Uso dos softwares de autoria na elaboração de recursos didáticos para a formação de professores

Autores

DOI:

https://doi.org/10.14244/198271993750

Palavras-chave:

Softwares de autoria, Formação de professores, Análise textual discursiva.

Resumo

Este artigo apresenta os resultados de uma pesquisa desenvolvida com um grupo de estudantes de Pedagogia em uma instituição privada de ensino superior do Rio Grande do Sul, fazendo o uso do software de autoria Hot Potatoes visando ao desenvolvimento de materiais didáticos. A fundamentação teórica baseou-se em apontar as funcionalidades, vantagens, desvantagens e contribuições do software como tecnologia para formação docente. O objetivo da pesquisa foi verificar as contribuições (vantagens e desvantagens) do uso do software de autoria Hot Potatoes no desenvolvimento de atividades relacionadas à alfabetização matemática para a Educação de Jovens e Adultos (EJA) na percepção dos universitários. A investigação de cunho qualitativo e do tipo exploratória contou com a participação de 22 colaboradores que estavam cursando a disciplina de Metodologia de Ensino da EJA. Realizou-se uma oficina para apresentação das funcionalidades do software e para desenvolvimento de atividades com os participantes, a partir do uso de roteiros elaborados pelos pesquisadores. A coleta de dados ocorreu por meio de questionário com questões fechadas para traçar o perfil dos participantes e questões abertas para captar as suas percepções com relação ao software. Para a análise dos dados, utilizou-se a Análise Textual Discursiva (ATD). Concluiu-se que o uso do referido software apresenta vantagens, desvantagens e aspectos didáticos a serem considerados acerca de sua utilização.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

João Francisco Staffa da Costa, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul

Doutorando e Mestre em Educação em Ciências e Matemática pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS) . Especialista em Docência no Ensino Superior pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS), em Planejamento, Implementação e Gestão da EaD pela Universidade Federal Fluminense (UFF) e em Informática Instrumerntal (UFRGS). Graduado em Licenciatura em Matemática pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (2011). Atua como professor de Matemática na Prefeitura Municipal de Porto Alegre nas sérias finais do Ensino Fundamental.

Valderez Marina do Rosário Lima, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul

Possui graduação em Licenciatura Em Ciências Primeiro Grau pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (1977), graduação em Licenciatura Em Ciências Habilitação em Biologia pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (1980), mestrado em Educação pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (1998) e doutorado em Educação pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (2003). Atualmente é professora adjunta da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, com atividades docentes no Curso de Pedagogia da Escola de Humanidades. É professora permanente dos Programas de Pós-Graduação em Educação (Escola de Humanidades) e em Educação em Ciências e Matemática (Escola de Ciências).

Emanuella Silveira Vasconcelos, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul

Doutoranda em Educação em Ciências e Matemática pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul - PUCRS, Mestre em Ensino de Ciências pela Universidade Estadual de Roraima - UERR (2017), Especialista em Educação Infantil pela Universidade Federal de Roraima - UFRR (2012) e Graduada em Pedagogia pela Universidade Federal de Roraima - UFRR (2009). Atualmente é professora efetiva da UFRR, atuando na Educação Básica do Colégio de Aplicação - CAp/UFRR. Atuou em classes de Educação Infantil (2005 à 2013) na rede pública e na rede privada de educação, no Ensino Fundamental ( 2009-2013), na graduação ( 2011-2012) e na pós-graduação (2014). É membro ativo dos Grupos de Pesquisa: Grupo de Estudo e Pesquisa Interdisciplinar em Educação (GEPINTE/CNPQ); Dídática, possibilidades metodológicas e práticas em Educação (UFRR/CNPQ); Didática da Resolução de Problemas em Ciências e Matemática (UFRR/CNPQ). Pesquisa atualmente temas referente a processos de ensino-aprendizagem , Alfabetização Científica e Formação de professores.

Adriano Rodrigo Debus, Universidade do Vale do Rio dos Sinos

Graduado em Administração - Hab.: Comércio Exterior pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos (2010); especialista com MBA em Controladoria e Finanças pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos (2012) e Mestre em Design Estratégico pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos (2016). Atualmente é Analista Acadêmico Sênior na Unidade Acadêmica de Graduação no Campus de São Leopoldo da Universidade do Vale do Rio dos Sinos, atuando na gestão orçamentária dos cursos de graduação. Atuou como tutor no ensino à distância nos cursos Ciências Contábeis, Processos Gerenciais e Gestão Comercial na Universidade do Vale do Rio dos Sinos (2014) e como professor no curso de MBA em Marketing em Vendas na modalidade EAD (2016) e disciplina de jogos de empresas do módulo articulador dos cursos de MBA presencial (2017). Em 2017, iniciou como Tutor (Bolsista UAB) no curso de Especialização em Informática Instrumental na UFRGS - CINTED. Em 2018, atuou como professor visitante no SENAC com a disciplina "Planejamento e Gestão Estratégica" nos cursos de especialização. Sócio proprietário CFO da empresa LLEVO Tecnologia do Brasil (2019).

Referências

BECKER, Fernando. Educação e construção do conhecimento. Porto Alegre: Artmed, 2001.

BEHAR, Patricia et al. Objetos de Aprendizagem para a Educação a Distância. In: Modelos pedagógicos em educação a distância. Porto Alegre: Artmed, 2009. Cap. 3. P. 66-92.

BELLONI, Maria Luiza. Educação a distância. – 2. ed – Campinas, SP: Autores Associados, 2001. – (Coleção educação contemporânea).

BERTIN, Roseli et al. Desenvolvendo jogos educacionais por meio de softwares de autoria. RENOTE, v. 13, n. 1, 2015.

BOVO, V, G. O uso do computador na educação de jovens e adultos. Revista PEC. Curitiba, v. 2, nº 1, julho, 2002.

BRASIL. Base Nacional Comum Curricular: Educação Infantil e Ensino Fundamental. Brasília: MEC/Secretaria de Educação Básica, 2017. Disponível em: < http://basenacionalcomum.mec.gov.br/>. Acesso em: 03 out. 2019.

BRASIL. Ministério de Educação e do Desporto. Conselho Nacional de Educação/ Conselho Pleno. Resolução CNE/CP 1, de 18 de fevereiro de 2002. Institui diretrizes curriculares nacionais para a formação de professores da educação básica, em nível superior, curso de licenciatura, de graduação plena. Brasília, DF, 18 fev. 2002. Disponível em: <http://portal.mec.gov.br/cne/arquivos/pdf/rcp01_02.pdf>. Acesso em: 03 set. 2019.

BRASIL. Parâmetros Curriculares Nacionais: Matemática / Secretaria de Educação Fundamental. Brasília: MEC / SEF, 2001.

COSTA, João Francisco Staffa da. O uso de softwares de autoria na educação de jovens e adultos: percepção de futuros professores. 2019. 99f. Trabalho de conclusão de curso (Especialização em Informática Instrumental para professores da Educação Básica [Educação]. Universidade Federal do Rio Grande do Sul – UFRGS, Porto Alegre, 2019. Disponível em:<https://lume.ufrgs.br/handle/10183/197245 > Acesso em 07 de set. 2019.

DENZIN, N. K.; LINCOLN, Y. O planejamento da pesquisa qualitativa. Teorias e abordagens. Porto Alegre: Artmed, 2006.

DONDA, Leny Gallego. O Freeware Hot Potatoes e seu potencial como ferramenta de aprendizagem. 2008. Disponível em: <http://www.diaadiaeducacao.pr.gov.br/portals/pde/arquivos/1062-4.pdf> Acesso em 02 de set. 2019.

GADOTTI, Moacir. Perspectivas atuais da educação. Porto Alegre: Artes Médicas, 2000.

GASQUE, Kelley Cristine Gonçalves Dias. Objetos de aprendizagem para o letramento informacional. Revista Ibero-Americana de Ciência da Informação, Brasília, v. 9, n.2, p. 387-405, jul./dez.2016.

HEREDIA, Jimena de Melo; DE MORAES, Marialice; VIEIRA, Eleonora Milano Falcão. Uso de tecnologias digitais de informação e comunicação por docentes. Revista Conexão UEPG, v. 13, n. 1, p. 130-141, 2017.

MALLMANN, E. M. et al. Ensino-Aprendizagem mediado por tecnologias em rede: complexidade da performance docente. Revista Reflexão e Ação, Santa Cruz do Sul, v. 21, n. 2, p. 309-334, jul.-dez. 2013. Disponível em < https://online.unisc.br/seer/index.php/reflex/article/download/3853/3028>. Acesso em 06 out. 2019.

MORAES, R.; GALIAZZI, M. C. Análise textual discursiva. Ijuí: Editora Unijuí, 2011.

MORAN, J.M. Novas Tecnologias e Mediação Pedagógica. Campinas: Papirus, 2001.

NÓVOA, Antonio. (Coord.). Os professores e sua formação. Lisboa-Portugal: Dom Quixote, 2002.

QUINTAS, Maria José Miranda Pires. Aprendizagem Colaborativa da Eletricidade com Ensino Interativo. 2017. 424f. Tese (Doutorado em ensino e divulgação das Ciências. [ensino]) - Universidade do Porto, Portugal, 2017.

SANTOS, Tássia Ferreira; BEATO, Zelina; ARAGÃO, Rodrigo. As TICS´s e o ensino de línguas. 2012. SEPEXLE – Seminário de Pesquisa e Extensão em Letras. Anais do III SEPEXLE. Universidade Estadual de Santa Cruz.

SCHEUNEMANN, Camila Maria Bandeira; LOPES, Paulo Tadeu Campos. Análise de um hipertexto digital no Ensino de Ciências: Percepções de alunos do Ensino Fundamental. Revista de Ensino de Ciências e Matemática, v. 9, n. 5, p. 14-35, 2018.

SILVA, Adão de Oliveira et. at. O uso do Hot Potatoes como ferramenta de complemento às atividades educativas e reforço ao ensino. In: UNIASSELVI Revista Maiêutica. Santa Catarina. Editora Uniasselvi, 2018, p. 85-92.

SOARES, Kátia Martins; LIMA, Regina da Silva; SCHMITT, Marcelo Augusto Rauh. Projeto piloto de formação no ambiente virtual de aprendizagem MOODLE Didático IFRS: conhecendo os objetos de aprendizagem. Tear: Revista de Educação, Ciência e Tecnologia, v. 7, n. 1, 2018.

VALENTE, José Armando. Análise dos diferentes tipos de softwares usados na educação. 2006. p.71 – 85. Disponível em: http://br.geocities.com/secdrr/valente.htm Acesso em: 02 set. 2019.

VESTENA, Rosemar de Fátima; CONCEIÇÃO, Martha Silva; ORTIZ, Neiva Lilian Ferreira. Histórias Infantis e Anos Iniciais: uma possibilidade interdisciplinar para acessar conhecimentos científicos. Pedagogia em Foco, v. 12, n. 8, p. 167-184, 2017.

Downloads

Publicado

03-03-2020

Como Citar

COSTA, J. F. S. da; LIMA, V. M. do R.; VASCONCELOS, E. S.; DEBUS, A. R. Uso dos softwares de autoria na elaboração de recursos didáticos para a formação de professores. Revista Eletrônica de Educação, [S. l.], v. 14, p. e3750068, 2020. DOI: 10.14244/198271993750. Disponível em: https://www.reveduc.ufscar.br/index.php/reveduc/article/view/3750. Acesso em: 25 jun. 2024.

Edição

Seção

Demanda Contínua - Artigos
##plugins.generic.dates.received## 2019-10-09
##plugins.generic.dates.accepted## 2019-11-27
##plugins.generic.dates.published## 2020-03-03

Artigos Semelhantes

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.