Alunos com deficiência física no ensino médio: análise da acessibilidade em uma escola pública

Autores

DOI:

https://doi.org/10.14244/198271994966

Palavras-chave:

Educação Especial, Inclusão, Alunos com deficiência física, Acessibilidade física.

Resumo

A seguinte investigação apresentou como objetivo analisar as condições de acessibilidade físico-arquitetônicas de uma escola estadual de ensino médio, em um município do interior do estado do Pará, para alunos com deficiência física ou com mobilidade reduzida. Sua execução se deu com base na análise dos fatores que dificultam a eficiência e eficácia da acessibilidade física, para o atendimento e inclusão desse crescente público de alunos. Nesse sentido, foram descritos e analisados os principais obstáculos que podem comprometer e, por consequência, pôr em risco a adequada inclusão dentro do contexto escolar. Para atingir os objetivos propostos optou-se pela realização de um estudo descritivo, realizado a partir do método de pesquisa qualitativo. Para coleta de dados foram utilizados, além de um Protocolo de Avaliação de Acessibilidade em Escolas, entrevistas semiestruturadas e um diário de campo do pesquisador. A análise dos dados advindos das entrevistas permitiu estabelecer as categorias e subcategorias de análise, necessárias para definir as características e o nível de acessibilidade das escolas investigadas. Foram analisadas também as dificuldades para o uso de equipamentos e mobiliários do ambiente escolar, por alunos com deficiência física ou com mobilidade reduzida. Já a aplicação do protocolo permitiu estabelecer tecnicamente, com base nas atuais normas, o nível de acessibilidade físico-arquitetônica de escola. Como conclusão, o estudo demonstrou que a escola estudada não apresenta estrutura físico-arquitetônica, de equipamento e mobiliários adequada dentro das recomendações e exigências prescritas em normas técnicas vigentes e na legislação mais recente sobre acessibilidade.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Eli Carlos de Sousa Alencar, Secretaria de Estado de Educação do Pará (SEDUC/PA)

Mestre em Educação pela Universidad de la Empresa/Montevideo/Uruguay e professor de Geografia do Ensino Médio da Rede Estadual de Ensino do Pará (SEDUC/PA).

Débora Deliberato , Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN)

Professora visitante do Programa de Pós-Graduação em Educação Especial da Universidade Federal do Rio Grande do Norte. Pesquisadora do CNPq. Livre-docente em Comunicação Aumentativa e Alternativa.

Referências

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. Norma NBR 9050, Acessibilidade a Edificações, Mobiliário, Espaços e Equipamentos Urbanos. Rio de Janeiro, 2004.

ARAÚJO, Laura Filomena Santos de et al. Diário de pesquisa e suas potencialidades na pesquisa qualitativa em saúde. Revista Brasileira Pesquisa Saúde, Vitória, ES, v.15, n. 3, p. 53-61, jul./set. 2013.

AUDI, Eloísa Mazzini Miranda; MANZINI, Eduardo José. Protocolo para avaliação de acessibilidade em escolas do ensino fundamental: um guia para gestores e educadores. 1ª Ed. Marília: ABPEE, 2006, 118p.

BRASIL. Declaração de Salamanca e linha de Ação sobre Necessidades Educativas Especiais. Coordenadoria Nacional para Integração da Pessoa Portadora de Deficiência. Brasília – DF, 1994.

BARDIN, Laurence. Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70, 2004.

CAPELLINI, Vera Lúcia Messias Fialho; LOPES, Jessica Fernanda. Educação Inclusiva em questão: análise da interação e infraestrutura de uma escola. XI Congresso Nacional de Educação, Curitiba - PR, nov. 2013.

CARLETTO, Ana Claudia; CAMBIAGHI, Silvana. Desenho Universal: um conceito para todos. Instituto Mara Gabrilli. São Paulo – SP, 2016.

CERVO, Amado Luiz; BERVIAN, Pedro Alcino; DA SILVA, Roberto. Metodologia Científica. 6. ed. São Paulo: Pearson Prentice Hall, 2007, 176p.

CRESWELL, John. W. Projeto de pesquisa: métodos qualitativo, quantitativo e misto. 3. ed. Porto Alegre: Artmed, 2010, 296p.

CIPA. Comissão Interna de Prevenção de Acidentes – (USCS, 2011).

DE PAULA, Ana Flávia Marostegan; BALEOTTI, Luciana Ramos. Inclusão Escolar do Aluno com Deficiência Física: Contribuições da Terapia Ocupacional. Cadernos de Terapia Ocupacional da UFSCar, São Carlos -SP. v. 19, n. 1, p. 53-69, 2011.

ESCÓRCIO, Daniele Macêdo. IV Seminário Municipal de Professores do Programa Educação Inclusiva: Direito à Diversidade. Vitória da Conquista – BA, 2008.

FALKEMBACH, Elza Maria F. Diário de campo: um instrumento de reflexão. In: Con-texto e educação. Ijuí, RS. 1987. v. 2.

GOMES, Elisangela Ferreira; FICAGNA, Rosilei Gugel. Acessibilidade como processo de inclusão de estudantes com deficiência física no contexto escolar. Gov. de Sant. Catar. – Uniedu, 2017.

HONORINO, Lorena da Vitória; CARVALHO, Damila Soares de; ALMEIDA, Mariângela Lima de. A formação continuada de profissionais da educação na perspectiva da inclusão de alunos público-alvo da educação especial em Santa Maria de Jetibá/ES. IX Enc. Est. de Pol. e Adm. da Educ., UFES/Goiabeiras, Mar. 2017.

MACHADO, Rosângela. Acessibilidade arquitetônica. In: SCHIRMER, C. R. et al. Atendimento educacional especializado: deficiência física. Brasília/ MEC/SEESP, 2007.

MANZINI, Eduardo José (Org.). Inclusão e acessibilidade. Marília, SP: ABPEE, 2006a, 97p.

MANZINI, Eduardo José. Avaliação de acessibilidade em escolas do ensino fundamental. SBPC, 2006b, 87p.

MARCUSCHI, Luiz Antonio. Análise da Conversação. São Paulo: Ática; 1986, 94p.

MAY, Tim. Pesquisa social: questões, métodos e processos. 3.ed. Trad. Carlos A. Silveira. Porto Alegre: Artmed, 2004, 202p.

MENEZES, Ebenezer Takuno de; SANTOS, Thais Helena dos. Educação (verbete). Dicionário Interativo da Educação Brasileira -EducaBrasil. São Paulo: Midiamix Editora, 2002.

MELO, Francisco Ricardo Lins Vieira de; PEREIRA, Ana Paula Medeiros. Inclusão escolar do aluno com deficiência física: visão dos professores acerca da colaboração do fisioterapeuta. Revista Brasileira de Educação Especial. Marília, v. 19, n.1, p. 93-106, 2013.

MINAYO, Maria Cecília de S. O Desafio do Conhecimento. Pesquisa qualitativa em saúde. 14ª ed. SP: HUCITEC/ RJ: ABRASCO, 2014, 416p.

MINISTÉRIO DA ASSISTÊNCIA E PROMOÇÃO SOCIAL. Projeto Alvorada. Brasília - DF, 2001.

OLIVEIRA, Suze Léa Mendes Ferreira de. Atendimento educacional especializado: experiências corporais e movimento. 2016. 80 f. Dissertação (Mestrado em Artes) - Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia, 2016. Disponível em: http://doi.org/10.14393/ufu.di.2016.503. Acesso em: 25 nov. 2018.

PIOVEZANNI, Marco Aurélio Teixeira; ROCHA, Aila Narane Dahwache Criado; BRACCIALLI, Lígia Maria Presumido. Eficácia de mobiliário escolar adaptado de baixo custo no desempenho funcional de criança com paralisia cerebral. Revista Educação Especial. Santa Maria – RS, v. 27 n. 49 p. 485-498 maio/ago. 2014.

SAMPIERI, Roberto Hernández; COLLADO, Carlos Fernández; LUCIO, Maria del Pilar Baptista. Metodologia de pesquisa. 5 ed. Porto Alegre: Penso, 2010, 624p.

STAINBACK, Susan; STAINBACK, William. Inclusão: Um guia para educadores. Porto Alegre: Artmed, 1999, 456p.

TRIVIÑOS, Augusto Nibaldo Silva. Introdução à pesquisa em ciências sociais: a pesquisa qualitativa em educação. 4. ed. São Paulo: Atlas, 1987, 175p.

VERGARA, Sylvia Constant. Projetos e relatórios de pesquisa em administração. São Paulo: Atlas, 2000, 97p.

Downloads

Publicado

31-05-2024

Como Citar

ALENCAR, E. C. de S.; DELIBERATO , D. . Alunos com deficiência física no ensino médio: análise da acessibilidade em uma escola pública. Revista Eletrônica de Educação, [S. l.], v. 18, p. e4966024, 2024. DOI: 10.14244/198271994966. Disponível em: https://www.reveduc.ufscar.br/index.php/reveduc/article/view/4966. Acesso em: 14 jun. 2024.

Edição

Seção

Demanda Contínua - Artigos
##plugins.generic.dates.received## 2022-05-01
##plugins.generic.dates.published## 2024-05-31