e Diversidade (PPGECID) da UFRB. Tem experiência na área de Educação, Ensino de Matemática, Educação do Campo, formação de professores, gestão escolar e coordenação pedagógica de projetos com ênfase em Educação do Campo.

Kaled Sulaiman Khidir, Universidade Federal do Tocantins (UFT)

Doutor em Educação em Ciências e Matemáticas pela Universidade Federal do Pará - UFPA (2018), Mestre em Educação pela Pontifícia Universidade Católica de Goiás - PUC Goiás (2006) e Licenciado em Matemática pela Universidade Federal de Goiás - UFG (1998). Professor Associado I da Universidade Federal do Tocantins, Câmpus de Arraias. Participa do Grupo de Estudos e Pesquisas em Educação do Campo (GEPEC) e do Grupo de Pesquisa Práticas Socioculturais e Educação Matemática. Tem experiência na área de Educação, com ênfase em Educação Matemática, atuando principalmente nos seguintes temas: Formação de Professores de Matemática, Metodologias de Ensino de Matemática, PIBID, Educação Escolar Quilombola e Educação do Campo.

Fernando Luís Pereira Fernandes, Universidade Federal do Triângulo Mineiro (UFTM)

Doutor em Educação pela Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), Mestre em Educação e Licenciado em Matemática pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Atualmente, é Professor Adjunto na Universidade Federal do Triângulo Mineiro (UFTM), lotado do Departamento de Educação em Ciências, Matemática e Tecnologias, atuando no curso de Licenciatura em Educação do Campo (LECampo-UFTM) e no Programa de Pós-Graduação em Educação em Ciências e Matemática (PPGECM-UFTM). É líder do Grupo de Pesquisa EMAPS – Educação Matemática e Práticas Sociais.

Referências

AUAREK, Wagner; VISEU, Floriano. Especificidades da formação do professor de matemática para escolas do campo. Revista de Estudios e Investigación en Psicología y Educación, Coruña, n. 6, 90-94, 2017. Disponível em: https://revistas.udc.es/index.php/reipe/article/view/reipe.2017.0.06.2300. Acesso em: 12 abr. 2023.

BARBOSA, Línlya. Entendimentos a respeito da matemática na educação do campo: questões sobre currículo. 2014. 234 f. Tese (Doutorado em Educação Matemática) – Instituto de Geociências e Ciências Exatas, Universidade Estadual Paulista, Rio Claro, 2014.

BARDIN, Laurence. Análise de conteúdo. Tradução de Luís Antero Reto e Augusto Pinheiro. São Paulo: Edições 70, 2011.

BATISTA, Juliana. Práticas de letramentos: cartilhas das minibibliotecas na formação de educadores Kalungas, na licenciatura em educação do campo, da Universidade de Brasília. 2014. 120 f. Dissertação (Mestrado em Educação) ‒ Universidade de Brasília, Brasília, 2014.

BEGNAMI, João. Pedagogia da alternância em movimento. In: MOLINA, Mônica; MARTINS, Maria. (org.). Formação de professores: reflexões sobre as experiências da licenciatura em educação do campo no Brasil. Belo Horizonte: Autêntica, 2019. p. 257-280. (Coleção Caminhos da Educação do Campo, v. 9). Vários Autores.

BRASIL. Conselho Nacional de Educação. Câmara de Educação Básica. Resolução nº 8, de 20 de novembro de 2012. Define Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Escolar Quilombola na Educação Básica. Diário Oficial da União, seção 1, Brasília, DF, 2012, p. 26, 21 nov. 2012. Disponível em: https://normativasconselhos.mec.gov.br/normativa/view/CNE_RES_CNECEBN82012.pdf?query=ensino%20m%C3%A9dio. Acesso em: 26 abr. 2023.

BRASIL. Conselho Nacional de Educação. Resolução nº 1, de 3 de abril de 2002. Institui Diretrizes Operacionais para Educação Básica nas Escolas do Campo. Brasília: Conselho Nacional de Educação, 3 abr. 2002. Disponível em: https://normativasconselhos.mec.gov.br/normativa/view/CNE_RES_CNECEBN12002.pdf?query=PLENA. Acesso em: 26 abr. 2023.

BRASIL. Decreto-Lei nº 7.352, de 5 de novembro de 2010. Dispõe sobre a política de educação do campo e o Programa de Educação na Reforma Agrária ‒ Pronera. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, seção 1, Brasília, DF, 2010, n. 212, p. 1-2, 5 nov. 2010. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/docman/marco-2012-pdf/10199-8-decreto-7352-de4-de-novembro-de-2010/file. Acesso em: 12 abr. 2023.

BRASIL. Governo Federal. Fundação Cultural Palmares. Certificação quilombola. 2021. Disponível em: http://www.palmares.gov.br/?page_id=37551. Acesso em: 24 out. 2022.

CALDART, Roseli. Concepção de educação do campo: um guia de estudo. In: MOLINA, Mônica; MARTINS, Maria (org). Formação de professores: reflexões sobre as experiências da licenciatura em educação do campo no Brasil. Belo Horizonte: Autêntica, 2019. p. 55-78. (Coleção Caminhos da Educação do Campo, v. 9). Vários autores.

CARVALHO, Raquel. Identidade e cultura dos povos do campo no Brasil: entre preconceitos e resistências, qual o papel da educação? Curitiba: Appris, 2016.

CELLARD, André. A análise documental. In: POUPART, Jean et al. A pesquisa qualitativa: enfoques epistemológicos e metodológicos. Tradução de Ana Cristina Nasser. 4. ed. Petrópolis: Vozes, 2014. p. 295-316.

COSTA, Alberto. Uma investigação sobre a licenciatura da educação do campo habilitação em matemática tratada com base na educação popular. 2018. 230 f. Tese (Doutorado em Educação) ‒ Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, Presidente Prudente, 2018.

CUNHA, Maria. Formação de professores e professoras no curso de licenciatura em educação do campo/UFBA: área de ciências da natureza e matemática. 2014. 196 f. Tese (Doutorado em Ensino, Filosofia e História das Ciências) ‒ Universidade Federal da Bahia, Salvador, 2014.

FERNANDES, Filipe. Formação de professores de matemática em licenciatura em educação do campo: entre cartas, epistemologias e currículo. Bolema, Rio Claro, v. 33, n. 63, p. 27-44, 2019. Disponível em: https://www.scielo.br/j/bolema/a/y6TSGLYQhHGRCVFrXdS7zxs/abstract/?lang=pt. Acesso em: 10 abr. 2023.

FERNANDES, Fernando; MAGNUS, Maria; ROSEIRA, Nilson. Relações entre a matemática e o seu ensino e a dimensão sócio-político-cultural: o que nos dizem os PPC de licenciaturas em educação do campo. Revemat, Florianópolis, Dossiê Temático Educação Matemática em Diálogo com a Educação do Campo, Indígena e Quilombola. p. 01-21, 2023. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/revemat/article/view/91162/52700. Acesso em: 08 abr. 2023.

FREIRE, Paulo. Pedagogia do oprimido. 17. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987.

GIMONET, Jean. Praticar e compreender a pedagogia da alternância dos CEFFAs. Tradução de Thierry de Burghgrave. Petrópolis: Vozes, 2007. (Coleção Aidefa – Alternativas Internacionais em Desenvolvimento, Educação, Família e Alternância).

HUDLER, Thais. Em questão: os processos investigativos na formação inicial de educadores do campo – Área de ciências da natureza e matemática. 2015. 184 f. Dissertação (Mestrado) – Programa de Pós-Graduação em Educação Científica Tecnológica, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2015.

KOYANAGI, Raquel. Memórias de estudantes Kalunga que ingressaram no ensino superior: licenciatura em educação do campo (LEDOCIUNB). 2016. 310 f. Tese (Doutorado em Desenvolvimento, Sociedade e Cooperação Internacional) ‒ Universidade de Brasília, Brasília, 2016.

LIMA, Aldinete. A relação entre conteúdos matemáticos e o campesinato na formação de professores de matemática em cursos de licenciatura em educação do campo. 2018. 215 f. Tese (Doutorado em Educação Matemática e Tecnológica) ‒ Programa de Pós-Graduação em Educação Matemática e Tecnológica, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2018.

LIMA, Aldinete; LIMA, Iranete. Pedagogia de alternância em cursos de licenciatura em educação do campo que formam professores de matemática. Revista Unión, Espanha, n. 58, p. 11-24, 2020. Disponível em: http://www.revistaunion.org/index.php/UNION/article/view/150. Acesso em: 12 abr. 2023.

LIMA, Aldinete.; LIMA, Iranete; OLIVEIRA, Hélia. Diversidade, investigação e emancipação humana como princípios da formação de professores de matemática em cursos de licenciatura em Educação do Campo. Revista Educação, Matemática e Pesquisa, São Paulo, v. 22, n. 1, p. 731-752, 2020. Disponível em: https://revistas.pucsp.br/emp/article/view/45259. Acesso em: 10 abr. 2023.

LIMA, Gleice. Tornar-se professor do campo: representações sociais em movimento em uma licenciatura em educação do campo com habilitação em matemática. 2021. 120 f. Dissertação (Mestrado em Educação) ‒ Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2021.

MELO, Nara. Formação em alternância: contribuições para o fortalecimento territorial da comunidade quilombola Mumbuca, a partir da licenciatura em educação do campo, da UFNT - Campus Tocantinópolis. 2022. 174 f. Dissertação (Mestrado em Educação) ‒ Universidade de Brasília, Brasília, 2022.

MOREIRA, Jaqueline. O desenvolvimento do pensamento científico nos cursos de licenciatura em educação do campo a partir do ensino de ciências da natureza e matemática da Universidade Federal de Sergipe: um estudo de caso (2008 a 2012). 2015. 120 f. Tese (Doutorado em Educação) ‒ Universidade Federal de Sergipe, São Cristóvão, 2015.

PARREIRA, Tainara. Entre livros e lutas: quilombos e culturas – pela valorização da cultura quilombola. 2018. 110 f. Dissertação (Mestrado em Educação Agrícola) ‒ Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2018.

PEREIRA, Elisângela. A prática educativa e as contribuições do processo formativo da organicidade da licenciatura em educação do campo da UnB: um estudo de caso no território Kalunga/Goiás. 2013. 96 f. Dissertação (Mestrado em Educação) ‒ Universidade de Brasília, Brasília, 2013.

SÁ, Josinalva. Licenciatura em educação do campo: propostas em disputa na perspectiva de estudantes do Curso de Matemática da UFMG. 2016. 128 f. Dissertação (Mestrado) – Programa de Pós-Graduação em Educação: Conhecimento e Inclusão Social, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2016.

SACHS, Línlya; ELIAS, Henrique. A formação matemática nos cursos de licenciatura em educação do campo. Bolema, Rio Claro, v. 30, n. 55, p. 439-454, ago. 2016. Disponível em: https://www.scielo.br/j/bolema/a/RpF4wJqP64rWWckRJYhyrFg/?lang=pt Acesso em: 10 abr. 2023.

SANTOS, Maluza. Educação matemática nos cursos de licenciatura em educação do campo no Rio Grande do Sul: diálogos com professores formadores. 2017. 117 f. Dissertação (Mestrado em Educação Matemática e Ensino de Física) ‒ Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, 2017.

SOCIEDADE BRASILEIRA DE EDUCAÇÃO MATEMÁTICA (Sbem). Relatório do VII Seminário Internacional de Pesquisa em Educação Matemática (Sipem). Foz do Iguaçu: Sbem, 2018. Disponível em: http://www.sbembrasil.org.br/sbembrasil/index.php/anais/sipem. Acesso em: 20 mai. 2021.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO DO SUL (UFMS). Curso de Educação do Campo ‒ Licenciatura. Campo Grande: UFMS, 2020. Disponível em: https://faed.ufms.br/leducampo/. Acesso em: 20 mai. 2021.

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ (UFPA). Desenho curricular do curso de educação do campo. Abaetetuba: UFPA, 2016a. Disponível em: http://fadecam.ufpa.br. Acesso em: 20 mai. 2021.

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ (UFPA). Projeto pedagógico do curso de licenciatura em educação do campo. Abaetetuba: UFPA, 2016b. Disponível em: http://fadecam.ufpa.br. Acesso em: 20 mai. 2021.

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RECÔNCAVO DA BAHIA (UFRB). Projeto pedagógico do curso de licenciatura em educação do campo nas áreas de conhecimento ciências da natureza ou matemática. Feira de Santana: UFRB, 2018. Disponível em: file:///C:/Users/User/Downloads/PPC_LEdoC_-_CETENS_verso_reduzida.pdf. Acesso em: 10 abr. 2023.

UNIVERSIDADE FEDERAL DO TRIÂNGULO MINEIRO (UFTM). Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em Educação do Campo. Uberaba: UFTM, 2019. Disponível em: http://www.uftm.edu.br/licenciatura-em-educacao-do-campo/projeto-pedagogico. Acesso em: 25 maio 2021.

VALA, Jorge. A análise de conteúdo. In: SILVA, Augusto; PINTO, José (org.). Metodologia das ciências sociais. 16. ed. Porto: Afrontamento, 2014. p. 100-128.

Downloads

Publicado

13-12-2023

Como Citar

LIMA, A. S. de .; KHIDIR, K. S.; FERNANDES, F. L. P. . Educação Escolar Quilombola em Licenciaturas de Educação do Campo que formam professores de Matemática . Revista Eletrônica de Educação, [S. l.], v. 17, p. e6239091, 2023. DOI: 10.14244/198271996239. Disponível em: https://www.reveduc.ufscar.br/index.php/reveduc/article/view/6239. Acesso em: 1 mar. 2024.

Edição

Seção

Dossiê Formação de Professores que Ensinam Matemática
##plugins.generic.dates.received## 2022-11-17
##plugins.generic.dates.accepted## 2023-07-20
##plugins.generic.dates.published## 2023-12-13