Política Nacional de Alfabetização: análise dos discursos sob a ótica dos Estudos Culturais

Autores

DOI:

https://doi.org/10.14244/198271995100

Palavras-chave:

Política Nacional de Alfabetização, Estudos Culturais, Alfabetização.

Resumo

Historicamente, a alfabetização mobiliza debates por parte de gestores públicos e estudiosos da área devido às dificuldades enfrentadas pelas crianças matriculadas neste ciclo para apropriarem-se da leitura e da escrita. Neste sentido, gestores e pesquisadores voltados para o campo da educação buscam estratégias metodológicas, políticas e formativas para minimizarem os problemas relacionados a não aprendizagem. Diante deste cenário, esse estudo tem como tema os discursos de alfabetização presentes na Política Nacional de Alfabetização (PNA). Assim, o objetivo principal foi analisar os discursos de alfabetização que estão balizados no Decreto nº 9.765, lançado no mês de abril de 2019 pelo Governo Federal. Mais especificamente buscou-se: identificar os discursos de alfabetização que balizam a Política Nacional de Alfabetização e observar como estes discursos estão representados nesta política. Para tanto, a proposta foi realizar uma análise do Decreto nº 9.765/2019, elaborado pela Secretaria de Alfabetização, vinculada ao Ministério da Educação. Para alcançar os objetivos formulados, metodologicamente foi adotada uma pesquisa qualitativa, de cunho documental, efetivada mediante análise textual e do discurso presente no documento, na perspectiva dos Estudos Culturais. A partir do material estudado, constatou-se que a alfabetização no Brasil sofreu uma ruptura a partir de instauração do Decreto, uma vez que a PNA desconstrói o discurso instituído pelo Pró-letramento e Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa (PNAIC) e institui teorias e metodologias de ensino pautadas nos princípios da instrução fônica e na consciência fonêmica.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Liziana Arambula Teixeira , Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD)

Professora efetiva da rede municipal de ensino de Amambai – Mato Grosso do Sul (MS), Coordenadora Geral dos Anos Iniciais do Ensino Fundamental na Secretaria Municipal de Educação. Membro do Grupo de Estudos e Pesquisas em Educação Infantil e Infância (GEINFAN) do diretório do CNPq. Graduação em Pedagogia pela Faculdade Integrada de Amambai (FIAMA-2007), Letras pela Universidade Claretiano (2018), especialização em Gestão Escolar pela Universidade Federal do Mato Grosso do Sul (UFMS-2016), Mestre em Educação pela Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD) e doutoranda do Programa de Pós Graduação (PPGedu) da mesma instituição.

Thaise da Silva, Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD)/Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS)

Professora permanente do Programa de Pós-graduação em Educação da Universidade Federal da Grande Dourados - Mato Grosso do Sul (UFGD) e professora adjunta da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Foi coordenadora do Curso de Pedagogia (UFGD, 2014 - 2017) e coordenadora adjunta do Curso de Especialização em Docência na Educação Infantil (UFGD/MEC, 2015-2016).Tem graduação em Pedagogia pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS - 2000), especialização em Alfabetização pela Faculdade Porto-Alegrense (FAPA, 2004), mestrado em Educação pela UFRGS (2008), doutorado em Educação pelo Programa de Pós-Graduação da mesma instituição (2012) e pós-doutorado em Educação pela Universidade Estadual do Mato Grosso do Sul (UEMS, 2017).  Atuou como professora em distintos níveis de ensino – na Educação Infantil, nos Anos Iniciais do Ensino Fundamental, no Ensino Médio – Curso Normal - no Ensino Superior e em cursos de pós-graduação/especialização – com crianças, jovens e adultos, tanto em instituições públicas quanto em privadas.

Referências

BARKER, Chris; GALASINSKY, Dariusz. Cultural Studies and Discourse Analysis: a dialogue or language and identity. London, UK: Sage Publications, 2001.

BRASIL. Presidência da República. Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília, DF: Senado Federal, 1988. Disponível em https://www.senado.leg.br/atividade/const/con1988/CON1988_05.10.1988/CON1988.aspAcesso. Acesso em: 15 set. 2019.

BRASIL. Ministério da Educação. Decreto nº 9.765, de 11 de abril de 2019. Institui a Política Nacional de Alfabetização. Brasília, DF: MEC, 2019a. Disponível em: https://www2.camara.leg.br/legin/fed/decret/2019/decreto-9765-11-abril-2019-787972-norma-pe.html. Acesso em: 15 ago. 2020.

BRASIL. Congresso Nacional. Projeto de Lei n.º 2401/2019. Dispõe sobre o exercício do direito à educação domiciliar, altera a Lei nº 8.069, de 13 de julho de 1990 - Estatuto da Criança e do Adolescente, e a Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Brasília, DF: MEC, 2019b. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/CCIVIL_03/Projetos/PL/2019/msg121-abril2019.htm. Acesso em: 15 ago. 2020.

BRASIL. Ministério da Educação. Portaria n.º 421, de 23 de abril de 2020. Institui o Conta pra Mim, programa de literacia familiar do Governo Federal. Brasília, DF: MEC, 2020a. Disponível em: https://www.in.gov.br/en/web/dou/-/portaria-n-421-de-23-de-abril-de-2020-253758595. Acesso em: 10 set. 2020.

BRASIL. Ministério da Educação. Portaria n º 280, de 19 de fevereiro de 2020. Institui o Programa Tempo de Aprender, que dispõe sobre a alfabetização escolar no âmbito do Governo Federal. Brasília, DF: MEC, 2020b. Disponível em: https://www.in.gov.br/en/web/dou/-/portaria-n-280-de-19-de-fevereiro-de-2020-244584539. Acesso em: 10 set. 2020.

BUNZEN, Clecio. Um breve decálogo sobre o conceito de “literacia” na Política Nacional de Alfabetização (PNA, 2019). In: XV ENDIPE. Anais [...]. Belo Horizonte, 2019.

FOUCAULT, Michel. Microfísica do poder: Rio de Janeiro, RJ: Edições Graal, 1979.

FOUCAULT, Michel. Vigiar e Punir: nascimento de uma prisão. Petrópolis, RJ: Vozes, 1987.

FOUCAULT, Michel. A ordem do discurso. São Paulo, SP: Loyola, 1996.

FOUCAULT, Michel. Do governo dos vivos: Curso no Collège de France, 1979-1980: aulas de 9 e 30 de janeiro de 1980. Tradução, transcrição e notas de Nildo Avelino. São Paulo, SP: Centro de Cultura Social, 2009.

FOUCAULT, Michel. A Arqueologia do Saber. 8ª Ed. Trad.: Luiz Felipe Baeta Neves. Rio de Janeiro: Forense-Universitária, 2013. 254p.

GATTI, Bernardete A. Pesquisa, Educação e Pós-Modernidade: confrontos e dilemas, Cadernos de Pesquisa, São Luís, v. 35, n. 126, p. 595-608, set./dez. 2005.

GILL, Rosalind. Análise de Discurso. In: BAUER, Martin W. et al. Pesquisa Qualitativa com texto, imagem e som. Petrópolis, RJ: Vozes, 2002. p.244-270.

GOMES, Inês; SANTOS, Nelson Lima. Literacia Emergente: “É de pequenino que se torce o pepino’’! Revista da Faculdade de Ciências Humanas e Sociais, Porto, n. 2, p. 312-326, 2005.

HALL, Stuart. A centralidade da cultura: notas sobre as revoluções culturais do nosso tempo. Educação & Realidade, Porto Alegre, v. 22, n. 2, p.17-46, jul./dez. 1997.

KLEIMAN, Ângela Bustos. Modelos de letramento e as práticas de alfabetização na escola. In: KLEIMAN, Ângela.B. (Org.). Os significados do letramento. Campinas: Mercado de Letras, 1995. p. 15-61. (1995).

LIPPI, Bruno Gonçalves; NEIRA, Marcos Garcia. Tecendo a Colcha de Retalhos: a bricolagem como alternativa para a pesquisa educacional. Educação & Realidade, Porto Alegre, v. 37, n. 2, p. 607-625, maio/ago. 2012.

LOPES, Denise Maria de Carvalho. Considerações Sobre a Política Nacional de Alfabetização. Revista Brasileira de Alfabetização, Belo Horizonte, v. 1, n. 10, ed. esp., p. 86-90, jul./dez. 2019.

LUKE, Allan. Tex and Discourse in Education: an introduction to critical discourse analysis. Rewiew of Research in Education, Chicago, p. 3-48, 1995.

MARZOLA, Norma Regina. Alfabetização: o discurso dos métodos. In: LAMPERT, Ernani (org.). O ensino sob o olhar dos educadores. Pelotas, RS: Seiva, 2003. p. 209-220.

MORAIS, Artur Gomes de. Concepções e Metodologias de Alfabetização: Por que é preciso ir além da discussão sobre velhos “métodos”? XIII ENDIPE. Simpósio “Os Discursos e as Narrativas nos Processos Educativos”. Recife, 2006, p. 1-15. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/seb/arquivos/pdf/Ensfund/alf_moarisconcpmetodalf.pdf. Acesso em: 11 set. 2020.

MORTATTI, Maria do Rosário Longo. Alfabetização no Brasil: conjecturas sobre as relações entre políticas públicas e seus sujeitos privados. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, v. 15, p. 329 -341, 2010.

MORTATTI, Maria do Rosário Longo. A “Política Nacional de Alfabetização” (Brasil, 2019): Uma “Guinada” (Ideo) Metodológica para trás e pela direita. Revista Brasileira de Alfabetização, Belo Horizonte. v. 1, n. 10, ed. esp., p. 26-31, jul./dez. 2019.

PORTO, Jose Renato Sant’Anna. Uma analítica do poder para as políticas públicas: Foucault e a contribuição da Anthropology of Public Policy. Estud. Soc. e Agric., Rio de Janeiro, v. 22, n. 2, p. 360-385, 2014.

SANTI, Heloise Chierentin; SANTI, Vilso Junior Chierentin. Stuart Hall e o trabalho das representações. Revista Interdisciplinar da Graduação, São Paulo, ano 2, ed. 1, p.1-12, set./nov. 2008.

SILVA, Thais Cristófaro Alves. Consciência Fonológica. In: FRADE, Isabel Cristina Alves da Silva; VAL, Maria da Graça Costa; BREGUNCI, Maria das Graças de Castro (org.). Glossário Ceale: termos de alfabetização, leitura e escrita para educadores. Belo Horizonte, MG: CEALE, 2014. Disponível em: http://www.ceale.fae.ufmg.br/app/webroot/glossarioceale/verbetes/consciencia-fonologica. Acesso em: 11 set. 2020.

SILVA, Thais da. Os “novos” discursos sobre alfabetização em análise: os livros de 1º ano do Ensino Fundamental de nove anos do programa nacional do livro didático (PNLD 2010). 2012. 283 f. Tese (Doutorado em Educação) – Faculdade de Educação. Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2012.

SOARES, Magda. Letramento e alfabetização: as muitas facetas. Revista Brasileira de Educação, n. 25, p. 5-17, 2004.

TEIXEIRA, João de Fernandes. Filosofia e ciência cognitiva. Petrópolis, RJ: Vozes, 2004.

TRINDADE, Iole Maria Faviero. Uma análise cultural de discursos sobre alfabetização e alfabetismo/ letramento e suas representações. Educação, Santa Maria, v. 32, n. 1, p. 41-57, 2007.

Downloads

Publicado

11-04-2023

Como Citar

TEIXEIRA , L. A. . .; DA SILVA, T. . Política Nacional de Alfabetização: análise dos discursos sob a ótica dos Estudos Culturais. Revista Eletrônica de Educação, [S. l.], v. 17, p. e5100011, 2023. DOI: 10.14244/198271995100. Disponível em: https://www.reveduc.ufscar.br/index.php/reveduc/article/view/5100. Acesso em: 17 jul. 2024.

Edição

Seção

Dossiê Formação de professores alfabetizadores: políticas, saberes e práticas
##plugins.generic.dates.received## 2022-05-03
##plugins.generic.dates.accepted## 2022-02-14
##plugins.generic.dates.published## 2023-04-11