Recrudescimento das desigualdades de gênero em relação ao trabalho remoto docente na pandemia

Autores

DOI:

https://doi.org/10.14244/198271995647

Palavras-chave:

Gênero e Educação, Pandemia Covid-19, Condições do Trabalho Docente.

Resumo

Este artigo analisa, teoricamente, o recrudescimento das desigualdades de gênero durante o trabalho remoto docente, em virtude da pandemia causada pelo novo Covid-19. Para compreendermos as evidências do recrudescimento das desigualdades de gênero, foram apresentados alguns conceitos, como a epistemologia feminista e gênero, partindo de uma análise de imagens do Google. Esses conceitos são importantes para que possamos avançar na análise proposta e ir em direção às categorias desenvolvidas, como a divisão sexual do trabalho, o trabalho não remunerado, as mulheres e a saúde mental e docência e o trabalho remoto.  Para tanto, foi realizada uma pesquisa bibliográfica de cunho qualitativo, a partir dos conceitos elencados. Ao observar as condições do trabalho docente na pandemia, houve o exercício de perceber se houve ou não um aumento na demanda das docentes com o acúmulo de tarefas, bem como a interconexão dos ambientes profissional e domiciliar. Foi observado o quanto, antes da pandemia, já havia uma sobrecarga feminina e inferido que houve um aumento exponencial para as docentes em home office ou, mesmo atualmente, em ideias (e práticas) de ensino híbrido. Estudos teóricos como esse, possibilitam a visibilidade do trabalho docente feminino e a criação de políticas públicas que tornem o trabalho mais equitativo.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Glauce Stumpf, Unilasalle

Professora dos anos iniciais e bolsista de doutorado pelo Município de Sapucaia do Sul no PPG em Educação da Unilasalle e integrante do grupo de pesquisa ComGênero.

Sônia Souza, UniLasalle

Professora de Língua Portuguesa e doutoranda em Educação pela UniLasalle integrante do grupo de pesquisa ComGênero.

Denise Regina Quaresma da Silva, UniLasalle

Professora do PPG em Educação do UniLasalle, presidente do grupo de Pesquisa ComGênero e bolsista de produtividade CNPq.

Referências

ARAUJO, Renata Mendes et al. COVID-19, Mudanças em Práticas Educacionais e a Percepção de Estresse por Docentes do Ensino Superior no Brasil. Revista Brasileira de Informática na Educação - RBIE, 28, 864-891, 2020. DOI: 10.5753/RBIE.2020.28.0.864.

BETIM, Felipe; MENÁRGUEZ, Ana Torres. Filhos não impedem que as mulheres tenham uma carreira. São os maridos. El País, São Paulo, 10 de Novembro, 2015. Disponível em: https://brasil.elpais.com/brasil/2015/11/09/economia/1447062347_374448.html. Acesso em: 10 maio 2021.

BOURDIEU, Pierre. A dominação masculina. Tradução Maria Helena Kuhner. RJ: Bertrand Brasil, 2020.

BUDLENDER, Debbie. Expectativas versus realidades nas iniciativas de orçamentos sensíveis a gênero. In: JÁCOME, Márcia Larangeira; VILLELA, Shirley (Org.), Orçamentos sensíveis a gênero: conceitos. Brasília: ONU Mulheres, p. 63-113, 2012. Disponível em: https://onumulheres.org.br/wp-content/themes/vibecom_onu/pdfs/orcamentos-conceitos.pdf. Acesso em: 03 maio 2021.

BURIN, Mabel, Género y salud mental: construcción de la subjetividad femenina y masculina. Instituto de Altos Estudios en Psicología y Ciencias Socialies, IAEPCIS, p. 1-33, 2010. Disponível em: http://dspace.uces.edu.ar:8180/xmlui/bitstream/handle/123456789/1529/Burin_2010_Preprint.pdf?sequence=1 Acesso em: 10 maio 2021.

BUTLER, Judith, Regulações de Gênero. Cadernos Pagu (42), janeiro-junho, p. 249-274, 2014. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/cpa/n42/0104-8333-cpa-42-00249.pdf. Acesso em: 03 maio 2021.

ENRÍQUEZ, Corina Rodríguez, Análise econômica para a igualdade: as contribuições da economia feminista. In: JÁCOME, Márcia Larangeira; VILLELA, Shirley (Org.), Orçamentos sensíveis a gênero: conceitos. Brasília: ONU Mulheres, p.199-236, 2012. Disponível em: https://onumulheres.org.br/wp-content/themes/vibecom_onu/pdfs/orcamentos-conceitos.pdf. Acesso em: 03 maio 2021.

HARAWAY, Donna. Saberes Localizados: a questão da ciência para o feminismo e o privilégio da perspectiva parcial. Cadernos Pagu (5), p. 07-41, 1995. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/cadpagu/article/view/1773. Acesso: 03 maio 2021.

LOPES BARBOSA, Marcus Levi et al. Estresse Ocupacional em Docentes do Ensino Fundamental de uma Escola no Sul do Brasil: Uma Análise a Partir de uma Perspectiva de Gênero. Arquivos de análise de políticas educacionais. Arquivos Analíticos de Políticas Educativas [en linea], 25, p. 1-21, 2017. ISSN: 1068-2341. Disponível em: https://www.redalyc.org/articulo.oa?id=275050047056. Acesso em: 06 jun. 2021.

LOURO, Guacira Lopes. Gênero e sexualidade: pedagogias contemporâneas. Pro-Posições, São Paulo, 19 (2), maio/ago, p. 17-23, 2008. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/pp/v19n2/a03v19n2.pdf. Acesso em: 03 abr. 2021.

MACEDO, Renata Mourão. Resistência e Resignação: Narrativas de gênero na escolha por enfermagem e pedagogia. Cad. Pesqui, São Paulo, 49 (172), p. 54-76, 2019. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/cp/v49n172/1980-5314-cp-49-172-54.pdf. Acesso: 04 abr. 2021.

OMS, Organização Mundial da Saúde. Mulheres e Saúde: Evidências de hoje agenda de amanhã, 2011. Disponível em: https://www.who.int/eportuguese/publications/Mulheres_Saude.pdf. Acesso em: 03 maio 2021.

PINHEIRO, Luana et al. Nota técnica: vulnerabilidades das trabalhadoras domésticas no contexto da pandemia de covid-19 no Brasil. Diretoria de Estudos e Políticas Sociais. ONU Mulheres. IPEA. Nº 75, Junho, 2020. Disponível em: https://repositorio.ipea.gov.br/bitstream/11058/10077/1/NT_75_Disoc_Vulnerabilidades%20das%20Trabalhadoras%20Domesticas.pdf. Acesso em: 10 maio 2021.

SCOTT, Joan. Gênero: uma categoria útil de análise histórica. Educação & Realidade. jul/dez, 71-99, 1995. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/index.php/educacaoerealidade/article/view/71721. Acesso em: 03 maio 2021.

WEEKS, Jeffrey. O corpo e a sexualidade. IN: LOURO, Guacira (org). O corpo educado. Belo Horizonte: Autêntica, 2000. P. 24-61.

YANNOULAS, Silvia. Feminização ou Feminilização? Apontamentos em torno de uma categoria. Temporalis, Brasilia (DF), 11 (22), jul./dez, p. 271-292, 2011. Disponível em: https://dialnet.unirioja.es/servlet/articulo?codigo=4054571. Acesso em: 03 maio 2021.

Downloads

Publicado

28-11-2022

Como Citar

STUMPF, G. .; SOUZA, S. .; SILVA, D. R. Q. da. Recrudescimento das desigualdades de gênero em relação ao trabalho remoto docente na pandemia. Revista Eletrônica de Educação, [S. l.], v. 16, p. e5647014, 2022. DOI: 10.14244/198271995647. Disponível em: https://www.reveduc.ufscar.br/index.php/reveduc/article/view/5647. Acesso em: 24 jul. 2024.
##plugins.generic.dates.received## 2022-05-07
##plugins.generic.dates.accepted## 2022-02-08
##plugins.generic.dates.published## 2022-11-28