Subdomínios do Conhecimento Matemático para o Ensino mobilizados por meio da escrita de professores

Autores

DOI:

https://doi.org/10.14244/198271996223

Palavras-chave:

Educação Matemática, Conhecimento Matemático para o Ensino, Práticas de escrita, Formação continuada de professores que ensinam Matemática.

Resumo

O objetivo desta pesquisa é identificar subdomínios do Conhecimento Matemático para o Ensino mobilizados por meio da prática de escrita realizada por professores em uma disciplina de um curso de mestrado profissional em Ensino de Matemática. A disciplina contou com a participação de dez professores que atuam na Educação Básica. As práticas de escrita analisadas se deram em dois fóruns de discussões realizados em um ambiente virtual de aprendizagem e em uma atividade de autoavaliação realizada por uma professora participante. Com base no quadro teórico do Conhecimento Matemático para o Ensino (MKT), proposto por Deborah Ball e colaboradores, foi possível identificar que todos os subdomínios do MKT foram mobilizados durante as discussões nos fóruns e, no caso da autoavaliação, alguns subdomínios foram mais evidentes, como o Conhecimento do Conteúdo no Horizonte. Conclui-se que as atividades assíncronas, especialmente o fórum, permitem que os participantes, além de praticarem a escrita, organizem seus pensamentos antes de escrever, busquem referenciais teóricos para fundamentar suas afirmações e consultem seus alunos da Educação Básica para enriquecer as discussões. Por fim, sugere-se que as escritas dos professores, quando intencionalmente organizadas levando-se em consideração os subdomínios identificados, podem ser utilizadas em processos de formação inicial ou continuada de professores que ensinam Matemática.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Henrique Rizek Elias, Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR)/Campus Londrina

É professor da Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR), campus Londrina, e atua como docente permanente do Programa de Pós-Graduação em Ensino de Matemática (PPGMAT), oferecido pela UTFPR, multicampi Cornélio Procópio e Londrina. Sua formação é em bacharelado e licenciatura em Matemática, pela Universidade de São Paulo (USP), mestrado e doutorado em Ensino de Ciências e Educação Matemática, pela Universidade Estadual de Londrina (UEL). Seus interesses atuais de pesquisa estão relacionados à Formação de Professores que ensinam Matemática e ao desenvolvimento do raciocínio matemático dos estudantes da Educação Básica e do Ensino Superior.

Línlya Sachs, Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR)/Campus Cornélio Procópio

É professora da Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR), campus Cornélio Procópio, e atua como docente permanente do Programa de Pós-Graduação em Ensino de Matemática (PPGMAT, oferecido pela UTFPR, multicampi Cornélio Procópio e Londrina. Sua formação é em bacharelado e licenciatura em Matemática, pela Universidade de São Paulo (USP), mestrado em Ensino de Ciências e Educação Matemática, pela Universidade Estadual de Londrina (UEL), e doutorado em Educação Matemática, pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (Unesp). Seus interesses atuais de pesquisa estão relacionados a Educação Matemática, Educação do Campo, Etnomatemática, Currículo e Formação de Professores.

Referências

ARAMAN, E. M. O.; SERRAZINA, M. L. Processos de raciocínio matemático na resolução de tarefas exploratórias no 3º ano de escolaridade. Revista Paranaense de Educação Matemática, Campo Mourão, v. 9, n. 18, p. 118-136, 2020. Disponível em: https://periodicos.unespar.edu.br/index.php/rpem/article/view/6189/4212. Acesso em: 2 nov. 2022.

BALL, D. L.; THAMES, M. H.; PHELPS, G. Content knowledge for teaching: What makes it special? Journal of Teacher Education, n. 59, p. 389-407, 2008.

CARRILLO, J. et al. The mathematics teacher’s specialised knowledge (MTSK) model. Research in Mathematics Education, v. 20, n. 3, p. 236-253, 2018. Disponível em: https://www.tandfonline.com/doi/abs/10.1080/14794802.2018.1479981?journalCode=rrme20. Acesso em: 2 nov. 2022.

COSTA, A. P. et al. Abordagem de algoritmos da divisão em livros didáticos de Matemática para os anos iniciais. Educação Matemática Debate, Montes Claros, v. 2, n. 4, jan./abr. 2018. Disponível em: https://www.periodicos.unimontes.br/index.php/emd/article/view/59. Acesso em: 2 nov. 2022.

FREITAS, M. T. M. A escrita em ambientes virtuais: um caminho promissor na formação do professor de Matemática e outras áreas. In: NACARATO, A. M.; LOPES, C. E. (Org.). Indagações, reflexões e práticas em leituras e escritas na Educação Matemática. Campinas: Mercado das Letras, 2013. p. 255-278.

NACARATO, A. M. A escrita nas aulas de Matemática: diversidade de registros e suas potencialidades. Leitura: Teoria e Prática, v. 31, p. 63-79, 2013. Disponível em: https://ltp.emnuvens.com.br/ltp/article/view/196. Acesso em: 2 nov. 2022.

PASSOS, C. L. B. A comunicação nas aulas de Matemática revelada nas narrativas escritas em diários reflexivos de futuros professores. Interacções. Lisboa, n. 8, p. 18-36, 2008. Disponível em: https://revistas.rcaap.pt/interaccoes/article/view/352. Acesso em: 2 nov. 2022.

PASSOS, C. L. B. Ler e escrever é preciso: a formação matemática de professores dos anos iniciais na modalidade a distância. In: NACARATO, A. M.; LOPES, C. E. (Org.). Indagações, reflexões e práticas em leituras e escritas na Educação Matemática. Campinas: Mercado das Letras, 2013. p. 221-254.

PONTE, J. P. Gestão curricular em Matemática. In: GTI (Ed.), O professor e o desenvolvimento curricular. Lisboa: APM, 2005, p. 11-34.

POWELL, A. Desafios e tecnologias nas escritas e nas leituras em Educação Matemática. In: NACARATO, A. M.; LOPES, C. E. (Org.). Indagações, reflexões e práticas em leituras e escritas na Educação Matemática. Campinas: Mercado das Letras, 2013. p. 149-168.

POWELL, A.; BAIRRAL, M. A Escrita e o pensamento matemático: interações e potencialidades. Papirus Editora, 2014. Edição do Kindle.

RIBEIRO, A. J.; AGUIAR, M.; TREVISAN, A. L. Oportunidades de aprendizagem vivenciadas por professores ao discutir coletivamente uma aula sobre padrões e regularidades. Quadrante, v. 29, n. 1, p. 52-73, 2020. Disponível em: https://quadrante.apm.pt/article/view/23010. Acesso em: 2 nov. 2022.

RODRIGUES, A. L.; TEIXEIRA, B. R. Conhecimento especializado do professor de Matemática revelado na escrita reflexiva de futuros professores decorrente de simulações de aulas. Revista de Ensino de Ciências e Matemática (REnCiMa), v. 12, n. 3, p. 1-26, 2021. Disponível em: https://revistapos.cruzeirodosul.edu.br/index.php/rencima/article/view/2820. Acesso em: 2 nov. 2022.

SANTOS, L. Auto-avaliação regulada: porquê, o quê e como? Ministério de Educação de Portugal. Departamento do Ensino Básico, 2002.

SMITH, M. S. Practice-Basead Professional Development for Teachers of Mathematics. Reston, Virgínia: National Council of Teachers of Mathematics, 2001.

Downloads

Publicado

13-12-2023

Como Citar

ELIAS, H. R. .; SACHS, L. Subdomínios do Conhecimento Matemático para o Ensino mobilizados por meio da escrita de professores . Revista Eletrônica de Educação, [S. l.], v. 17, p. e6223083, 2023. DOI: 10.14244/198271996223. Disponível em: https://www.reveduc.ufscar.br/index.php/reveduc/article/view/6223. Acesso em: 27 maio. 2024.

Edição

Seção

Dossiê Formação de Professores que Ensinam Matemática
##plugins.generic.dates.received## 2022-11-02
##plugins.generic.dates.accepted## 2023-06-10
##plugins.generic.dates.published## 2023-12-13