Formação on-line de alfabetizadores para uso de tecnologias digitais em plena pandemia de COVID-19

Autores

DOI:

https://doi.org/10.14244/198271994986

Palavras-chave:

Formação de professores, Pandemia de COVID-19, Alfabetização, Letramento digital.

Resumo

Este artigo tem como propósito divulgar projeto de extensão de curso on-line de formação de professores alfabetizadores para o uso das tecnologias digitais em plena pandemia do COVID-19 que desenvolvemos por meio do grupo de pesquisa Leitura, escrita e tecnologia, pertencente ao CNPQ. Vislumbramos, com isso, ampliar reflexão acerca de proposta de modelo de formação de professores em nosso país em plena pandemia, bem como realçar a importância do alfabetizador incluir em sua prática educativa suportes e textos digitais a fim de promover processos de leitura e de escrita mais significativos. Os aportes teóricos mais amplos para análise dos dados aqui apresentados são os estudos de Anne-Marie Chartier (2007) a respeito dos saberes do professor e os estudos tanto de Soares (2002) quanto de Ferreiro (2013) sobre práticas alfabetizadoras através de recursos digitais, assim como as reflexões de Pedro Demo (2009) acerca do uso das tecnologias digitais no processo de alfabetização. Como resultados, exploramos dados coletados a partir do formulário de inscrição e de avaliação que revelam como o professor inicia o curso on-line e como o conclui em plena pandemia, tendo como perspectiva uma outra visão sobrea cultura digital na educação, a construção de novos conhecimentos e novo formato da sala de aula de alfabetização.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Julianna Silva Glória, Faculdades IMES – MERCOSUL

Possui graduação em Letras -Licenciatura pela Universidade Vale do Rio Doce (1989), especialização em Linguística aplicada ao ensino da Língua Portuguesa pela PUC/MG(1994), mestrado em Educação pela Faculdade de Educação/UFMG(2004) e doutorado em Educação pela Faculdade de Educação/UFMG (2011). Concluiu em 2018 pesquisa de pós-doutorado pela Fae/UFMG sobre Cultura escrita digital em Escola de Educação Infantil do Município de Governador Valadares. É membro do Núcleo de Estudo e Pesquisa sobre Cultura Escrita Digital (NEPCED/CEALE/FAE/UFMG) e mantem contato com grupo de pesquisa internacional, a saber: International Partner - COST Action - The digital literacy and multimodal practices of young children (DigiLitEY). Tem experiência tanto em ensino secundário quanto superior, além de atuar em projetos de formação de professores. Na área de Educação e Linguagem, estuda, principalmente, os seguintes temas: multiletramentos, apropriação da língua materna, prática de leitura e escrita, gêneros e suportes digitais de texto.

Ghisene Santos Alecrim, Faculdades IMES – MERCOSUL / CEMEI Beija-Flor - MG

Possui graduação em Pedagogia pela Universidade do Estado de Minas (2001). Especialista em Psicopedagogia pelo CEPEMG (2003), em Gestão Educacional pela Universidade Pitágoras (2012), em Ludopedagogia e Educação Infantil (2020) e em Neurociência e Educação (2022) pelo Instituto Pedagógico de Minas Gerais. É mestre em Linguística Aplicada pela Universidade Federal de Minas Gerais (2013-2015) e membro do Núcleo de Estudos e Pesquisas sobre Cultura Escrita Digital (NEPCED/CEALE/UFMG). Tem experiência na formação continuada de professores, na coordenação pedagógica de escolas públicas e particulares, atuando principalmente nos seguintes temas: educação infantil, alfabetização e cultura escrita digital.

Referências

BARTON, David; LEE, Carmen. Linguagem online: textos e práticas pedagógicas. Trad. Milton Mota. São Paulo: Parábola Editorial, 2015.

CHARTIER, Roger. Práticas de leitura.5.ed.Trad. Cristiane Nascimento. São Paulo: Estação Liberdade, 2011.

CHARTIER, Anne-Marie. Os três modelos da leitura entre os séculos XVI e XXI: como as práticas sociais transformam os métodos de ensino. Rev. Bras. Hist. Educ. Maringá - PR, v. 16, n. 1 (40), p.253 - 273, janeiro/abril, 2016.

DEMO, Pedro. Aprendizagem e Novas Tecnologias. Revista Brasileira de Docência, Ensino e Pesquisa em Educação Física, vol. 1, n. 1, p. 53-75, Agosto/2009.

DIONÍSIO, Ângela Paiva. Gêneros textuais e ensino. São Paulo: Parábola, 2010.

FERREIRO, Emilia. O ingresso na escrita e nas culturas do escrito: seleção de textos de pesquisa. Trad. Rosana Malerba. São Paulo: Cortez, 2013.

LÉVY, Pierre. As tecnologias da inteligência: o futuro do pensamento na era da informática. Tradução de Carlos Irineu da Costa. 2ª ed. São Paulo: Editora 34, 2010.

FRADE, Isabel Cristina Alves et al. Tecnologias digitais na alfabetização: o trabalho com jogos e atividades digitais para aquisição do sistema alfabético e ortográfico de escrita. Belo Horizonte: FAE/UFMG, 2018.

SILVA, Marilda. O habitus professoral: o objeto dos estudos sobre o ato de ensinar na sala de aula. Revista Brasileira de Educação, n. 29, maio-ago., 2005, p. 152-163. Disponível em: https://www.scielo.br/j/rbedu/a/LdBdvGQ66DwZBCTXx8qnRcd/abstract/?lang=pt#. Acesso em: 17 out. 2022.

SOARES, Magda Becker. Novas práticas de leitura e escrita: letramento na cibercultura. Revista Educação e Sociedade. Campinas, v. 23, n. 81, p. 143-160, dez. 2002.

Downloads

Publicado

11-04-2023

Como Citar

GLÓRIA, J. S. .; ALECRIM, G. S. Formação on-line de alfabetizadores para uso de tecnologias digitais em plena pandemia de COVID-19. Revista Eletrônica de Educação, [S. l.], v. 17, p. e4986018, 2023. DOI: 10.14244/198271994986. Disponível em: https://www.reveduc.ufscar.br/index.php/reveduc/article/view/4986. Acesso em: 27 maio. 2024.

Edição

Seção

Dossiê Formação de professores alfabetizadores: políticas, saberes e práticas
##plugins.generic.dates.received## 2022-05-01
##plugins.generic.dates.published## 2023-04-11