O início da docência no contexto cearense: estudo sobre a prática de indução profissional docente

Autores

DOI:

https://doi.org/10.14244/198271996447

Palavras-chave:

Indução, Docência, Professores iniciantes, Educação Básica.

Resumo

O início da docência é uma etapa essencial da formação docente para o desenvolvimento profissional de professores, pois é marcado pelo enfrentamento de desafios e dificuldades que impactam diretamente a aprendizagem da profissão. Nessa perspectiva, o processo de indução docente é uma possibilidade de amenizar as dificuldades que impactam esse período, sendo caracterizado pelo investimento em ações intencionais e sistematizadas de apoio e acompanhamento do trabalho docente. Isso posto, o presente artigo versa sobre o início da docência e objetiva discutir uma ação específica de indução profissional docente a partir das narrativas de professores iniciantes sobre os seus modos de agir e reagir diante dos desafios da profissão, considerando seus processos de acolhimento, suas trajetórias profissionais, as estratégias exitosas de superação e a experiência vivenciada entre pares em um Grupo de Formação. O debate e os dados apresentados são resultados de uma pesquisa-formação desenvolvida no contexto cearense. Para o desenvolvimento do estudo, realizou-se uma investigação de cunho qualitativo, do tipo pesquisa-formação. Os resultados do estudo demonstram que os professores iniciantes, ao participarem da pesquisa-formação, vivenciando processos de escuta, partilha de questões e trocas de experiências, consolidaram conhecimentos e práticas próprias à profissão docente e encontraram apoio e acompanhamento para o exercício da docência, sendo o desenvolvimento de um processo reflexivo de indução profissional o principal impacto dessa iniciativa.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Diana Aguiar Salomão, Secretaria Municipal da Educação de Fortaleza (SME)

Doutoranda e mestre em Educação pelo Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Estadual do Ceará (PPGE/UECE). Especialista em Educação Infantil e Múltiplas Linguagens pela Faculdade 7 de Setembro. Licenciada em Pedagogia pela Faculdades Cearenses - (Centro de Ensino Superior do Ceará). Integrante do Grupo de Pesquisa Educação, Cultura Escolar e Sociedade (EDUCAS). Exerce mentoria na formação inicial de professores - Projeto Adote um pesquisador iniciante (PAPI). Desenvolve estudos e pesquisas sobre desenvolvimento profissional docente, currículo da Educação Infantil, inovação pedagógica, docência e indução profissional. Atua na Educação Básica (Educação Infantil e Ensino Fundamental) desde 2008 e na formação de docentes desde 2014. Atualmente, professora efetiva da Rede Municipal de Ensino de Fortaleza/ Educação Infantil.

Sandy Lima Costa, Secretaria Municipal da Educação de Fortaleza (SME)

Doutoranda e Mestra em Educação pelo Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Estadual do Ceará - PPGE/UECE. Graduada em Pedagogia pela Universidade Estadual do Ceará - UECE. Professora efetiva da Rede Municipal de Ensino de Fortaleza - CE. Integra o Grupo de Pesquisa Educação, Cultura Escolar e Sociedade - EDUCAS.  Exerce mentoria na formação inicial de professores - Projeto Adote um pesquisador iniciante (PAPI). Exerceu atividades como bolsista de Iniciação Científica da Fundação Cearense de Apoio ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico - FUNCAP e do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - CNPq. Possui experiência na Educação Infantil e nos anos iniciais do Ensino Fundamental. Desenvolve estudos sobre Formação de professores, Desenvolvimento Profissional Docente, Inovação Pedagógica, Indução Profissional e Aprendizagem da docência.

Maria Mikaele da Silva Cavalcante, Secretaria Municipal de São Gonçalo do Amarante (SME)

Doutora e Mestre em Educação pelo Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Estadual do Ceará (PPGE-UECE). Graduada em Pedagogia pela mesma instituição. Professora efetiva da rede municipal de São Gonçalo do Amarante (Ceará), atuando nos anos iniciais do Ensino Fundamental. Tem experiência no Ensino Superior, tanto na Graduação como na Pós-Graduação Lato Sensu. Pesquisadora colaboradora no Grupo de Pesquisa Educação, Cultura Escolar e Sociedade (EDUCAS). Membro da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Educação (ANPEd) e da Associação Nacional de Didática e Prática de Ensino (ANDIPE). Integra a Red de inducción a la docencia (RID). Realizou missão de estudos no Chile em 2023. Desenvolve pesquisas na área de Educação, precisamente sobre formação de professores, iniciação à docência, permanência no magistério e desenvolvimento profissional docente.

Referências

ANDRÉ, Marli Eliza Dalmazo Afonso de. Professores iniciantes: egressos de programas de iniciação à docência. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, v. 23, jul. 2018. Disponível em: https://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_abstract&pid=S1413-24782018000100280&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt. Acesso em: 05 out. 2022.

ALARCÃO, Isabel; ROLDÃO, Maria do Céu. Um passo importante no desenvolvimento profissional dos professores: o ano da indução. Formação docente, Belo Horizonte, v. 06, n. 11, p. 109-126, ago./dez. 2014. Disponível em: https://revformacaodocente.com.br/index.php/rbpfp/article/view/108/97. Acesso em: 09 set. 2022.

BRASIL. Ministério da Saúde. Conselho Nacional de Saúde. Resolução nº 510, de 7 de abril de 2016. Dispõe sobre as normas aplicáveis a pesquisas em Ciências Humanas e Sociais. Diário Oficial da União: seção 1, Brasília, DF, n. 98, p. 44-46, 24 mai. 2016b. Disponível em: https://www.in.gov.br/materia/-/asset_publisher/Kujrw0TZC2Mb/content/id/22917581. Acesso em: 10 set. 2022.

CAMPELO, Talita da Silva; CRUZ, Giseli Barreto da. “Deprivatization of practice” como estratégica de formação inicial docente no Pibid Pedagogia. RIAEE – Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, Araraquara, v. 14, n. 1, p. 169-187, jan./mar., 2019. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/iberoamericana/article/view/11045. Acesso em: 02 set. 2023.

CASTRO, Iris Martins de Souza. Práticas de indução profissional docente no Ensino Médio na perspectiva de coordenadores pedagógicos. 2022. 187 p. Dissertação (Mestrado em Educação) - Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade Estadual do Ceará, Fortaleza, 2022.

CAVALCANTE, Maria Mikaele da Silva. Permanecer ou evadir da docência? Estudo sobre perspectivas de professores iniciantes egressos do PIBID UECE. 2018. 156 p. Dissertação (Mestrado em Educação) - Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade Estadual do Ceará, Fortaleza, 2018.

CLANDININ, Jean; CONNELLY, Michael. Pesquisa narrativa: experiências e história na pesquisa qualitativa. Tradução: Grupo de Pesquisa Narrativa e Educação de Professores. 2 ed. Uberlândia: UFU, 2015.

COCHRAN-SMITH, Marilyn. Stayers, leavers, lovers, and dreamers. Insight about teacher retention. Journal of Teacher Education, [S.l.], v. 55, n. 5, p. 387-392, 2004. Disponível em: https://journals.sagepub.com/doi/pdf/10.1177/0022487104270188. Acesso em: 18 out. 2022.

COCHRAN-SMITH, Marilyn. A tale of two teachers: learning to teach over time. Kappa Delta Pi Record, 48, p.108-122, jul/set, 2012.

CONTRERAS, José. A autonomia dos professores. São Paulo: Cortez, 2012.

CRUZ, Giseli Barreto da; HOBOLD, Márcia de Souza; FARIAS, Isabel Maria Sabino de. Pesquisa COM professores iniciantes: um estudo sobre indução profissional. Relatório de pesquisa, mimeografado. Brasília: CNPq, 2022.

CRUZ, Giseli Barreto; COSTA, Elana Cristiana dos Santos; PAIVA, Marilza Maia de Souza; ABREU, Teo Bueno de. Indução docente em revisão: sentidos concorrentes e práticas prevalecentes. Cadernos de Pesquisa, São Paulo, v. 52, 2022. Disponível em: https://publicacoes.fcc.org.br/cp/article/view/9072. Acesso em: 05 out. 2022.

CRUZ, Giseli Barreto; FARIAS, Isabel Maria Sabino de; HOBOLD, Márcia de Souza. Indução profissional e o início do trabalho docente: debates e necessidades. Dossiê: “Formação e inserção profissional de professores iniciantes: conceitos e práticas”. Revista Eletrônica de Educação, São Carlos, v.14, p. 1-15, jan./dez. 2020. Disponível em: http://www.reveduc.ufscar.br/index.php/reveduc/article/view/4149/1081. Acesso em: 02 set. 2022.

DELORY-MOMBERGER, Christine. A pesquisa biográfica ou a construção compartilhada de um saber do singular. Revista Brasileira de Pesquisa (Auto) Biográfica, Bahia, v.1, n.1, p. 133-147, 2016. Disponível em: https://www.revistas.uneb.br/index.php/rbpab/article/view/2526. Acesso em: 08 fev. 2023.

FARIAS, Isabel Maria Sabino de; SALES, Josete de Oliveira Castelo Branco; BRAGA, Maria Margarete Sampaio de Carvalho; FRANÇA, Maria do Socorro Lima Marques. Didática e docência: aprendendo a profissão. 4. ed. Brasília: Liber Livro, 2014.

GIORDAN, Miriane Zanetti; HOBOLD, Márcia de Souza. A escola como espaço de formação de professores iniciantes. Revista Reflexão e Ação, Santa Cruz do Sul, v. 24, n. 3, p.7-25, set./dez. 2016. Disponível em: https://online.unisc.br/seer/index.php/reflex/article/view/7534. Acesso em: 08 fev. 2023.

HUBERMAN, Michaël. O ciclo de vida profissional dos professores. In: NÓVOA, António (Org.). Vidas de professores. Portugal: Porto Editora, 1992. p. 31-61.

JOSSO, Marie-Christine. As figuras de ligação nos relatos de formação: ligações formadoras, deformadoras e transformadoras. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 32, n.2, p.373-383, ago., 2006. Disponível em: https://www.scielo.br/j/ep/a/s6NdjwQC6LGVHJWXNb9753R/abstract/?lang=pt. Acesso em: 08 fev. 2023.

MARCELO GARCÍA, Carlos. O professor iniciante, a prática pedagógica e o sentido da experiência. Formação Docente, Belo Horizonte, v. 2, n. 3, p. 11-49, ago./dez. 2010. Disponível em: https://revformacaodocente.com.br/index.php/rbpfp/article/view/17. Acesso em: 02 set. 2022.

MARCELO GARCÍA, Carlos. Formação de professores: para uma mudança educativa. Porto: Porto Editora, 1999.

NONO, Maévi Anabel. Professores iniciantes: o papel da escola em sua formação. Porto Alegre, RS: Mediação, 2011.

NÓVOA, António. Professores para 2050. In: FARIAS, Isabel Maria Sabino de; JARDILINO, José Rubens Lima; SILVESTRE, Magali Aparecida. Aprender a ser professor: aportes de pesquisa sobre o PIBID. Jundiaí: Paco, 2015. p. 11-13.

PÉREZ GÓMEZ, Angel Ignácio. A cultura escolar na sociedade neoliberal. Porto Alegre: Artmed, 2001.

VAILLANT, Denise; MARCELO, Carlos. Ensinando a ensinar: As quatro etapas de uma aprendizagem. Curitiba: Ed. UTFPR, 2012.

WONG, Harry. Induction Programs That Keep New Teachers Teaching and Improving. NASSP Bulletin, v. 88, n. 638, mar. 2004. Disponível em: https://journals.sagepub.com/doi/abs/10.1177/019263650408863804?journalCode=buld. Acesso em: 02 set. 2022.

Downloads

Publicado

30-05-2024

Como Citar

SALOMÃO, D. A.; COSTA, S. L. .; CAVALCANTE, M. M. da S. . O início da docência no contexto cearense: estudo sobre a prática de indução profissional docente. Revista Eletrônica de Educação, [S. l.], v. 18, p. e6447010, 2024. DOI: 10.14244/198271996447. Disponível em: https://www.reveduc.ufscar.br/index.php/reveduc/article/view/6447. Acesso em: 14 jun. 2024.

Edição

Seção

Dossiê Concepções, Políticas e Práticas de Indução Docente
##plugins.generic.dates.received## 2023-05-23
##plugins.generic.dates.accepted## 2023-09-18
##plugins.generic.dates.published## 2024-05-30