Fazer filosófico no ensino médio: sentidos e desafios (Philosophical practice in high school: senses and challenges)

Francis Silva de Almeida

Resumo


This paper falls within the scope of investigations on the fundamentals and educational practices and it is related to the development of a master's research carried out in Uberaba, Minas Gerais, Brazil. In this text, we propose to contextualize and characterize the senses and challenges pointed out by philosophy teachers to the teaching of this subject at the high school. We take a qualitative perspective, taking into account the use of a mixed questionnaire for data production (GIL, 2010) and the thematic content analysis technique (BARDIN, 2010). Our theoretical framework was supported by Deleuze (1992, 2006), Deleuze e Guattari (1995, 1997a, 1997b, 2005), Nietzsche (2003) e Foucault (1987, 2006, 2007). The senses and challenges attributed by the researched teachers reveals a complexity scenario: if on the one hand the limits imposed by the different bureaucratic aspects of the educational system and the devaluation of philosophy as a thought subject expose the fragility of philosophical practice in high school; on the other hand, the aspects that have been particularized between philosophy and its teaching express the conditions of a provocative philosophical practice of ruptures and movements capable of enunciating, within the own thinking, the cultivation of criticism, autonomy and creativity.

Resumo

Este artigo se insere no âmbito das pesquisas sobre os fundamentos e práticas educacionais e se relaciona com o desenvolvimento de uma pesquisa de mestrado realizada em Uberaba, Minas Gerais. Neste texto, propomos contextualizar e caracterizar os sentidos e os desafios apontados pelos professores de filosofia ao ensino desta disciplina em nível médio. Pautamo-nos em perspectiva qualitativa, tendo em conta o emprego de questionário misto para a produção de dados (GIL, 2010) e a opção pela técnica da análise temática de conteúdo (BARDIN, 2010). Nosso referencial teórico encontra sustentação no entretecimento das ideias de Deleuze (1992, 2006), Deleuze e Guattari (1995, 1997a, 1997b, 2005), Nietzsche (2003) e Foucault (1987, 2006, 2007). Os sentidos e os desafios atribuídos pelos professores pesquisados evidenciam um cenário de complexidade: se de um lado os limites impostos pelos diferentes aspectos burocráticos do sistema de ensino e a desvalorização da filosofia como disciplina do pensamento expõem a fragilidade do fazer filosófico no ensino médio; por outro lado, os aspectos que se circunstanciam entre a filosofia e o seu ensino exprimem as condições de um fazer provocativo das rupturas e dos movimentos capazes de enunciar, no interior do próprio pensamento, o cultivo da crítica, da autonomia e da criatividade.

Palavras-chave: Ensino da filosofia, Ensino médio, Sentidos, Desafios.

Keywords: Philosophy teaching, High School, Senses, Challenges.

References

BARDIN, Laurence. Análise de conteúdo. Tradução de Luís Antero Reto e Augusto Pinheiro. Lisboa/Portugal: Edições 70, 2010.

BIRCHAL, Telma; KAUARK, Patrícia; MARQUES, Marcelo. CBC/Filosofia. Governo do Estado de Minas Gerais, Secretaria de Estado de Educação. Disponível em: <http://crv.educacao.mg.gov.br>. Acesso em: 06 jul. 2016.

BRASIL. Lei nº 11.684, de 2 de junho 2008. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Poder Executivo, Brasília, DF, 03 jun. 2008. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2007-2010/2008/Lei/L11684.htm>. Acesso em: 03 jan. 2016.

CESCON, Everaldo; NODARI, Paulo César. Temas de filosofia da educação. Caxias do Sul, RS: Educs, 2009.

CHERVEL, André. História das disciplinas escolares: reflexões sobre um campo de pesquisa. Teoria & Educação, Porto Alegre, v. 2, p. 177-229, 1990.

CHERVEL, André; COMPÈRE, Marie-Madeleine. As humanidades no ensino. Educação e Pesquisa. São Paulo, vol. 25, n. 2, p. 147-148, jul./dez. 1999. Disponível em: <http://dx.doi.org/10.1590/S1517-97021999000200011>. Acesso em: 02 set. 2016.

DELEUZE, Gilles. O abecedário de Gilles Deleuze. Entrevista a Claire Parnet nos anos 1988-1989, em vídeo, divulgado Brasil pela TV Escola, Ministério da Educação. Tradução e legendas: Raccord [com modificações]. Disponível em: <http://stoa.usp.br/prodsubjeduc/files/262/1015/Abecedario+G.+Deleuze.pdf >. Acesso em: 03 fev. de 2016.

DELEUZE, Gilles. Conversações. Tradução Peter Pál Perbart. Rio de Janeiro: Ed. 34, 1992.

DELEUZE, Gilles. Diferença e repetição. Tradução Luiz Orlandi e Roberto Machado. Rio de Janeiro: Graal, 2006.

DELEUZE; Gilles; GUATTARI, Félix. Mil platôs – capitalismo e esquizofrenia (vol. 1). Tradução Aurélio Guerra Neto e Celia Pinto Costa. São Paulo: Ed. 34, 1995.

DELEUZE; Gilles; GUATTARI, Félix. Mil platôs – capitalismo e esquizofrenia (vol. 4). Tradução Suely Rolnik. São Paulo: Ed. 34, 1997a.

DELEUZE; Gilles; GUATTARI, Félix. Mil platôs – capitalismo e esquizofrenia (vol. 5). Tradução Peter Pál Pelbart e Janice Caiafa. São Paulo: Ed. 34, 1997b.

DELEUZE; Gilles; GUATTARI, Félix. O que é a filosofia? Tradução Bento Prado Jr. e Alberto Alonso Muñoz. Rio de Janeiro: Ed. 34, 2005.

FOUCAULT, Michel. Vigiar e punir: nascimento da prisão. Tradução de Raquel Ramalhete. Petrópolis: Vozes, 1987.

FOUCAULT, Michel. Hermenêutica do sujeito. Tradução de Márcio Alves da Fonseca e Salma Tannus Muchail. 2. ed. São Paulo: Martins Fontes, 2006.

FOUCAULT, Michel. Os limites da representação. In:______. As palavras e as coisas: uma arqueologia das ciências humanas. Tradução Salma Tannus Muchail. 9. ed. São Paulo: Martins Fontes, 2007, p. 207-342.

GALLO, Sílvio. Deleuze e a Educação. Belo Horizonte: Autêntica, 2003.

GALLO, Sílvio. A filosofia e seu ensino: conceito e transversalidade. In: SILVEIRA, René José Trentin; GOTO, Roberto. Filosofia no ensino médio: temas, problemas e propostas. São Paulo: Ed. Loyola, 2007, p. 15-36.

GALLO, Sílvio; KOHAN, Walter Omar. Filosofia no Ensino Médio. Petrópolis: Vozes, 2000.

GELAMO, Rodrigo Pelloso. O ensino da filosofia no limiar da contemporaneidade: o que faz o filósofo quando o seu ofício é ser professor de filosofia? São Paulo: Cultura Acadêmica, 2009.

GIL, Antônio Carlos. Métodos e técnicas da pesquisa social. 6. ed. São Paulo: Atlas, 2010.

LALANDE, André. Vocabulário técnico e crítico de filosofia. 3. ed. São Paulo: Martins Fontes, 1999.

LORIERI, Marcos Antônio. Filosofia: fundamentos e métodos. São Paulo: Cortez, 2002.

MINAS GERAIS (Estado). Resolução nº 2.742, de 24 de janeiro de 2015. Belo Horizonte: SEE-MG, 2015. Disponível em: <ttp://srecaxambu.educacao.mg.gov.br/index.php?option=com_docman&task=doc_download &gid=3543.>. Acesso em: 03 jan. 2016.

MOREIRA, Antônio Flávio Barbosa. Conhecimento, currículo e ensino: questões e perspectivas. Em Aberto. Brasília, ano 12. n.58, abr./jun. 1993.

NIETZSCHE, Friedrich. Escritos sobre educação. Tradução, apresentação e notas de Noéli Correia de Melo Sobrinho. Rio de Janeiro: Ed. PUC-Rio; São Paulo: Loyola, 2003.

RODRIGO, Lídia Maria. Filosofia em sala de aula: teoria e prática para o ensino médio. Campinas, SP: Autores Associados, 2009.

e2685035


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.14244/198271992685

____________

Propriedade Intelectual

Revista Eletrônica de Educação adota a licença Creative Commons BY-NC do tipo "Atribuição Não Comercial".

Essa licença permite, exceto onde está identificado, que o usuário final remixe, adapte e crie a partir do seu trabalho para fins não comerciais, sob a condição de atribuir o devido crédito e da forma especificada pelo autor ou licenciante.

Para mais informações, consultar: https://br.creativecommons.org/

____________

REVISTA ELETRÔNICA DE EDUCAÇÃO. São Carlos (SP): Universidade Federal de São Carlos, Programa de Pós-Graduação em Educação, 2007- . Publicação contínua. ISSN 1982-7199. Disponível em: http://www.reveduc.ufscar.br