O trabalho em parceria na educação inclusiva: experiências na Educação Infantil (Working in partnership in inclusive education: experiences in Early Childhood Education)

Patrícia Critina Rosalen, Laura Noemi Chaluh

Resumo


The present article is a research clipping whose general objective was to understand how the organizational structure of a public school made possible the work with students with disabilities for the realization of the truly inclusive education proposal. In this work we discuss the collaboration/partnership in a perspective that articulates the different segments of professionals of the school in the interlocution with the family, perspective that seeks to potentiate the learning of a student’s with disabilities. We present an experience developed with a student of Early Childhood education, in the context of a municipal school in the interior of the state of São Paulo, where the vice-director/researcher presents collaborative processes developed between teacher regent, a teacher of Specialized Educational Assistance (AEE) and an educational agent, subjects who were responsible for preparing and developing projects, activities and teaching materials for the referred student. The data produced for this work are: Teacher's Diary, student’s Individual Development Plan (PDI), evaluation record of the student’s mother, daily register of the vice-director and the reflective register of the teachers and educational agent about their experiences with the student with disabilities. The production of the data was analyzed from the indexing paradigm. Collaboration/partnership was made possible through the constitution of a group of individuals who support each other, experienced joint actions and had feelings of productive belonging, around the common goal of guaranteeing student’s learning. The participation of the family was paramount to the achievement of the objectives proposed with the student with disabilities.

Resumo

O presente artigo é um recorte de pesquisa que teve como objetivo geral compreender de que forma a estrutura organizativa de uma escola pública possibilitou o trabalho com os alunos público-alvo da educação especial (PAEE) para a efetivação da proposta de educação verdadeiramente inclusiva. Neste trabalho discutimos a colaboração/parceria numa perspectiva que articula os diferentes segmentos de profissionais da escola na interlocução com a família, perspectiva que almeja potencializar a aprendizagem do aluno PAEE. Apresentamos experiência desenvolvida com aluno da Educação Infantil, no contexto de uma escola municipal do interior do estado de São Paulo, em que a vice-diretora/pesquisadora apresenta processos colaborativos desenvolvidos entre professora regente, professora do Atendimento Educacional Especializado (AEE) e agente educacional, sujeitos que se responsabilizaram por elaborar e desenvolver projetos, atividades e materiais pedagógicos para o referido aluno. Os dados produzidos para este trabalho contemplam: Diário de Bordo das professoras, Plano de Desenvolvimento Individual (PDI) do aluno, registro avaliativo da mãe do aluno, caderno de registro cotidiano da vice-diretora e registro reflexivo das professoras e agente educacional sobre suas experiências junto ao aluno PAEE. A produção dos dados foi analisada a partir do paradigma indiciário. A colaboração/parceria foi possibilitada através da constituição de um grupo onde os sujeitos se apoiaram mutuamente, experimentaram ações conjuntas e tinham sentimentos de pertença produtiva, em torno do objetivo comum de garantir a aprendizagem do aluno PAEE. A participação da família foi primordial para o alcance dos objetivos propostos com o aluno PAEE.

Resumen

El presente artículo es un recorte de una investigación que tuvo como objetivo general comprender de qué forma la estructura organizativa de una escuela pública posibilitó el trabajo con los alumnos con discapacidad para la realización de la propuesta educativa verdaderamente inclusiva. En este trabajo discutimos la colaboración/asociación en una perspectiva que articula los diferentes segmentos de profesionales de la escuela en la interlocución con la familia, perspectiva que pretende potencializar el aprendizaje del aluno con discapacidad. Presentamos la experiencia desarrollada con un alumno de la Educación Infantil, en el contexto de una escuela municipal del interior del estado de São Paulo, donde la vice-directora/investigadora presenta los procesos colaborativos desarrollados entre la profesora de la sala, la profesora del Atendimiento Educacional Especializados (AEE) e la agente educacional, sujetos que se responsabilizaron por elaborar y desarrollar proyectos, actividades e materiales pedagógicos para el alumno referido. Los datos producidos para este trabajo contemplan: Diario de Bordo de las profesoras, Plano de Desenvolvimiento Individual (PDI) del alumno, registro evaluativo de la madre del alumno, cuaderno de registro cotidiano de la vice-directora e registro reflexivo de las profesoras e agente educacional sobre sus experiencias con el alumno con discapacidad. La producción de los datos fue analizada a partir del paradigma indiciario. La colaboración/asociación fue posible a través de la constitución de un grupo en el cual  los sujetos se apoyan mutuamente, experimentan acciones conjuntas y tuvieron sentimientos de pertenencia productiva, en torno al objetivo común de garantizar el aprendizaje del alumno con discapacidad. La participación de la familia fundamental para el logro de los objetivos propuestos con el alumno con discapacidad.

Palavras-chave: Educação inclusiva, Aluno PAEE, Práticas colaborativas.

Keywords: Inclusive education, Student with disabilities, Collaborative practices.

Palavras clave: Educación inclusiva, Alumno com discapacidade, Prácticas inclusivas.

References

BETEGHELLI, Tagiane Giorgetti dos Santos. A professora coordenadora na educação infantil: na composição da organização do trabalho pedagógico e da formação dos educadores. 2018, 203p. Dissertação (Mestrado em Educação). Universidade Estadual Paulista. Instituto de Biociências. Rio Claro/SP: Unesp, 2018.

BRASIL. Marcos Políticos-Legais da Educação Especial na Perspectiva da Educação Inclusiva. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Especial. Brasília: Secretaria de Educação Especial, 2010.

CAPELLINI, Vera Lúcia Messias Fialho (org.); ZANATA, Eliana Marques; PEREIRA, Verônica Aparecida. Práticas educativas: ensino colaborativo. Práticas em Educação Especial e Inclusiva na área da deficiência mental. Bauru/SP: MEC/FC/SEE, 2008.

CAPELLINI, Vera Lúcia Messias Fialho. Formação Continuada por meio da Consultoria Colaborativa: compromisso com o ensino-aprendizagem de todos os alunos. In: MENDES, Enicéia Gonçalves; ALMEIDA, Maria Amélia (orgs.). A Pesquisa sobre inclusão escolar em suas múltiplas dimensões: teoria, política e formação. Marília: ABPEE, 2012.

CHALUH, Laura Noemi. Do trabalho coletivo na escola: encontros na diferença. Pro-Posições. Campinas, vol. 21, nº 2 (62), maio/ago., 2010, pp. 207-223.

FERNANDES, Carla Helena. Relatório Final de Estágio Pós-Doutoral. 2017, 300p. Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”. Rio Claro/SP: Unesp, 2017.

GINZBURG, Carlo. Mitos, emblemas, sinais: morfologia e história. São Paulo: Companhia das Letras, 1989.

JESUS, Denise Meirelles de; GONÇALVES, Agda Felipe Silva; VIEIRA, Alexandro Braga; EFFGEN, Ariadna Pereira Siqueira. As políticas públicas em ação no estado do Espírito Santo: o que dizem as superintendências e as secretarias municipais de educação. In: MENDES, Enicéia Gonçalves; ALMEIDA, Maria Amélia (orgs.). A pesquisa sobre inclusão escolar em suas múltiplas dimensões: teoria, política e formação. Marília: ABPEE, 2012.

LIMA, M. E. C. C.; GERALDI, C. M. G.; GERALDI, J.W. O trabalho com narrativas na investigação em educação. Educação em Revista. Belo Horizonte, vol.31, nº.01, jan-mar., 2015, pp. 17-44.

MAZZOTTA, Marcos José da Silveira. Educação Especial no Brasil: História e Políticas Públicas.  3ª ed. São Paulo: Cortez, 2001.

MENDES, Enicéia Gonçalves; VILARONGA, Carla Ariela Rios; ZERBATO, Ana Paula. Ensino colaborativo como apoio à inclusão escolar: unindo esforços entre educação comum e especial. São Carlos: EdUFSCar, 2014.

ORSATI, Fernanda T. Acomodações, modificações e práticas efetivas para a sala de aula inclusiva. Temas sobre Desenvolvimento, 19 (107). São Paulo: pp. 213-222, 2013.

PRIMO, Dorian Regina B. S.; MOTTA JÚNIOR, Ademar Simões da. A influência da ludicidade na aquisição da aprendizagem de crianças com necessidades educativas especiais nas séries iniciais. In: CARVALHO, Edemir de; CARVALHO, Carmem Silvia B. F. (orgs.). Práticas Pedagógicas: entre as teorias e metodologias, as necessidades educativas especiais. Marília: Oficina Universitária. São Paulo: Cultura Acadêmica, 2012.

RIO CLARO. Projeto Político Pedagógico da Escola Municipal Professor Victorino Machado. Rio Claro: Secretaria Municipal da Educação, 2015.

RIO CLARO. Reorientação Curricular da Rede Municipal de Educação de Rio

Claro. Rio Claro, SP: Secretaria Municipal da Educação, 2008.

RIZZI, E.; GONZALEZ, M.; XIMENES, S. Direito humano à educação. Coleção Manual de Direitos Humanos. 2ª ed. Organização: Plataforma Dhesca Brasil e Ação Educativa. Brasília: vol. 7, novembro de 2011.

ROSALEN, Patrícia C. Práticas colaborativas no trabalho com alunos Público-alvo da Educação Especial (PAEE): o cotidiano de uma escola polo. 2019, 242p. Dissertação (Mestrado em Educação). Universidade Estadual Paulista. Instituto de Biociências. Rio Claro/SP: Unesp, 2019.

SÁNCHEZ, Pilar Arnaiz. A educação inclusiva na Espanha. In: FÁVERO, Osmar; FERREIRA, Windys; IRELAND, Timothy; BARREIROS, Débora (orgs.). Tornar a educação inclusiva. Brasília: UNESCO, 2009.

SASSAKI, Romeu Kasumi. Inclusão: o paradigma do século 21. Inclusão – Revista da Educação Especial. Brasília, vol. 1, nº 1, out. 2005, pp. 19-23.

SIGOLO, Sílvia Regina R. L. Envolvimento Familiar e Educação Inclusiva: uma mútua contribuição. In: MENDES, Enicéia Gonçalves; ALMEIDA, Maria Amélia (orgs.). A pesquisa sobre inclusão escolar em suas múltiplas dimensões: teoria, política e formação. Marília: ABPEE, 2012.

VELTRONE, Aline Aparecida; MENDES, Enicéia Gonçalves. Percepções dos alunos com deficiência intelectual sobre sua matrícula na classe especial e classe comum. Revista Eletrônica de Educação, vol. 5, nº. 2. São Carlos/SP: UFSCar, Programa de Pós-Graduação em Educação, novembro de 2011, pp. 59-81.

ZERBATO, Ana Paula; MENDES, Enicéia Gonçalves. Desenho universal para a aprendizagem como estratégia de inclusão escolar. Educação Unisinos, vol. 22, nº 2, abril-junho 2018, pp.147-155.

e3579065


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.14244/198271993579

____________

Propriedade Intelectual

Revista Eletrônica de Educação adota a licença Creative Commons BY-NC do tipo "Atribuição Não Comercial".

Essa licença permite, exceto onde está identificado, que o usuário final remixe, adapte e crie a partir do seu trabalho para fins não comerciais, sob a condição de atribuir o devido crédito e da forma especificada pelo autor ou licenciante.

Para mais informações, consultar: https://br.creativecommons.org/

____________

REVISTA ELETRÔNICA DE EDUCAÇÃO. São Carlos (SP): Universidade Federal de São Carlos, Programa de Pós-Graduação em Educação, 2007- . Publicação contínua. ISSN 1982-7199. Disponível em: http://www.reveduc.ufscar.br