O obscurantismo bolsonarista, o neoliberalismo e o produtivismo acadêmico

Autores

DOI:

https://doi.org/10.14244/198271994542

Palavras-chave:

Bolsonarismo, Obscurantismo, Neoliberalismo, Produtivismo acadêmico.

Resumo

As implicações do bolsonarismo para a produção e difusão de conhecimentos nas instituições públicas de ensino superior são analisadas neste artigo por meio do desenvolvimento de três argumentos teóricos. O primeiro deles é o de que o bolsonarismo é parte de um fenômeno sociocultural mais amplo que é o obscurantismo, o que coloca a exigência de compreensão dos processos que alimentam o obscurantismo no mundo todo e no Brasil em particular. O segundo é o de que o obscurantismo, por sua vez, mantém relações não acidentais com o neoliberalismo, entendido este como a forma contemporânea de organização não só da economia, mas de toda a prática social e, por consequência, das diversas dimensões da vida humana. O vetor político e ideológico central do neoliberalismo é o de que a liberdade dos indivíduos só pode ser assegurada por uma sociedade que seja comandada pela espontaneidade do mercado. A defesa neoliberal da liberdade é, na realidade, um aprisionamento da sociedade a uma perspectiva que retira dos seres humanos a possibilidade de fazerem escolhas sobre o futuro da humanidade. Nesse sentido, a luta contra o bolsonarismo pode não alcançar resultados significativos se não for parte da luta pela libertação da sociedade do aprisionamento à lógica de mercado. O terceiro argumento apresentado neste artigo é o de que o produtivismo, como expressão acadêmica do neoliberalismo, configura a produção e difusão do conhecimento nas instituições públicas de ensino superior de maneira favorecedora da penetração do obscurantismo na vida acadêmica.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Newton Duarte, UNESP/Araraquara

Graduação Pedagogia, UFSCAR, 1985. Mestrado em Educação, UFSCAR, 1987. Doutor em educação, UNCAMP, 1992. Professor Titular do Departamento de Psicologia da Educação, Faculdade de Ciências e Letras, UNESP, Araraquara.

Silvia Alves dos Santos, Universidade Estadual de Londrina

Doutora em Educação pela Universidade Federal de São Carlos. Mestre em Educação pela Universidade Estadual de Londrina (2008). Graduada em Pedagogia pela Faculdade Estadual de Ciências e Letras de Campo Mourão (2004). Atualmente é professora na Universidade Estadual de Londrina .Coordena Grupo de Pesquisa em Educação e Marxismo na Universidade Estadual de Londrina. Tem experiência na área de Educação, com ênfase em Políticas Educacionais e o mundo do Trabalho, atuando principalmente nos seguintes temas: Educação superior, Estado, Trabalho docente, Trabalho e Educação, Educação e Marxismo, Pedagogia Histórico-Crítica, Ensino Médio, Formação de professores, Gestão Escolar

Elaine Cristina Melo Duarte, UNESP/Araraquara

Graduada em Pedagogia pela Universidade Regional do Cariri, Ceará. Mestre em Educação pela UNICAMP. Doutoranda junto ao Programa de Pós-Graduação em Educação Escolar, UNESP, campus de Araraquara.

Referências

ANTUNES, Ricardo. Os sentidos do trabalho. Ensaio sobre a afirmação e a negação do trabalho. São Paulo, SP: Boitempo, 2009.

GARRISON, Roger W. Hayek and Friedman: Head to Head In: SEA (Southern Economic Association) Meeting, New Orleans, EUA, 2007, p. 1-21. Disponível em: <http://webhome.auburn.edu/~garriro/hayek%20and%20friedman.pdf> Acesso: 08/07/2020.

HAYEK, Friedrich A. Law, Legislation and Liberty. Londres, Inglaterra: Routledge, 2013.

MADRA, Yahya M.; ADAMAN, Fikret. Neoliberal reason and its forms: de-politicisation through economisation. Antipode: a radical journal of Geography. England and Wales, vol. 46, n. 3, pp. 691-716, 2014.

MARCOS, Fabrício L. F. Mecanismos de despolitização da esfera pública no Brasil atual. Dissertação de Mestrado em Ciência Política. Lisboa: Universidade de Lisboa, 2018.

McLUHAN, Marshall. Understanding Media: the extensions of man. Berkeley, California, EUA: Gingko Press, 2013.

RAMOS, Marise N. Pedagogia das Competências: autonomia ou adaptação? São Paulo: Cortez, 2001.

ROCHA, Igor Tadeu Camilo. Governo Bolsonaro: ala “técnica” é também ideológica. Blog Entendendo Bolsonaro. Artigo publicado em 03/09/2019. Disponível em: <https://entendendobolsonaro.blogosfera.uol.com.br/2019/09/03/ala-tecnica-do-governo-bolsonaro-e-tambem-ideologica/> Acesso: 21/06/2020.

SGUISSARDI, Valdemar; SILVA JR., João. R. O trabalho intensificado nas federais: pós-graduação e produtivismo acadêmico. São Paulo: Xamã, 2009.

Publicado

29-09-2020

Como Citar

DUARTE, N.; ALVES DOS SANTOS, S.; MELO DUARTE, E. C. O obscurantismo bolsonarista, o neoliberalismo e o produtivismo acadêmico. Revista Eletrônica de Educação, [S. l.], v. 14, p. e4542134, 2020. DOI: 10.14244/198271994542. Disponível em: https://www.reveduc.ufscar.br/index.php/reveduc/article/view/4542. Acesso em: 25 jun. 2024.

Edição

Seção

Dossiê Consequências do Bolsonarismo sobre os direitos humanos, a educação superior e a produção científica no Brasil
##plugins.generic.dates.received## 2022-04-27
##plugins.generic.dates.accepted## 2022-05-13
##plugins.generic.dates.published## 2020-09-29