As necessidades formativas do professor iniciante: os desafios da diversidade na escola (The formative needs of the beginning teacher: the challenges of diversity at school)

Andreza Marques de Castro Leão, Rita de Kássia Cândido Carneiro, Ana Maura Martins Castelli Bulzoni

Resumo


e4217123

This article aims to discuss the issue of diversity present in school institutions and the need for work aimed at valuing the masses excluded by society, emphasizing the question of the rights of black people and women. Based on the need for work to overcome racism and sexism, we highlight the relevance of continuing training for beginning teachers, as they leave the universities and face the reality of schools, experiencing the “shock of the real”. Our proposal is for teachers to be prepared for a more inclusive performance, developing a critical and accurate look at the role they play in mediating social relations within the classroom, presenting a way of working based on respect for Human Rights, in dialogue intercultural and in valuing the uniqueness of each person. With this intent, the present research, of bibliographic and analytical nature, permeates the historical-social questions of black people and women in society, going through the difficulties of the teaching work at the beginning of their careers, mainly in the domain of content and organization/lesson planning, emphasizing the need for actions aimed at the inclusion of all, challenges that are addressed by authors who deal with the reality of the beginning teacher and the training needs at the beginning of his career. In short, the purpose of this paper is to contribute to research on the themes of human diversity, aiming to problematize the work of teachers and beginners through the prism of human rights.

Resumo

O presente artigo visa discutir a questão da diversidade presente nas instituições escolares e a necessidade de um trabalho voltado à valorização das massas excluídas pela sociedade, dando ênfase à questão dos direitos dos negros e das mulheres. Partindo da necessidade de um trabalho de superação do racismo, do machismo e do sexismo, destacamos a relevância de formações continuadas para os professores iniciantes, porquanto ao saírem das universidades se deparam com a realidade das escolas, passando pelo “choque do real”. Nossa proposta é que os professores sejam preparados para uma atuação mais inclusiva, desenvolvendo um olhar crítico e acurado acerca do papel que representam na mediação das relações sociais dentro de sala de aula, apresentando uma forma de trabalho pautada no respeito aos Direitos Humanos, no diálogo intercultural e na valorização da singularidade de cada pessoa. Com este intento, a presente pesquisa, de cunho bibliográfico e analítica, permeia as questões histórico-sociais dos negros e das mulheres em sociedade, perpassando pelas dificuldades do trabalho docente em início de carreira, principalmente em se tratando do domínio do conteúdo e da organização/planejamento das aulas, enfatizando a necessidade de ações voltadas à inclusão de todos, desafios estes que são abordados por autores que tratam da realidade do professor iniciante e das necessidades formativas neste início de carreira. Em suma, o intuito do presente trabalho é contribuir para as pesquisas referentes às temáticas da diversidade humana, visando problematizar o trabalho docente e do professor iniciante pelo prisma dos Direitos Humanos.

Palavras-chave: Professor iniciante, Necessidade formativa, Diversidade.

Keywords: Beginning teacher, Training need, Diversity.

References

ASSEMBLEIA GERAL DAS NAÇÕES UNIDAS. Declaração Universal dos Direitos Humanos. Paris. 10 dez. 1948. Disponível em: http://www.onu-brasil.org.br/documentos_direitoshumanos.php. Acesso em 19/04/2020

BADINTER, Elisabeth. O conflito a mulher e a mãe. Tradução: Vera Lúcia dos Reis. Rio de Janeiro: Record, 2011.

BASQUEIRA, Ana Paula; AZZI, Roberta Gurgel. Como futuros professores vislumbram o ensino? Psicologia: ensino & formação |  n. 5(2): pp. 2-18, 2014.

BEAUVOIR, Simone. O segundo sexo, v. 1. São Paulo: Círculo do Livro, pp. 81-177, 1980.

BRASIL. Comitê Nacional de Educação em Direitos Humanos. Plano Nacional de Educação em Direitos Humanos (VENTURI, Gustavo, org.). MEC, Ministério da Justiça, UNESCO, 2007. Disponível em https://www.gov.br/mdh/pt-br/navegue-por-temas/educacao-em-direitos-humanos/plano-nacional-de-educacao-em-direitos-humanos.Acesso em 19/04/2020

BRASIL, Congresso (1990). Estatuto da Criança e do Adolescente. São Paulo. Editora Escala. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l8069.htm Acesso em 19/04/2020

BRASIL. Lei nº 9.394 de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Brasília, disponível: https://www2.camara.leg.br/legin/fed/lei/1996/lei-9394-20-dezembro-1996-362578-publicacaooriginal-1-pl.html.acesso em 19/04/2020

BRASIL. Lei nº 10.639 de 09 de janeiro de 2003. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/2003/l10.639.htm. Acesso em 19/04/2020.

BRASIL. Lei nº 11.645 de março de 2008. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2008/lei/l11645.htm.Acesso em 19/04/2020.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria da Educação Básica. Base Nacional Comum Curricular. Brasília, DF, 2018. Disponível em http://historiadabncc.mec.gov.br/documentos/bncc-2versao.revista.pdf.Acesso em 19/04/2020.

CANDAU, Vera Maria. Direitos humanos, educação e interculturalidade: as tensões entre igualdade e diferença. Revista Brasileira de Educação, v.13, n.37 jan/abr. 2008.

CARVALHO, Daniela Melo da Silva; FRANÇA, Dalila Xavier de. Estratégias de enfrentamento do racismo na escola: Uma revisão integrativa. Educação & Formação, v. 4, n. 12, pp. 148-168, jun. 2019.

CAVALLEIRO, Eliane dos Santos. Do silêncio do lar ao silêncio escolar: racismo, preconceito e discriminação na educação infantil. 5. ed. São Paulo: Contexto, 2006.

CERQUEIRA, Daniel, et. al. Atlas da violência. Brasília: Ipea, 2019. Disponível em: http://www.ipea.gov.br/portal/index.php?option=com_content&view=article&id=34784, Acesso em 19/04/2020.

COLLING, Ana Maria. Gênero e História: um diálogo possível?. Contexto e Educação - Editora Unijuí, ano 19, n. 71/72, pp. 29-43, jan./dez.2004.

COLLING, Ana Maria. 50 anos da ditadura no Brasil: questões feministas e de gênero. OPSIS, Catalão, v. 15, n. 2, pp. 370-383, 2015.

COSTA LEAL, Natália; ZOCCAL, Sirlei Leito; SABA, Marli; BARROS, Cláudia Renata dos Santos. A questão de gênero no contexto escolar. Leopoldianum,  n. 43,  p.121, 2017.

CRUZ, Tânia Mara. Espaço escolar e discriminação: significados de gênero e raça entre crianças. Educação em Revista. Belo Horizonte.  v. 30, n.1, pp. 157-188, mar. 2014.

FAZZI, Rita de Cássia. O drama racial de crianças brasileiras: socialização entre pares e preconceito. 1. reimpressão. Belo Horizonte: Autêntica, 2006. (Coleção Cultura negra e identidades).

FERREIRA, Nara Torrecilha. Como o acesso à educação desmonta o mito da democracia racial. Ensaio: avaliação de políticas públicas educacionais, Rio de Janeiro, v.27, n.104, pp. 476-498, jul./set. 2019.

GARCIA, Carlos Marcelo.  O professor iniciante, a prática pedagógica e o sentido da experiência. Formação Docente, Belo Horizonte, Revista Autêntica. v. 2, n.3, pp. 11-49, dez, 2010.

JUNQUEIRA, Rogério Diniz. Diversidade sexual na educação: problematizações sobre a homofobia nas escolas.  Brasília: Ministério da Educação, Secretaria da Educação Continuada, Alfabetização e Diversidade, UNESCO, 2009.

JUNQUEIRA, Rogério Diniz. Conceitos de diversidade. Entrevista. Revista Diversidade e Educação, v.2, n.4, pp. 4-13, jul./dez, 2014.

LEITE, Miriam Soares. Entre a bola e o MP3 – novas tecnologias e diálogo intercultural no cotidiano escolar adolescente. In: CANDAU, Vera Maria (org.). Didática - questões contemporâneas. Rio de Janeiro: Forma & Ação, 2009, p.121-138

LIMA, Emília Freitas de. (Org.) Sobrevivências no início de carreira. Brasília: Líber Livro Editora, 2006.

LOURO, Guacira Lopes. O corpo educado: pedagogias da sexualidade. Belo Horizonte: Autêntica, 1999.

LOURO, Guacira Lopes. Educação e docência: diversidade, gênero e sexualidade. Formação Docente, Belo Horizonte, v. 3, 4, pp. 62-70, jan./jul,  2011.

LOURO, Guacira Lopes. Gênero e sexualidade: pedagogias contemporâneas. Pro-Posições, v. 19, n. 2, maio/ago, 2008.

MEYER, Dagmar Estermann. Teorias e políticas de gênero: fragmentos históricos e desafios atuais. Revista Brasileira de Enfermagem, Brasília, v. 57, n.1, pp.13-8, jan/fev 2004. 

MIZUKAMI, Maria da Graça Nicoletti; REALI, Aline Maria de Medeiros Rodrigues. Aprender a ser mentora: um estudo sobre reflexões de professoras experientes e seu desenvolvimento profissional. Currículo sem Fronteiras, v. 19, n. 1, pp. 113-133, jan./abr., 2019.

ONU. Assembleia Geral das Nações Unidas. Convenção das Nações Unidas sobre os Direitos da Criança. 1989. Disponível em http://www.onu-brasil.org.br/doc_crianca.php. Acesso em 19/04/2020.

PAPI, Silmara de Oliveira Gomes; MARTINS, Pura Lúcia Oliver. As pesquisas sobre professores iniciantes: algumas aproximações. Educação em Revista, Belo Horizonte, v.26, n.3, pp.39-56, dez., 2010.

PEREIRA, Júlio Emílio Diniz. Formação de educadoras/es, diversidade e compromisso social. Educação em Revista. Belo Horizonte. Dossiê - Paulo Freire: O Legado Global. v. 35, 2019.

REIS, Fábio Wanderley. Mercado e Utopia [online]. Rio de Janeiro: Centro Edelstein de Pesquisas Sociais, O mito e o valor da democracia racial. pp. 445-458, 2009.

RODRIGUES, Tatiane Cosentino; ABRAMOWICZ, Anete. O debate contemporâneo sobre a diversidade e a diferença nas políticas e pesquisas em educação. Educ. Pesquisa, São Paulo, v. 39, n. 1, pp. 15-30, jan./mar. 2013.

SANTOS, Benedito Rodrigues. Empoderamento de meninas - Como iniciativas brasileiras estão ajudando a garantir a igualdade de gênero. Brasília: INDICA 2016.

SEFFNER, Fernando. Um bocado de sexo, pouco giz, quase nada de apagador e muitas provas: cenas escolares envolvendo questões de gênero e sexualidade. Estudos Feministas, Florianópolis, v. 19, n. 2, pp. 561-572, maio-agosto/2011.    

SCOTT, Joan Wallach. O enigma da igualdade. Estudos Feministas, Florianópolis, v. 13, n.1, pp. 11-30, janeiro-abril/2005.

SCOTT, Joan Wallach. Os usos e abusos do gênero. Projeto História, São Paulo, n. 45, pp. 327-351, Dez. 2012.

SOUZA, Fabiana Cristina; LEÃO, Andreza Marques de Castro. Entre o discurso pedagógico e ideológico na escola: estereótipos de classe, raça e gênero. In: SEMINÁRIO FAZENDO GÊNERO, 8, 2008. Florianópolis. Disponível em: http://www.fazendogenero.ufsc.br/8/st01.html. Acesso 05 de jul.2019

SOUZA, Sawana Araújo Lopes de. O diálogo intercultural e a formação de professores na ANPED (2002-2015): há a inclusão ou exclusão? Revista on- line de Política e Gestão Educacional, v.21, n. esp.2, pp. 1135-1151, nov, 2017.

VEENMAN, Simon. Perceived Problems of Beginning Teachers. Review of Educational Research, Catholic University of Nijmegen, v. 54, n. 2, pp. 143-178, 1984.

VENCATO, Ana Paula. Diferenças na escola. In.: MISKOLCI, Richard; LEITE JÚNIOR, Jorge (org.). Diferenças na educação: outros aprendizados. São Carlos: Ed UFSCar, 2014.

VIANNA, Cláudia Pereira; UNBEHAUM, Sandra. O gênero nas políticas públicas de educação no Brasil: 1988-2002. Cadernos de Pesquisa, v. 34, n. 121, jan./abr., 2004.


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.14244/198271994217

____________

Propriedade Intelectual

Revista Eletrônica de Educação adota a licença Creative Commons BY-NC do tipo "Atribuição Não Comercial".

Essa licença permite, exceto onde está identificado, que o usuário final remixe, adapte e crie a partir do seu trabalho para fins não comerciais, sob a condição de atribuir o devido crédito e da forma especificada pelo autor ou licenciante.

Para mais informações, consultar: https://br.creativecommons.org/

____________

REVISTA ELETRÔNICA DE EDUCAÇÃO. São Carlos (SP): Universidade Federal de São Carlos, Programa de Pós-Graduação em Educação, 2007- . Publicação contínua. ISSN 1982-7199. Disponível em: http://www.reveduc.ufscar.br