Prática formativa no ensino superior na perspectiva da Fenomenologia Sociológica: narrativa de estudantes

Autores

DOI:

https://doi.org/10.14244/198271993446

Palavras-chave:

Ensino superior, Fenomenologia sociológica, Prática formativa.

Resumo

Este artigo tem como objetivo apresentar resultado de pesquisa sobre sentidos de prática formativa no contexto do Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência (PIBID). Como método de pesquisa adotou-se a Fenomenologia Sociológica que permitiu, entre outros aspectos, compreender a dimensão simbólica da prática formativa para cada um dos estudantes. Um dos princípios desse método consiste na perspectiva de que os sentidos nascem da relação com o outro trazendo à tona a ideia de intersubjetividade configurando, assim, uma Fenomenologia das relações sociais. Para acessar os sentidos produzidos no mundo da vida, no encontro da consciência com o mundo, no caso especifico desta pesquisa, no contexto da prática formativa, foi utilizada a entrevista semiestruturada com cinco estudantes de licenciaturas diversas, convidados a suspender o fluxo da vida para pensar sobre sua formação docente. Os sentidos revelados neste estudo se aproximam na preocupação com a aprendizagem do estudante tendo o professor como principal condutor desse processo como, também, o estudante e seu modo de aprender. Aparecem, também, sentidos a respeito das dificuldades que cada aluno apresenta na aplicação do conhecimento e chama à atenção para a relação entre conhecimento e realidade. Sentidos sobre a relação professor-estudante revelam preocupação com  a dimensão profissional e humana, bem como a autoridade do conhecimento do professor, em sala de aula, com os estudantes.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Silvia Janaina Silveira Gomes, Professora, Secretaria Municipal de Educação, Itororó, Bahia

Mestre em Educação pelo Programa de Pós-Graduação em Educação (PPGEd), Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia. Especialista em Mídias na educação. Licenciatura em Pedagogia. Membro do Grupo de Estudos e Pesquisa em Praticas Curriculares e Educativas (GEPPCE), CNPq. Experiência na área de currículo e práticas formativas em educação. 

Nilma Margarida de Castro Crusoé, Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia

Graduada em Pedagogia pela Universidade Federal de Sergipe - UFS (1999) e mestre em Educação pela Universidade Federal de Pernambuco - UFPE (2003). Doutorado em Educação pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte-UFRN (2010) com Estágio Doutoral na Universidade de Coimbra, Portugal. É pesquisadora e professora Adjunta da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia- UESB. Desenvolve pesquisa, ensino e extensão na área de Prática Pedagógica em espaços educacionais. É autora do livro "Interdisciplinaridade: representações sociais de professores de matemática". Professora de Prática de Ensino, no Curso de Pedagogia; membro do Grupo de Estudo e Pesquisa em Pratica Pedagógica em Espaços Educacionais (GEPPE) e do grupo de Pesquisa em Políticas Públicas, Gestão e Práxis Educacionais (Gepráxis), e membro do Comitê Editorial da Revista Práxis Educacional, da UESB. Coordenadora do Programa de Mestrado em Educação (PPGEd/Uesb).

Referências

AMADO, J. Manual de investigação qualitativa em educação. Portugal: Imprensa da Universidade de Coimbra, 2014.

AMBROSETTI, N. B. et al. Contribuições do PIBID para a formação inicial de professores: o olhar dos estudantes. Educação em Perspectiva, Viçosa, v. 4, n. 1, p. 151-174, jan./jun. 2013. Disponível em http://www.seer.ufv.br/seer/educacaoemperspectiva/index.php/ppgeufv/article/viewFile/405/106 Acesso em 10/03/2017.

ASSIS, A. S. de. Contribuições do PIBID para a valorização dos professores: o que dizem as teses e dissertações? 38ª Reunião Nacional da ANPEd – 01 a 05 de outubro de 2017, UFMA – São Luís. Disponível em http://38reuniao.anped.org.br/sites/default/files/resources/programacao/trabalho_38anped_2017_GT08_1256.pdf Acesso em 18/11/2017.

BRASIL. Decreto nº 7.219, de 24 de junho de 2010. Dispõe sobre o Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência – Pibid. Disponível em http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2007-2010/2010/Decreto/D7219.htm Acesso em 08/03/2017.

BRASIL. Lei nº 11.502, de 11 de julho de 2007. Modifica as competências e a estrutura organizacional da fundação Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior - CAPES, de que trata a Lei no 8.405, de 9 de janeiro de 1992; e altera as Leis nos 8.405, de 9 de janeiro de 1992, e 11.273, de 6 de fevereiro de 2006, que autoriza a concessão de bolsas de estudo e de pesquisa a participantes de programas de formação inicial e continuada de professores para a educação básica. Disponível em https://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2007-2010/2007/Lei/L11502.htm Acesso em 08/03/2017.

BRASIL. Portaria Normativa nº 38, de 12 de dezembro de 2007. Ministério da Educação. Dispõe sobre o Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência. Disponível em https://www.capes.gov.br/images/stories/download/legislacao/Portaria_Normativa_38_PIBID.pdf Acesso em 08/03/2017.

CRUSOÉ, Nilma Margarida de Castro. Subprojeto de Pedagogia: A organização da prática pedagógica dos professores dos três (03) anos iniciais do Ensino Fundamental de nove (09) anos: articulação e continuidade da trajetória escolar. In: BAHIA, Projeto Institucional Microrrede de ensino-aprendizagem-formação. PIBID/UESB, Vitória da Conquista, Bahia, 2012.

CRUSOÉ, Nilma Margarida de Castro. Prática Pedagógica interdisciplinar na escola fundamental: sentidos atribuídos pelas professoras. Curitiba, PR:CRV, 2014.

FELÍCIO, H. M. dos S. O PIBID com “terceiro espaço” de formação inicial de professores. Rev. Diálogo Educ., Curitiba, V. 14. n. 42, p. 415-434, maio/ago. 2014. Disponível em http://www2.pucpr.br/reol/index.php/dialogo?dd99=pdf&dd1=12752 Acesso em 03/07/2017.

FREIRE, P. Professora sim, tia não: cartas a quem ousa ensinar. São Paulo: Olho Dágua, 1997.

FREIRE, P. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. 36 ed. São Paulo: Paz e Terra, 1996.

GATTI, B.; BARRETTO, E. S. de S.; ANDRÉ, M. E. D. A. Políticas docentes no Brasil: um estado da arte. Brasília: UNESCO, 2011. Disponível em http://unesdoc.unesco.org/images/0021/002121/212183POR.pdf Acesso em 10/03/2017.

HUSSERL, Edmund. Investigações lógicas: segundo volume, parte I: investigações para a fenomenologia e a Teoria do conhecimento. Rio de Janeiro: Forense, 2015.

HUSSERL, Edmund. Ideias para uma fenomenologia pura e para uma filosofia fenomenológica: introdução geral à fenomenologia pura. Aparecida, SP: Ideias & Letras, 2006.

MEC/UFRGS. Projeto de cooperação técnica MEC e UFRGS para construção de orientações curriculares para a Educação Infantil. Brasília, 2009. Disponível em http://portal.mec.gov.br/dmdocuments/relat_seb_praticas_cotidianas.pdf Acesso em 24/01/2019.

MINAYO, M. C. de S. O desafio do conhecimento: pesquisa qualitativa em saúde. 12 ed. São Paulo: Hucitec, 2010.

PROJETO INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA – PIBID. Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia – UESB. Microrrede de ensino-aprendizagem-formação. 2012. Disponível em http://www.uesb.br/links/2013/05/fapesb/projeto_institucional_2012.pdf Acesso em 04/03/2017.

SAVIANI, D. Pedagogia histórico-crítica: primeiras aproximações. 11 ed. rev. Campinas, SP: Autores Associados, 2011. (Coleção Educação contemporânea).

SAVIANI, D. Escola e democracia. 32 ed. Campinas, SP: Autores Associados, 1999. (Coleção Polêmicas do nosso tempo).

SCHUTZ, A. Sobre fenomenologia e relações sociais. Edição e organização: Helmut T. R. Wagner. Tradução de Raquel Weiss. Petrópolis, RJ: Vozes, 2012.

ZEICHNER, K. Repensando as conexões entre a formação na universidade e as experiências de campo na formação de professores em faculdades e universidades. Educação, Santa Maria, v. 35, n. 3, p. 479-504, set./dez. 2010. Disponível em https://periodicos.ufsm.br/reveducacao/article/view/2357/1424 Acesso em 20/05/2017.

Publicado

03-03-2020

Como Citar

GOMES, S. J. S.; CRUSOÉ, N. M. de C. Prática formativa no ensino superior na perspectiva da Fenomenologia Sociológica: narrativa de estudantes. Revista Eletrônica de Educação, [S. l.], v. 14, p. e3446062, 2020. DOI: 10.14244/198271993446. Disponível em: https://www.reveduc.ufscar.br/index.php/reveduc/article/view/3446. Acesso em: 24 jun. 2024.

Edição

Seção

Demanda Contínua - Artigos
##plugins.generic.dates.received## 2019-05-11
##plugins.generic.dates.accepted## 2019-07-31
##plugins.generic.dates.published## 2020-03-03