As perspectivas de tecnologia dos educadores em formação: valores em disputa

Autores

  • Marina Bazzo de Espíndola
  • Rosely Zen Cerny
  • Rachel Seixas Xavier

DOI:

https://doi.org/10.14244/198271993833

Palavras-chave:

Technology, Education, Values, Teacher Training.

Resumo

O estudo aqui apresentado tem como objetivo analisar os valores atribuídos às tecnologias digitais na prática educativa, a partir da pesquisa nas produções das Narrativas Digitais realizadas no Curso de Especialização Educação na Cultura Digital por educadores da rede pública de Santa Catarina (SC). A partir dos trabalhos de Feenberg (2013) e Selwyn (2011; 2014) acerca da Teoria Crítica da Tecnologia e das ideologias da Tecnologia Educacional, buscou-se, por meio da análise de conteúdo (BARDIN, 1977), identificar quais os valores atribuídos às TDIC nas narrativas digitais produzidas pelos educadores em formação. Os resultados mostram que, neste processo de reflexão, os valores atribuídos pelos professores as TDIC nas práticas pedagógicas, são, em geral, contraditórios, mas podem ser categorizados em duas perspectivas principais: a de 1) Tecnologia como Eficácia e Progresso e 2) Tecnologia como Possibilidade Democrática e Ressignificação das Práticas Educativas.

Métricas

Carregando Métricas ...

Referências

ABBAGNANO, N. Dicionário de filosofia. São Paulo: Martins Fontes, 2007.

ALONSO, K. M. Cultura digital e formação: entre um devir e realidades pungentes. In: CERNY, R. Z.; RAMOS, E. M. F. (Org). Formação de Educadores na Cultura Digital: a construção coletiva de uma proposta. Florianópolis: UFSC - CED – NUP, 2017.

BALL, S. J. Sociologia das políticas educacionais e pesquisa crítico-social: uma revisão pessoal das políticas educacionais e da pesquisa em política educacional. Currículo sem Fronteiras, Pelotas, v. 6, n. 2, p. 10-32, jul./dez. 2006. Disponível em: http://www.curriculosemfronteiras.org/vol6iss2articles/ball.pdf.

BARDIN, L. Análise de conteúdo. Tradução de Luís Antero Reta e Augusto Pinheiro. Lisboa, Portugal: Ed. 70, 1977.

BARDIN, L. Análise de conteúdo. São Paulo: Edições 70, 2011.

BELLONI, M. L. O que é mídia-educação. Campinas: Autores Associados, 2001.

BELLONI, M. L.; BÉVORT, E.. Mídia-Educação: conceito, história e perspectivas. Educ. Soc. Campinas, vol. 30, n. 109, p. 1081-1102, set./dez. 2009.

BOGDAN, R. C.; BIKLEN, S. Investigação qualitativa em educação. Tradução Maria João Alvarez, Sara Bahia dos Santos e Telmo Mourinho Baptista. Porto: Porto Editora, 1994.

CERNY, R. Z.; RAMOS, E.M.F. Projeto de criação e desenvolvimento do Curso de Especialização em Educação na Cultura Digital In: CERNY, R. Z. et al. (Org.) Formação de Educadores na Cultura Digital: a construção coletiva de uma proposta. Florianópolis: UFSC - CED – NUP, 2017.

FEENBERG, A. A tecnologia pode incorporar valores? A resposta de Marcuse para a questão da época. In: R.T. NEDER (org.), A teoria crítica de Andrew Feenberg: racionalização democrática, poder e tecnologia. Brasília, Observatório do Movimento pela Tecnologia Social na América Latina/CDS, 2010. p. 289-336. Disponível em: https://bityli.com/ePqee. Acesso em: maio de 2018.

FREITAS, L. C de. Os reformadores empresariais da educação e a disputa pelo controle do processo pedagógico na escola. Educ. Soc. vol. 35 n.129. Campinas out./dez, p.1085-1114. 2014. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/es/v35n129/0101-7330-es-35-129-01085.pdf.

MARTÍN-BARBERO, Jesús. A comunicação na educação. Tradução de Maria Immacolata Vassallo de Lopes e Dafne Melo. São Paulo: Contexto, 2014.

MASON, M. The pirate’s dilemma: How hackers, punk capitalists, graffiti millionaires and other youth movements are remixing our culture and changing our world. Harmondsworth: Penguin, 2006.

NEDER, R. T. (Org.) – Andrew Feenberg: Racionalização Democrática, Poder e Tecnologia. Brasília: Observatório do Movimento pela Tecnologia Social na América Latina/CDS/UnB/Capes, 2010.

SELWYN, N. O que queremos dizer com “educação” e “tecnologia”? In: Education and Tecnology: key issues and debates. Edição para Kindle. Traduzido pela Profa. Dra. Giselle Martins dos Santos Ferreira, Coordenadora do Grupo de Pesquisas TICPE, PPGE/UNESA. 2011. Londres: Bloomsbury, 2011. Disponível em: https://bityli.com/zAMLx. Acesso em: maio 2018.

SELWYN, N. A tecnologia educacional como ideologia. In: Distrusting Educational Technology. Edição para Kindle. Traduzido por Profa. Dra. Giselle Martins dos Santos Ferreira, Coordenadora do Grupo de Pesquisas TICPE, PPGE/UNESA. Londres: Routledge, 2014. Disponível em: encr.pw/DXTtn. Acesso em: maio 2018.

SIBILIA, P. Redes ou Paredes: a escola em tempos de dispersão. Rio de Janeiro: Contraponto, 2012.

SILVA, G. C. e. O Conceito de ambivalência da Tecnologia e a Educação. In: III Encontro de Filosofia da Educação do Norte e do Nordeste, Recife: PE, v. 1, 2006. p. 1-21. Disponível em: http://www.pucrs.br/ciencias/viali/tic_literatura/artigos/gildemarkscosta_tra.pdf. Acesso em: maio 2018.

SUORANTA, J.; VADEN, T. Wikiworld. London: Pluto Press, 2010.

Downloads

Publicado

15-01-2020

Como Citar

ESPÍNDOLA, M. B. de; CERNY, R. Z.; XAVIER, R. S. As perspectivas de tecnologia dos educadores em formação: valores em disputa . Revista Eletrônica de Educação, [S. l.], v. 14, p. e3833009, 2020. DOI: 10.14244/198271993833. Disponível em: https://www.reveduc.ufscar.br/index.php/reveduc/article/view/3833. Acesso em: 24 jun. 2024.

Edição

Seção

Dossiê Educação e Mídias Digitais
##plugins.generic.dates.received## 2019-11-10
##plugins.generic.dates.accepted## 2019-11-10
##plugins.generic.dates.published## 2020-01-15