Evasão na educação superior de um instituto federal do nordeste brasileiro (Evasion in higher education of a federal institute of the brazilian northeast)

Lenin Cavalcanti Brito Guerra, Rita Maria Correia Ferraz, Jássio Pereira Medeiros

Resumo


In Federal Institutes (Brazil), the annual evasion vary from 24% to 26%, which may reach, after three years, more than 70% of its entrants. This reality has been detected in the Technology in Public Management Degree Course offered by a Federal Institute of Education, Science and Technology in the Brazilian northeast, where, in some classes, evasion rates has reached up to 77%. Despite this scenario, the accumulated systematized knowledge about the evasion in Brazil is still scarce, especially how it affects Technology Degree Courses. As a means of contributing to this kind of research, this work analyzes the reasons that somehow contribute to the evasion in the Technology in Public Management Degree Courses of the Federal Institute. It is an exploratory-descriptive research, with quantitative approach, whose data have been collected by primary source (questionnaires) and secondary sources. In the universe of 263 evaded and canceled students, 37% replied to the survey instrument. The results have shown that students’ average age was 31; that 49% of them were taking their second graduation course; that 47% were public servants and 59% attended private schools. The research has shown that both the difficulties to handle work and studies simultaneously and the difficulties to manage more than one graduation course are the main facts that cause the school drop-out. The studied occurrences didn’t present relation to vocational factors or academic matters as a cause for evasion.

Resumo
Nos Institutos Federais do Brasil, a evasão anual varia de 24% a 28%, podendo atingir, ao fnal de três anos, cerca de 70% dos alunos ingressantes. Essa também é a realidade do Curso Superior de Tecnologia em Gestão Pública oferecido por um Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do nordeste brasileiro, em que os índices de desistência chegam, em algumas turmas, a 77%. Apesar desse quadro, o conhecimento acumulado e sistematizado no Brasil sobre a evasão ainda é escasso, especialmente a que acomete os cursos superiores de tecnologia. Visando contribuir para esta linha de pesquisa, esse trabalho objetivou analisar os fatores que contribuem para a evasão no Curso Superior de Tecnologia em Gestão Pública do Instituto Federal em estudo. Trata-se de uma pesquisa exploratório--descritiva, com abordagem quantitativa, cujos dados foram coletados a partir de fontes primárias (questionário) e secundárias. Em um universo de 263 alunos que se evadiram ou cancelaram o Curso Superior de Tecnologia em Gestão Pública, 97 (37%) responderam ao instrumento de pesquisa. Os resultados demonstraram que a maioria dos participantes tinha, em média, 31 anos de idade, 49% estavam cursando a segunda graduação, 74% exerciam atividade remunerada, 47% eram servidores públicos e 59% eram provenientes de escola particular. A pesquisa destacou, como principais fatores causadores da evasão, a dificuldade em conciliar trabalho e estudo, e a dificuldade em conciliar o Curso Superior de Tecnologia em Gestão Pública com outro curso de graduação. As ocorrências estudadas não apresentaram relação com fatores de ordem vocacional ou ligados a questões acadêmicas.

Keywords: Evasion, Higher education, Public management.
Palavras-chave: Evasão, Educação superior, Gestão pública.

References

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília: Senado Federal; Centro Gráfico, 1988. 292 p. <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicaocompilado.htm>. Acesso em: 24 abr. 2017.

BRASIL. Decreto-lei nº 547, de 18 de abril de 1969. Autoriza a organização e o funcionamento de cursos profissionais superiores de curta duração. Diário Oficial da União, Brasília, 22 abr. 1969. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/decreto-lei/1965-1988/Del0547.htm>. Acesso em: 07 mai. 2017.

BRASIL. Decreto nº 6.096, de 24 de abril de 2007. Institui o Programa de Apoio a Planos de Reestruturação e Expansão das Universidades Federais – REUNI. Diário Oficial da União, Brasília, 25 abr. 2007. Disponível em <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2007/decreto/d6096.htm>. Acesso em 27 ago. 2015.

BRASIL. Lei nº 11.892, de 29 de dezembro de 2008. Institui a Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica, cria os Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia, e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, 30 dez. 2008. Disponível em <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2008/lei/l11892.htm>. Acesso em 30 jun. 2015.

BRASIL. Lei 5.540, de 28 de novembro de 1968. Fixa normas de organização e funcionamento do ensino superior e sua articulação com a escola média, e dá outras providências. Diário Oficial da União. Brasília, 23 nov. 1968 e retificado em 3 dez.1968. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L5540.htm>. Acesso em: 01 mai. 2017.

BRASIL. Lei 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Diário Oficial da União, Brasília, 20 dez.1996. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L9394.htm>. Acesso em: 26 abr. 2017.

BRASIL. Lei nº 10.172, de 9 de janeiro de 2001. Aprova o Plano Nacional de Educação e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, 10 jan. de 2001a. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/leis_2001/l10172.htm. Acesso em: 02 set. 2015.

BRASIL. Parecer CNE/CES nº 436, de 02 de abril de 2001. Cursos Superiores de Tecnologia: formação de tecnólogos. Diário Oficial [da] República Federativa, Brasília, 6 abr. 2001b, Seção 1E, p. 67. Disponível em: <http://portal.mec.gov.br/cne/arquivos/pdf/CES0436.pdf>. Acesso em: 3 mai. 2017.

BRASIL. Lei 12.089, de 11 de novembro de 2009. Proíbe que uma mesma pessoa ocupe 2 (duas) vagas simultaneamente em instituições públicas de ensino superior. Diário Oficial da União, Brasília, 12 nov. 2009. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2009/lei/l12089.htm>. Acesso em: 07 jul. 2017.

BRASIL. Ministério da Educação e Cultura: Expansão da Rede Federal. Brasília: 2016. Disponível em: <http://redefederal.mec.gov.br/expansao-da-rede-federal. Acesso em: 21 jul. 2017.

BRASIL. Ministério da Educação e Cultura. Diplomação, Retenção e Evasão nos Cursos de Graduação em Instituições de Ensino Superior Públicas. Brasília: 1997. Disponível em: <http://www.dominiopublico.gov.br/download/texto/me002240.pdf>. Acesso em: 25 abr. 2017.

BUENO, J. L. A evasão de alunos. Paidéia. Ribeirão Preto, vol. 1, n. 5, agosto, p. 9-16, 1993.

CAPUCHINHO, C. Um em cada sete jovens conclui ensino superior no Brasil, aponta IBGE. São Paulo: Último Segundo, 2014.  <http://ultimosegundo.ig.com.br/educacao/2014-12-17/um-em-cada-sete-jovens-conclui-ensino-superior-no-brasil-aponta-ibge.html>. Acesso em: 28 jul. 2015.

CAMELO, F. L. P.; MEDEIROS, J. P. de; MOURA, L. R. de. Projeto pedagógico do curso superior de Tecnologia em Gestão Pública na modalidade presencial. Natal, RN: IFRN, 2012. 96 p. Disponível em: <http://portal.ifrn.edu.br/campus/natalcentral/cursos/cursos-de-graduacao/tecnologia-em-gestao-publica.html>. Acesso em: 30 jun. 2015.

CUNHA, E. R.; MOROSINI, M. C.; Evasão na educação superior: uma temática em discussão. Revista Cocar. Belém, vol. 7, n.14, p. 82-89, ago./dez., 2013.

ETHINGTON, C. A psychological model of student persistence. Research in Higher Education, vol. 31, n. 7, p. 279-293, Jun., 1990.

FISHBEIN, M.; AJZEN, I. Belief, attitude, intention, and behavior: an Introduction to theory and research. Reading: Addison-Wesley, 1975.

GUERRA, L. C. B. O processo de formulação do Programa Universidade para Todos: atores, coalizões e interesses. 2015. 220 f. Tese (Doutorado em Administração). Centro de Ciências Aplicadas, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2015. 

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Estatísticas de Gênero mostram como as mulheres vêm ganhando espaço na realidade socioeconômica do país 31/10/2014. Brasília, 2017. Disponível em: <https://agenciadenoticias.ibge.gov.br/agencia-sala-de-imprensa/2013-agencia-de-noticias/releases/14691-asi-estatisticas-de-genero-mostram-como-as-mulheres-vem-ganhando-espaco-na-realidade-socioeconomica-do-pais.html>. Acesso em: 28 jul. 2017.

INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA. Sinopse Estatística da Educação Superior 2008. Brasília: INEP, 2009. Disponível em: <http//:portal.inep.gov.br/básica-censo-escolar-sinopse-sinopse>. Acesso em: 4 set. 2016.

INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA. Sinopse Estatística da Educação Superior 2013. Brasília: INEP, 2014. Disponível em: <http://portal.inep.gov.br/web/guest/sinopses-estatisticas-da-educacao-superior>. Acesso em: 28 jul. 2016.

INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA. Sinopse Estatística da Educação Superior 2014. Brasília: INEP, 2015. Disponível em: <http://download.inep.gov.br/educacao_superior/censo_superior/resumo_tecnico/resumo_tecnico_censo_da_educacao_superior_2015.pdf>. Acesso em: 28 jul. 2016.

INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA. Sinopse Estatística da Educação Superior 2015. Brasília: INEP, 2016. Disponível em: <http://portal.inep.gov.br/web/guest/sinopses-estatisticas-da-educacao-superior>. Acesso em: 24 nov. 2016.

LANZONI, H. de P. Disciplinas à distância para a modalidade de ensino presencial: Metodologia Científica. São Paulo: Ed COC, 2015.

LOBO, M. B. Panorama da evasão no ensino superior brasileiro: Aspectos gerais das causas e soluções. São Paulo: Instituto Lobo para o Desenvolvimento da Educação, da Ciência e da Tecnologia, 2012. Disponível em: <http://www.institutolobo.org.br/imagens/pdf/artigos/art_087.pdf>. Acesso em: 27 ago. 2015.

MARCONI, M. A.; LAKATOS, E. M. Fundamentos de metodologia científica. 5. ed. São Paulo: Atlas, 2003.

MOROSINI, M. C.; CASARTELLI, A. O.; SILVA, A. C. B. da; SANTOS, B. S. dos; SCHMITT, R. E.; GESSINGER, R. M. In. ICLABES. Primera Conferencia Latinoamericana sobre el Abandono en la Educación Superior, 1., 2012, Porto Alegre. A evasão na Educação Superior no Brasil: uma análise da produção de conhecimento nos periódicos Qualis entre 2000-2011. Porto Alegre: PUCRS, 2012. Produzido por: E.U.I.T. de Telecomunicación. Disponível em: <http://hdl.handle.net/10923/8762>. Acesso em: 31 mai. 2017.

OLIVEIRA JÚNIOR, G. C. Gestão institucional e evasão escolar no contexto de criação e expansão dos Institutos Federais. 2015. 179 f. Dissertação (Mestrado Profissional em Educação) Universidade de Brasília, Brasília, 2015.

OTRANTO, C. L. A política de educação profissional do Governo Lula: Novos caminhos da educação superior. UFRRJ, 2011. Disponível em: <http://www.anped11.uerj.br/GT11-315%20int.pdf>. Acesso em: 10 out. 2015.

PEREIRA, F. C. B. Determinantes da evasão de alunos e os custos ocultos para as instituições de ensino superior: uma aplicação na Universidade do Extremo Sul Catarinense. 2003. 174 f. Tese (Doutorado em Engenharia de Produção) – Programa de Pós-graduação em Engenharia de Produção. Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2003.

RISTOFF, D. A educação em guerra. Santa Catarina, UFSC, 1995 (MIMEO). Disponível em: <http://portal.mec.gov.br/arquivos/conferencia/documentos/dilvo_ristoff.pdf>. Acesso em: 19 jun. 2017.

SILVA FILHO, R. L. L.; MOTEJUNAS, P. R.; HIPÓLITO, O; LOBO, M. B. de C. Evasão no Ensino Superior. Cadernos de Pesquisa, v. 37, n. 132, set./dez. 2007, p. 641-649.

SILVA JÚNIOR, A.; SILVA, P. O. M. A desregulamentação e a abertura da educação superior à concorrência internacional: ameaça ou oportunidade? Revista Gestão Universitária da América Latina. Porto Alegre, v. 6, n. 4, p. 190-215, nov. 2013.

SPADY, W. G. Dropouts from Higher Education: an interdisciplinary review and synthesis. Interchange. Montreal, v. 1, n.1, p. 64-85, 1970.

SPELLER, P.; ROBL, F.; MENEGHEL, S. M. Desafios e perspectivas da educação superior brasileira para a próxima década 2011-2020. Brasília: 2012. Disponível em: <http://unesdoc.unesco.org/images/0021/002189/218964POR.pdf>. Acesso em: 10 out. 2015.

VERGARA, S. C. Projetos e relatórios de pesquisa em Administração. São Paulo: Atlas S.A., 1997.

YIN, R. K. Estudo de caso: Planejamento e métodos. Porto Alegre: Bookman, 2015.


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.14244/198271992529

____________

Propriedade Intelectual

Revista Eletrônica de Educação adota a licença Creative Commons BY-NC do tipo "Atribuição Não Comercial".

Essa licença permite, exceto onde está identificado, que o usuário final remixe, adapte e crie a partir do seu trabalho para fins não comerciais, sob a condição de atribuir o devido crédito e da forma especificada pelo autor ou licenciante.

Para mais informações, consultar: https://br.creativecommons.org/

____________

REVISTA ELETRÔNICA DE EDUCAÇÃO. São Carlos (SP): Universidade Federal de São Carlos, Programa de Pós-Graduação em Educação, 2007- . Quadrimestral. ISSN 1982-7199. Disponível em: http://www.reveduc.ufscar.br