Vivências de professores de Biologia e suas perspectivas sobre a formação continuada

Autores

DOI:

https://doi.org/10.14244/198271994333

Palavras-chave:

Formação de professores em serviço, Educação continuada, Reflexão crítica, Biologia educacional.

Resumo

A atual política educacional brasileira considera a formação continuada como um processo de autorreflexão permanente e uma possibilidade de renovação da prática docente. Conforme o modelo de formação docente prático-reflexivo, o professor constrói novos conhecimentos por meio de reflexões sobre sua prática, o que pode proporcionar melhorias no processo de ensino e de aprendizagem. Uma pesquisa qualitativa foi realizada no ano de 2018, utilizando a aplicação de questionários e entrevistas semiestruturadas, com o objetivo de investigar se os professores graduados em Biologia, atuantes em escolas públicas de Sobradinho/DF e Planaltina/DF, participam de processos de formação continuada.  Buscou-se também levantar os recursos metodológicos que, porventura, são utilizados pelos professores para o seu aprimoramento profissional, bem como as principais carências referentes ao tema. Foi possível observar, que a maioria dos professores considera o processo de formação continuada um importante instrumento de ascensão pessoal e profissional, demonstrando que a preocupação com o aprimoramento e com a atualização é constante. Quanto aos recursos metodológicos utilizados no processo de formação continuada, destaca-se o uso da internet e o uso de livros, em ambas as localidades.  Além disso, há pouca interação dos professores com as Instituições de Ensino Superior e os aspectos que motivam à adesão ao processo de formação continuada são distintos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Aline de Queiroz Rodrigues, Universidade de Brasília (UnB)

Doutoranda no Laboratório de Endocrinofisiologia e Reprodução Animal (IB/UnB). Mestre em Biologia Animal (UnB, 2021). Graduada em Licenciatura e Bacharel em Ciências Biológicas (UnB, 2018). Tem experiência nas áreas de Reprodução, Biotecnologia, Biologia celular e Ensino, atuando principalmente nos seguintes temas: morfologia, fisiologia, tecido ovariano, criopreservação de tecido ovariano, transplante de tecido ovariano, manipulação de modelo animal, cultivo celular, interação patógeno-hospedeiro, ensino de Ciências e ensino de Biologia.

Felipe Rosa Nunes, Universidade de Brasília (UnB)

Graduado em Ciências Biológicas (Bacharelado e Licenciatura) pela Universidade de Brasília e formado em inglês pelo Centro de Cultura Anglo Americana (CCAA). Estagiário e pesquisador no Laboratório de Aprendizagem e Recursos em Ciências (LARC), com experiências nas áreas de Educação, Anatomia Animal e Fisiologia Animal.

Ana Júlia Lemos Alves Pedreira, Universidade de Brasília (UnB)

Professora Adjunta do Núcleo de Educação Científica do Instituto de Biologia na Universidade de Brasília, orienta nos programas de pós-graduação em Educação em Ciências (PPGEDUC/ UnB) e no mestrado em ensino de Biologia (PROFBIO/ UnB) ambos na Universidade de Brasília. Coordenadora do subprojeto Biologia na Residência Pedagógica (2022/2024).

Referências

AZINIAN, Herminia. Integración de las tecnologías de la información y la comunicación en las prácticas pedagógicas. Revista Novedades Educativas, Argentina, 16(168), 46-48, 2004. Disponível em: https://unesdoc.unesco.org/ark:/48223/pf0000150785. Acesso em: 01 fev. 2020.

BARDIN, Laurence. Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70, 1977, 224.

BRASIL, Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Lei nº 9.394/96, de 20 de dezembro de 1996. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9394.htm. Acesso em: 10 fev. 2020.

CAMPOS, Luciana; DINIZ, Renato. A prática como fonte de aprendizagem e o saber da experiência: o que dizem professores de ciências e de biologia. Investigações em Ensino de Ciências, Rio Grande do Sul, 6, 1, 79-96, 2001. Disponível em: https://www.if.ufrgs.br/cref/ojs/index.php/ienci/article/view/587. Acesso em: 11 fev. 2020.

CAREGNATO, Rita; MUTTI, Regina. Pesquisa Qualitativa: análise de discurso versus análise de conteúdo. Texto & Contexto - Enfermagem, Santa Catarina, 15, 4, 679-84, 2006. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/tce/v15n4/v15n4a17.pdf. Acesso em: 1 fev. 2020.

CUNHA, Ana Maria; KRASILCHIK, Myriam. A formação continuada de professores de ciências: percepções a partir de uma experiência. Reunião da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Educação, Caxambú, 1-14, 2000. Disponível em: http://www.anped.org.br/biblioteca/item/formacao-continuada-de-professores-de-ciencias-percepcoes-partir-de-uma-experiencia. Acesso em: 10 fev. 2020.

DELIZOICOV, Demetrio; ANGOTTI, José Andre; PERNAMBUCO, Marta Maria. Ensino de Ciências - Fundamentos e Métodos. 5. ed. São Paulo: Cortez Editora, 2018, 368.

FEITOSA, Claudinéia; JÚNIOR, Josino; CARVALHO, Simone. A formação continuada: por que professores da rede pública não participam de formação continuada? Algumas reflexões sobre a práxis docente. Itinerarius Reflectionis, Goiás, v. 2, n. 9, p. 1-14, 2010.

FERREIRA, Adriana; NOGUEIRA, Clélia; OLIVEIRA, Lucilene (2010). Os recursos didáticos como mediadores dos processos de ensinar e aprender matemática. Disponível em: http://www.diaadiaeducacao.pr.gov.br/portals/pde/arquivos/2164-8.pdf. Acesso em: 16 fev. 2020.

GADOTTI, Moacir. Perspectivas atuais da educação. Porto Alegre: Artmed, 2000.

GATTI, Bernardete. Análise das políticas públicas para formação continuada no Brasil, na última década. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, 13, 37, 2009. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S1413-24782008000100006&script=sci_abstract&tlng=pt. Acesso em: 15 fev. 2020.

IMBERNÓN, Francisco. Formação continuada de professores. Porto Alegre: Artmed, 120, 2010.

KRASILCHIK, Myriam. Prática de Ensino de Biologia. São Paulo: Edusp, 2016, 200.

LEITE, Sérgio. Afetividade nas práticas pedagógicas. Temas em Psicologia, São Paulo, 20, 2, 2012. Disponível em: http://pepsic.bvsalud.org/pdf/tp/v20n2/v20n2a06.pdf. Acesso em: 01 fev. 2020.

LIBÂNEO, José Carlos. Adeus professor, adeus professora - novas exigências educacionais e profissão docente. São Paulo: Cortez, 2002.

LIMA, Kênio; VASCONCELOS, Simão. O professor de Ciências das Escolas Municipais de Recife e suas perspectivas de educação permanente. Ciência e Educação (Bauru), São Paulo, 14, 2, 347-364, 2008. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_abstract&pid=S1516-73132008000200012&lng=pt&nrm=i&tlng=pt. Acesso em: 10 fev. 2020.

LOGUERCIO, Rochele; SAMRSLA, Vander; DEL PINO, José Claudio. A dinâmica de analisar livros didáticos com os professores de Química. Química Nova, Porto Alegre, 24, 4, 557-562, 2001. Disponível em: https://www.lume.ufrgs.br/bitstream/handle/10183/72964/000300617.pdf?sequence=1. Acesso em: 15 fev. 2020.

MERCADO, Luis Paulo. Tendências na Utilização das Tecnologias da Informação e Comunicação na Educação. Maceió: EDUFAL, 2004, 235. Disponível em: http://www.repositorio.ufal.br/bitstream/riufal/1349/1/Tend%C3%AAncias%20na%20utiliza%C3%A7%C3%A3o%20das%20tecnologias%20da%20informa%C3%A7%C3%A3o%20e%20comunica%C3%A7%C3%A3o%20na%20educa%C3%A7%C3%A3o.pdf. Acesso em: 11 fev. 2020.

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO. Rede Nacional de Formação Continuada de Professores de Educação Básica: orientações gerais. Catálogo. Brasília: MEC/SEB, 2006. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/seb/arquivos/pdf/Rede/catalg_rede_06.pdf. Acesso em: 12 fev. 2020.

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO. Orientações Curriculares para o Ensino Médio: Ciências da Natureza, Matemática e suas tecnologias. Brasília: MEC/SEB, 2006a. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/seb/arquivos/pdf/book_volume_02_internet.pdf. Acesso em: 11 fev. 2020.

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO. Resolução CNE/CP 2/2015. Define as Diretrizes Curriculares Nacionais para a formação inicial em nível superior (cursos de licenciatura, cursos de formação pedagógica para graduados e cursos de segunda licenciatura) e para a formação continuada. Diário Oficial da União, Brasília, 2 de julho de 2015 – Seção 1 – pp. 8-12. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/docman/agosto-2017-pdf/70431-res-cne-cp-002-03072015-pdf/file. Acesso em: 01 fev. 2020.

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO. Diretrizes Curriculares Nacionais e Base Nacional Comum para a Formação Inicial e Continuada de Professores da Educação Básica. 3ª versão do Parecer. Brasília: MEC/CNE, 2019. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/docman/setembro-2019/124721-texto-referencia-formacao-de-professores/file. Acesso em: 10 fev. 2020.

MOREIRA, Herivelto. A formação continuada do professor: as limitações dos modelos atuais. Comunicações, Caderno do Programa de Pós-Graduação em Educação, Piracicaba, 10, 1, 123-133, 2003. Disponível em: https://www.metodista.br/revistas/revistas-unimep/index.php/comunicacoes/article/view/1646/1054. Acesso em: 01 fev. 2020.

NÓVOA, António. Os professores e sua formação. Instituto de Inovação Educacional, Lisboa, 139-158, 1992.

NUNES, Célia. Saberes docentes e formação de professores: um breve panorama da pesquisa brasileira. Educação & Sociedade, Rio de Janeiro, 22(74), 27-42, 2001. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0101-73302001000100003&script=sci_abstract&tlng=pt. Acesso em: 10 fev. 2020.

ROSA, Maria Inês; SCHNETZLER, Roseli. A investigação-ação na formação continuada de professores de Ciências. Ciência e Educação, Bauru, 9, 1, 2003. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S1516-73132003000100003&script=sci_abstract&tlng=pt. Acesso em: 12 fev. 2020.

SILVA, M. Complexidade da formação de professores: saberes teóricos e saberes práticos. In: Cultura Acadêmica. p. 114. Editora: UNESP, São Paulo, 2009.

SILVA, Edna. Controle e regulação na formação continuada de professores na escola. SEMIEDU: Educação, Diversidades Culturais, Sujeitos e Saberes, Mato Grosso, 2017.

SILVA, Vânia; BASTOS, Fernando. Formação de professores de ciências: reflexões sobre a formação continuada. Alexandria: revista de educação em ciência e tecnologia, Florianópolis, 5, 2, 150-188, 2012. Disponível em: file:///Users/anajuliapedreira/Downloads/37718-125233-1-PB.pdf. Acesso em: 10 fev. 2020.

TARDIF, Maurice. Saberes docentes e formação profissional. Petrópolis: Vozes, 2002.

TARDIF, Maurice; LESSARD, Claude. O trabalho docente: elementos para uma teoria da docência como profissão de interações humanas, Rio de Janeiro: Vozes, 2011.

VEIGA, Ilma. Educação básica e educação superior: projeto político-pedagógico. Campinas: Papirus, 2004.

Downloads

Publicado

28-11-2023

Como Citar

RODRIGUES, A. de Q.; NUNES, F. R.; PEDREIRA, A. J. L. A. Vivências de professores de Biologia e suas perspectivas sobre a formação continuada. Revista Eletrônica de Educação, [S. l.], v. 17, p. e4333073, 2023. DOI: 10.14244/198271994333. Disponível em: https://www.reveduc.ufscar.br/index.php/reveduc/article/view/4333. Acesso em: 17 jul. 2024.

Edição

Seção

Demanda Contínua - Artigos
##plugins.generic.dates.received## 2020-04-28
##plugins.generic.dates.accepted## 2023-01-22
##plugins.generic.dates.published## 2023-11-28