A Sofística no Discurso Filosófico e Educacional de Michel de Montaigne (The Sophistry in the Philosophical and Educational Discourse of Michel de Montaigne)

Flávia Rocha Carniel, Marcus Vinicius da Cunha

Resumo


The aim of this work is to examine the intellectual production of the Renaissance philosopher Michel de Montaigne, relating data from his biography and the events of his time to his most outstanding work, Essays. It is considered that the theoretical elaborations of an individual, as well as the linguistic forms created by him to express them, derive from events in the physical world – including their derivations of social and cultural order – and as such should be investigated. The origin of this methodological conception is sought in Ancient philosophy, especially in the Sophists, investigation that provides the parameters for analyzing the specific case of Montaigne.

Resumo

O objetivo deste trabalho é examinar a produção intelectual do filósofo renascentista Michel de Montaigne, relacionando dados de sua biografia e dos acontecimentos de sua época à sua mais destacada obra, Ensaios. Considera-se que as elaborações teóricas de um indivíduo, bem como as formas linguísticas por ele criadas para exprimi-las, decorrem de eventos do mundo físico – no que se incluem as suas derivações de ordem social e cultural –, e como tal devem ser investigadas. A origem dessa concepção metodológica é buscada na filosofia antiga, principalmente nos Sofistas, investigação que fornece os parâmetros para analisar o caso específico de Montaigne.

Palavras-chave: Montaigne, Sofística, Filosofia da Educação

Keywords: Montaigne, Sophistry, Philosophy of Education

References

ARISTÓTELES. Ética a Nicômaco. Tradução Edson Bini. Bauru: EDIPRO, 2002.

ARISTÓTELES. Retórica. Tradução Edson Bini. Bauru: EDIPRO, 2011.

BAKEWELL, Sarah. Como viver: ou uma biografia de Montaigne em uma pergunta e vinte tentativas de resposta. Tradução Clóvis Marques. Rio de Janeiro: Objetiva, 2012.

BAKHTIN, Mikhail Mikhailovich. Marxismo e filosofia da linguagem: problemas fundamentais do método sociológico na ciência da linguagem. Tradução Michel Laud e Yara Frateschi Vieira. 7. edição. São Paulo: Hucitec, 1995.

BOURDIEU, Pierre. A escola conservadora. As desigualdades frente a escola e a cultura. In: NOGUEIRA, M. A.; CATANI, A. (Orgs.) Escritos sobre educação. Petrópolis: Vozes, 1998, p. 39-64.

BOURDIEU, Pierre. O poder simbólico. 6. edição. Tradução Fernando Thomaz. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2003.

CHAUI, Marilena. Introdução. In: MONTAIGNE, Michel. Ensaios. Tradução Sérgio Milliet. São Paulo: Nova Cultural, 1987.

COELHO, Marcelo. Montaigne. São Paulo: Publifolha, 2001.

COMPAGNON, Antoine. Uma temporada com Montaigne. Tradução Rosemary Costhek Abilio. São Paulo.WMF Martins Fontes, 2014. 

CRICK, Nathan. Democracy and rhetoric: John Dewey on the arts of becoming. Columbia: University of South Carolina, 2010.

CRICK, Nathan. Compor a vontade de poder: John Dewey sobre a educac?a?o reto?rica para uma democracia radical. Educacão e Cultura Contemporânea, Rio de Janeiro, v. 12, n. 28, p. 164-183, 2015.

DUPRE?EL, Euge?ne. Les Sophistes: Protagoras, Gorgias, Prodicus, Hippias. Neuchatel: E?ditions du Griffon, 1948.

EVA, Luiz Antônio Alves. A figura do filósofo: ceticismo e subjetividade em Montaigne. São Paulo: Loyola, 2007.

FRAMPTON, Saul. Quando brinco com a minha gata, como sei que ela não está brincando comigo?: Montaigne e o estar em contato com a vida. Tradução Marina Slade. Rio de Janeiro: DIFEL, 2013.

KERFERD, George Briscoe. O movimento sofista. Traduc?a?o de Margarida Oliva. Sa?o Paulo: Loyola, 2003.

LANGER, Ullrich. Montaigne’s political and religious context. In: LANGER, U. (Org.) The Cambridge Companion to Montaigne. New York, Cambridge University, 2005. p. 9-26.

LEMGRUBER, Márcio Silveira. Quando o mundo se tornou um labirinto aberto. Educação e Filosofia, Uberlândia, v. 30, n. especial, p. 269-288, 2016.

MARCONDES, Danilo. Montaigne, a descoberta do Novo Mundo e o ceticismo moderno. Kriterion, Belo Horizonte, n. 126, p. 421-433, dez. 2012.

MARX, Karl; ENGELS, Friedrich. A ideologia alemã. Tradução Luis Claudio de Castro e Costa. São Paulo: Martins Fontes, 2007.

MONTAIGNE, Michel. Ensaios. volume 1. Tradução Sérgio Milliet. São Paulo: Nova Cultural, 1987.

MONTAIGNE, Michel. Ensaios. volume 2. Tradução Sérgio Milliet. São Paulo: Nova Cultural, 1996.

PATTIO, Julio Agnelo P. Dar vida às palavras: Montaigne em defesa de uma linguagem natural. Revista Filosofia Capital, Rio de Janeiro, v. 4, n. 8, p. 58-68, 2009.

POPKIN, Richard Henry. História do ceticismo de Erasmo a Spinoza. Tradução Danilo Marcondes de Souza Filho. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 2000.

POULAKOS, John. Sophistical rhetoric in Classical Greece. Columbia: University of South Carolina, 1995.

REALE, Giovanni. História da filosofia antiga. Volume V. 2. edição. Tradução Henrique C. de Lima Vaz e Marcelo Perine. São Paulo: Loyola, 2001.

SCHNEEWIND, Jerome B. Montaigne on moral philosophy and the good life. In: LANGER, Ullrich. The Cambridge Companion to Montaigne. New York, Cambridge University, 2005, p. 207-228.

SILVA, Divino José. Filosofia, educação das crianças e papel do preceptor em Montaigne. In PAGNI, Pedro Angelo; SILVA, Divino José (Orgs.). Introdução à filosofia da educação: temas contemporâneos e história. São Paulo: Avercamp, p. 102-121, 2007.

SILVA, Tatiane. Dewey e os sofistas: a tirania do lógos e as bases para uma educação retórica. Espaço Pedagógico, Passo Fundo, v. 25, n. 1, p. 114-139, jan./abr. 2018.

WOLTER, Katarina Maurer. Um Estudo sobre a relação entre filosofia cética e criação ensaística em Michel de Montaigne. Doispontos, São Carlos, v. 4, n. 2, p. 159-170, out. 2007.

e3045029


Texto completo:

PDF PDF (English)


DOI: https://doi.org/10.14244/198271993045

____________

Propriedade Intelectual

Revista Eletrônica de Educação adota a licença Creative Commons BY-NC do tipo "Atribuição Não Comercial".

Essa licença permite, exceto onde está identificado, que o usuário final remixe, adapte e crie a partir do seu trabalho para fins não comerciais, sob a condição de atribuir o devido crédito e da forma especificada pelo autor ou licenciante.

Para mais informações, consultar: https://br.creativecommons.org/

____________

REVISTA ELETRÔNICA DE EDUCAÇÃO. São Carlos (SP): Universidade Federal de São Carlos, Programa de Pós-Graduação em Educação, 2007- . Publicação contínua. ISSN 1982-7199. Disponível em: http://www.reveduc.ufscar.br