Estado do conhecimento sobre iniciação científica na educação básica

Autores

DOI:

https://doi.org/10.14244/198271995292

Palavras-chave:

Iniciação Científica, Educação Básica, Estado do Conhecimento.

Resumo

A Iniciação Científica presente na escola básica configura-se como importante espaço de construção de conhecimentos relacionados ao campo da ciência, do método científico e da produção de saberes nas mais variadas áreas da ciência. O principal objetivo da presente investigação foi construir um estado do conhecimento sobre Iniciação Científica na educação básica. Para tanto, realizou-se pesquisa bibliográfica em formato de estado do conhecimento, com recorte temporal adotado entre os anos de 2010-2020, tendo sido selecionadas as bases de dados: IBICT (para teses e dissertações); Google Acadêmico e Scielo (para artigos científicos). Os descritores para composição do corpus da pesquisa foram: “Pesquisa”; “Iniciação Científica”; “Escola”; “Educação Básica”; “Iniciação Científica Júnior”. Os resultados demonstraram a presença de 18 artigos científicos, 05 dissertações e 05 teses. A análise descritiva demonstrou a concentração dos estudos na região concentrada Sul-Sudeste, bem como a recorrência das universidades federais na sua produção. A maior parte dos estudos contou com análise documental, seguida de entrevistas e observações, como recursos de coleta de dados. As conclusões dos estudos apresentaram as potencialidades da IC na formação e motivação dos estudantes, mas também ressaltaram preocupação com a formação pedagógica docente, bem como suscitaram reflexões sobre a importância da educação científica na contemporaneidade.  É possível considerar, portanto, que a presença de práticas de Iniciação Científica na educação básica colabora significativamente na formação critica e cidadã dos estudantes, fomentando o debate em torno da ciência, necessidade cada vez maior no contemporâneo.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Victor Hugo Nedel Oliveira Oliveira, Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS)

Doutor em Educação pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul. Licenciado e Mestre em Geografia pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Professor Adjunto e Pesquisador do Departamento de Geografia e do Programa de Pós-Graduação em Geografia da Universidade Federal do Rio Grande do Sul.

Daniel Giordani Vasques , Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS)

Doutor em Ciências do Movimento Humano pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Licenciado e Mestre em Educação Física pela Universidade Federal de Santa Catarina. Professor Adjunto e Pesquisador do Departamento de Educação Física, Fisioterapia e Dança e do Programa de Pós-Graduação em Ciências do Movimento Humano da Universidade Federal do Rio Grande do Sul.

Referências

ALBERTONI, Vivian et al. Iniciação Científica na segunda metade dos anos finais do Ensino Fundamental: percursos da Equipe de Professores do Projeto PIXEL do Colégio de Aplicação da UFRGS. Cadernos do Aplicação. v. 32, n. 1, p. 61-71, 2019. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/CadernosdoAplicacao/article/view/93328. Acesso em: 05 jan. 2021.

ARANTES, Shriley; PERES, Simone. Programas de iniciação científica para o ensino médio no Brasil: educação científica e inclusão social. Pesquisas e Práticas Psicossociais. v. 10, n. 1, p. 37-54, 2015. Disponível em: http://pepsic.bvsalud.org/pdf/ppp/v10n1/04.pdf. Acesso em: 05 jan. 2021.

BARDIN, Laurence. Análise de conteúdo. Lisboa: Edições70, 2004.

BARIANI, Isabel. Estilos cognitivos de universitários e iniciação científica. 1998. Tese (Doutorado em Educação) - Faculdade de Educação, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 1998.

BIANCHETTI, Lucídio; OLIVEIRA, Adriano; SILVA, Evellyn; TURNES, Luíza. A iniciação à pesquisa no Brasil: políticas de formação de jovens pesquisadores. Educação (UFSM). v. 37, n. 3, p. 569-584, 2012. Disponível em: https://periodicos.ufsm.br/reveducacao/article/view/5012. Acesso em: 05 jan. 2021.

BLOOM, Benjamin et al. Taxonomy of educational objectives: The classifications educational goals. Hand book 1. Cognitive Domain. Nova York: McKay, 1950.

BOCASANTA, Daiane; KNIJNIK, Gelsa. Dispositivo de tecnocientificidade e iniciação científica na educação básica. Currículo sem Fronteiras. v. 16, n. 1, p.139-158, 2016. Disponível em: https://www.curriculosemfronteiras.org/vol16iss1articles/bocasanta-knijnik.pdf. Acesso em: 05 jan. 2021.

CARVALHO, Eros. “Por que confiar na ciência?”. Jornal da Universidade - UFRGS, Porto Alegre. 21 mai 2020. Disponível em: https://www.ufrgs.br/jornal/por-que-confiar-na-ciencia/. Acesso em: 05 jan. 2021.

CHATEAURAYNAUD, Francis. La faute profissionelle: une sociologie des conflits de responsabilité. Paris: Metailié, 1991.

CIRANI, Cláudia; CAMPANARIO, Milton; SILVA, Heloísa. A evolução do ensino da pós-graduação senso estrito no Brasil: análise exploratória e proposições para pesquisa. Avaliação. Revista da Avaliação da Educação Superior. v. 20, n. 1, p.163-187, 2015. Disponível em: https://www.scielo.br/scielo.php?pid=S1414-40772015000100163&script=sci_abstract&tlng=pt. Acesso em: 05 jan. 2021.

CORRÊA, André. Rolando dados, criando histórias, aprendendo história - o uso do RPG como instrumento de iniciação científica no ensino de história. 2017. Dissertação (Mestrado Profissional em Ensino de História) – Programa de Pós-Graduação em Ensino de História, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2017.

COSTA, Washington; ZOMPERO, Andreia. A iniciação científica no Brasil e sua propagação no Ensino Médio. REnCiMa. v. 8, n. 1, p.14-25, 2017. Disponível em: http://revistapos.cruzeirodosul.edu.br/index.php/rencima/article/view/988. Acesso em: 05 jan. 2021.

COUTO, Mary. Os Clubes de Ciências e a Iniciação à Ciência: uma Proposta de Organização no Ensino Médio. 2017. Dissertação (Mestrado Profissional em Ensino de Ciências) – Programa de Pós-Graduação em Ensino de Ciências, Universidade de Brasília, Brasília, 2017.

CUNHA, Andreia et al. Articulação entre iniciação científica e promoção da igualdade racial no Ensino Médio: uma estratégia para políticas públicas educacionais. Revista da Associação Brasileira de pesquisadores/as negros/as. v. 10, p.230-242, 2018. Disponível em: http://abpnrevista.org.br/revista/index.php/revistaabpn1/article/view/538. Acesso em: 05 jan. 2021.

DAMINELLI, Elisa. A pesquisa e a produção de conhecimento nos Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia no RS: um estudo sobre a iniciação científica com estudantes do ensino médio técnico. 2018. Tese (Doutorado em Educação) – Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2018.

GEWEHR, Diógenes et al. Metodologias ativas de ensino e de aprendizagem: uma abordagem de iniciação à pesquisa. Revista Ensino & Pesquisa. v. 14, n. 1, p. 225-246, 2016. Disponível em: http://periodicos.unespar.edu.br/index.php/ensinoepesquisa/article/view/843. Acesso em: 05 jan. 2021.

GIL, Antônio Carlos. Métodos e técnicas de pesquisa social. São Paulo: Atlas, 2007.

GONÇALVES, Daniela. A iniciação científica no ensino médio: contexto atual, desafios e perspectivas na área de ciências da natureza. 2018. Dissertação (Mestrado em Educação nas Ciências) – Programa de Pós-Graduação em Ensino de Ciências, Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, 2018.

GOODE, William; HATT, Paul. Métodos em pesquisa social. 2 ed. São Paulo. Ed. Nacional, 1968.

GROSSI, Maria; BATISTA, Patrícia. A prática de Iniciação à Pesquisa em uma turma de alfabetização. Cadernos do Aplicação. v. 31, n. 2, p.49-57, 2018. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/CadernosdoAplicacao/article/view/84602. Acesso em: 05 jan. 2021.

GUARDIAN, The. “'Post-truth' named word of the year by Oxford Dictionaries”. The Guardian, London. 15 nov. 2016. Disponível em: https://www.theguardian.com/books/2016/nov/15/post-truth-named-word-of-the-year-by-oxford-dictionaries. Acesso em: 12 jun. 2020.

KRÜGER, Joelma; PREZILIUS, Ana; LEITE, Sidnei. Alfabetização científica com enfoque CTSA: produção de um jornal da ciência no Ensino Médio público. Revista Eletrônica Debates em Educação Científica e Tecnológica. v. 3, n. 2, p.79-97, 2013. Disponível em: http://oasisbr.ibict.br/vufind/Record/IFES-1_1518fb2042eb1b7cdf385893138bdfce. Acesso em: 05 jan. 2021.

LATOUR, Bruno. Políticas da natureza: como fazer ciência na democracia. Bauru: EDUSC, 2004.

LATOUR, Bruno. “Como falar do corpo? A dimensão normativa dos estudos sobre a ciência”. In: NUNES, João Arriscado; ROQUE, Ricardo (orgs.). Objectos impuros: experiências em estudos sobre a ciência. Porto: Edições Afrontamento, 2008, p.39-61.

LATOUR, Bruno. A esperança de Pandora: ensaios sobre a realidade dos estudos científicos. São Paulo: Editora UNESP, 2017.

LATOUR, Bruno. Jamais fomos modernos: ensaio de antropologia simétrica. São Paulo: Editora 34, 2019.

LATOUR, Bruno. Ciência em ação: como seguir cientistas e engenheirossociedade afora. São Paulo: UNESP, 2000.

LATOUR, Bruno; WOOLGAR, Steve. A vida de laboratório: a produção dos fatos científicos. Rio de Janeiro: Relume Dumará, 1997.

LIMA, Nathan; VAZATA, Pedro Antônio Viana; OSTERMANN, Fernanda; CAVALCANTI, Claudio José de Holanda; GUERRA, Andreia. A. Educação em Ciências nos Tempos de Pós-Verdade: Reflexões Metafísicas a partir dos Estudos das Ciências de Bruno Latour. Revista Brasileira de Pesquisa em Educação em Ciências, n. 19, p.155-189, 2019. Disponível em: https://periodicos.ufmg.br/index.php/rbpec/article/view/4933/9956. Acesso em: 05 jan. 2021.

LIMA, Sônia. Inovação pedagógica, práticas pedagógicas inovadoras e concepções docentes no macrocampo iniciação científica e pesquisa do PROEMI. 2017. Dissertação (Mestrado em Educação) – Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2017.

MARQUES, Mário. “Pedagogia”. In: GONZÁLEZ, Fernando; FENSTERSEIFER, Paulo (orgs.). Dicionário crítico de Educação Física. Ijuí, Unijuí, 2005, p. 313-316.

MAZZEI, Luiz. Iniciação científica na escola: uma abordagem pluralista. Cadernos do Aplicação. v. 26, n. 2, p.39-47, 2013. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/CadernosdoAplicacao/article/view/43140. Acesso em: 05 jan. 2021.

MOROSINI, Marília. Estado de conhecimento e questões do campo científico. Educação (UFSM). v. 40, n. 1, p. 101-116, 2015. Disponível em: https://periodicos.ufsm.br/reveducacao/article/view/15822/pdf. Acesso em: 05 jan. 2021.

MOURA, Cristiano; GUERRA, Aandreia. História Cultural da Ciência: Um Caminho Possível para a Discussão sobre as Práticas Científicas no Ensino de Ciências? Revista Brasileira de Pesquisa em Educação em Ciências. v. 16, n. 3, p.725-748, 2016. Disponível em: https://periodicos.ufmg.br/index.php/rbpec/article/view/4497. Acesso em: 05 jan. 2021.

OLIVEIRA, Adriano; BIANCHETTI, Lucídio. Documentos de política científica e educacional: convergências em torno da educação básica. Revista Brasileira de Política e Administração da Educação. v. 33, n. 1, p. 151-166, 2017. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/rbpae/article/view/68640. Acesso em: 05 jan. 2021.

OLIVEIRA, Adriano. A iniciação científica júnior (ICJ): aproximações da educação superior com a educação básica. 2015. Tese (Doutorado em Educação) – Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade Federal de Santa Catariana, Florianópolis, 2015.

OLIVEIRA, Adriano; BIANCHETTI, Lucídio. Iniciação Científica Júnior: desafios à materialização de um círculo virtuoso. Ensaio – Avaliação e Políticas Públicas em Educação. v. 26, n. 98, p. 133-162, 2018. Disponível em: https://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0104-40362018000100133&script=sci_abstract&tlng=pt. Acesso em: 05 jan. 2021.

OLIVEIRA, Fátima. Pactos e impactos da iniciação científica na formação dos estudantes do ensino médio. 2017. Tese (Doutorado em Educação Científica Tecnológica) – Programa de Pós-Graduação em Educação Científica Tecnológica, Universidade Federal de Santa Catariana, Florianópolis, 2017.

OLIVEIRA, Gisele. Percursos dos jovens de escolas públicas de ensino médio e Profissional no Programa de iniciação científica júnior da UFMG. 2013. Tese (Doutorado em Educação, Conhecimento e Inclusão Social) – Programa de Pós-Graduação em Educação, Conhecimento e Inclusão Social, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2013.

OVIGLI, Daniel. Iniciação científica na educação básica: uma atividade mais do que necessária. Revista Brasileira de Iniciação Científica. v. 1, n. 1, p. 1-13, 2014. Disponível em: https://periodicos.itp.ifsp.edu.br/index.php/IC/article/view/13. Acesso em: 05 jan. 2021.

PRIMAVERA, Andressa. Iniciação científica no ensino médio: contribuições do Programa Ciência na Escola. 2018. Dissertação (Mestrado em Ensino de Ciências e Matemática) – Programa de Pós-Graduação em Ensino de Ciências e Matemática, Universidade Federal do Amazonas, Manaus, 2018.

ROSA, Marlusa. A inclusão da instituição escola na cultura digital e a construção de novos paradigmas a partir da iniciação científica na educação básica. 2013. Tese (Doutorado em Informática na Educação) – Programa de Pós-Graduação em Informática na Educação. Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2013.

SANTOS, Milton; SILVEIRA, Maria. O Brasil: território e sociedade no início do século XXI. Rio de Janeiro: Record, 2001.

SANTOS, Rosemary; BARBIERI, Marisa; SANCHEZ, Roberto. Alfabetização científica e iniciação científica: da assimilação deconceitos ao comportamento científico. RBPG – Revista Brasileira de Pós-Graduação. v. 14, p.1-18, 2017. Disponível em: http://ojs.rbpg.capes.gov.br/index.php/rbpg/article/view/1472. Acesso em: 05 jan. 2021.

SILVEIRA, José; CASSIANI, Suzani. Iniciação científica no ensino fundamental: a escola e seu lugar problematizador das relações entre ciência, tecnologia e sociedade. Sensos-e. vol. III, n. 2, 2016. Disponível em: http://sensos-e.ese.ipp.pt/?p=11715. Acesso em: 05 jan. 2021.

SILVEIRA, José. CASSIANI, Suzani; LINSINGEN, Irlan. Escrita e autoria em texto de iniciação científica no ensinofundamental: uma outra relação com o saber é possível? Ciência & Educação. v. 24, n. 1, p.9-25, 2018. Disponível em: https://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1516-73132018000100009. Acesso em: 05 jan. 2021.

SILVEIRA, Zuleide. Formação científica no nível médio de ensino: primeiras aproximações. Boletim Técnico do SENAC. v. 41, n. 1, p.36-57, 2015. Disponível em: https://www.bts.senac.br/bts/article/view/55. Acesso em: 05 jan. 2021.

Downloads

Publicado

19-12-2023

Como Citar

OLIVEIRA, V. H. N. O. .; VASQUES , D. G. . . Estado do conhecimento sobre iniciação científica na educação básica. Revista Eletrônica de Educação, [S. l.], v. 17, p. e5292104, 2023. DOI: 10.14244/198271995292. Disponível em: https://www.reveduc.ufscar.br/index.php/reveduc/article/view/5292. Acesso em: 17 jun. 2024.

Edição

Seção

Demanda Contínua - Artigos
##plugins.generic.dates.received## 2022-05-04
##plugins.generic.dates.accepted## 2023-07-19
##plugins.generic.dates.published## 2023-12-19