Boas Práticas Educacionais sob a perspectiva dos Critérios de Excelência do PNQ

Autores

  • Débora Bernardino Universidade Federal Fluminense
  • Luis Perez Zotes UFF

DOI:

https://doi.org/10.14244/198271992676

Palavras-chave:

Qualidade, Educação, Critérios de excelência, Boas práticas.

Resumo

Diante da necessidade de se avaliar continuamente a qualidade da Educação do Brasil e especialmente em escolas de gestão pública, optou-se por utilizar como parâmetro o Prêmio Nacional de Qualidade (PNQ) por seus critérios de excelência possuir estreita relação com as Boas Práticas da educação. A metodologia está apoiada em uma pesquisa bibliográfica exploratória e documental, utilizando-se dissertações e teses, anais de congressos, artigos do portal CAPES, incluindo a análise de uma pesquisa survey efetuada com 96 respondentes e na modelagem de um estudo de caso em uma escola de gestão pública do Estado do Rio de Janeiro. Ao final do artigo apresenta-se a percepção dos atores da educação, professores e alunos, quanto às boas práticas em seus níveis de importância e ocorrência, e é possível diagnosticar que os dois segmentos percebem a importância das Boas Práticas Educacionais, mas sentem a sua ausência, na maioria dos requisitos apresentados, no cotidiano de suas atividades.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Débora Bernardino, Universidade Federal Fluminense

Possui Mestrado em Sistemas de Gestão - com foco na Qualidade na Educação - pela Universidade Federal Fluminense (UFF); e MBA em Gestão de Qualidade Total pela mesma universidade, trabalho defendido na Área da Educação: Implementação dos Critérios de Excelência na Gestão de uma Escola Pública. Possui Graduação em Letras - Português pela Universidade Federal Fluminense (2007). Concluiu o curso de Auditoria Interna de Qualidade pela Fundação Euclides da Cunha - Bureau Veritas. Possui curso de Revisão de Texto e Copidesque Certificada no Curso de Fundamentos da Didática do Ensino Superior. Atualmente atua como docente em uma escola da rede estadual, e possui experiência nessa área desde 2007, além de já ter atuado na área de pesquisa.

Luis Perez Zotes, UFF

Graduado em Engenharia Civil pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (1973), com mestrado em Engenharia Civil pela Universidade Federal Fluminense (1992) e doutorado em Engenharia de Produção pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1994). Atualmente é Professor Associado IV da Universidade Federal Fluminense. Tem experiência nas áreas de Engenharia Civil, Administração Financeira, Gestão Estratégica, Gerenciamento de Projetos e Engenharia de Segurança.

Referências

BATISTA, Fabio Ferreira. A gestão da qualidade total na escola (GQTE): novas reflexões. Brasília: IPEA, 1994.

BERNARDINO, Débora Carvalho. Avaliação da qualidade em serviços educacionais sob a perspectiva dos critérios de excelência do PNQ. 2016. Dissertação (Mestrado em Sistemas de Gestão) – Programa de Pós-Graduação em Engenharia, Universidade Federal Fluminense, Niterói, 2016.

BEZERRA, Marlene Jesus Soares. Sistema de gestão e os critérios de excelência do Prêmio Nacional da Qualidade: um instrumento de avaliação para o segmento educação. Rio de Janeiro: Arquimedes, 2004.

BRASIL. Lei n. 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Brasília, DF: MEC, 1996. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9394.htm>. Acesso em janeiro de 2017.

BRASIL. Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília, DF: Senado, 1988.

DIAS SOBRINHO, José. Calidad, pertinencia y relevancia: relación con el resto del sistema y la sociedad; responsabilidad social de la educación superior. In: GAZZOLA, Ana Lucia; PIRES, Sueli. Hacia una política regional de aseguramiento de la calidad en educación superior para América Latina y el Caribe. Caracas: UNESCO-IESALC, 2010.

PRÊMIO Gestão Escolar. Brasília: Conselho Nacional de Secretários de Educação, 1998. Disponível em: <http://www.premiogestaoescolar.org.br/> Acesso em jan 2017.

FUNDAÇÃO NACIONAL DA QUALIDADE. Perguntas frequentes. Disponível em: <http://www.fnq.org.br/perguntas-frequentes/3>. Acesso em jan 2017.

FUNDAÇÃO NACIONAL DA QUALIDADE. Prêmio Nacional da Qualidade. Disponível em: <http://www.fnq.org.br/avalie-se/pnq>. Acesso em 13 mar. 2016.

GRAY, David E. Pesquisa no mundo real. 2. ed. Porto Alegre: Penso, 2012.

KUENZER, Acacia Zeneida. O ensino médio no plano nacional de educação 2011-2020: superando a década perdida?. Educ. Soc., Campinas, v. 31, n. 112, p. 851-873, jul.-set. 2010

LIKERT, Rensis. The method of constructing an attitude scale. Information Corporation, 1932.

LIMA, João Francisco Lopes de. A educação, o cenário da pós modernidade e a questão da normatividade. 2009. 209f. Tese (Doutorado em Educação) – Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade Federal Fluminense, Niterói, 2009.

LONGO, Rose Mary Juliano. Gestão da qualidade na educação: em busca da excelência. In:__________. Gestão da qualidade: evolução histórica, conceitos básicos e aplicação na educação. São Paulo: Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial, 1996.

MATOS, Daniel; RODRIGUES, Erica. Indicadores educacionais e contexto escolar: uma análise das metas do Ideb. Estudos em Avaliação Educacional, São Paulo, v. 27, n. 66, p. 662-688, set./dez. 2016.

PINTO, Angelo C. Sem educação básica de qualidade não há futuro. Journal of the Brazilian Chemical Society, São Paulo, v. 23, n. 8, p. 1, ago. 2012.

PONTES, Luiz Antônio; SOARES, Tufi. As metas escolares do Ideb: uma proposta alternativa de cálculo. Estudos em Avaliação Educacional, São Paulo, v. 27, n. 66, p. 690-715, set./dez. 2016.

RAMOS, Cosete. O programa da Q.T. na educação: visão de uma educadora. Revista de Educação do Cogeime, São Paulo, v. 3, n. 4, p. 23-32, 1994.

ROMANELLI, Otaíza de Oliveira. História da educação no Brasil, Petrópolis: Vozes, 1997.

SORDI, Mara et al. Indicadores de qualidade social da escola pública: avançando no campo avaliativo. Estudos em Avaliação Educacional, São Paulo, v. 27, n. 66, p. 716-753, set./dez. 2016.

UNICEF. Redes de aprendizagem: boas práticas de municípios que garantem o direito de aprender. Brasília, 2008. Disponível em: <http://www.unicef.org/brazil/pt/Redes_de_aprendizagem.pdf>. Acesso em jan. 2017.

XAVIER, Antonio Carlos da R. Rompendo paradigmas: a implantação da gestão da qualidade total nas escolas municipais de Cuiabá. Brasília: IPEA, 1994. 3 p. (Relatório interno, IPEA. CPS; 16/94).

YIN, Robert K. Estudo de caso: planejamento e métodos. Tradução Daniel Grassi. 2. ed. Porto Alegre: Bookman, 2001.

Downloads

Publicado

01-02-2020

Como Citar

BERNARDINO, D.; ZOTES, L. P. Boas Práticas Educacionais sob a perspectiva dos Critérios de Excelência do PNQ . Revista Eletrônica de Educação, [S. l.], v. 14, p. e2676034, 2020. DOI: 10.14244/198271992676. Disponível em: https://www.reveduc.ufscar.br/index.php/reveduc/article/view/2676. Acesso em: 24 jun. 2024.

Edição

Seção

Demanda Contínua - Artigos
##plugins.generic.dates.received## 2018-03-06
##plugins.generic.dates.accepted## 2018-12-07
##plugins.generic.dates.published## 2020-02-01