Oralidade e alfabetização: o (não) dito nas produções bibliográficas sobre o PNAIC

Autores

DOI:

https://doi.org/10.14244/198271994993

Palavras-chave:

Alfabetização, Formação de professores, Oralidade, Educação Popular.

Resumo

Este artigo apresenta considerações acerca das contribuições advindas do Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa (PNAIC) para a formação de educadores e suas práticas educativas no ciclo de alfabetização com gêneros textuais orais. As reflexões apontadas aqui, são resultantes de pesquisa bibliográfica desenvolvida durante curso de Mestrado em Educação, cuja metodologia contemplou levantamento de produções bibliográficas na Biblioteca Digital de Teses e Dissertações e no Portal Scielo. O corpus de análise foi composto por uma tese e treze dissertações, defendidas em Programas de Pós-Graduação em Educação, além de seis artigos que versavam sobre a temática da oralidade/gêneros orais, publicados entre 2014 a 2018. Como resultado da investigação, constatou-se que apesar do PNAIC suscitar subsídios para a formação docente continuada e estimular o trabalho com gêneros textuais orais, ainda é escassa a produção bibliográfica quanto aos reflexos dessa política pública no sentido da promoção de práticas alfabetizadoras pautadas na valorização da oralidade. Essa lacuna evidencia que a escrita continua ocupando posição de destaque no processo de alfabetização, enquanto a fala segue relegada a segundo plano nas práticas educativas escolares. Destarte, perpetua-se o preconceito linguístico e a negação ao educando do direito de pronunciar o mundo e dizer a sua palavra. Com vista a superar o preconceito linguístico e estimular participação social e a pronúncia coletiva do mundo, defende-se a promoção de práticas de oralidade na escola, tais como assembleias, seminários, rodas de conversa, debates, música, teatro, parlendas, dentre outras.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Fabiana Rodrigues de Sousa, Universidade São Francisco (USF)

Doutora e Mestra em Educação, com estágio pós-doutoral, pelo Centro de Educação e Ciências Humanas da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar). Educadora popular e professora do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade São Francisco (USF). Integrante do Grupo de Pesquisa Educação e Teorias Críticas Latino-americanas (USF) e do Grupo Práticas Sociais e Processos Educativos (UFSCar). Parecerista ad hoc do GT6 de Educação Popular e membro do
Comitê Científico (ANPEd).

Ana Benvinda Camargo da Silva Cosmo , Centro de Formação dos Educadores Municipais de Sumaré (CEFEMS)

Mestra em Educação pelo Programa de Pós-Graduação em Educação do Centro Universitário Salesiano de São Paulo (UNISAL). Orientadora de Estudos no Centro de Formação dos Educadores Municipais de Sumaré (CEFEMS), no município de Sumaré, atua na formação de professoras e professores alfabetizadores.

Referências

AGUIAR, Maria Aparecida Lapa de; BRICH, Caren Cristina; ZAPATA, Soraia Irrigaray. Formação Continuada para professores no Pacto Nacional pela Alfabetização: continuidades, rupturas e ressignificações. Cadernos Cedes, Campinas, v. 37, n. 102, p. 201-218, maio-ago., 2017.

AMARAL, Arlene de Paula Lopes. Formação continuada de professores: reflexões sobre a participação no pacto nacional pela alfabetização na idade certa. Cadernos Cedes, Campinas, v. 35, n. 95, p. 127-133, jan./abr., 2015.

ANDRADE, Ludmila T. Oralidade, leitura e escrita nas diferentes áreas do conhecimento. In. BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa: a oralidade, a leitura e a escrita no ciclo de alfabetização. Caderno 05. Brasília: MEC/SEB, 2015, p. 68-81.

BAGNO, Marcos. Preconceito linguístico. São Paulo: Parábola Editorial, 2015.

BAKHTIN, Mikhail. Estética da criação verbal. Trad. Paulo Bezerra. São Paulo: Martins fontes, 2003.

BARBOSA, Aline Pereira Ramirez; CORTELA, Beatriz Salemme Corrêa. Formação do PNAIC em Geometria e a trajetória educacional dos professores alfabetizadores. Bolema, Rio Claro, v. 32, n. 61, p. 419-438, ago. 2018.

BASSO, Susana Vera. Conteúdos de conhecimento linguístico para o ensino da alfabetização: uma análise sobre a formação de alfabetizadores na política do PNAIC. 2018. 168f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Estadual do Oeste do Paraná, Francisco Beltrão, 2018.

COSMO, Ana Benvinda Camargo da Silva. A importância da oralidade no contexto do Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa (PNAIC): análise da produção bibliográfica em Educação. 2019. 116f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Centro Universitário Salesiano de São Paulo, Americana, 2019.

COUTO, Maria Elizabete Souza; GONÇALVES, Alba Lúcia. A formação dos formadores: um estudo sobre o PNAIC. Práxis Educativa, Ponta Grossa, v. 11, n 1, jan./abri. 2016, p. 151-170.

COSTA, Kaira Walbiane Couto. Cadernos de formação do PNAIC em língua portuguesa: concepções de alfabetização e letramento. 2017. 187 f. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade Federal do Espírito Santo, Vitória, 2017.

DAL PIZZOL, Vanessa. Cadernos do Pacto Nacional de Alfabetização na Idade Certa: convergências e divergências nas concepções de alfabetização. 134f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade de Passo Fundo, Passo Fundo, 2018.

ESTEBAN, Maria Teresa. Diálogos sobre formação docente comprometida com uma escola pública popular. Série-Estudos, Campo Grande, MS, v. 24, n. 52, p. 171-192, set./dez. 2019.

FERREIRA, Patrícia de Faria; FONSECA, Marcia Souza. A cultura da performatividade na organização do trabalho pedagógico: a formação matemática nos cadernos do Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa (Pnaic). Revista Ensaio: Avaliação e Políticas Públicas em Educação, [S.l.], v. 25, n. 97, p. 809-830, out. 2017.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da esperança: um reencontro com a pedagogia do oprimido. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2008.

FREIRE, Paulo. Política e educação: ensaios. São Paulo: Cortez, 2003.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1998.

FREIRE, Paulo. Pedagogia do oprimido. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987.

FREIRE, Paulo; SHOR, Ira. Medo e ousadia: o cotidiano do professor. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1986.

GARCIA, Regina Leite. A formação de professoras alfabetizadoras – reflexões sobre a prática. São Paulo: Cortez, 2015.

GERALDI, João Wanderley. Concepções de linguagem e ensino de português. In: GERALDI, João Wanderley (Org.). O texto na sala de aula: leitura e produção. São Paulo: Ática, 2006, p.39-46.

GIROUX, Henry A. Os professores como intelectuais: rumo a uma pedagogia crítica da aprendizagem. Porto Alegre: Artes Médicas, 1997.

GNERRE, Maurizio. Linguagem, escrita e poder. São Paulo: Martins Fontes, 1998.

KLEIN, Ana Maria; GALINDO, Mônica Abrantes; D’ÁGUA, Solange Vera Nunes de Lima. Os significados da formação docente desenvolvida pelo Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa. Práxis Educativa, Ponta Grossa, v. 11, n. 1, p. 129-150, jan./abr. 2016.

KLEIN, Juliana Mottini; GUIZZO, Bianca Salazar. Problematizando representações docentes nos Cadernos de formação do Programa Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa (PNAIC). Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos, Brasília, v. 98, n. 249, p. 311-331, ago. 2017.

LIMA, Telma Cristiane Sasso de; MIOTO, Regina Célia Tamaso. Procedimentos metodológicos na construção do conhecimento científico: a pesquisa bibliográfica. Revista Katálysis, Florianópolis v. 10, n. esp., p. 37-45, 2007.

MARCUSCHI, Luiz Antonio. Oralidade e escrita. Signótica, v. 9, n. 1, p. 119-146, set. 2009.

MARCUSCHI, Luiz Antônio. Da fala para a escrita: atividades de retextualização. 9ed. São Paulo: Cortez, 2008.

MELO, Eliane Pimentel C. B. N. de. PNAIC: uma análise crítica das concepções de alfabetização presentes nos cadernos de formação docente. 2015. 241 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Federal de São Carlos, Sorocaba, 2015.

MIGNOLO, Walter D. Colonialidade: o lado mais escuro da modernidade. Rev. Bras. Ciências Sociais, São Paulo, v. 32, n. 94, e329402, 2017.

MORTATTI, Maria do Rosário Longo. Notas para uma história da formação do alfabetizador no Brasil. Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos, Brasília, v. 89, n. 223, p. 467-476, set./dez. 2008.

OLIVEIRA, Marineiva Moro Campos de. Concepções e fundamentos do pacto nacional pela alfabetização na idade certa e seus desdobramentos na formação de alfabetizadores na perspectiva de uma alfabetização emancipatória em Xaxim/SC. 2016. 181 f. Dissertação (Mestrado em Educação) - Universidade Estadual do Oeste do Paraná, Francisco Beltrão, 2016.

ROMANOWSKI, Joana Paulin; ENS, Romilda Teodora. As pesquisas denominadas do tipo “estado da arte” em educação. Revista Diálogo Educacional, [S.l.], v. 6, n. 19, p. p. 37-50, jul. 2006.

SCHNEUWLY, Bernard; DOLZ, Joaquim et al. Gêneros orais e escritos na escola. Campinas: Mercado de Letras, 2004.

SHIROMA, Eneida Oto; EVANGELISTA, Olinda. A colonização da utopia nos discursos sobre profissionalização docente. Perspectiva, Florianópolis, v. 22, n. 02, p. 525-545, jul./dez. 2004.

SILVA, Michelle Castro. A profissionalização docente no âmbito da formação continuada do Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa: da valorização à precarização do trabalho de professores. 2017. 201 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Federal do Pará, Instituto de Ciências da Educação, Belém, 2017.

SILVA, Roberto Rafael Dias da; CARVALHO, Rodrigo Saballa de; SILVA, Rodrigo Manoel Dias da. Políticas contemporâneas de formação de alfabetizadores no Brasil: entre a potencialização dos desempenhos e a gestão pedagógica das inovações. Práxis Educativa, Ponta Grossa, v. 11, n. 1, p. 15-35, jan./abr. 2016.

SILVA, Rosa Maria Hessel. Era uma vez... a literatura infantil que circula na escola: uma análise de edições adaptadas de contos de fadas. 2016. 116f. Dissertação (Mestrado em Educação) - Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2016.

SOUZA, Júlia Teixeira. Concepção de oralidade presente no PNAIC e na formação dos orientadores de estudos e professores alfabetizadores de Pernambuco. 2015. 159 f. Dissertação (Mestrado em Educação) - Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2015.

TEDESCO, Sirlei. Formação continuada de professores: experiências integradoras de políticas educacionais – PNAIC E PROUCA – para alfabetização no ensino fundamental de uma escola pública. 2015. 91 f. Dissertação (Mestrado em Educação) - Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2015.

WAGNER, Cleonilde F. O PNAIC e a formação continuada da professora alfabetizadora da rede municipal de ensino de Medianeira. 2017. 133f. Dissertação (Mestrado em Educação) - Universidade Estadual do Oeste do Paraná, Cascavel, 2017.

ZANCHETTA JUNIOR, Juvenal. Práticas de leitura literária e a contribuição do PNAIC. Revista Brasileira de Educação. Rio de Janeiro, v. 22, n. 68, p. 147-167, mar. 2017.

Downloads

Publicado

11-04-2023

Como Citar

SOUSA, F. R. de .; COSMO , A. B. C. da S. . Oralidade e alfabetização: o (não) dito nas produções bibliográficas sobre o PNAIC. Revista Eletrônica de Educação, [S. l.], v. 17, p. e4993015, 2023. DOI: 10.14244/198271994993. Disponível em: https://www.reveduc.ufscar.br/index.php/reveduc/article/view/4993. Acesso em: 19 abr. 2024.

Edição

Seção

Dossiê Formação de professores alfabetizadores: políticas, saberes e práticas
##plugins.generic.dates.received## 2022-05-01
##plugins.generic.dates.accepted## 2022-02-14
##plugins.generic.dates.published## 2023-04-11