Valorização dos profissionais ou desprofissionalização na educação infantil? “novas” e “velhas” representações do professor

Autores

  • Jani Alves da Silva Moreira UEM
  • Heloísa Irie Saito UEM
  • Maria Eunice França Volsi UEM
  • Lucinéia Maria Lazaretti UEM

DOI:

https://doi.org/10.14244/198271992663

Palavras-chave:

Educação infantil, Profissionalização do professor, Políticas educacionais.

Resumo

Objetivamos, neste texto, analisar as políticas que constituem a profissionalização do professor e o processo de desprofissionalização do docente da Educação Infantil, a fim de identificar os dilemas atuais em torno dos critérios e do conceito de ser professor nessa etapa da educação básica. Trata-se de uma análise crítica de documentos de fontes oficiais governamentais, que foram levantados em uma pesquisa desenvolvida pelo Grupo de Trabalho (GT) Pirapó, vinculado ao Fórum de Educação Infantil do Paraná (Feipar) e ao Movimento Interfóruns de Educação Infantil do Brasil (Mieib), no período de 2015 a 2017. As análises mediadas são relevantes, pois apresentam a defesa da formação específica ao profissional que atua na Educação Infantil. Elencamos, como conclusão, a necessidade da permanência de professores com formação pedagógica na Educação Infantil, porque entendemos que tal formação potencializa o desenvolvimento de um trabalho pedagógico que articula o cuidar e o educar, permitindo assim uma Educação Infantil de qualidade para todas as crianças.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Jani Alves da Silva Moreira, UEM

Docente Adjunto do Departamento de Teoria e Prática da Educação e do Programa de Pós-Graduação em Educação (PPE) da Universidade Estadual de Maringá

Líder do Grupo de estudos e pesquisa em políticas educacionais, gestão e financiamento da educação - GEPEFI/CNPq

Heloísa Irie Saito, UEM

Docente Adjunto do Departamento de Teoria e Prática da Educação e do Programa de Pós-Graduação em Educação (PPE) da Universidade Estadual de Maringá. Pesquisadora do Grupo de Pesquisa e Ensino Trabalho Educativo e Escolarização - GENTEE/CNPq

Maria Eunice França Volsi, UEM

Docente Adjunto do Departamento de Teoria e Prática da Educação. Líder do Grupo de Estudos e Pesquisas em Políticas Educacionais, Gestão e Financiamento da Educação – GEPEFI/CNPq.

Lucinéia Maria Lazaretti, UEM

Doutora em Educação pela Universidade Federal de São Carlos. Pesquisadora do Grupo de Pesquisa e Ensino Trabalho Educativo e Escolarização - GENTEE/CNPq

Referências

BARBOSA, Maria Carmen Silveira; QUADROS, Vanessa da Silva Rocha. As aprendizagens cotidianas: os cuidados pessoais das crianças como gesto curricular. In: CARVALHO, Rodrigo Saballa de; FOCHI, Paulo Sergio (orgs.) Pedagogia do cotidiano na (e da) educação infantil. Em aberto, v. 30, n. 100, p. 45-70, set./dez. 2017.

BRASIL. Ministério da Educação e Cultura. Lei nº. 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Fixa as Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Brasília, DF: MEC, 1996.

BRASIL. Casa Civil. Lei nº 11.738 de 16 de julho de 2008. Regulamenta a alínea “e” do inciso III do caput do art. 60 do Ato das Disposições Constitucionais Transitórias, para instituir o piso salarial profissional nacional para os profissionais do magistério público da educação básica. Brasília, DF: Casa Civil, 2008. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2008/lei/l11738.htm>. Acesso em: 18 set. 2014.

BRASIL. Lei nº 13.257, de 8 de março de 2016. Lei do Marco Legal da Primeira Infância. Disponível em < http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2015-2018/2016/lei/l13257.htm> Acesso em 08/04/2017

BRASIL. Conselho Nacional de Educação. Câmara da Educação Básica. Resolução nº 5, de 17 de dezembro de 2009 que fixa Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Infantil. Brasília, DF, MEC, 2009. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_docman&view=download&alias=9769-diretrizescurriculares-2012&category_slug=janeiro-2012-pdf&Itemid=30192 acesso em: 31/05/2016.

BRASIL. Conselho Nacional de Educação. Ministério da Educação. Conferência Nacional de Educação. Documento Final. Brasília, DF: MEC, 2010.

BRASIL. Ministério da Educação. Portaria Nº 1.407, de 14 de dezembro de 2010. Institui o Fórum Nacional de Educação – FNE. Disponível em: http://fne.mec.gov.br/9-uncategorised/926-portaria-1-407 Acesso em: 31/05/2016.

BRASIL. Casa Civil. Lei nº 13.005, de 25 de junho de 2014. Aprova o Plano Nacional de Educação – PNE e dá outras providências. Brasília, DF: Casa Civil, 2014b. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2011-2014/2014/ lei/l13005.htm>. Acesso em: 22 ago. 2015.

BRASIL. Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação. Câmara da Educação Básica. Revisão das Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Infantil. PARECER CNE/CEB Nº: 20/2009. Brasília. DF. 2009.

BRASIL. Ministério da Educação e do Desporto. Secretaria da Educação Fundamental. Referencial Curricular Nacional para a Educação Infantil. Documento Introdutório. Brasília: MEC/SEF, v.1,2,3. 1998.

BRASÍLIA. Frente Parlamentar Mista da Primeira Infância. Centro de Estudos e Debates Estratégicos. Avanços do marco legal da primeira infância. 2016. Disponível em < http://primeirainfancia.org.br/wp-content/uploads/2016/07/Avancos-do-Marco-Legal-da-Primeira-Infancia-1.pdf> Acesso em 08/04/2017

CAMPOS, M. M. Educar e Cuidar: sobre o perfil do profissional de Educação Infantil. In: Por uma Política de Formação do Profissional de Educação Infantil. Brasília: BRASIL/MEC/SEF/COEDI, 1994, p. 32-42.

CAMPOS, M. M.; FÜLLGRAF, J.; WIGGERS, W., A qualidade da Educação Infantil brasileira: alguns resultados de pesquisa. Cadernos de Pesquisa, v. 36, n. 127, p. 87-128, jan./abr. 2006.

CNTE. Cumprimento da Lei do Piso do Magistério nas Redes Estaduais: Dez. 2016. Disponível em < http://www.cnte.org.br/index.php/tabela-salarial.html> Acesso em 22.02.2018

CNTE. O Piso Salarial do Magistério. 2018. Disponível em < http://www.cnte.org.br/index.php/cnte-na-midia/19481-o-piso-salarial-do-magisterio.html> Acesso em 22.02.2018

COUTINHO, Ângela Maria Scalabrin. A ação social dos bebês: um estudo etnográfico no contexto da creche. 2010. 291p. Minho-Pt: Tese (Doutoramento em Estudos da Criança. Especialidade em Sociologia da Infância), 2010.

KISHIMOTO, Tizuko. M. Política de formação profissional para a Educação Infantil: Pedagogia e Normal Superior. Educação & Sociedade, Campinas, n.68, p. 61-79, 1999. Ed. Especial.

KRAMER, Sonia. Subsídios para uma política de formação do profissional de Educação Infantil - Relatório. In: Por uma Política de Formação do Profissional de Educação Infantil. Brasília, MEC/SEF/DPE/COEDI, 1994.

LEONTIEV, Aléxis N. O desenvolvimento do psiquismo. Lisboa: Livros Horizonte, 1978.

MACHADO, Maria Lucia de A. Desafios iminentes para projetos de Formação de Profissionais para Educação Infantil. Cadernos de Pesquisa, nº 110, p. 191-202, julho/ 2000.

MARANHÃO, Damaris Gomes. O cuidado como elo entre saúde e educação. Cadernos de Pesquisa, n. 111, p. 115-133, dez. 2000.

ROSEMBERG, Fúlvia. Formação do profissional de educação infantil através de cursos supletivos. In: BARRETO, Angela Maria Rabelo (Org.) Por uma política de formação do profissional de educação infantil, p. 51-63, 1994.

SAVIANI, N. Educação Infantil versus educação escolar: implicações curriculares de uma (falsa) oposição. In: ARCE, A.; JACOMELI, M. R. M. (Org.). Educação Infantil versus educação escolar?: entre a (des)escolarização e a precarização do trabalho pedagógico nas salas de aula. Campinas: Autores Associados, 2012. p. 53-79.

Downloads

Publicado

01-02-2020

Como Citar

MOREIRA, J. A. da S.; SAITO, H. I.; VOLSI, M. E. F.; LAZARETTI, L. M. Valorização dos profissionais ou desprofissionalização na educação infantil? “novas” e “velhas” representações do professor. Revista Eletrônica de Educação, [S. l.], v. 14, p. e2663033, 2020. DOI: 10.14244/198271992663. Disponível em: https://www.reveduc.ufscar.br/index.php/reveduc/article/view/2663. Acesso em: 24 jun. 2024.

Edição

Seção

Demanda Contínua - Artigos
##plugins.generic.dates.received## 2018-02-23
##plugins.generic.dates.accepted## 2018-11-01
##plugins.generic.dates.published## 2020-02-01