O Desenvolvimento da Linguagem Escrita da Criança: implicações pedagógicas da teoria histórico-cultural

Autores

DOI:

https://doi.org/10.14244/198271993961

Palavras-chave:

Linguagem escrita, Primeiro ciclo do ensino fundamental, Teoria histórico-Cultural.

Resumo

Este ensaio resulta de uma reflexão teórica de uma pesquisa de doutorado. O objetivo é o exercício de reflexão, a partir da Teoria Histórico-Cultural, sobre os princípios teóricos e metodológicos que podem favorecer o desenvolvimento da linguagem escrita da criança no contexto da Educação Infantil e do Ensino Fundamental, em contraposição a uma concepção de escrita como técnica, cuja apropriação dependeria de exercícios práticos e sem o estabelecimento de uma situação comunicativa significativa para a criança. A partir de uma revisão dos principais conceitos de Vigotski (1997c), Luria (2006) e de outros autores em relação à formação e ao desenvolvimento da linguagem escrita como sendo uma função psíquica humana, compreende-se a linguagem escrita como uma atividade cultural e simbólica, cujo processo de apropriação acontece desde a primeira infância. Conclui-se que as diferentes maneiras utilizadas pela criança pequena para atribuir sentido ao mundo – o gesto indicativo, o jogo de papéis sociais e o desenho como instrumento – contribuem para desenvolver a capacidade gráfica para expressar, a qual se torna cada vez mais sofisticada à medida que a criança se apropria dos signos escritos, com base em indícios visuais, e da atividade de linguagem realizada por meio deles em atividades educativas intencionalmente planejadas para atingir esse objetivo, favorecendo o pleno desenvolvimento de crianças autoras e leitoras de textos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Anderson Borges Corrêa, Secretaria Municipal de Educação de Uberlândia (SME)

Professor de Língua Inglesa da Rede Municipal de Educação de Uberlândia-MG. Doutor em Educação Escolar pela Faculdade de Filosofia e Ciências da Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho", Câmpus de Marília. Mestre em Educação Escolar pela Universidade de Uberaba (UNIUBE). Licenciatura Plena em Letras (Português/Inglês) pela Universidade Federal de Uberlândia (UFU).

Referências

ARENA, D. B.; ARENA, A. P. B.; SANTOS, S. O. Escolhas de letras nas primeiras escritas infantis: função e unidade no discurso. Ensino em Re-Vista, Uberlândia, v. 18, n. 1, p. 67-80, 2011. Disponível em: http://www.seer.ufu.br/index.php/emrevista/article/view/12365. Acesso em: 1 jan. 2020.

BAJARD, É. Manifesto dos usuários da escrita. Ensino em Re-Vista, Uberlândia, v. 21, n. 1, p. 189-195, 2014. Disponível em: http://www.seer.ufu.br/index.php/emrevista/article/view/25061. Acesso em: 27 dez. 2019.

BAJARD, É. O signo gráfico, chave da aprendizagem da escrita. Ensino em Re-Vista, Uberlândia, v. 23, n. 1, p. 201-225, 2016. Disponível em: http://www.seer.ufu.br/index.php/emrevista/article/view/35412. Acesso em: 29 jan. 2020.

BORTOLANZA, A. M. E.; FREIRE, R. J. Entre significar e decifrar a escrita: a alfabetização de Ivo. FAEEBA, Salvador, v. 28, n. 54, p. 139-154, 2019. Disponível em: https://www.revistas.uneb.br/index.php/faeeba/article/view/6186. Acesso em: 15 jan. 2020.

CORRÊA, A. B. Textos manuscritos e digitais: apropriação da escrita por crianças de 3º ano do ensino fundamental. 2017. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade de Uberaba, Uberaba, 2017. Disponível em: https://uniube.br/cpe/biblioteca/dissertacoes.php. Acesso em: 15 jul. 2023.

CORRÊA, A. B.; BORTOLANZA, A. M. E. Desenvolvimento humano e o papel do signo na constituição da linguagem verbal, da fala e da consciência humana: pressupostos de Vigotski, Leontiev e Luria. Eutomia, Recife, v. 1, n. 21, p. 97-119, 2018. Disponível em: https://periodicos.ufpe.br/revistas/EUTOMIA/article/view/237442. Acesso em: 15 jul. 2023.

LIMA, E. A. de. Trabalho pedagógico na educação infantil: em busca da atitude ativa de professores e crianças. In: MENDONÇA, S. G. de L.; PENITENTE, L. A. A.; MILLER, S. (Org.). A questão do método e a teoría histórico-cultural: bases teóricas e implicações pedagógicas. São Paulo: Cultura Acadêmica, 2017. p. 113-129.

LUGLE, A. M. C.; MELLO, S. Produção de sentido para a linguagem escrita e formação da atitude leitora/autora. Revista de Educação, Campinas, v. 20, n. 3, p. 187-199, 2015. Disponível em: https://periodicos.puc-campinas.edu.br/reveducacao/article/view/2901. Acesso em: 03 dez. 2019.

LURIA, A. R. Memória. In: LURIA, A. R. Curso de psicologia geral. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1979, 3 v., p. 39-96.

LURIA, A. R. O desenvolvimento da escrita na criança. In: VIGOTSKI, L. S.; LURIA, A. R.; LEONTIEV, A. N. Linguagem, desenvolvimento e aprendizagem. São Paulo: Ícone, 2006, p. 143-189.

VIGOTSKI, L. S. El problema de la edad. In: VIGOTSKI, L. S. Obras escogidas. 2. ed. Madrid: Visor, 1997a, 4 v., p. 251-273.

VIGOTSKI, L. S. El problema del desarrollo de las funciones psíquicas superiores. In: VIGOTSKI, L. S. Obras escogidas. 2. ed. Madrid: Visor, 1997b, 3 v., p. 11-46.

VIGOTSKI, L. S. La prehistoria del desarrollo del lenguaje escrito. In: VIGOTSKI, L. S. Obras Escogidas. 2. ed. Madrid: Visor, 1997c, 3 v., p. 183-206.

VIGOTSKI, L. S. Pensamento e palavra. In: VIGOTSKI, L. S. A construção do pensamento e da linguagem. 2. ed. São Paulo: WMF Martins Fontes, 2009. p. 395-486.

Downloads

Publicado

31-10-2023

Como Citar

CORRÊA, A. B. O Desenvolvimento da Linguagem Escrita da Criança: implicações pedagógicas da teoria histórico-cultural. Revista Eletrônica de Educação, [S. l.], v. 17, p. e3961066, 2023. DOI: 10.14244/198271993961. Disponível em: https://www.reveduc.ufscar.br/index.php/reveduc/article/view/3961. Acesso em: 19 abr. 2024.
##plugins.generic.dates.received## 2020-02-05
##plugins.generic.dates.accepted## 2023-05-23
##plugins.generic.dates.published## 2023-10-31