Formação de professores alfabetizadores e a inclusão escolar da criança com deficiência

Autores

DOI:

https://doi.org/10.14244/198271995005

Palavras-chave:

Alfabetização da criança com deficiência, Formação de professores alfabetizadores, Inclusão escolar.

Resumo

O artigo discute a formação de professores alfabetizadores de crianças com deficiência diante do paradigma da inclusão escolar. Os dados resultaram de análise do Projeto Pedagógico e das fichas de disciplinas do curso de Pedagogia de uma instituição pública de ensino superior no interior do Estado de Minas Gerais e dos discursos obtidos de entrevistas semiestruturadas aplicadas a três alfabetizadoras, que vivenciaram a experiência de alfabetizar, respectivamente, uma criança com transtorno do espectro autista, uma com cegueira e uma com surdez. A pesquisa foi pautada pela perspectiva histórico-cultural de Vygotsky com as contribuições das teorias que compreendem a alfabetização como um processo discursivo. Os resultados mostraram que, muito embora a construção das propostas formativas da licenciatura em Pedagogia da instituição pesquisada esteja balizada em atividades de ensino, gestão e pesquisa em ambientes escolar e não escolar, tendo a docência como base de formação do Pedagogo, a questão específica sobre a alfabetização da pessoa com deficiência foi timidamente contemplada no currículo, refletindo diretamente e negativamente na prática docente. Os discursos das professoras revelaram que a ausência, durante o curso de Pedagogia, de ações formativas mais direcionadas à alfabetização de crianças com deficiência provocou a falta de condições e de possibilidades concretas de desenvolvimento disponíveis tanto ao professor alfabetizador quanto ao aluno com deficiência por ele atendido.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Eliamar Godoi, Universidade Federal de Uberlândia – UFU/Instituto de Letras e Linguística – ILEEL

Doutora em Estudos Linguísticos e Professora do Programa de Pós-Graduação em Estudos Linguísticos/PPGEL da Universidade Federal de Uberlândia/UFU. Líder do Grupo de Pesquisas em Estudos da Linguagem, Libras, Educação Especial e a distância e Tecnologias/GPELET.

Juliano Guerra Rocha, Universidade Federal de Juiz de Fora – UFJF/Faculdade de Educação – Faced

Doutor em Educação pela Universidade Federal de Uberlândia. Estágio de pós-doutoramento na linha de Educação e Linguagem na Universidade Federal de Minas Gerais. É Professor Adjunto na Universidade
Federal de Juiz de Fora.

Letícia de Sousa Leite , Universidade Federal de Uberlândia - UFU/Diretoria de ensino - Diren/Centro de Ensino, Pesquisa, Extensão e Atendimento em Educação Especial - Cepae

Doutoranda em Estudos Linguísticos e Intérprete de Libras da Universidade Federal de Uberlândia/UFU e pesquisadora do Grupo de Pesquisas em Estudos da Linguagem, Libras, Educação Especial e a distância e Tecnologias/GPELET.

Referências

BARRETO, Lucia Cristina Dalago; SHIMAZAKI, Elsa. A formação de professores alfabetizadores para a educação inclusiva: um destaque ao Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa. RIAEE – Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, Araraquara, v. 14, n. 1, p. 157-168, jan./mar., 2019.

BORGES, Adriana Araújo Pereira; NOGUEIRA, Maria Luísa Magalhães (Orgs.). Toda criança pode aprender: o aluno com autismo na escola. Campinas: Mercado de Letras, 2018.

BRASIL. Lei n.º 9.394, de 20 de dezembro 1996. Institui a Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. 1996. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/ l9394.htm. Acesso em: 20 mar. 2020.

BRASIL. CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO. Parecer CNE/CP n.º 5/2005, aprovado em 13 de dezembro de 2005. Diretrizes Curriculares Nacionais para o Curso de Pedagogia. 2005a. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/cne/arquivos/pdf/ pcp00 3_06.pdf. Acesso em: 02 fev. 2020.

BRASIL. Decreto n.º 5.626, de 22 de dezembro de 2005. Regulamenta a Lei no 10.436, de 24 de abril de 2002, que dispõe sobre a Língua Brasileira de Sinais - Libras, e o art. 18 da Lei no 10.098, de 19 de dezembro de 2000. 2005b. Disponível em: https://www2.camara.leg.br/legin/fed/decret/2005/decreto-5626-22-dezembro-2005-539842-publicacaooriginal-39399-pe.html. Acesso em: 02 fev. 2020.

BRASIL. RESOLUÇÃO CNE/CP Nº 1, de 15 de maio de 2006. Institui Diretrizes Curriculares Nacionais para o Curso de Graduação em Pedagogia, licenciatura. 2006. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/cne/arquivos/pdf/rcp01_06.pdf. Acesso em: 02 fev. 2020.

BRASIL. Política Nacional de Educação Especial na perspectiva da Educação Inclusiva. Brasília: MEC, 2008.

BRASIL. Lei n.º 13.146, de 6 de julho de 2015. Institui a Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa com Deficiência (Estatuto da Pessoa com Deficiência). 2015. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2015-2018/2015/lei/l13146.htm. Acesso em: 20 mar. 2020.

BRASIL. Documento Orientador – PNAIC em Ação 2017. Brasília: Secretaria de Educação Básica (MEC/SEB), 2017.

BRASIL. PACTO NACIONAL PELA ALFABETIZAÇÃO NA IDADE CERTA. Caderno de Educação Especial: A alfabetização de crianças com deficiência: uma proposta inclusiva. Brasília: MEC, SEB, 2012.

BRASIL. PACTO NACIONAL PELA ALFABETIZAÇÃO NA IDADE CERTA. Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa: Educação Inclusiva. Brasília: MEC, SEB, 2014.

BRASIL. PACTO NACIONAL PELA ALFABETIZAÇÃO NA IDADE CERTA. Currículo na perspectiva da inclusão e da diversidade: as Diretrizes Curriculares Nacionais da Educação Básica e o ciclo de alfabetização. Brasília: MEC, SEB, 2015.

CAIADO, Katia Regina Moreno; CAMPOS, Juliane Aparecida de Paula Perez; VIRALONGA, Carla Ariela Rios. Estudo exploratório sobre o perfil, formação e as condições de trabalho do professor. In: CAIADO, Katia Regina Moreno; JESUS, Denise Meyrelles; BAPTISTA, Claudio Roberto (Orgs.). Professores e Educação Especial: formação em foco. Porto Alegre: Mediação, 2011.

CAVALCANTE, Tícia; ASFORA, Rafaella; SOUSA, Wilma; MOURÃO, Carlos; SEAL, Ana Gabriela. Introdução. In: BRASIL. PACTO NACIONAL PELA ALFABETIZAÇÃO NA IDADE CERTA. Caderno de Educação Especial: A alfabetização de crianças com deficiência: uma proposta inclusiva. Brasília: MEC, SEB, 2012.

E. E. “Ficha da disciplina Educação Especial”. Licenciatura em Pedagogia, Minas Gerais, s. d.

FIORIN, José L. Introdução ao pensamento de Bakhtin. São Paulo: Ática, 2011.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. São Paulo: Paz e Terra, 1996.

GOIÁS. Diretrizes Operacionais da Rede Pública Estadual de Educação de Goiás (2020-2022). Goiânia/GO: SEE-GO, 2020.

GODOI, Eliamar; LEITE, Letícia de Sousa. Avaliação e o Atendimento Educacional Especializado para alunos surdos: planejamento pedagógico individualizado. In: PAVÃO, Sílvia Maria de Oliveira; PAVÃO, Ana Cláudia Oliveira Pavão (Orgs.). Avaliação: reflexões sobre o processo avaliativo no AEE. Santa Maria - RS: Facos-UFSM, 2019.

IMBERNÓN, Francisco. Formação docente e profissional: formar-se para a mudança e a incerteza. 6ª edição. São Paulo: Cortez, 2006.

LANUTI, José Eduardo de Oliveira Evangelista; MANTOAN, Maria Teresa Eglér. Ressignificar o Ensino e a Aprendizagem a partir da Filosofia da Diferença. Polyphonia, Revista de Educación Inclusiva (Publicación científica del Centro de Estudios Latinoamericanos de Educación Inclusiva de Chile), v. 2, n. 1, p. 119-129, 2018.

MACHADO, Rosângela. O Atendimento Educacional Especializado (AEE) e sua repercussão na mudança das práticas pedagógicas, na perspectiva da educação inclusiva: um estudo sobre as escolas comuns da Rede Municipal de Ensino de Florianópolis/SC. 185 p. 2013. Tese (Doutorado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade Estadual de Campinas, Campinas. 2013.

MANTOAN, Maria Teresa Eglér. Inclusão escolar: O que é? Por quê? Como fazer?. 1ª edição. São Paulo: Editora Moderna, 2003.

MANTOAN, Maria Teresa Eglér. Inclusão escolar: caminhos, descaminhos, desafios, perspectivas. In: MANTOAN, Maria Teresa Eglér (Org.). O desafio das diferenças nas escolas. 4ª edição. Petrópolis, Rj: Vozes, 2011a.

MANTOAN, Maria Teresa Eglér. Os sentidos da diferença. Revista Inclusão Social, Brasília, v. 4, n. 2, janeiro/junho de 2011b.

MANTOAN, Maria Teresa Eglér. Uma escola de todos, para todos e com todos: o mote da inclusão. In: STOBAUS, Claus Dieter; MOSQUERA, Juan Jose Mouriño (Orgs.). Educação Especial: em direção à educação inclusiva. 4ª edição.Porto Alegre: EDIPUCRS, 2012.

MANTOAN, Maria Teresa Eglér; GRABOIS, Cláudia; DUTRA, Cláudia Pereira; CAVALCANTE, Meire. Em defesa da Política Nacional de Educação Especial na perspectiva da Educação Inclusiva: análise e manifestação sobre a proposta do Governo Federal de reformar a PNEEPEI (MEC/2018). Campinas: LEPED, 2018.

OLIVEIRA, Marília Villela de; RESENDE, Valéria Barbosa de; MACIEL, Francisca Izabel Pereira. Breve história da formação continuada de professoras alfabetizadoras nos séculos XX e XXI: continuidades e rupturas (2000-2019). In: MACIEL, Francisca Izabel Pereira; SANTOS, Sônia Maria dos; ROCHA, Juliano Guerra. História da formação de alfabetizadoras em Minas Gerais. Uberlândia: Navegando Publicações, 2020.

ONU. ORGANIZAÇÃO DAS NAÇÕES UNIDAS. Declaração Universal dos Direitos Humanos. 1948. Disponível em: https://nacoesunidas.org/direitoshumanos/dec laracao/. Acesso em: 02 fev. 2020.

ORRÚ, Sílvia Ester. Autismo: o que os país devem saber? Rio de Janeiro: Wak Editora, 2011.

PIRES, Marília Freitas de Campos. O materialismo histórico-dialético e a Educação. Interface, Botucatu, v.1 n.1 Botucatu, ago. 1997.

P. M. A. Ficha da disciplina “Princípios e Métodos de Alfabetização”. Licenciatura em Pedagogia, Minas Gerais, s. d.

P. P. C. Projeto Pedagógico de Curso. Licenciatura em Pedagogia, Minas Gerais, 2006.

ROCHA, Juliano Guerra; BARBOSA, Meiriene Cavalcante. O processo de alfabetização na perspectiva inclusiva: recursos e estratégias na escola para todos. In: GOULART; Ilsa do Carmo Vieira; MAZIERO, Maria das Dores Soares; CARVALHO, Silvia Aparecida Santos de. Leitura, escrita e alfabetização: a pluralidade das práticas. Campinas, SP: Edições Leitura Crítica, 2017.

SANTOS, Boaventura de Sousa. Por uma concepção multicultural de direitos humanos. In: SANTOS, Boaventura de Sousa. Reconhecer para libertar: os caminhos do cosmopolitismo multicultural. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2003.

SAVIANI, Dermeval. Pedagogia histórico crítica: primeiras aproximações. 4ª edição. São Paulo: Autores Associados, 1994.

SAVIANI, Dermeval. Educação do senso comum à consciência filosófica. 18ª edição. Campinas, Autores Associados, 2009.

SKLIAR, Carlos. A invenção e a exclusão da alteridade deficiente a partir dos significados da normalidade. Educação e Realidade, Porto Alegre, v. 24, n. 2, p. 15-32, 1999.

SKLIAR, Carlos. A inclusão que é “nossa” e a diferença que é do “outro”. In: RODRIGUES, David (Org.). Inclusão e educação: doze olhares sobre a educação inclusiva. São Paulo: Summus, 2006.

SMOLKA, Ana Luiza Bustamante. A criança na fase inicial da escrita: alfabetização como processo discursivo. São Paulo: Cortez, 2013.

SMOLKA, Ana Luiza Bustamante. Alfabetização como processo discursivo. In: FRADE, Isabel Cristina Alves da Silva; COSTA VAL, Maria da Graça; BREGUNCI, Maria das Graças de Castro (Org.). Glossário Ceale: termos de alfabetização, leitura e escrita para educadores. Belo Horizonte: Faculdade de Educação/UFMG, 2014.

VYGOTSKY, Lev Semionovitch. Aprendizagem e desenvolvimento na Idade Escolar. In: VYGOSTKY, Lev Semionovitch; LURIA, Alexander; LEONTIEV, Alexis. Linguagem, desenvolvimento e aprendizagem. 11ª. Edição. São Paulo: Ícone, 2010, p. 103-116.

VYGOTSKY, Lev Semionovitch. Fundamentos de defectologia. In: Obras completas. Tomo V. Trad. de Maria del Carmen Ponce Fernandez. Havana: Editorial Pueblo y Educación, 1997, p. 74 - 87.

ZEICHNER, Ken. Repensando as conexões entre a formação na universidade e as experiências de campo na formação de professores em faculdades e universidades. Educação, Santa Maria, v. 35, n. 3, p. 479-504, set./dez. 2010.

Downloads

Publicado

11-04-2023

Como Citar

GODOI, E. .; ROCHA, J. G. .; LEITE , L. de S. . Formação de professores alfabetizadores e a inclusão escolar da criança com deficiência. Revista Eletrônica de Educação, [S. l.], v. 17, p. e5005017, 2023. DOI: 10.14244/198271995005. Disponível em: https://www.reveduc.ufscar.br/index.php/reveduc/article/view/5005. Acesso em: 27 maio. 2024.

Edição

Seção

Dossiê Formação de professores alfabetizadores: políticas, saberes e práticas
##plugins.generic.dates.received## 2022-05-01
##plugins.generic.dates.accepted## 2021-09-08
##plugins.generic.dates.published## 2023-04-11