Diários de aula como estratégia de reflexão na formação e prática docente

Autores

  • Helena de Ornellas Sivieri-Pereira Universidade Federal do Triângulo Mineiro - UFTM
  • Dennis Gabiatti Lopes Universidade Federal do Triângulo Mineiro - UFTM
  • Nathália Beatriz Fontes Silva Universidade Federal do Triângulo Mineiro - UFTM

DOI:

https://doi.org/10.14244/198271993125

Palavras-chave:

Formação de professores, Reflexão, Identidade profissional.

Resumo

Este artigo nasce dos resultados de uma pesquisa maior que objetivou identificar a relação que o professor estabelece entre suas dimensões pessoais (identidade) e as dimensões profissionais (identidade docente) na sua formação e na sua prática, através da reflexão sobre sua ação diária. Neste momento da pesquisa, o objetivo era identificar e descrever os processos reflexivos observados sobre a ação prática do professor, bem como os caminhos percorridos na formação e constituição da identidade profissional.  Para tal foi utilizada a metodologia de redação de diários de aula, embasados, primordialmente, no referencial teórico da Zabalza. Os diários foram desenvolvidos por cinco docentes durante três meses em um semestre letivo, com posterior reflexão dos relatos a partir de um roteiro apresentado a eles pelos pesquisadores. Os dados, analisados pela técnica de Análise de Conteúdo, segundo Bardin, revelaram cinco categorias que explicitaram sobre os saberes da prática docente, os processos reflexivos, a formação do professor e a constituição de sua identidade profissional. Os resultados mostraram que a metodologia utilizada (diários de aula) foi eficiente no sentido de permitir um espaço destinado à reflexão, como forma de construir uma prática eficaz e condizente com as questões pessoais do profissional. As reflexões feitas pelos professores indicam que vivem as complexidades da profissão como uma grande carga a se carregar tendo ideias inacabadas sobre estratégias de enfrentamento das mesmas.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Helena de Ornellas Sivieri-Pereira, Universidade Federal do Triângulo Mineiro - UFTM

Departamento de Psicologia - Psicologia Educacional

Programa de Pós-graduação em Educação

Dennis Gabiatti Lopes, Universidade Federal do Triângulo Mineiro - UFTM

Graduado em Psicologia. Psicólog Escolar do Colégio Opção

Nathália Beatriz Fontes Silva, Universidade Federal do Triângulo Mineiro - UFTM

Graduada em Psicologia

Psicóloga clínica

Referências

AGUIAR, M. C. C. Implicações da formação continuada para a construção da identidade profissional. Psicologia da Educação, 23, 155-173, 2006.

ARIBONI, S; PERITO, R. Guia Prático para um projeto de pesquisa exploratória experimental descritiva. São Paulo: Unimarco, 2004.

BARDIN, L. Análise de conteúdo. Tradução Luís Antero Reto e Augusto Pinheiro. Lisboa: Edições 70, 1977.

BOGDAN, R.; BIKLEN, S. K. Investigação qualitativa em educação: uma introdução à teoria e aos métodos. Porto, Portugal: Porto Editora, 1994.

BORBA, O. Planejando e agindo na prática educativa: o papel dos registros na organização dos momentos pedagógicos. In: MION, R. A; SAITO, C. H. Investigação- ação: mudando o trabalho de formar professores. Ponta Grossa: Gráfica Planeta, 2001.

BRASIL. Lei Nº 13.415, de 16 de fevereiro de 2017. Altera as Leis nos 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional, e 11.494, de 20 de junho 2007, que regulamenta o Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação, a Consolidação das Leis do Trabalho – CLT. Disponível em http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2015-2018/2017/Lei/L13415.htm. Acesso em março de 2019.

BRITO, A. E. O significado da reflexão na prática docente e na produção dos saberes profissionais do/a professor/a. Revista Iberoamericana de Educación, Madrid, n. 37, p. 1-6, enero/abr, 2006.

CAIRES, S. Vivências e percepções do estágio pedagógico: contributos para a compreensão da vertente fenomenológica do “Tornar-se professor”. Análise Psicológica, Lisboa, v. 24, n. 1, p. 87-98, jan., 2006.

COZER, R. C. A visão da escola sobre a interação com as famílias dos alunos: o cenário das primeiras séries do ensino fundamental. 2003. Dissertação (Mestrado em Educação). Universidade Federal de São Carlos, São Carlos. 2003.

DEWEY, J. Cómo pensamos. Barcelona: Paidós, 1989.

ENS, R. T.; EYNG, A. M.; GISI, M. L.; RIBAS, M. S. Evasão ou permanência na profissão: políticas educacionais e representações sociais de professores. Rev. Diálogo Educ., Curitiba, v. 14, n. 42, p. 501-523, maio/ago., 2014.

ERAUT, M. Schön schock: A case for reframing reflection-in-action? Teachers and teaching, 1(1), 9-22. 1995.

FONTANA, R. A. C. Como nos tornamos professoras? Belo Horizonte: Autêntica. 2000.

GARCIA, R. L. A formação da professora alfabetizadora: reflexões sobre a prática. São Paulo: Cortez, 1996.

JOAQUIM, N. F.; BOAS, A. A. V.; CARRIERI, A. P. Entre o discurso praticado e a realidade percebida no processo de formação docente. Avaliação, 17 (2), 503-528, 2012.

JUNGES, K. S.; BEHRENS, M. A.; TORRES, P. L. Desenvolvimento profissional e a prática reflexiva: uma experiência de formação de docentes universitários no nível stricto sensu no paradigma da complexidade. Revista e-Curriculum, 8 (1), 1-20, 2012.

LOPES, R. B.; GOMES, C. A. Paz na sala de aula é uma condição para o sucesso escolar: que revela a literatura? Ensaio: avaliação políticas públicas Educação, 20(75), 261-282, 2012.

NORONHA, M. M. B.; ASSUNÇÃO, A. A.; OLIVEIRA, D. A. O sofrimento no trabalho docente: o caso das professoras da rede pública de Montes Claros, Minas Gerais. Trabalho, Educação e Saúde, 6 (1), 65-86, 2008.

MARCONI, M. A.; LAKATOS, E. M. Técnicas de pesquisa: planejamento e execução de pesquisas, amostragens e técnicas de pesquisa, elaboração, análise e interpretação de dados. 3.ed. São Paulo: Atlas, 1996.

NÓVOA, A. Professores: imagens do futuro presente. Lisboa: Educa, 2009.

NÓVOA, A. Os professores e o “novo” espaço público da educação. In: TARDIF, M.; LESSARD, C. Ofício de professor: história, perspectivas e desafios internacionais. Petrópolis: Vozes, 2008.

OLIVEIRA, D. A. Os trabalhadores da educação e a construção política da profissão docente no Brasil. Educar em Revista, n. especial 1, p. 17-35, 2010.

OLIVEIRA, C. B. E.; MARINHO-ARAÚJO, C. M. A relação família-escola: intersecções e desafios. Estudos de Psicologia, Campinas, v. 27, n. 1, p. 99-108, jan./mar, 2010.

OLIVEIRA, I.; SERRAZINA, L. A reflexão e o professor como investigador. In: GTI (Ed.). Reflectir e investigar sobre a prática profissional. Lisboa: APM, 2002. p. 29-42.

PÉREZ GÓMEZ, A. P. O pensamento prático do professor: a formação do professor como profissional reflexivo. In: NÓVOA, A. (org.) Os professores e a sua formação. Lisboa, Portugal: Publicações dom Quixote, p. 77-91, 1992.

PORLÁN, R.; MARTÍN, J. El diário del profesor: Um recurso para la investigación em el aula. Sevilha: Diáda, 1997.

REALI, A. M. M. R.; TANCREDI, R. M. S. P. Interação escola-famílias: concepções de –professores e práticas pedagógicas. In: REALI , A. M. M. R.; MIZUKAMI, M. G. N. (Orgs.), Formação de professores: práticas pedagógicas e escola. São Carlos: EdUFSCar. 2002.

REALI, A. M. M. R.; TANCREDI, R. M. S. P. Bringing together school and family lessons from a Brazilian Experience. The School Community Journal. Lincoln (USA), The Academic Development Institute. 14, (2) 105-129. 2004.

REALI, A. M. M. R.; TANCREDI, R. M. S. P. A importância do que se aprende na escola: A parceria escola-famílias em perspectiva. Paidéia, 15(31), 239-247, 2005.

RODGERS, C. Defining Reflection: Another Look at John Dewey and Reflective Thinking. Teachers College Record, Volume 104, Number 4, June, pp. 842–866, 2002.

SANTOS, G. B. Os professores e seus mecanismos de fuga e enfrentamento. Trabalho, Educação e Saúde, 7(2), 285-304, 2009.

SARAIVA, L. A.; WAGNER, A. A Relação Família-Escola sob a ótica de Professores e Pais de crianças que frequentam o Ensino Fundamental. Ensaio: avaliação políticas públicas Educação, 21(81), 739-772, 2013.

SCHÖN, D.A. Educando o profissional reflexivo: um novo design para o ensino e a aprendizagem. Porto Alegre: Artes. Médicas, 2000.

SCHÖN, D. A. Formar professores como profissionais reflexivos. In: NÓVOA, A. (org.). Os professores e a sua formação. Lisboa, Portugal: Publicações dom Quixote, p. 77-91. 1992.

SCHÖN, D. A. The reflective practitioner: how professionals think in action. New York: Basic Books, 1983.

SILVEIRA, L. M. O. B. A Relação Família-Escola: uma parceria possível? In: WAGNER, A. et al. Desafios Psicossociais da Família Contemporânea: pesquisas e reflexões. Porto Alegre: Artmed, p. 181-190, 2011.

SIVIERI-PEREIRA, H. de O. O professor principiante e os espaços de interação entre as dimensões pessoais e profissionais da carreira docente. 2008. Tese (Doutorado em Ciências, área Psicologia). Faculdade de Filosofia Ciências e Letras. Universidade de São Paulo. Ribeirão Preto, SP, 2008.

SOUZA, V. L. T.; PETRONI, A. P.; ANDRADA, P. C. A afetividade como traço da constituição identitária docente: o olhar da psicologia. Psicologia & Sociedade, 25(3), 527-537, 2013.

ZABALZA, M. A. Diários de aula: um instrumento de pesquisa e desenvolvimento profissional. Porto Alegre: Artmed, 2004.

ZANCHET, B. M. B. A.; FAGUNDES, M. V. A preparação para o exercício do magistério superior far-se-á em nível de pós-graduação? Os docentes iniciantes respondem. Revista e-curriculum, São Paulo, v.8 n.1 Abril, 2012.

Downloads

Publicado

01-02-2020

Como Citar

SIVIERI-PEREIRA, H. de O.; LOPES, D. G.; SILVA, N. B. F. Diários de aula como estratégia de reflexão na formação e prática docente. Revista Eletrônica de Educação, [S. l.], v. 14, p. e3125052, 2020. DOI: 10.14244/198271993125. Disponível em: https://www.reveduc.ufscar.br/index.php/reveduc/article/view/3125. Acesso em: 14 jun. 2024.

Edição

Seção

Demanda Contínua - Artigos
##plugins.generic.dates.received## 2018-11-16
##plugins.generic.dates.accepted## 2019-04-14
##plugins.generic.dates.published## 2020-02-01