Tornar-se professor: o ordinário e o extraordinário formativo das professoralidades na educação profissional e tecnológica (Becoming a teacher: the Educating ordinary and extraordinary of professoralities in professional and technological education)

Neurisângela Maurício dos Santos Miranda, Márcea Andrade Sales

Resumo


e4118124

This paper updates the data from investigating processes conducted since 2013, in the In-service Teacher Education field at the EPT, Educação Profissional Tecnológica (Technological Professional Education), especially in a Instituto Federal de Educação (Federal School of Education). It embraces a discussion placed in the Philosophy of Language and of the Difference. The choice for this field is justified once it constitutes a scenario in which concepts and practices concerning Education and insertion of newcomer teachers are produced, considering the different epistemological, ontological and methodological displacements, bearing in mind the nature of the teachers’ admission and performance processes. The majority of those teachers does not have an educational degree, and become teachers through the practice of their profession. Thus, among the ordinary and the extraordinary of the teaching events in the EPT, drawing upon the listening process inserted in a derridarian autobiographical perspective, we mobilized a pedagogical dimension imbricated in those processes, proposing a deconstruction of the racionalistic logic assigned to the in-service Education. We, therefore, displaced the understanding of in-service as a simple status of those who are practicing their profession, in order to have them closer to the idea of the learning and Educating activity of professorality (the subjective ways of performing the teaching process). During the process, we mobilized methodological alternatives which transform the traditional pedagogical meetings into time-spaces of planning and Education, considering the narratives written by teachers, focusing especially on the newcomers’, as the main mechanism of curriculum production and management, as well as the problematization of the professional practice as an Educating geotemporality. Thus, we break with a teacher Education referenced in the pedagogical instrumentalization and certification, in order to observe the stream of authorship and invention in the production of each professorality.

Resumo

Este artigo atualiza dados de incursões investigativas realizadas, desde o ano de 2013, no campo da formação de professores em exercício da Educação Profissional e Tecnológica (EPT), particularmente em um Instituto Federal de Educação, e se inscreve em uma discussão perspectivada na Filosofia da Linguagem e da Diferença. A escolha desse campo justifica-se por constituir-se cenário em que conceitos e práticas sobre a formação e inserção dos professores iniciantes são produzidos a partir de diferentes deslocamentos epistemológicos, ontológicos e metodológicos, tendo em vista a natureza dos processos de admissão e atuação dos docentes, cuja maioria é de não licenciados, os quais tornam-se professores no exercício da profissão. Assim, entre o ordinário e o extraordinário do acontecimento da docência na EPT, valendo-nos de gestos de escuta, numa perspectiva derridiana de otobiografia, mobilizamos uma dimensão pedagógica implicada nestes gestos, propondo uma desconstrução da lógica racionalista atribuída à formação em exercício, na qual deslocamos o entendimento de exercício como mero status de quem está exercendo a profissão, para aproximá-lo da ideia de atividade aprendente e formadora da professoralidade. Nesse processo, mobilizamos alternativas metodológicas que transformam os tradicionais encontros pedagógicos em espaços-tempos de planejamento e formação, considerando as narrativas escritas dos professores, com atenção às dos iniciantes, como principal dispositivo de produção e gestão curricular, bem como de problematização do exercício profissional como geotemporalidade formativa. Com isso, desvencilhamo-nos da formação de professores referendada na instrumentalização e certificação pedagógicas, para atentarmo-nos aos fluxos da autoria e da invenção na produção de cada professoralidade.

Palavras-chave: Formação de professores, Educação profissional, Escuta.

Keywords: Teacher education, Professional education, Listening.

References

ANDRÉ, Marli A produção acadêmica sobre formação de professores: um estudo comparativo das dissertações e teses defendidas nos anos 1990 e 2000. Formação Docente – Revista Brasileira de Pesquisa sobre Formação de Professores, v. 1, n. 1, p. 41-56, 9 maio 2009. Disponível em: http://formacaodocente.autenticaeditora.com.br Acesso em: 05 de mar. 2020.

ANDRÉ, Marli. Políticas de formação continuada e de inserção à docência no Brasil. Educação Unisinos. Volume 19, número 1, janeiro-abril 2015. Disponível em: https://www.researchgate.net/publication/276444074_Politicas_de_formacao_continuada_e_de_insercao_a_docencia_no_Brasil. Acesso em 20 de mar. 2020.

ANDRÉ, Marli. Entrevista com Marli André. Entrevista concedida a Bruna Nicolielo. Nova Escola. São Paulo, 2013. Disponível em https://novaescola.org.br/conteudo/888/entrevista-com-marli-andre. Acesso em: 20 de mar. 2020.

BERQUE, Augustin. Paisagem-marca, paisagem-matriz: elementos da problemática para uma geografia cultural. In: CORREA, Roberto Lobato; ROSENDAHL, Zeny (orgs.). Paisagem, tempo e cultura. Rio de Janeiro: Editora da VERI, 1998.

BERQUE, Augustin. Território e pessoa: a identidade humana. Desigualdades & Diversidade: Revista de Ciências Sociais da PUC-Rio, n. 6, p. 11-23, jan.-jul. 2010. Disponível em: http://laares.webs.com/biblioteca/ berque%20-%20port.pdf. Acesso em: 30 de mar. 2020.

BRASIL. Decreto nº 8.752, de 9 de maio de 2016. Dispõe sobre a Política Nacional de Formação dos Profissionais da Educação Básica. Brasília, DF, 2016.

BRASIL. Ata do Tribunal de Contas da União – TCU-PLENÁRIA de 13 de março de 2013. Disponível em http://www.andifes.org.br/wp content/files_flutter/1364922435acordaoTCU.pdf Acesso em 15 mar. 2020

BRASIL. Base Nacional Comum Curricular. Brasília: MEC, 2017. Disponível em: http://basenacionalcomum.mec.gov.br/images/BNC C_20dez_site.pdf. Acesso em: 22 de jan.2020.

BRASIL. Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Brasília, DF, 1996. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/seed/arquivos/pdf/tvescola/leis/lein9394.pdf. Acesso em 15 de mar. 2020

BRASIL. Lei nº. 11.892, de 29 de dezembro de 2008. Institui a Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica, cria os Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia, e dá outras providências. Diário Oficial da União, Seção 1, p. 1, 30/12/2008.

BRASIL. Resolução CNE/CP nº 02, de 01 de julho de 2015. Define as Diretrizes Curriculares Nacionais para a formação inicial em nível superior (cursos de licenciatura, cursos de formação pedagógica para graduados e cursos de segunda licenciatura) e para a formação continuada. Brasília, DF, 2015.

BRASIL. Resolução CNE/CP nº 01, de 18 de fevereiro de 2002. Institui Diretrizes Curriculares Nacionais para a Formação de Professores da Educação Básica, em nível superior, curso de licenciatura, de graduação plena. Brasília, DF, 2002. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/seesp/arquivos/pdf/res1_2.pdf . Acesso em 15 de jun. 2020.

BRASIL. Resolução CNE/CEB nº 6 de 29 de setembro de 2012. Define as Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Profissional Técnica de Nível. Diário Oficial da União, Brasília, 21 de setembro de 2012, Seção 1, p. 22.  Disponível em: http://portal.mec.gov.br. Acesso em 18 de mar. 2020.

BRASIL. Parecer CNE/CP nº 22/2019 de 7 de novembro de 2019 - Diretrizes Curriculares Nacionais para a Formação Inicial de Professores para a Educação Básica e Base Nacional Comum para a Formação Inicial de Professores da Educação Básica (BNC-Formação). Brasília, DF, 2019. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/acessibilidade-sp-940674614/33371-cne-conselho-nacional-de-educacao/74341-parecer-cp-2019

BRASIL. Resolução CNE/CP nº 2, de 20 de dezembro de 2019. Brasília: MEC, 2019. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/docman/dezembro-2019-pdf/135951-rcp002-19/file. Acesso em 18 de mar. 2020.

BRZEZINSKI, I. Formação de profissionais da educação (1997-2002). Série Estado do Conhecimento. n.10. Brasília, DF. MEC/Inep, 2006.

CARVALHO, Ma. Inez. O a-com-tecer de uma formação. Revista da FAEEBA – Educação e Contemporaneidade, Salvador, v. 17, n. 29, p. 159-168, jan./jun. 2008.

CARVALHO, Ma. Inez; MOREIRA, Ana Paula. O a-com-tecer do FEO contado em drops. In: PIMENTEL JR, Clívio; SALES, Márcea A.; JESUS, Rosane M. V. (Orgs.). Currículo e Formação de professores: redes acadêmicas em (des)articulação. Campinas, SP: Pontes Editores, 2018, pp. 45-65.

COSTA-HÜBES, T. C. O processo de formação continuada dos professores no Oeste do Paraná: um resgate histórico-reflexivo da formação em Língua Portuguesa. 2008. Tese (Doutorado). Universidade Estadual de Londrina: UEL, 2008.

DELEUZE, Gilles.  Conversações. Trad. Peter Pál Pelbart.  S Paulo: Editora 34, 1992.

DELEUZE, Gilles; GUATTARI, Félix. O que é Filosofia? Rio de Janeiro, RJ: 34, 1992.

DERRIDA, J. Otobiographies: l’enseignement de Nietzsche et la politique du nom propre. – Paris: Éditions Galilée, 1984.

DERRIDA, J.  (1967) A Escritura e a Diferença. São Paulo: Perspectiva, 2014.

DERRIDA, J. Gramatologia. Trad. de Miriam Chnaiderman e Renato Janine Ribeiro. São Paulo: Perspectiva, 2017.

DERRIDA, J. Otobiografías: la enseñanza de Nietzsche y la política del nombre propio. Buenos Aires: Amorrortu, 2009.

FRANGELLA; Rita de C. P.; CARVALHO; Janete M. Políticas e Práticas Curriculares – diferentes perspectivas de análise. Currículo sem Fronteiras, v. 13, n. 3, p. 340-345, set./dez. 2013.

GALLO, S. Para além da qualificação profissional. Filosofia e Educação [RFE] – Vol. 9, Número 2 – Campinas, SP Junho-Setembro. ISSN 1984-9605 – p. 1-6, 2017.

GATTI. Bernadete A. Formação de professores: condições e problemas atuais. Revista Brasileira de Formação de Professores – RBFP ISSN 1984-5332 - Vol. 1, n. 1, p.90-102, Maio/2009.

JOSSO, Marie-Christine. As narrações centradas sobre a formação durante a vida como desvelamento das formas e sentidos múltiplos de uma existencialidade singular-plural. Trad. Eric Maheu; Revisão da tradução: Suely de S Silva. Revista da FAEEBA – Educação e Contemporaneidade, Salvador, v. 17, n. 29, p. 17-30, jan./jun., 2008.

LOPES. Alice Casimiro. Teorias Pós-Críticas, Política e Currículo – Dossiê Temático: configurações da investigação educacional no Brasil. Educação, Sociedade & Culturas, nº  39, pp. 7-23, 2013.

LOPES, Alice C.; CUNHA, Erika V. R.; COSTA, Hugo H. C. Da recontextualização à tradução: investigando políticas de currículo. Currículo sem Fronteiras. v. 13, n. 3, p. 392-410, set./dez. 2013.  Disponível em: http://www.curriculosemfronteiras.org/vol13iss3articles/lopes-cunha-costa.pdf. Acesso em: 15 de fev. 2020.

MACEDO, Roberto Sidnei. Compreender/mediar a formação: o fundante da educação. Brasília: Líber Livro Editora, 2010.

MONTEIRO, Silas B. Quando a Pedagogia forma professores. Uma investigação otobiográfica. Tese (Doutorado em Educação), Universidade de São Paulo, 2004.

MONTEIRO, S. Quando a Pedagogia forma professores. Uma investigação otobiográfica. Cuiabá: EdUFMT, 2013.

MONTEIRO, Silas B. Otobiografia como escuta das vivências presentes nos escritos. Educação e Pesquisa. São Paulo, v. 33, n. 3, p. 471-484, set/dez 2007.

MOURA, Dante H. Trabalho e formação docente na educação profissional [recurso eletrônico]. Curitiba: Instituto Federal do Paraná, 2014. - (Coleção formação pedagógica; v. 3). Disponível em: https://curitiba.ifpr.edu.br/wp-content/uploads/2016/05/Trabalho-e-Forma%C3%A7%C3%A3o-Docente.pdf. Acesso em: 26 de fev. 2020.

NIETZSCHE. Friedrich. Ecce homo: como se chega a ser o que se é. Trad. Artur Morão. Universidade da Beira Interior: Covilhã, 2008.

NÓVOA, A. Profissão: docente. Revista Educação (entrevista). Em Agosto/2011. Disponível em <http://revistaeducacao.uol.com.br/textos/154/artigo> Acesso em 15 de mar. 2020.

OLIVEIRA SANTOS, Adriana Paula Quixabeira R. S.; FARTES, Vera Lúcia Bueno. O Trabalho Docente na Educação Profissional e Tecnológica no Brasil: Desafios e Perspectivas Contemporâneas. In: CONGRESSO DE PESQUISA E INOVAÇÃO DA REDE NORTE NORDESTE DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA, v. 2010. Maceió/AL. Anais... Maceió. Disponível em: <http://connepi.ifal.edu.br/ocs/index.php/connepi/CONNEPI2010> Acesso em 03f de fev. 2020.

PARAÍSO, Marlucy. A ciranda do currículo com gênero, poder e resistência. Currículo sem Fronteiras, v. 16, n. 3, p. 388-415, set./dez. 2016 ISSN 1645-1384 (online). Disponível em:  www.curriculosemfronteiras.org. Acesso em: 12 de mar. 2020

PENA, Geralda A de C. Formação docente e aprendizagem da docência: um olhar sobre a educação profissional. Educação em Perspectiva, Viçosa, v. 2, n. 1, p. 98-118, jan./jun. 2011. Disponível em: http://www.seer.ufv.br/seer/educacaoemperspectiva/index.php/ppgeufv/article/view/122/5 . Acesso em 10 de fev. 2020.

PEREIRA, Marcos V. Estética da professoralidade: um estudo crítico sobre a formação do professor.  Santa Maria: EdUFSM, 2013.

RIBEIRO, Helano J.; BORGES, Felipe A. Otobiografia: qualquer ou uma não identidade. Cenários. Porto Alegre, n.12, 2° semestre, 2015. p. 123-139.

SÁ, Ma. Roseli Gomes Brito de; FARTES, Vera Lúcia B. (Orgs.) Currículo, formação e saberes profissionais: a (re) valorização epistemológica da experiência. Salvador: EDUFBA, 2010.

SILVA, Ana Maria. A formação contínua de professores: Uma reflexão sobre as práticas e as práticas de reflexão em formação. Educação & Sociedade, ano XXI, n° 94 72, pp. 89-109. Agosto, 2000.

SILVA, M. Complexidade da formação de professores: saberes teóricos e saberes práticos. São Paulo: Editora UNESP; São Paulo: Cultura Acadêmica, 2009.


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.14244/198271994118

____________

Propriedade Intelectual

Revista Eletrônica de Educação adota a licença Creative Commons BY-NC do tipo "Atribuição Não Comercial".

Essa licença permite, exceto onde está identificado, que o usuário final remixe, adapte e crie a partir do seu trabalho para fins não comerciais, sob a condição de atribuir o devido crédito e da forma especificada pelo autor ou licenciante.

Para mais informações, consultar: https://br.creativecommons.org/

____________

REVISTA ELETRÔNICA DE EDUCAÇÃO. São Carlos (SP): Universidade Federal de São Carlos, Programa de Pós-Graduação em Educação, 2007- . Publicação contínua. ISSN 1982-7199. Disponível em: http://www.reveduc.ufscar.br