(Des)encontros da extensão universitária com a educação popular na Universidade Federal de São Carlos (Encounters and mismatches of university extension with popular education at the Federal University of São Carlos)

Ana Luiza Salgado Cunha, Aida Victoria Garcia Montrone, Glauber Barros Alves Costa

Resumo


This article aims to describe and understand extension experiences and their (dis) encounters with Popular Education in a public University, from the perspective of extension project coordinators. It consisted of a qualitative-descriptive research, in which we used documentary and bibliographic review and semi-structured interviews. We dialogue with coordinators (s) in the form of interviews, analyzed by Content Analysis. One of the most significant results obtained was the fact that experience in University Extension can promote formative spaces at the University. Still, the results indicate a complexity of definitions of Extension, result of the historical-social process and; indicate Popular Education as educational praxis that legitimizes people's knowledge. It was possible to apprehend educational processes consolidated in extensionist praxis, such as the search for other conceptions of the world, of knowing and living, as well as the resistance within dominant university logic, problematizing what the University is for.

Resumo

Este artigo objetiva descrever e compreender experiências extensionistas e seus (des)encontros com a Educação Popular numa Universidade pública, sob a ótica de coordenadoras(es) de projetos extensionistas. Constituiu-se de uma pesquisa de cunho qualitativo-descritivo, para a qual utilizamos revisão documental e bibliográfica e entrevistas semi-estruturadas. Dialogamos com coordenadoras(es) por meio de entrevistas analisadas pela Análise de Conteúdo.  Um dos mais expressivos resultados obtidos foi a constatação de que experiência na Extensão Universitária pode promover espaços formativos na Universidade.  Ainda, os resultados apontam uma complexidade de definições de Extensão, resultado do processo histórico-social e indicam a Educação Popular como práxis educativa que legitima saberes do povo. Foi possível apreender processos educativos consolidados nas práxis extensionistas, como a busca por outras concepções de mundo, de saber e de viver, bem como a resistência dentro de uma lógica universitária dominante, problematizando para que(m) serve a Universidade.

Palavras-chave: Processos educativos, Extensão universitária, Educação popular.

Keywords: Educational processes, University extension, Popular education.

References

ARAÚJO-OLIVERA, S. S.. Exterioridade. O outro como critério. In: OLIVEIRA, M. W.; SOUSA, F. R. (orgs.). Processos Educativos em práticas sociais. Pesquisas em educação.  São Carlos: EduFSCar, 2014.

BARDIN, L. Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70, 1977.

BEZERRA, P. Polifonia. In: Brait, Beth (Org.). Bakhtin: conceitos-chave. Rio de Janeiro: Contexto, 2005.

BRANDÃO, C. R.; ASSUMPÇÃO, Raiane. Cultura Rebelde – escritos sobre a educação popular de ontem e agora. São Paulo: Editora e Livraria Instituto Paulo Freire, 2009.

CASTRO, L. M. C. A universidade, a extensão universitária e a produção de conhecimentos emancipadores: ainda existem utopias realistas. UFB: Rio de Janeiro, 2004 (tese de doutorado).

CUNHA, A. L. S. A experiência como prática formativa de estudantes na Extensão Universitária. Dissertação de mestrado. Universidade Federal de Viçosa, março de 2013.

DARON, V. A educação popular e saúde como referencial para nossas práticas na saúde. In: BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Gestão estratégica e Participativa. II Cadernos de Educação Popular em Saúde. Brasília: Ministério da Saúde. 2011, p. 123-146.

DUSSEL, E. 1492: o encobrimento do outro – a origem do mito da modernidade. São Paulo: Vozes, 1993.

DUSSEL, E. Oito ensaios sobre cultura latino-americana e libertação. São Paulo: Paulinas, 1997.

DUSSEL, E. Transmodernidad e interculturalidad (interpretación desde la filosofia de la libertación). México City: UAM, 2005.

DUSSEL, E. Ética da libertação na idade da globalização e da exclusão. 2ª edição. Petrópolis: Vozes, 2003.

DUSSEL, E. A pedagógica latino-americana (a Antropológica II). In: DUSSEL, E. Para uma ética da libertação latino americana III: erótica e pedagógica. São Paulo: Loyola; Piracicaba: UNIMEP, s/d, p.153-281, 2001.

DUSSEL, E.   20 teses de política. São Paulo: Expressão Popular, 2007.

FAGUNDES, J. Universidade e Compromisso Social. Extensão, limites e perspectivas. Campinas: Universidade Estadual de Campinas. 170p. (Tese de Doutorado), 1985.

FIORI, J. L. Educação e Política. Textos escolhidos. Volume 2. 2. Ed. Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2014.

FREIRE, P. Considerações em torno do ato crítico de estudar. In: FREIRE, P. Ação Cultural para a Liberdade e outros escritos. 6. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1982, p. 9-12.

FREIRE, P. Pedagogia da Autonomia: saberes necessários à prática educativa. 3 ed. São Paulo: Paz e Terra. 1997.

GURGEL, M. R. Extensão Universitária: Comunicação ou Domesticação? São Paulo: Cortez, Universidade Federal do Ceará, 1986.

JARA, O. H.; FALKEMBACH, M. F. Educação Popular e sistematização de experiências. In: STRECK; ESTEBAN, M. T. (orgs). Educação Popular: lugar de construção social coletiva. Petrópolis, RJ: Vozes, 2013.

JOSSO, M. C. Experiências de Vida e Formação. São Paulo: Cortez, 2004.

MEJÍA, M. R. Educação e pedagogias críticas a partir do sul: cartografias da educação popular. São Carlos: Pedro e João Editores, 2018.

MINAYO, M. C. de S. Ciência, técnica e arte: o desafio da pesquisa social. In: MINAYO, M. C. de S.; DESLANDES, O. C. N.; GOMES, R. (Org.). Pesquisa social: teoria, método e criatividade. 21. ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 1994, p. 9-29.

OLIVEIRA, M. W.; GONÇALVES E SILVA, P. B.; GONÇALVES JUNIOR, L.; MONTRONE, A. V. G.; JOLY, I. Processos educativos em práticas sociais. Reflexões teóricas e metodológicas sobre a pesquisa educacional em espaços sociais. In: OLIVEIRA, M. W.; SOUSA, F. R. (orgs.). Processos Educativos em práticas sociais. Pesquisas em educação.  São Carlos: EduFSCar. 2014.

SANTOS, B. S. A Universidade do Século XXI: para uma reforma democrática e emancipatória da Universidade. 3.ed. Questões da Nossa Época. V.11. São Paulo: Cortez, 2010.

SANTOS, B. S. Para um novo senso comum: a ciência, o direito e a política na transição paradigmática. V.1. A crítica da razão indolente – Contra o desperdício da experiência. 7. ed. – São Paulo: Cortez, 2009.

SANTOS, B. S. Pela Mão de Alice – o social e o político na pós-modernidade. São Paulo: Cortez, 2001.

SOUSA, A. L. A História da Extensão Universitária. Campinas: Alínea, 2010.

TUTTMAN, M. T. Compromisso social da universidade: olhares da extensão. Rio de Janeiro, 2004.

VÁZQUEZ, A. S. Filosofia da práxis. 2 ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1977.

e3951126


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.14244/198271993951

____________

Propriedade Intelectual

Revista Eletrônica de Educação adota a licença Creative Commons BY-NC do tipo "Atribuição Não Comercial".

Essa licença permite, exceto onde está identificado, que o usuário final remixe, adapte e crie a partir do seu trabalho para fins não comerciais, sob a condição de atribuir o devido crédito e da forma especificada pelo autor ou licenciante.

Para mais informações, consultar: https://br.creativecommons.org/

____________

REVISTA ELETRÔNICA DE EDUCAÇÃO. São Carlos (SP): Universidade Federal de São Carlos, Programa de Pós-Graduação em Educação, 2007- . Publicação contínua. ISSN 1982-7199. Disponível em: http://www.reveduc.ufscar.br