Violência contra pessoas com deficiência: um estudo de caso

Autores

  • Marlon Jose Gavlik Mendes Universidade Federal de São Carlos - UFSCAR http://orcid.org/0000-0002-3473-610X
  • Tânia Maria Rechia Schroeder Universidade Estadual do Oeste do Paraná
  • Fátima Elisabeth Denari Universidade Federal de São Carlos - UFSCAR

DOI:

https://doi.org/10.14244/198271993308

Palavras-chave:

Violência, Pessoas com deficiência, Estigma, Bullying.

Resumo

A vida das pessoas com deficiência é marcada por situações adversas, como barreiras físicas, comunicacionais e atitudinais. Esse grupo também sofre de situações violentas em seu cotidiano, como agressões físicas e verbais. Na produção científica atual se notam poucas pesquisas que investigam o discurso da própria pessoa vítima de violência, fato esse que, de um lado, pode caracterizar desconhecimento das situações vividas por essas pessoas e, por outro, pode resultar em um descrédito em relação ao discurso das pessoas com deficiência. Nesse sentido, o objetivo desta pesquisa foi investigar as violências vividas por pessoas com deficiência por meio de um estudo de caso de um jovem com deficiência física. A pesquisa realizada foi descritiva e de natureza qualitativa, utilizando-se do referencial teórico da Sociologia da Deficiência, da Violência e do Estigma. Foi realizada entrevista a partir de um roteiro semiestruturado de questões, sendo utilizada a Sociologia Compreensiva como ferramenta de análise dos dados. Os resultados mostraram que xingamentos e exclusões fazem parte do cotidiano do jovem com deficiência, ações tais que podem, legalmente, ser tidas como bullying. O jovem vive diversos conflitos no ambiente escolar, tendo alguns desses conflitos resolvidos a partir da mediação de profissionais. A violência contra as pessoas com deficiência é um fenômeno dinâmico e recorrente, são necessários programas de prevenção e de intervenção no ambiente escolar, além de outras pesquisas sobre a temática que focalizem a perspectiva da vítima.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Marlon Jose Gavlik Mendes, Universidade Federal de São Carlos - UFSCAR

Psicólogo pela Universidade Estadual do Centro-Oeste do Paraná (UNICENTRO), Mestre em Educação pela Universidade Estadual do Oeste do Paraná (UNIOESTE), atualmente doutorando em Educação Especial pela Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR).

Tânia Maria Rechia Schroeder, Universidade Estadual do Oeste do Paraná

Graduada em Pedagogia pela Universidade Federal do Paraná (UFPR), Mestre em Educação pela Universidade Estadual de Campinas, Doutora em Educação pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Realizou estágio de pós-dourado na França, na Universidade de Paris V (Sorbonne) (2016). É professora Associada B da Universidade Estadual do Oeste do Paraná (UNIOESTE), vinculada ao Programa de Pós-Graduação em Educação.

Fátima Elisabeth Denari, Universidade Federal de São Carlos - UFSCAR

Graduada em Estudos Sociais e Pedagogia pela Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR), Mestre em Educação Especial pela UFSCAR, Doutora em Educação pela UFSCAR. Atualmente professora associada do departamento de Psicologia da UFSCAR, atuando na área de educação especial.

Referências

ABRAMOVAY, M. Cotidiano das escolas: entre violências. Brasília, DF: Unesco, Observatório de Violência, Ministério da Educação 2006.

AMARAL, L. A. Sobre crocodilos e avestruzes: falando de diferenças físicas, preconceitos e sua superação. In: Diferenças e preconceito na escola: alternativas teóricas e práticas. Volume 5. São Paulo: Summus, 1998. p. 11-30.

ARANHA, M. S. F. Paradigmas da relação da sociedade com as pessoas com deficiência. Revista do Ministério Público do Trabalho, v. 11, n. 21, p. 160-173, 2001.

BARROS, A. C. M. W.; DESLANDES, S. F.; BASTOS, O. M. A violência familiar e a criança e o adolescente com deficiências. Cadernos de Saúde Pública, v. 32, 2016.

BENETTI, D. S. Efeitos de um treino de habilidades para a vida junto a adolescentes com deficiência intelectual e em situação de acolhimento. 2015. Tese (Doutorado em Educação e Ciências Humanas). Programa de Pós-Graduação em Educação Especial. Universidade Federal de São Carlos, 2015.

BIANCHETTI, L. Os trabalhos e os dias dos deuses e dos homens: a mitologia como fonte para refletir sobre normalidade e deficiência. Revista Brasileira de Educação Especial, v. 7, n. 1, p. 61-75, 2001.

BONI, V.; QUARESMA, S. J. Aprendendo a entrevistar: como fazer entrevistas em Ciências Sociais. Em Tese, v. 2, n. 1, p. 68-80, 2005.

BORGES, L.; CAMPOS, J. A. P. P. Fatores determinantes ao ingresso de alunos com deficiência no ensino médio. Psicologia Educacional, São Paulo, n. 44, p. 79-91, jun. 2017.

BOTELHO, R. G.; SOUZA, J. M. C. Bullying e educação física na escola: características, casos, conseqüências e estratégias de intervenção. Revista de Educação Física/Journal of Physical Education, v. 76, n. 139, 2007.

BRANDÃO, E. C.; MATIAZI, L. D. Bullying: Violência socioeducacional – desafio permanente. Pedagogia em Ação, v. 9, n. 1, p. 17-33, 2017.

BRASIL. Estatuto da Pessoa com Deficiência. Lei Brasileira de Inclusão. Lei nº 13.146, de 6 de julho de 2015. Presidência da República, Brasília/DF; 2015.

CHARLOT, B. A violência na escola: como os sociólogos franceses abordam essa questão. Sociologias, Porto Alegre, n. 8, p. 432-443, 2002.

CUNHA, M, J.; PINTO, P. C. Representaciones mediáticas de la deficiencia: un estudio longitudinal en la prensa. Sociologia, Problemas e Práticas, Lisboa, n. 85, p. 131-147, set. 2017.

EMERICH, D. R.; ALCKMIN-CARVALHO, F.; SILVA, M. H. M. Rejeição e vitimização por pares em crianças com deficiência intelectual e transtorno do espectro autista. Revista Educação Especial, v. 30, n. 58, 2017.

FERNANDES, A. P. C. S.; DENARI, F. E. Pessoa com deficiência: estigma e identidade. Revista da FAEEBA Educação e Contemporaneidade, v. 26, n. 50, p. 77-89, 2017.

FOUCAULT, M. Vigiar e punir: o nascimento da prisão. Tradução R. Ramalhete. 21. ed. Petrópolis, RJ: Vozes; 1999.

FRASER, M. T. D.; GONDIM, S. M. G. Da fala do outro ao texto negociado: discussões sobre a entrevista na pesquisa qualitativa. Paidéia, v. 14, n. 28, p. 139-152, 2004.

GOFFMAN, E. Estigma: notas sobre a manipulação da identidade deteriorada. Rio de Janeiro: Coletivo Sabotagem, 1988.

GOMES, A. E. G.; REZENDE, L. K. Reflexões sobre bullying na realidade brasileira utilizando a técnica de análise de conteúdo: revisão bibliográfica. Cadernos de Pós-Graduação em Distúrbios do Desenvolvimento, v. 11, n. 1, 2018.

GUIMARÃES, A. M. A dinâmica da violência escolar: conflito e ambiguidade. Campinas, SP: Editora Autores Associados, 1996.

HARLOS, F. E. Sociologia da deficiência: vozes por significados e práticas (mais) inclusivas. 2012. 201 f. Dissertação (Mestrado em Educação Especial ? Educação do Indivíduo Especial) ? Universidade Federal de São Carlos, São Carlos, 2012.

MAFFESOLI, M. Dinâmica da violência. São Paulo: Editora Revista dos Tribunais, 1987.

MAFFESOLI, M. Elogio da razão sensível. Petrópolis, RJ: Vozes, 1998.

MAFFESOLI, M. Entre o bem e o mal. Compêndio de subversão pós-moderna. Lisboa: Instituto Piaget, 2002.

MAFFESOLI, M. O conhecimento comum: introdução à sociologia compreensiva. Porto Alegre: Sulina, 2007.

MAGNABOSCO, M. B.; SOUZA, L. L. Educação inclusiva e as representações dos estudantes sobre seus pares com deficiência. Psicologia Escolar e Educacional, v. 22, n. 1, p. 115-122, 2018.

MAZZOTTA, M. J. S.; D'ANTINO, M. E. F. Inclusão social de pessoas com deficiências e necessidades especiais: cultura, educação e lazer. Saúde e Sociedade, v. 20, p. 377-389, 2011.

MENDES, C. S. Prevenção da violência escolar: avaliação de um programa de intervenção. Revista da Escola de Enfermagem da USP, v. 45, n. 3, p. 581-588, 2011.

MENDES, E. G. Breve histórico da educação especial no Brasil. Revista Educación y Pedagogía, v. 22, n. 57, maio/ago. 2010.

MOREIRA, M. C. N.; BASTOS, O. M.; BASTOS, L. C.; SOARES, A. H. R.; SOUZA, W. D. S.; SANCHEZ, R. N. Violência contra crianças e adolescentes com deficiência: narrativas com conselheiros tutelares. Ciência e Saúde Coletiva, v. 19, p. 3869-3878, 2014.

ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DA SAÚDE (OMS). CIF: Classificação Internacional de Funcionalidade, Incapacidade e Saúde. Organização Mundial da Saúde. Lisboa; 2004.

ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DA SAÚDE (OMS). World report on violence and health. World Health Organization. Geneva; 2002.

PAULINO, V. C.; CAIADO, K. R. M. A construção do conceito de deficiência por estudantes sem deficiência, a partir de suas histórias de vida. Educação em Foco, v. 20, n. 32, p. 35-59, 2017.

SÃO PAULO. Serviço de Acolhimento Institucional para Crianças e Adolescentes. Prefeitura Municipal de São Paulo. 2017. Disponível em: <https://www.prefeitura.sp.gov.br/cidade/secretarias/assistencia_social/protecao_social_especial/index.php?p=28980>. Acesso em: 6 set. 2019.

SILVA, F. R.; ASSIS, S. G. Prevenção da violência escolar: uma revisão da literatura. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 44. 2018.

SILVA, J. L. D.; OLIVEIRA, W. A. D.; SILVA, M. A. I. D.; PEREIRA, B. O.; CECILIO, S. Estudo exploratório sobre as concepções e estratégias de intervenção de professores em face do bullying escolar. Psicologia, Sa?o Paulo, Brasil, v. 17, n. 3, p. 189-199, 2015.

SIMMEL, G. A natureza sociológica do conflito. In: MORAES FILHO, E. (Org.). Simmel. São Paulo: Ática, 1983. p. 122-134.

STELKO-PEREIRA, A. C.; WILLIAMS, L. C. A. Reflexões sobre o conceito de violência escolar e a busca por uma definição abrangente. Temas Psicológicos, Ribeirão Preto/SP, v. 18, n. 1, p. 45-55, 2010.

STELKO-PEREIRA, A. C. Avaliação de um programa preventivo de violência escolar: planejamento, implantação e eficácia. 2012. 193 f. Tese (Doutorado em Psicologia), Universidade Federal de São Carlos, São Carlos. 2012.

VIEIRA, C. M.; DENARI, F. E. Programa informativo sobre deficiência mental e inclusão: mudanças nas atitudes sociais de crianças sem deficiência. Revista Brasileira de Educação Especial, Marília/SP, v. 18, n. 2, p. 265-282, 2012.

WILLIAMS, L. C. A. Sobre deficiência e violência: reflexões para uma análise de revisão de área. Revista Brasileira de Educação Especial, v. 9, n. 2, p. 141-154, 2003.

YIN, R. K. Estudo de caso: planejamento e método. Porto Alegre, RS: Bookman, 2001.

Downloads

Publicado

13-04-2020

Como Citar

MENDES, M. J. G.; SCHROEDER, T. M. R.; DENARI, F. E. Violência contra pessoas com deficiência: um estudo de caso. Revista Eletrônica de Educação, [S. l.], v. 14, p. e3308080, 2020. DOI: 10.14244/198271993308. Disponível em: https://www.reveduc.ufscar.br/index.php/reveduc/article/view/3308. Acesso em: 24 jun. 2024.

Edição

Seção

Estudo de Caso
##plugins.generic.dates.received## 2019-03-01
##plugins.generic.dates.accepted## 2019-11-06
##plugins.generic.dates.published## 2020-04-13

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)