Percepções de estudantes e professores sobre métodos ativos para a formação de médicos (Students and teachers’ perceptions about active methods for graduation of physicians)

Caio Vinicius da Conceição, Magali Aparecida Alves de Moraes

Resumo


In the context of the modernization of medical education, in which medical schools are underway in Brazil with the new National Curricular Guidelines, it is recommended the use of active teaching and learning methods, which appears as alternatives in order to guarantee the professional competence. The objective of this research was to explore students and teachers’ perceptions regarding active methods for graduation of physicians. The study is descriptive, quantitative, and qualitative and had the application of questionnaires and semi-structured interviews for students and teachers of a Faculty in the interior of the State of São Paulo (Brazil). The data of the questionnaires were arranged in tables and described in corresponding percentages, and the interviews transcribed to perform content analysis, thematic modality. Students and teachers considered that the process triggered in active methods promotes skills of critical thinking, autonomy, communication, positive interdependence with colleagues and cognitive knowledge. They also assessed that active methods in medical graduation bring about cognitive, psychosocial and motor benefits. Thus, it can be concluded that the curriculum based on active methods foments a formation with an active student’s behaviour that facilitates the resolution of problems of the professional practice and can lead to the change of the social reality in health.

Resumo

No contexto de modernização da educação médica, pela qual as faculdades de medicina perpassam no Brasil com as novas Diretrizes Curriculares Nacionais, é recomendada a utilização de métodos ativos de ensino e aprendizagem, que surgem como alternativas a fim de se garantir a competência profissional. O objetivo dessa pesquisa foi o de explorar as percepções de estudantes e professores sobre os métodos ativos para a formação de médicos. O estudo é descritivo, quantitativo e qualitativo e contou com a aplicação de questionários e entrevistas semiestruturadas para estudantes e professores de uma faculdade do interior do Estado de São Paulo (Brasil). Os dados dos questionários foram dispostos em tabelas e descritos em porcentagens correspondentes, e as entrevistas transcritas para realização de análise de conteúdo, modalidade temática. Estudantes e professores consideraram que o processo desencadeado em métodos ativos promove habilidades de raciocínio crítico, autonomia, comunicação, interdependência positiva em relação aos colegas além do conhecimento cognitivo. Avaliaram também que os métodos ativos na graduação em medicina trazem benefícios cognitivos, psicossociais e motores. Assim, pode-se concluir que o currículo com métodos ativos suscita uma formação com postura ativa do estudante, facilita a resolução de problemas da prática profissional e pode levar à transformação da realidade social da saúde.

Resumen

En el contexto de modernización de la educación médica, por la cual las facultades de medicina pasan en Brasil con las nuevas Directrices Curriculares Nacionales, es recomendada la utilización de métodos activos de enseñanza y aprendizaje, que surgen como alternativas a fin de garantizarse la competencia profesional. El objetivo de esta investigación fue explorar las percepciones de estudiantes y profesores sobre métodos activos para la formación de médicos. El estudio es descriptivo, cuantitativo y cualitativo y contó con la aplicación de cuestionarios y entrevistas semiestructuradas para estudiantes y profesores de una Facultad del interior del Estado de São Paulo (Brasil). Los datos de los cuestionarios fueron dispuestos en tablas y descriptos en porcentajes correspondientes, y las entrevistas transcriptas para realización de análisis de contenido, modalidad temática. Estudiantes y profesores consideraron que el proceso desencadenado en métodos activos promueve habilidades de razonamiento crítico, autonomía, comunicación, interdependencia positiva en relación con los compañeros además del conocimiento cognitivo.  Evaluaron también que los métodos activos en la graduación en medicina traen beneficios cognitivos, psicosociales y motores. Así que se puede concluir que el currículo con métodos activos suscita una formación con postura activa del estudiante, facilita la resolución de problemas de la práctica profesional y puede conducir a la transformación de la realidad social en salud.

Palavras-chave: Formação médica, Aprendizagem baseada em problemas, Avaliação do ensino.

Keywords: Graduation of the physician, Problem-based learning, Teaching evaluation.

Palabras claves: Graduación del médico, Aprendizaje basada en problemas, Evaluación del enseñanza.

References

ALMEIDA, M. T. C. Desenvolvimento docente em métodos ativos de ensino/aprendizagem na formação do médico.  2010. 175 f. Dissertação (Mestrado em Ciências) - Escola Paulista de Medicina, Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), São Paulo, 2010. Disponível em: <http://repositorio.unifesp.br/bitstream/handle/11600/9311/Publico-12608a.pdf;jsessionid=49A9EEDC2CB99A8A62CCA6E97C257972?sequence=1>. Acesso em: 10 jan. 2018.

ALMEIDA, M. T. C.; BATISTA, N. A. Ser docente em métodos ativos de ensino-aprendizagem na formação do médico. Revista Brasileira de Educação Médica, v. 35, n. 4, p. 468-476. 2011. DOI: 10.1590/S0100-55022011000400005.

BOLFARINE, H.; BUSSAB, W.O. Elementos de amostragem. 3. reimp. São Paulo: Edgard Blücher, 2012.

BORGES, M. C. et al. Aprendizado baseado em problemas. Medicina (Ribeirão Preto), v. 47, n. 3, p. 301-307, 2014. DOI: 10.11606/issn.2176-7262.v47i3p301-307.

BRASIL. Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação. Câmara de Educação Superior. Resolução n. 3, de 20 de junho de 2014. Institui Diretrizes Curriculares Nacionais do Curso de Graduação em Medicina e dá outras providências. Diário Oficial da União: seção 1, Brasília:, DF, ano 151, n. 117, p. 8-11,  23 jun. 2014.

CONCEIÇÃO, C. V.; MORAES, M. A. A. Aprendizagem cooperativa e a formação do médico inserido em metodologias ativas: um olhar de estudantes e docentes. Revista Brasileira de Educação Médica, v. 42, n. 4, p. 115-122, 2018.

COSTA, M. J. Trabalho em pequenos grupos: dos mitos à realidade. Medicina (Ribeirão Preto), v. 47, n. 3, p. 308-13, 2014. DOI: 10.11606/issn.2176-7262.v47i3p308-313.

DALTRO, M. R.; PONDE, M. P. Aprendizagem baseada em problemas: uma estratégia para formação do psicólogo como profissional de saúde. Revista Psicologia, Diversidade e Saúde, v. 6, n. 2, p. 103-113, 2017. DOI: 10.17267/2317-3394rpds.v6i2.1391.

FONTANELLA, B. J. B.; RICAS, J.; TURATO, E. R. Amostragem por saturação em pesquisas qualitativas em saúde: contribuições teóricas. Caderno de Saúde Pública, v. 24, n. 1, p. 17-27, 2008. DOI: 10.1590/S0102-311X2008000100003.

FRANCISCO, A. M.; TONHOM, S. F. R. O currículo na formação do profissional em saúde. In: MORAES, M. A. A. et al. (Org.). Avaliação nos Cursos de Medicina e Enfermagem: perspectivas e desafios. Curitiba: CRV, 2012. p. 29-74.

FREITAS, C. M. et al. Uso de metodologias ativas de aprendizagem para a educação na saúde: análise da produção científica. Trabalho, Educação e Saúde, v. 13, n. 2, p. 117-130, 2015. DOI: 10.1590/1981-7746-sip00081.

FREITAS, D. A. et al. Saberes docentes sobre processo ensino-aprendizagem e sua importância para a formação profissional em saúde. Interface (Botucatu), v. 20, n. 57, p. 437-448, 2016. DOI: 10.1590/1807-57622014.1177.

GOMES R. Análise e interpretação de dados de pesquisa qualitativa. In: MINAYO, M. C. S. (Org.). Pesquisa social: teoria, método e criatividade. Petrópolis: Vozes, 2016. p. 72-95.

GOMES, R. et al. Aprendizagem baseada em problemas na formação médica e o currículo tradicional de medicina: uma revisão bibliográfica. Revista Brasileira de Educação Médica, v. 33, n. 3, p. 433-440, 2009. DOI: 10.1590/S0100-55022009000300014.

GUEDES-GRANZOTTI, R. B. et al. Metodologias ativas e as práticas de ensino na comunidade: sua importância na formação do fonoaudiólogo. Distúrbios da Comunicação, v. 27, n. 2, p. 369-374, 2015. Disponível em: <https://revistas.pucsp.br/dic/article/view/20026/16993>. Acessoem: 02 fev. 2018.

HOPPER, M. K.  Assessment and comparison of student engagement in a variety of physiology courses. Advances in Physiology Education, v. 40, n. 1, p. 70-78, 2016. DOI: 10.1152/advan.00129.2015.

LUNA, W. F.; BERNARDES, J. S. Tutoria como estratégia para aprendizagem significativa do estudante de medicina. Revista Brasileira de Educação Médica, v. 40, n. 4, p. 653-662, 2016. DOI: 10.1590/1981-52712015v40n4e01042015.

MELLO, C. C. B.; ALVES, R. O.; LEMOS, S. M. A. Metodologias de ensino e formação na área da saúde: revisão de literatura. Revista CEFAC, v. 16, n. 6, p. 2015-2028, 2014. DOI: 10.1590/1982-0216201416012.

MINAYO, M. C. S. O desafio do conhecimento: pesquisa qualitativa em saúde. 14. ed. São Paulo: Hucitec, 2014.

NUNES, C. R. R.; ROLIN, L. M. G.; LOPES, V. M. M. Os primórdios da educação permanente na academia e nos serviços de saúde. In: FRASCISCHETTI, I. (Org.). Educação permanente da academia: da teoria à prática. Curitiba: CRV,  2014. p. 17-27.

PAIVA, M. R. F. et al. Metodologias ativas de ensino-aprendizagem: revisão integrativa. Sanare (Sobral, Online), v. 15, n. 2, p. 145-153, 2016. Disponível em: <https://sanare.emnuvens.com.br/sanare/article/view/1049/595>. Acesso em: Acesso em: 02 fev. 2018.

PINHO, E. M.; FERREIRA, C. A.; LOPES, J. P. As opiniões de professores sobre a aprendizagem cooperativa. Revista Diálogo Educacional, v. 13, n. 40, p. 913-937, 2013. DOI: 10.7213/dialogo.educ.13.040.DS05.

REGO, H. M. C.; RODRIGUES, J. R. Methodology of problematization with the maguerez’s arch: an alternative method for teaching, research and study in dentistry. Brazilian Dental Science, v. 18, n. 1, p. 34-43, 2015. DOI: 10.14295/bds.2015.v18i1.1047.

SANTANA, C. A.; CUNHA, N. L.; SOARES, A. K. A. Avaliação discente sobre a metodologia de ensino baseado em problemas na disciplina de Farmacologia. Revista Brasileira de Farmácia, v. 93, n. 3, p. 337-40, 2012. Disponível em: <http://www.rbfarma.org.br/files/rbf-2012-93-3-12.pdf>. Acesso em: Acesso em: 02 fev. 2018.

e3732083


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.14244/198271993732

____________

Propriedade Intelectual

Revista Eletrônica de Educação adota a licença Creative Commons BY-NC do tipo "Atribuição Não Comercial".

Essa licença permite, exceto onde está identificado, que o usuário final remixe, adapte e crie a partir do seu trabalho para fins não comerciais, sob a condição de atribuir o devido crédito e da forma especificada pelo autor ou licenciante.

Para mais informações, consultar: https://br.creativecommons.org/

____________

REVISTA ELETRÔNICA DE EDUCAÇÃO. São Carlos (SP): Universidade Federal de São Carlos, Programa de Pós-Graduação em Educação, 2007- . Publicação contínua. ISSN 1982-7199. Disponível em: http://www.reveduc.ufscar.br